Categoria(s) do post: Vida Organizada, Áreas da Vida

Todo mês eu gosto de fazer uma análise do meu nível de satisfação através de uma ferramenta chamada Roda da Vida. Você pode baixar modelos pela Internet ou desenhar, como eu faço no meu Bullet Journal. Geralmente uso compasso e régua, mas desta vez fiz à mão mesmo e tá tudo certo. rs

O post de hoje traz um pouco sobre as minhas reflexões, para compartilhar com vocês o momento de vida que estou vivendo. Acho que tem ponderações importantes.

Eu dei nota máxima de satisfação em várias áreas: estudos, carreira, família, amor, social e lazer. O que considero muito bom, visto que eram áreas que, nos meses anteriores – especialmente lazer – eu estava sentindo falta. Tá super legal hoje em dia. Tenho assistido minhas séries, jogado xadrez com o Paul, ouvido mais música, passeado na rua ou no parque de vez em quando, conversado mais com o meu marido, visto filmes e cozinhado com ele, enfim.

As áreas que quaaaase dei nota máxima mas sinto que faltam algo foram: emocional, contribuição, plenitude e saúde. Vou explicar cada uma delas abaixo:

  • Saúde. Eu ganhei peso este ano e, para mim, foi um mix de beliscar demais, pedir mais iFood que o necessário, comer muito carboidrato, o início da atividade física (gerando massa magra “pesada”) e os novos remédios, que podem ter dado uma impactada. Com base nisso, em junho já passei na nutricionista e na terapeuta de Ayurveda e estou implementando mudanças. Eu também pretendo encontrar uma nova maneira de fazer atividade física. Eu adorei fazer o treino com o Personal Trainer, mas no momento não sinto que esse tipo de treino seja o melhor para o meu corpo. Então estou nesse momento de redescobertas e ajustes com relação a tudo na minha saúde.
  • Emocional. Estou quase 100%, mas porque estou tomando remédios para controle da ansiedade. Eu gostaria de estar bem sem precisar deles. Mas tudo a seu tempo.
  • Contribuição. Ano que vem teremos eleições e eu sei que será um dos anos mais conturbados da história política do nosso país. Infelizmente, vejo gente brigando na porta de colégio eleitoral, sabe esse nível? Eu sinto que poderia contribuir mais com o partido, com as pessoas, com grupos, com militâncias, mas ainda não consigo ver como poderia fazer isso. Estou refletindo.
  • Plenitude. Eu cheguei à conclusão de que tenho uma grande questão pessoal com a casa em que moramos. Sinto falta de uma casa com quintal. Sinto falta de uma casa mais aberta, mais ensolarada. Mas já conversamos por aqui e vamos pensar nisso “depois da pandemia” e quando as finanças da empresa estiverem ainda mais estáveis e organizadas. Isso nos dará fôlego para tomar qualquer tipo de decisão adiante.

Vamos falar agora sobre as duas áreas com notas mais baixas e os seus por quês:

  • Espiritualidade. Eu saí novamente do curso do Centro Budista. Meu médico sugeriu que seria melhor até eu ficar bem. Eu tive uma crise de ansiedade no meio de uma aula (virtual), porque alguns assuntos despertam gatilhos emocionais difíceis para mim. Então vou dar um tempo do curso e continuar estudando e praticando em casa, e ajudando o centro e a tradição como eu puder, através de doação, divulgações etc. Eu dei nota média ali porque realmente é algo importante para mim, mas entendo que é temporário e que em breve poderei voltar e ficar bem. O que pretendo é descobrir melhores maneiras de lidar com a minha espiritualidade nesse momento mais difícil.
  • Finanças. Por ser a área em que estou dando mais foco este ano, é a que mais estou mexendo e, por isso, não me sinto satisfeita. Tem muita coisa em andamento aqui e as coisas estão andando de maneira muito rápida, mas percebemos que algumas questões levam mais tempo para serem consolidadas. A Ana, que começou a trabalhar comigo em abril, está me ajudando de sobremaneira com as finanças da empresa, com a contabilidade, e estamos nesse momento de colocar tudo em ordem. Tá sendo enriquecedor, mas ainda me sinto naquela “zona de desconforto” em meio às mudanças e ajustes de parafusos.

Essa análise mensal é muito importante para mim porque me permite pensar de maneira mais reflexiva sobre o que eu sinto falta e sobre o que eu sinto satisfação em cada uma das áreas. Gostaria de encorajar você a fazer o mesmo, para verificar como a sua percepção muda de um mês para o outro. Acho maravilhoso. <3

Deixe seu comentário

14 comentários

  1. Maria Santos comentou:

    Desconhecia completamente esta abordagem, mas pareceu-me muito interessante. Esbarrei com o seu blogue há dias e já li alguns posts que me despertaram muito e me puseram a pensar. Obrigada. Vou continuar as visitas.

  2. Carol Mancini comentou:

    Thais, como te conheço sei que sugestões são sempre bem-vindas, então vou te dar uma: talvez você possa unir o útil ao agradável fazendo projetinhos pequenos de DIY na sua casa atual. Isso é um exercício pro corpo e pra mente, além de te dar aquela satisfação de ajeitar sua casa. E não precisa ser nada complexo: instalar uma prateleira pela primeira vez ou reformar um pequeno móvel podem ser atividades super prazerosas. Eu tenho feito algumas coisas nesse aspecto e vem me ajudando muito – até na minha criatividade. Tem lá uns trancos e barrancos pra transpor (por exemplo, dei uma martelada no dedo e ficou roxo), mas é tudo manejável. Espero que goste da ideia <3

  3. Sabrina comentou:

    achei interessante sua vontade de contribuir mais politicamente. vc pretende comentar mais sobre isso?

  4. Monique comentou:

    Nossa, Thais, também não me adaptei ao personal. Foi bem difícil assumir isso depois de 3 meses. Aprendendo ainda a aceitar e reconhecer meus limites.

  5. Camila comentou:

    Thais, parabenizo pelos posts (sempre perfeitos) e peço licença para fazer uma pergunta não relacionada às áreas da vida. Quando você postava a “linkagem de domingo” sempre recomendava um site em inglês que abordava questões de saúde mental. Você poderia disponibilizar o link dele em resposta ao meu comentário? Eu havia salvo na época e perdi. Abraços e obrigada por doar tanto para nós.

      1. Camila comentou:

        Obrigada!

  6. Lari comentou:

    Pois bem, essa roda da vida é uma ferramenta sensacional para estar consciente e olhar para si

  7. Teresinha comentou:

    Oi, Thais

    Fiquei em duvida se roda da vida e areas da vida sao a mesma coisa?

    1. Fiz um post esta semana respondendo a sua dúvida. 🙂 Espero que tenha visto.

  8. Katia Maria comentou:

    Nossa amei conhecer mais sobre a roda da vida. Conheci você através do método Fly Lady na esperança de ajeitar minha vida…Estou muito feliz em encontrar seu conteúdo em um momento difícil pois comecei a ter crises de ansiedade também devido a vida estressada que vivia… Você me trouxe luz no fim do túnel. Virei fã!! Abraços!