Rotinas

Reajustando a rotina.

Depois do último post, cheguei ao meu limite e resolvi colocar a rotina nos eixos novamente. Eu não gostaria de colocar a culpa da bagunça em ninguém. Anderson e eu pensamos de forma diferente em vários aspectos sobre a educação do Paul e, por isso, eu quis ser mais flexível e deixá-lo tomar algumas decisões pautadas puramente no que a Tracy chama de paternidade acidental. O resultado foi um bebê com o sono perturbado, pais cansados e inconstância. Por isso, tomei as rédeas de volta e, mesmo que isso signifique algumas noites em claro até ajustar tudo, prefiro assim.

Alimentação – Relendo o livro rosa da Tracy, a primeira coisa que me chamou a atenção foi para a alimentação. Percebi que o Paul está tomando menos leite do que deveria, almoçando muito cedo e não está jantando. Ele já tem quase 8 meses e precisa jantar por volta das 18h. Eu fiquei com medo de dar essa refeição no fim da tarde porque, aos 6 meses, cheguei a tentar e ele ficou com o sono muito agitado, fazendo cocô de madrugada, o que não fazia antes. Mas adiei demais e, agora, está mais do que na hora de tentar novamente. Ainda damos a mamada dos sonhos por aqui e só vou tentar tirar quando sentir que realmente não faz diferença. Muitas vezes, ele mesmo recusa a mamadeira (mas começa a resmungar no meio da madrugada). Ontem já dei a janta às 18h e ele fez cocô logo depois do banho, mas dormiu bem até às 22h30, quando acordou. O que tentarei fazer hoje é dar a mamada dos sonhos antes de ele acordar, então.

Os sinais do bebê – Comentei certa vez aqui que eu faria em casa o horário das escolinhas para alimentação, soneca etc. Isso não dá muito certo. Perdi a observação do Paul (que é o mais importante) e o deixei cansado muitas vezes, o que pode ter influenciado no sono noturno. Assim, se eu o vejo bocejando, já o coloco para dormir, não importa o horário. Ontem, quando comecei a adaptar a rotina, as sonecas foram em horários variados, mas acredito que com o passar do tempo tudo se estabilize. Hoje ele tirou a soneca da manhã no horário certo (às 9h30). A soneca da tarde será daqui a pouco, antes de sairmos para a pediatra.

Dormir cedo – Para mim (e para todos os autores de pesquisas recentes sobre a qualidade do sono do bebê), crianças devem dormir cedo. Horário de verão é uma inutilidade que veio para estragar a rotina de mães como eu, mas precisamos nos adaptar. Assim, acho razoável iniciar o ritual do sono (banho, massagem, leite e historinha) por volta das 19h, para que ele esteja dormindo às 20h. O desafio tem sido “gerenciar” as sonecas da tarde, mas vou insistir com a rotina do sono mesmo assim, nem que eu tenha que ficar com ele acordado no quarto escuro até ele dormir, seja o horário que for. Depois do horário de dormir, nada de atividades, muito menos saídas. Ontem, a última soneca foi das 15h30 às 17h. Depois, ritual do sono às 19h e, às 20h, estava dormindo. Espero que se repita diariamente (farei repetir!).

Distrair sem pegar no colo – Paul está na fase de ansiedade da separação. Tenho conseguido administrar bem, porque brinco bastante de esconde-esconde e cadê/achou. Quando preciso fazer algo (tipo ir ao banheiro), eu o deixo no cercadinho e vou numa boa. Às vezes ele chora, às vezes não. Quando ele está brincando no chão, muitas vezes vem e tenta escalar as minhas pernas para subir no colo. Eu sento com ele no chão e fico tentando distraí-lo com os brinquedos, o que dá certo. Mas é hora de ficar com ele. Não adianta deixá-lo com os brinquedos e levantar novamente. A ideia é evitar pegá-lo no colo o máximo possível, especialmente se ele estiver chorando, para não associar o choro ao colo. É difícil porque ele não fica no cercadinho, detesta. Uso só naqueles momentos necessários mesmo, como atender a campainha, ir ao banheiro ou ver uma panela no fogo.

Tirar a TV do quarto – Algo que eu sabia que, cedo ou tarde, teríamos que fazer. Quando ele era bem pequeno, nós ligávamos a tv bem baixinho enquanto ele estava dormindo e isso não o perturbava. Agora, qualquer coisa é desculpa para ficar acordado, e é óbvio que, quando a gente não liga a tv, o sono dele é muito melhor. É difícil porque sempre fomos acostumados com a tv no quarto, a ver filmes deitados antes de dormir, mas não vejo outra saída. Faremos essa mudança, então.

Ajustar o meu sono – Eu tenho tido insônia. Essa noite, Paul acordou berrando às 2h30 e eu não consegui dormir mais. Fui dormir novamente às 6h, mas como o Paul logo acordou, fiquei dormindo e acordando até às 10h. Por sorte, o Ande pôde ficar com ele, mas mesmo assim não dormi direito. Preciso regular o meu sono porque é qualidade de vida, necessidade básica, nem preciso argumentar muito. E eu sou aquela pessoa que demora para pegar no sono. O que é esquisito é que tenho feito muita coisa durante o dia inteiro para ficar bem cansada e capotar, mas não tem adiantado. Acho que o horário ideal de ir para a cama é às 22h, mas ultimamente tenho conseguido ir somente entre 23h30 e meia-noite, e passo da 1h facilmente tentando pegar no sono. E já tentei todas as técnicas possíveis para o sono vir: banho morno, chá, suco de maracujá etc. Eu acho que o fato de tirar a tv do quarto vai criar um ambiente mais aconchegante, então ainda existe esperança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados