Como ler mais rápido (livros de não-ficção)

14
3868

Sempre que eu posto um vídeo com os livros que li no mês, alguns leitores ficam impressionados me perguntando como eu consigo ler tanto. No geral, eu separo os livros em duas categorias padrão:

  • os livros de ficção
  • os livros de não-ficção

Livros de ficção, ou seja, literatura mesmo, nacional ou estrangeira, são livros que eu prefiro demorar mais para ler. O objetivo não é terminar de ler o livro, mas curtir a leitura. Já os livros de não-ficção (auto-ajuda, negócios etc) são livros que a gente lê com alguma finalidade, um objetivo, então a leitura é mais rápida mesmo. É sobre a leitura desses livros que eu vou comentar aqui hoje.

Como ler livros de não-ficção

A primeira coisa que eu faço é ler o sumário. Com isso, já tenho uma visão geral do que se trata o livro e os pontos que o autor vai abordar.

Depois, gosto de ler os últimos capítulos do livro – uma leitura rasa, apenas para pegar o espírito da coisa. Dificilmente eu leio os livros na ordem a tenho mania de ler a introdução por último. Depois de ter escrito um livro, percebo o poder das introduções. Muitas vezes, quando começamos a ler um livro, não damos atenção suficiente ao que está escrito na introdução, e ali certamente estarão pontos-chave que eu quero prestar atenção depois.

Eu também tenho alguns hábitos de leitura e pretendo gravar um vídeo sobre isso (aguardem!). Um deles é usar um post-it para marcar a página onde eu parei. Não gosto de usar marcadores de livros, pois eles caem e eu perco a página. Além disso, utilizo flags adesivas para marcar as páginas com conceitos-chave ou passagens importantes que quero reler depois com mais calma. Sempre que vou ler, levo meu “kit de leitura” que tem uma cartela com essas flags, um lápis ou uma caneta e minha caneta amarela marca-texto. Ao longo da leitura, faço anotações nas páginas e grifo os pontos importantes.

Não tenho dó de livro de não-ficção e acho que essa interação que faço é fundamental para extrair o melhor daquele livro que estou lendo.

Um ponto importante que vale a pena citar é saber reconhecer passagens importantes de passagens que, ok, já entendi o que o autor quer dizer e não vou perder tempo lendo, ou são dados que não me interessam naquele momento. Isso me faz economizar na leitura. Por exemplo, livros que tem muitas historinhas, contações de caso e dados numéricos explicados com detalhes  praticamente me obrigam a pular essas partes. Eu posso até ler depois, se tiver interesse, mas não na primeira leitura. Claro que há exceções – jamais deixo de ler algo que é importante para o contexto. Mas, no geral, acho importante avaliar e ler somente o que interessa.

Por fim, a sensação que gosto de ter quando termino um livro é a de que poderia fazer um bom fichamento sobre ele. Se o livro traz grandes aprendizados que vou querer rever de tempos em tempos, eu costumo fazer um resumo no Evernote e arquivar. Se o livro for extremamente importante, com dicas preciosas, eu mantenho o livro. Se não, se posso viver somente com o fichamento, passo o livro para a frente.

No geral, é assim que eu leio livros de não-ficção com bastante rapidez. Levo no mínimo um par de horas e no máximo alguns dias para concluir uma leitura assim.

Vale lembrar que não estou falando de livros de estudo, cujo assunto demanda aprofundamento e atenção maiores, como faço com os livros de ficção.

Espero ter conseguido passar como eu leio tais livros para quem tinha dúvidas sobre como eu lia tão rápido e tantos livros por mês.

Obrigada por tudo, pessoal.

14 comentários

  1. Adoro ler! Já comprei muitos livros de ficção, mas hoje em dia percebo que após a leitura eles ficam abandonados, guardados e sem uso. Então, ultimamente só tenho comprado livros para referências (estudo), estou concluindo minha graduação em Administração e acho importante manter alguns arquivos para atualização ao longo do tempo. Em relação à marcação de trechos e comentários no livro, acho legal para o momento, contudo, você fica um pouco condicionado aquilo que escreveu há algum tempo atrás, o que pode deixar você um pouco menos criativo em relação à novos conceitos e visões. Obrigado por compartilhar suas técnicas e fico no aguardo do vídeo.

  2. Thais, primeiramente parabéns pelo seu trabalho. É realmente inspirador. Tenho acompanhado!

    Livros de não-ficção gosto de ler no kindle pois faço marcações das passagens mais importantes e acrescento notas e comentários. Depois acesso kindle.amazon.com e copio todas estas marcações para uma nota no Evernote. Em seguida acrescento no inicio desta nota um resumo geral do aprendizado que obtive com esta leitura e acrescento uma tag “lido”. Assim tenho um fichamento resumido da obra.

  3. Gostei das dicas, vão facilitar as minhas leituras.
    Estou na metade do seu livro e estou adorando!!!
    Desculpe o abuso, mas gostaria de algumas dicas para a leitura justamente dos livros de estudo.
    Li seus posts sobre concurso e gostei muito. Mas quanto à leitura dos livros didáticos, parece que sempre tenho que recomeçar do zero, pois não recordo do que estudei e parece que não rende…. E como geralmente o conteúdo para estudar é grande precisa um sistema rápido.
    Sei que você estudou para concurso por um tempo, e suas dicas são sempre úteis. Se puder compartilhar um pouco de como era essa organização, agradeço muito.
    Abraço

  4. Estou estudando fotografia e lendo um livro exatamente desta forma. Grifando o que é importante, marcando com flags. E como é estudo ainda faço anotações num caderninho.

    Tinha um pouco de pré-conceito de escrever nos livros, mas facilita muito encontrar posteriormente o que mais interessa.

  5. Quando criança tinha muita preocupação em conservar os livros, era coisa da época acho. Hoje o que mais faço é rabiscar meus livros, marcar páginas dobrando as orelhas, faço mapas mentais e depois empresto para os colegas. Alguns eu guardo, tenho até ciumes.
    O melhor fichamento que fiz foi de um livro de metodologia científica. Quem gosta de estudar vai usar bastante em todos os TCCs que fizer.

  6. Olá
    Eu amo ler,e leio do mesmo jeito que vc,somente o que é relevante.Agora vou ler a introdução somente no fim do livro,adorei.Leio com caneta e lápis e fazendo resumos ou copiando frases revelvantes.
    Patricia

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui