O que fazer se você estiver sobrecarregado(a)

26
6576

Hoje eu gostaria de compartilhar uma habilidade que aprendi e que tem me sido muito útil desde então. É a habilidade de reconhecer quando abriguei atividades demais na vida e o que eu faço para lidar com essa situação.

É muito comum, para quem é produtivo e gosta de fazer as coisas, abrir espaço na vida, otimizar o tempo, e aí acreditar que pode fazer MAIS com esse tempo que tem. E aí vai trazendo mais atividades. Enquanto as coisas vão bem, está tudo certo. Mas, de repente, parece que tudo vira uma avalanche e você pode se ver bastante sobrecarregado(a). Os problemas simplesmente começam a aparecer: saúde debilitada, nada de tempo para lidar com as pessoas com as quais se relaciona, não dá conta das entregas etc.

Se você se encontra nessa situação, saiba que apenas VOCÊ pode sair dela. Não adianta esperar o seu chefe, o seu namorado (ou namorada), filhos, amigos ou quem quer que seja que chegue até você e traga a solução. Você é responsável pela sua própria vida, e enquanto não solucionar o que está acontecendo, não adianta esperar o tempo passar para resolvê-la. Ela não vai “se resolver”. Você precisa dar uma basta em algumas coisas.

A primeira delas, sem dúvida, é fazer uma análise honesta de todas as atividades que abrigou na vida para decidir quais são realmente essenciais.

Dentro dessas atividades essenciais, certamente você terá também atividades que precisam ser feitas no momento, enquanto outras podem ser delegadas ou colocadas em stand-by – sei que não é o ideal, mas pelo menos durante um tempo, enquanto você foca nas entregas principais.

Quando você define o que é essencial, certamente você vai se deparar com pessoas. Relacionamentos permeiam todas as áreas da nossa vida e, a não ser que você queira fazer tudo sozinho(a), você precisa lidar com as pessoas e dar atenção a elas também.

Imagem: No dia a dia

O coaching tem uma ferramenta chamada “roda da vida”, onde as principais áreas da vida de uma pessoa são colocadas e você pode fazer uma auto-análise para entender qual seu nível de satisfação em cada uma delas. A recomendação, no coaching, é que você escolha UMA área que traria mais impacto na sua vida hoje, se você a melhorasse, e eu recomendo que você faça isso também.

Escolher uma área traz FOCO e dá noção de PRIORIDADE. Se você escolher “saúde e disposição”, por exemplo, a ideia é que privilegie atividades que promovam saúde e disposição. Isso vai fazer com que você deixe várias coisas de lado, inclusive para dormir melhor.

Eu sou da opinião que não é possível viver uma vida cheia de problemas e reclamar diariamente deles. Ou a gente pode solucionar, ou a gente não pode. Se não pode, não adianta ficar reclamando. Eu acredito em uma vida mais leve, feliz, em que a gente trate os problemas como projetos e, para tudo aquilo que não podemos resolver, a gente consiga desenvolver um sentimento de gratidão para entender por que está acontecendo, e que aprendizado podemos tirar.

O que não dá, do meu ponto de vista, é sobreviver aos dias como se a vida não acabasse nunca. Temos que aproveitar o dia. Não se trata de abrigar mil atividades na vida em busca de um futuro que você pode nem chegar a viver. É importante trabalhar pelo amanhã, mas tão importante quanto o amanhã é curtir bem o HOJE, o momento, a jornada.

Não deixe sua vida passar, em meio a tantas reclamações. Pare AGORA e aplique o que você leu neste post. Depois me conta.

26 comentários

  1. Que texto sensacional, Thais! Sinto que preciso muito fazer exatamente isso… focar em uma área da minha vida e iniciar as mudanças. Mas também percebo que várias áreas precisam de mudanças, para que eu possa viver com mais qualidade e diante disso, fico perdida, estagnada. Você entende? Sigo seu blog a alguns anos e certa vez li um dos seus textos intitulado como “18 segredos para criar a vida que você sempre quis”, amei tanto que imprimi e sempre o releio. Ele também fala sobre isso de se perceber coisas e a serem mudadas e de fato iniciar as mudanças necessárias. Mas por que é tão difícil mudar?
    Obrigada pela generosidade em sempre com seus textos nos fazer pensar! Abraços!

    • Oi Silvana, tudo bem? Concordo com você. No curso de coaching aprendi que, quando melhoramos uma área, essa impacta todas. Eu tive que pagar pra ver e eles estavam certos, hehe. Às vezes, de querer melhorar várias, não conseguimos priorizar mesmo, por isso eles sugerem uma. Obrigada por comentar!

  2. Nossa! Parece que esse texto foi feito para mim! Thaís, estou te acompanhando diariamente e estou aprendendo muito. Estou lendo o livro do David Allen com o seu já na fila 😊. Estou passando por um momento de renovação e incertezas na minha vida, e o seu trabalho está me ajudando muito! Parabéns e muito obrigada!

  3. Sinto minha vida passar diariamente pelos meus olhos, faço inúmeras coisas e parece que não faço nada.
    Nunca tenho tempo pra nada, só ando atrasada. Isso gera um stress muito grande para mim e para as pessoas que vivem ao meu redor, parece que falta tempo para fazer outras coisas mais prazerosas e então fico atrelada apenas com afazeres diários e tudo no modo automático. Minha meta para 2018 era ser mais organizada e com isso ganhar mais tempo para curtir minha vida e minhas filhas, espero conseguir! Beijos Thais, adoro seus posts…

  4. Estudo numa faculdade pública e meu curso é integral, e minha casa passa por problemas financeiros. Mas estou para me formar ano que vem, e meus pais dizem para eu não me preocupar tanto quanto a isso e me dedicar aos estudos. Porém, me sinto angustiada por não conseguir ajudar financeiramente e assim minha concentração nos estudos vai por água a baixo… Parece que não consigo gerar renda nem dar conta do que é da “minha ossada”, digamos assim.
    Por isso, esse trecho em especial “Ou a gente pode solucionar, ou a gente não pode. Se não pode, não adianta ficar reclamando. ” Me chamou muito a atenção.
    Bem, é só um desabafo, espero poder voltar aqui no blog daqui a um tempo com boas novidades.
    Adoro seu trabalho.

    • Boa sorte nessa fase, Juliane. Que bom que seus pais podem te falar para priorizar os seus estudos. Foque nisso e dê seu melhor, pois assim você conseguirá ajudar financeiramente o quanto antes também, pois estará bem preparada. Obrigada por comentar.

  5. Oi Thais, socorroooooo. Estou exatamente assim. Durante um bom tempo seguindo seu blog consegui me organizar até que bem. Mas ultimamente algumas demandas aumentaram e não estou dando conta e estou muitoooo frustrada. Tipo fiz todos os passos do GTD, mas não sei o que fazer com tanta coisa, pois no meu caso não é uma questão de eleger prioridades, é que tem coisas que tenho que fazer, são prioridades, mas não estou avançando, o dia não dá, quando vou ver já está na hora de dormir, nem comi direito e até faltei na ginástica. É como a Kathiany falou acima. Estou lendo o livro do David Allen e confesso que você é mais didática que ele, rsrsrs, mas na atual fase em que me encontro pergunto: como encaixar tudo que você processou e que tem que ser feito num dia de 15 horas e ainda cozinhar, fazer ginástica, cuidar da casa (não tenho com quem dividir). Não estou reclamando não e nem quero ser mulher maravilha, mas não estou dando conta do essencial e estou muito preocupada. Estou na página 157, não sei o David fala sobre isso mais para frente, mas por enquanto to meio desesperada.

    • Rita, é difícil para mim opinar sem conhecer a situação por completo. Mas o que eu sei é que, como regra geral, não dá pra gente fazer tudo. Tem que aceitar que tem que tirar algumas coisas.

  6. Gostei muito do texto, Thais! Eu me identifiquei demais por estar passando por problemas de saúde justamente por estar sobrecarregada. Já conhecia a roda da vida mas tinha me esquecido dela. É realmente uma boa ferramenta para te ajudar a ter foco no que importa mais no momento. E adorei a ideia de lidar com problemas como projetos! Já criei o meu aqui.

  7. Thais; Estou fazendo uma pós de Educação Criativa e na última semana estudamos os tipos de leitores (não vale só para livros e em relação ao objeto estético): o viajante, a torre e a traça. Eu de cara me identifiquei com a traça, que um tipo de leitor que ler de tudo, um leitor de múltiplos interesses, porém é alguém que não se aprofunda muito em nada. Eu sou essa na vida, eu tenho múltiplos interesses, sempre me envolvo em inúmeras atividades. Porém, isso me traz alguns complicadores, todos esses citados acima por você: às vezes fico doente, passo a não cumprir prazos, sinto.me muito cansada. Nesse momento atual, estou com um trabalho muito importante para entregar e estou extremamente cansada, procrastinadora…

  8. Thais obrigada por mais um post super relevante.

    Gosto da roda de vida e refaço a cada 6 meses. E minha area a area foco da vez é a profissional, porque fiquei 2 anos somente estudando e utilizando as reservas financeiras pra viver fora do país. A segunda area foco é o desenvolvimento emocional, pra dar conta do desafio. Neste periodo percebi o quanto a minha identidade como pessoa ainda é (over) dependente do que eu faço profissionalmente. Eu imaginava que conseguiria trabalho mais rapido e levei 4 meses a mais que o meu planejamento.

    No momento busco respostas sobre planejamento pessoal no que se refere a gerenciar “expectativas de tempo de realizacao dos objetivos de forma realista”. Acho que ainda “viajo” um pouco neste aspecto e talvez eu ainda lide/reaja com as expectativas de forma meio infantil. Aceito sugestões de leituras caso voce tenha.

    Tambem gostei do “Ou a gente pode solucionar, ou a gente não pode. Se não pode, não adianta ficar reclamando”.

  9. Thaís! Muito obrigada por esse texto! Eu nem tinha terminado de ler e já consegui entender por que ando me sentindo tão sobrecarregada, cansada, e até triste: meus esforços estavam todos em um único quadrante. Era o empurrãozinho que faltava para eu começar a mudar hoje mesmo. Muita gratidão a você. 😘

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui