Categoria(s) do post: Diário da Thais

Todo último dia do mês eu gosto de escrever um post compartilhando como foi o último mês para mim, no geral. Como escrevi no post do resumo de março, não foi fácil completar um ano de pandemia mas, em abril, algumas coisas que comentei naquele post melhoraram, como a relação do Paul com as aulas e o astral do meu marido. Paul voltou a estudar de manhã e isso foi muito bom porque ele dorme mais cedo (e isso impacta na minha rotina de sono também) e consegue aproveitar a tarde para brincar (tudo online) com seus amigos e primo. Meu marido também conseguiu organizar melhor a sua rotina de trabalho trabalhando ao lado do Paul de manhã, e isso influenciou no bem-estar dele. Aos poucos, todo mundo aqui em casa está entendendo como o ritmo circadiano faz diferença na rotina e, bem devagar, mas sempre em frente, a rotina da família vai se formatando.

Ainda sobre família, em abril o Paul completou 11 anos de idade. Nem dá para acreditar. O tema da festa foi, claro, Hogwarts, com direito a cartinha e tudo. Estávamos só nós três em casa e o restante da família participou via What’sApp. Nós encomendamos docinhos, salgadinhos e o bolo e cantamos parabéns. Foi gostoso. Inicialmente eu achei que ele fosse ficar chateado por ter sido o segundo aniversário dele comemorado em uma pandemia, mas todos nós estamos um pouco mais resignados com a situação.

Sobre o restante da família, é importante falar sobre a vacina. Meus sogros já foram vacinados, mas minha mãe ainda não. A previsão para a idade dela é maio. Estou com bastante expectativa.

Stanley e Sebastian fizeram a cirurgia de castração, o que me deixou super preocupada. Sebastian ficou ótimo, mas o Stanley teve uma complicaçãozinha pós-cirúrgica (seroma) e está com dificuldades para comer. A veterinária está acompanhando ele de perto. Infelizmente ele tem que ficar com o cone porque fica o tempo todo querendo mexer na feridinha costurada, e isso pode levar a uma infecção.

Falando um pouco sobre mim. Ontem, na minha consulta médica, eu ouvi algo que precisava e que vai me ajudar a analisar todas as áreas da vida e objetivos de uma outra maneira. Meu médico me disse: “a sua vida está mudando”. Mesmo em uma pandemia, tem muitas mudanças acontecendo na minha vida nesse momento, me levando para cenários diferentes que eu não vivi antes, e isso pode gerar uma certa ansiedade. Para quem não sabe, tenho TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada). Por isso, ele vai alterar a minha medicação, e vamos ver como será. Sempre fico com um mix de emoções ao alterar uma medicação de uso contínuo, pois ela pode fazer muito bem assim como pode ter vários efeitos colaterais estranhos. Mas vamos que vamos.

No começo do mês, quis mudar um pouco meu visual e pintei o cabelo de marsala. A tinta que estou usando é esta aqui. Ao final do mês, criei coragem e cortei meu cabelo mais curto eu mesma em casa. Vi alguns vídeos na Internet, me animei e cortei. Eu não sou muito apegada a cabelo. Errou, cresce de novo.

Eu não estou com a auto-estima muito alta este mês, então foi bom ter feito algo assim por mim.

Outra mudança de abril foi que iniciei os treinos em casa com um personal trainer. Eu nunca tinha feito isso mas, depois de um ano em casa, eu estava sentindo falta e também notando que eu estava ficando letárgica, retendo mais líquido que o normal e ganhando peso. Então começamos dia 29/3 na verdade, mas eu considero que foi uma coisa muito presente em abril. Estou gostando muito de treinar. Por enquanto fazemos 3x por semana (e nos outros dias eu faço yoga em casa), mas a ideia é passar para todo dia em dois meses.

Em termos de trabalho, tudo indo muito bem. Iniciamos a Turma 7 do curso online do Método Vida Organizada, realizamos o workshop online de Planejamento de Vida para essa turma e algumas turmas anteriores, trabalhamos no projeto de gamificação do curso, estamos revisando e regravando aulas do curso, e em abril também tivemos uma nova aquisição para a equipe, que é a querida Ana Luisa, que basicamente será a guardiã do trabalho do Vida Organizada, trabalhando como uma coordenadora de operações. Ela está tirando de mim toda a carga de trabalho que não seja essencialmente criar conteúdo e gravar aulas, de modo que eu consiga me dedicar mais a isso e trabalhar melhor.

O Doutorado segue com as aulas e, em março, fiz uma apresentação para o Grupo de Pesquisa da Cásper e iniciamos as atividades com o novo Grupo de Pesquisa da PUC. Estou feliz. <3

Uma das coisas que eu mais gosto no mês de abril é essa luz amarelada à tarde, tanto nos dias quentes quanto nos dias mais frios. É a minha época do ano preferida.

Espero que você esteja bem e que seu mês de abril tenha sido legal. Se quiser contar um pouco como foi, deixe aqui nos comentários, por gentileza. Obrigada por estar aqui!

Categoria(s) do post: Saúde, Hábitos, Ayurveda

O café é simbólico para a produtividade.

Originário da Etiópia, existe a “lenda” de que um pastor percebeu como suas ovelhas ficavam agitadas ao comer as folhas de café, e ele mesmo passou a “testar”. Viu que sentia uma vivacidade maior. Um monge da região ficou sabendo e passou a usar o café para resistir ao sono enquanto fazia suas orações. A expansão se deu pela Arábia (tanto que o café era chamado de “vinho da Arábia” na época). Em 1570, chegou à Europa, em Veneza (Itália), em 1652 na Inglaterra e em 1672 na França, onde foi aberta a primeira “casa de café”. Foram os franceses os responsáveis pela cultura de colocar açúcar no café. Hoje, o café é a bebida preparada mais consumida do mundo. (informações tiradas da Wikipedia)

Com a chegada da Revolução Industrial, em suas diversas fases, parecia quase impossível cumprir turnos de noite sem o consumo de estimulantes como o café. Não é à toa que as empresas oferecem cafezinho para os funcionários – é para mantê-los despertos e trabalhando. Antes disso, os ciclos de trabalho eram associados ao ciclo do sol (o ritmo circadiano). Podendo ter trabalhadores no turno da noite, as fábricas nunca paravam, e assim os proprietários obtinham mais lucro. Não demorou muito para a bebida se tornar um padrão no trabalho. E, até hoje, é associada ao foco, à produtividade, ao bom trabalho etc.

Você já fez a experiência de ficar sem tomar café se você era acostumado a beber todos os dias? A sonolência é absurda e ficar com dor de cabeça é comum, quase que como em um processo de abstinência. Você não quer ficar com sono, então volta a beber café. Eu já passei por esse ciclo e acredito que muitas pessoas já tenham passado também.

Quando comecei a estudar Ayurveda, percebi que o consumo de cafeína não é muito indicado para o meu biotipo, pois pode agravar alguns sintomas de desequilíbrio no corpo, como crises de ansiedade. Não apenas a cafeína, mas estimulantes de modo geral. E veja, o problema não é o café, mas o uso que se faz dele, o tipo de café que se toma, em que momento, e como seu corpo reage a isso. Tem um vídeo ótimo do dr. Robert a respeito (legendado).

Então, o que eu penso é que preciso, neste momento, quebrar essa rotina de beber café diariamente como um hábito. Não é que não vá tomar café nunca mais, mas não será uma coisa diária, não pensada, como se meu corpo precisasse todos os dias da mesma substância. Ayurveda é sobre isso.

Para deixar um hábito, preciso de um plano de ação, que é:

Hábito que quero deixar de ter
Tomar café todos os dias

O que pode estar me atrapalhando?
Sono errado (dormir mal de vez em quando)
Beber pouca água
Ter café disponível em casa
Não ter outras opções de bebidas em casa

O que posso fazer de concreto para implementar?
Garantir quantidade de horas de sono bem dormidas à noite
Beber 3 litros de água por dia
Substituir por chá
Valorizar mais o momento quando for beber um café ocasionalmente

Pretendo fazer alguns testes e ficar um tempo SEM café para ver como o meu corpo reage. O grande problema é ele virar hábito e válvula de escape, porque a causa do problema tem que ser tratada, e não usar o artifício mais fácil e rápido.

Categoria(s) do post: Rotinas, Propósito, Liderança

Continuando a série que iniciei há alguns dias fazendo uma revisão das diversas áreas da minha vida no momento, para compartilhar sobre a minha rotina, hoje querer falar sobre como está a área relacionada a carreira, propósito e trabalho de modo geral.

Como vocês sabem, todo mês eu gosto de revisar as minhas responsabilidades para garantir que eu esteja me dedicando ao que realmente gostaria ou preciso me dedicar. Mas, outro dia, postei no Twitter:

Esse é um grande paradoxo da pandemia: apesar de todo o caos e tristeza que estamos vivendo, a empresa cresceu, prosperou, assim como aconteceu com outros profissionais, mas a gente nem se dá ao luxo de ficar feliz ou comemorar, porque não é apropriado. Mas o fato é temos muuuuuita demanda por conta do momento que estamos vivendo, e o Vida Organizada passou de uma pessoa (eu) com sua assistente pessoal para atendimento, para uma equipe com sete pessoas, sem contar os prestadores de serviços. Meu lema para 2021 é “cresça com responsabilidade” justamente porque, quando se fala em contratação, você está falando em vidas, e você se torna responsável pela vida daquelas pessoas, pelo sustento da família delas, a qualidade de vida e tudo o mais. Eu me sinto mais experiente para o papel de liderança agora do que eu era em 2018, pelo menos.

Nosso trabalho hoje se resume a:

  • Criação de conteúdo gratuito, que para mim é tão importante quanto a parte educacional. Não é menos importante só porque é gratuita. Faz parte de uma narrativa e ajuda pessoas do mesmo jeito. Então a dedicação ao blog, ao youTube, ao Instagram, ao Telegram e ao Facebook faz parte deste trabalho, assim como a organização de eventos online de tempos em tempos, encapsulando temas.
  • O curso do Método Vida Organizada. Cada vez mais temos focado em centralizar os outros cursos dentro dele e, especialmente este ano, estamos revisando as aulas, regravando, fazendo novos workshops etc, além de trazer elementos de gamificação para aumentar o engajamento. Tem sido empolgante trabalhar nesse material diariamente.

Existem outras atividades pontuais, que são exceções, e outras que estão em conversação, como as atividades relacionadas ao GTD e meus próximos livros. Tudo se trata de priorização, repriorização, retomar, incubar e assim vamos indo de acordo com os objetivos.

Minha rotina de trabalho se divide basicamente em: trabalho concentrado pela manhã e trabalho “aberto ao mundo” de tarde (reuniões, lives, gravações). Todos os dias são assim, exceto quando tenho aulas do Doutorado, eventos, encontros dos grupos de pesquisa da faculdade etc. Vale dizer que o próprio Doutorado é um investimento e tanto na minha carreira e nesse trabalho com o MVO.

Estou trabalhando em casa, mas temos um escritório externo onde posso ir quando preciso gravar ou realizar alguns trabalhos. Em fevereiro e março não fui nenhuma vez para lá por conta do agravamento da pandemia, mas pretendo voltar a ter uma rotina de maior frequência em maio, até para sair um pouco de casa. Como vou e volto a pé e não tenho contato com ninguém, dá para fazer tomando todos os cuidados de verdade.

Nunca gostei tanto do meu trabalho e acho que estamos vivendo o nosso melhor momento em todos os sentidos. Senso de propósito muito forte, pessoas incríveis apoiando este trabalho, ideias boas sendo implementadas e uma rotina tranquila acima de tudo. Na medida do possível, mediante tudo que tem acontecido, me sinto feliz, realizada e com o senso de que estamos construindo um legado bom. É isso.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.