Encontrando seu estilo de decoração e como isso influencia na organização da casa

24
11627

Não sou arquiteta nem designer de interiores – apenas adoro o assunto decoração e pesquiso sobre isso para postar aqui. Logo, leitores do ramo, se eu falar qualquer besteira, fiquem à vontade para me corrigir nos comentários. 🙂

Imagem: Binti Home
Imagem: Binti Home

Eu venho pensando no assunto “estilo de decoração” desde que conheci o blog da Nicole, Making it lovely (em inglês), por volta de 2009. Na época, achava o estilo dela tão formado, tão certinho, que anseava por encontrar o meu estilo de decoração para casa também. E por quê? Bem, nos últimos quatro anos, nossa família teve cinco casas diferentes. Nesse meio tempo, eu percebi algumas coisas com relação à decoração e ao por que é legal encontrar seu próprio estilo para decorar:

  • Não dá para ficar fazendo aquisições permanentes caras para o imóvel que você mora de aluguel, a não ser que isso seja descontado no valor mensal. Mas, mesmo assim, acho que isso só vale para aquisições práticas, como instalar as portas do box, por exemplo, ou fechar a varanda com vidro. Não vale a pena, por exemplo, trocar o piso ou instalar um painel de parede que vai servir somente nessa residência. Porém, aquisições precisam ser feitas. Como saber no que investir e no que não investir?
  • Ter um estilo de decoração pode ajudar você a fazer boas compras para a sua casa, assim como saber o que pode ser comprado “mais baratinho” (ou sem ser um investimento). Você sabe seu estilo e pode comprar uma cadeira que tenha a ver com ele, fazendo um investimento, pois poderá tê-la para sempre com você, mesmo se mudar de casa muitas vezes. Você não precisa pagar caro por um guarda-roupa, por exemplo, que pode precisar ser vendido quando você se mudar e já tiver um guarda-roupa embutido no local. Como saber quais são esses objetos que você vai querer para sempre?

Eu notei também que, enquanto eu não tinha um estilo de decoração muito definido, ficava mais confusa ao fazer compras para a minha casa. Eu acabava comprando algo pelo meu gosto pessoal mas nem sempre um objeto combinava com o outro e mesmo a mistura de estilos tem que ter uma ordenação para ficar legal. Tinha muita coisa que eu achava linda também mas que, na prática, não tinha nada a ver comigo. Eu estava perdida.

A utilidade real do Pinterest

No decorrer dos anos, então, eu fiquei em busca do meu estilo de decoração, observando o que eu gostava mais e tendo isso como referência. O Pinterest foi muito útil porque, quando você começa a alimentar seu canal com bastante conteúdo, aquilo vira um grande álbum de referências que você pode sempre consultar e se inspirar.

Então, quando eu pinava alguma imagem relacionada à decoração, eu me obrigava a pensar: Por que eu gosto desta imagem? É a disposição do sofá ou simplesmente as cores? Será que não é apenas a luz do ambiente que me agrada? Perguntas simples como essa me fizeram pensar sobre o que eu realmente gostava.

Deu muito certo porque comecei a ver que meu marido e eu tínhamos muitos gostos em comum (e várias coisas não, haha, mas faz parte). Então começamos a prestar atenção nessas referências que gostávamos em comum para pensarmos no que seria legal fazer em casa. Chegamos a algumas palavras-chave: industrial, rústico, urbano, contemporâneo, vintage. Alguns termos parecem se contradizer, mas de algum modo expressam o que consideramos nosso estilo de decoração preferido.

Imagem: The Grounds of Alexandria by nicoalaryjr
Imagem: The Grounds of Alexandria by nicoalaryjr

Isso também se reflete nos materiais que mais gostamos, que são: madeira, concreto, metais, vidro, tecidos naturais.

Imagem: Second Shout Out
Imagem: Second Shout Out

Além dos materiais, observamos também as cores que mais gostávamos quando compramos alguma coisa para a nossa casa: preto, branco, cinza, metais no geral, tons terrosos.

140315-decor04

Com base nessas informações, começamos a apurar melhor o que gostaríamos de fazer e ter em casa. Isso foi bom para não comprarmos e gastarmos dinheiro à toa. Também nos ajuda a ter um lar que nos agrade e nos deixe feliz.

Estou compartilhando isso com vocês porque notei que, depois que nosso estilo ficou claro para a gente, passamos a fazer aquisições mais certeiras e a economizar também, porque poderíamos buscar referências de transformações de objetos, por exemplo.  Recentemente, apliquei um papel contact de madeira na minha mesa do escritório e aproveitei para arrumá-la com alguns itens que eu já tinha e que expressam bem o que eu sou hoje.

140315-decor05

Tirando o papel contact que precisei comprar e paguei R$13,90 pelo rolo na Kalunga, todo o resto eu já tinha. Eu simplesmente precisava apenas “me encontrar” e passar a usar melhor os meus objetos. Ali no canto superior esquerdo da mesa vocês podem ver um cestinho de metal com os roteadores de Internet dentro. Sabem o que era isso? Um cesto para produtos de banho, que eu comprei há uns quatro anos.

E não é para sair comprando e gastando só porque descobriu seu estilo de decoração. Não! A ideia é que, sempre que você precisar comprar algo, agora você tem uma referência e a escolha fica mais fácil, mais certeira. Além disso, quando você precisar encontrar soluções diversas (como eu precisei para organizar os roteadores), ter um estilo pessoal pode te ajudar a reaproveitar objetos que você tem em sua própria casa e que provavelmente já foram comprados porque, no fundo, você sabe do que gosta.

E vale lembrar que a decoração da nossa casa expressa a nossa personalidade, assim como a expressamos nas roupas que usamos, por exemplo. Construir esse estilo pessoal é o trabalho de uma vida inteira mas, quando você sente que entrou no caminho certo, o restante fica mais tranquilo e direcionado. Eu me sinto à vontade no dia a dia porque sei que estou sendo autêntica até mesmo nessas coisas materiais do cotidiano.

E você, tem um estilo de decoração? Fale um pouco sobre a sua experiência nos comentários!

24 comentários

  1. Thais agora vc me fez para para pensar….qual estilo de decoração? não sei…..acho que to naquela fase ainda onde vejo algo bonito e me empolgo para comprar , e isso serve para outras áreas também. ai no final das contas vc tem coisa demais em casa, uma dificuldade enorme para se organizar,pois quanto mais arruma mais tem,,,rsss parece um saco sem fundo, vou realmente refletir sobre isso, para fazer mudanças, desapegos e reaproveitamentos, obrigada querida tenha um bom fim de semana bjs
    http://www.antestardedoquenunca1.blogspot.com

  2. Adorei! Faz tempo que estou em busca do meu estilo pessoal – tanto em relação às roupas, como em relação à decoração. Tbem uso muito o pinterest, mas acho que não estava me fazendo as perguntas certas!

  3. Pois é Thais… Você fez seu briefing e a partir daí, não tem erro! 😉
    A parte da organização, que faz muita diferença na decoração, vc tira de letra há tempos.
    O reaproveitamento, é o assunto que mais tenho estudado e pesquisado nos últimos tempos. Obras limpas, reformas rápidas e faça você mesmo, são assuntos que ainda temos muito a aprender, testar e replicar. 😉
    Obrigada pelas dicas e orientações! 😀
    Abraço,

    https://inspiracaodacasa.wordpress.com/

  4. Olá! O seu texto era tudo o que precisava ler, vou mudar de estado em julho, não vou levar nada da minha atual casa, e finalmente depois de 6 anos de casamento vou pode decorar minha casa, estou tendo uma chance maravilhosa, vou começar do zero, e preciso definir o estilo da nova casa, para comprar os objetos certos e evitar gastos desnecessarios . Estou na procura do meu estilo.

  5. Oi Thaís,
    Adorei esse post, pois sempre venho pensando em qual meu estilo para decoração! Difícil definir!
    Parabéns mais uma vez!
    Abraços!!

  6. Oi, Thais. Adorei esse post pq tbem adoro decoração mesmo entendendo bem pouco disso.
    Adorei aquela estante rústica q vc postou. Mas adoro cores e tento colocar em todos os ambientes. Tenho um lustre vermelho sobre a mesa de jantar q amo!
    Sou meio perdida, mas sei q gosto de madeira e praticidade. Coisas fáceis de limpar e gostosas de usar.
    Não sei dizer q estilo é esse.. Mas é o meu hehehe…bjss

  7. Olá,
    Meu estilo é mais romântico mas sem “fru-fru’ (chamo os enfeites carinhosamente de “guarda pó” – além de não ter tempo, não tenho paciência. Lembro da minha adolescência limpando a casa enorme onde morei com os meus pais – levava o sábado inteiro tirando pó, faxinando, passando lustra móveis com escova de dentes nos frisos e detalhes dos móveis de madeira, etc.). Gosto de flores, muitas flores (na roupa de cama, tapetes, passadeiras, etc.). Tb gosto de cores claras (cortinas) mas me arrependi por causa da manutenção de limpeza (sofá e tapete bege são bonitos – nas lojas e revistas de decoração – rs). Gosto de coisas práticas e de fácil manutenção, enfim, somente o essencial (quando montei a minha primeira casa, meu pai me orientou a não comprar nem o mais caro nem o mais barato, optar pelo intermediário, por isto demorei uns 2 anos para deixar a casa do jeito que eu queria). O que posso te dizer sobre decoração é que o gosto e o estilo mudam com o tempo. Hoje em dia penso seriamente em mudar a cor dos meus móveis e o motivo é um só: enjoei do jeito que estão – rs. Também tenho fases, em que tenho tapetes pequenos espalhados pela casa toda e de repente, depois de lavá-los não tenho a menor vontade de colocá-los ou substitui-los por outros. Assim a decoração vai ficando diferente de tempos em tempos…
    Bjos,

  8. Que demais Thais!!! Que lindo esse post…
    Defini meu estilo com base nas suas dicas:
    – Moderno
    – Ecológico
    – Artístico
    – Oriental
    Materiais:
    – madeira
    – tecidos
    – cerâmica
    – palha/ bambu
    As cores é o mais difícil para mim, ainda está meio vago:
    – Branco
    – Cores alegres
    – Cores quentes
    – Cores vibrantes…

    Super obrigada!!!

    Beijos

  9. Bacana Thaís! Também adoro um rustico, contemporâneo, com metais e concreto.. Parabéns por buscar ir coordenando sua vida, muito legal esse encontro dos gostos por dentro e por fora..!

  10. Estou exatamente nesse momento em minha vida: tentando descobrir o meu estilo. Interessante que eu me cadastrei no Pinterest semana passada no intuito de me ajudar a reunir inspirações, vejo que foi uma boa escolha. Outra recurso que tenho é uma pasta no computador em que guardo fotos de ambientes que gosto. Um bom lembrete que tomei do seu post é refletir sobre o que me agrada no que tomo como inspiração, vou tentar incluir esses detalhes também.

  11. hum… me fez pensar sobre o que gosto…
    sei lá, eu e o marido somos meio que um completando o outro. Dificilmente gosto de algo que ele não gosta, e vice-versa (pensando em casa).

    Mas talvez o que definiria melhor o que gostamos é “sofisticado, mas não moderno demais” rs
    Gostamos muito de vidro, tanto que na nossa casa temos poucas janelas e muitas portas de vidro temperado… vidro também na mesa de jantar, e na sala da tv já estava pesquisando uma mesa de canto com vidro também.. rs

    talvez seja o que mais gostamos: cores claras, tons de marrom/creme, e coisas que reflitam: vidros, espelhos, porcelanatos…

    mas t’aí uma boa coisa para se ter em mente na hora de uma nova aquisição para a casa!

    Obrigada, mais uma vez!
    bjos

  12. Thaís adorei seu post. Eu tenho um sério problema com isso. Te explico: idealizo coisas, objetos e formas e depois saio a caça, claro q nunca encontro algo nem perto do imaginado. (Estou numa reforma de igreja em um banheiro aqui, justamente pq não encontro ninguém q faça o espelho e nem os interruptores q quero). Então, faço o projeto e mando executar, e me deparo com profissionais tão criativos q alteram o projeto inicial. Nunca sai do jeito q quero, daí acabo dando um toque meu no final. Reaproveito muita coisa tb. Adoro o esquema DIY.
    Tenho um gosto muito neoclássico, porém acho bacana ter um móvel retro, mas tb sou chegada num modernismo. Acho q aqui em casa tem um pouco de tudo, sem q uma coisa agrida outra. Um objeto, uma peça decorativa, uma mesinha de canto pode conviver perfeitamente com outro estilo. Penso que o mais importante num estilo é vc se encontrar nele. é se reconhecer e se sentir bem. Não sigo tendências e tenho uma personalidade muito forte, sou fiel ao que gosto. Ex: new wave, na minha adolescência era febre. Eu nunca tive uma peça. Acho q a única coisa q uso nesse tom são minhas marca-textos, kkkk. Outro é o estilo animal Print, não tenho nada, não gosto, não faço questão. Pode vir a moda q vier, se eu não gostar, não tem jeito, não há Cristo q me convença.
    Estilos de vida, de roupa, de decoração diz muito sobre uma pessoa. Por isso deve antes de mais nada ser respeitado e não criticado.

  13. Quando fui reformar meu quarto eu procurei muitos estilos como referência, mas sinceramente não coseguir definir algo muito concreto. Cheguei ao estilo contemporâneo, mas é muito abrangente, queria uma definição mais expecífica, e não consegui!rs Meu quarto acabou ficando meio inacabado. Sem decoração nenhum nas paredes, e quase nenhum objeto de decoração. Mas estou tentando preencher aos pouquinhos, com o que eu for vendo por aí!

    O Pequeno Lírio

  14. Oi Thais, o meus gostos são bem parecidos com o de vocês. Sei que é uma mistura de estilos/materiais, não teria como colocar em uma única palavra esse estilo. Mas saber do que a gente gosta já é meio caminho andado.
    Construí a minha casa e pretendo decorá-la aos poucos, com certeza vou usar as fotos do seu post como inspiração:)
    Ah, tem um blog que adoro, o Homens da Casa, tem várias dicas de DIY.

  15. Há uns anos reformei meu apartamente e desta vez contratei uma decoradora. Ela veio com mil ideias e projetos muito bons, mas nada com a minha cara. Eu gosto de espaço pra andar, poucos moveis, mas estes poucos devem ser convidativos a se sentar e refestelar. Nunca gostei de ambientes em que voce tem até medo de tocar em algo receosa de sujar ou manchar. No fim meu apto ficou como queria: tons de marrom, bege, uma pitada de branco e vidro. O vidro ainda penso em trocar por madeira, porem só qdo me mudar.

    Objetos decorativos so te tiver alguma utilidade. Só pra enfeite não compro. Não gosto de quadros tbm. Estou numa fase minimalista e qto mais limpo estiver o ambiente mais me agrada!!

    Um bjo

  16. Eu comecei a fazer Design de Interiores semana passada. Tem sido super legal! Vou te indicar um livro que tem tudo a ver com o assunto: Domino. É em inglês, mas dá pra entender bem tranquilo, mesmo quem não é fluente.
    Meu estilo é parecido com o seu. Adoro uma base industrial com elementos urbanos e fresh. E o Pinterest serviu justamente pra mostrar as similaridades entre meu estilo e o do meu namorado. Nós moramos juntos há 4 anos e só agora conseguimos chegar a um consenso sobre a decoração da casa haha! Agora é a hora de colocar em prática as decisões.

    Mariana

  17. Montei meu primeiro apt há 6 anos. Meu marido e eu optamos por tons neutros e pela decoração mais sóbria e muito espelho (adoro e não abro mão). Era sobriedade em todos os ambientes daqueles amados 100 mts. Até o quarto de nossa filha de quase 2 anos era em tons de bege porque o segundo filho que estava em nossos planos e que dividiria o mesmo quarto, poderia ser um menino! Assim, como boa virginiana que sou minhas escolhas eram mais de ordem prática! O sofá era preto, os papéis de parede neutros e muito branco e madeira. Era um contemporâneo com toques rústicos. Sóbrio. Minha irmã dizia “seu apartamento parece um escritório ” e eu brincava ” é que vim ao mundo a trabalho e não a passeio”. Há sete meses mudei porque com o nascimento de meu segundo filho precisaríamos de um quarto a mais e um gabinete. Meu apt atual tem 133 mts muito bem distribuidos e os tons dos móveis permaneceram neutros, mas desta vez quis ousar. Ladrilho hidráulico na cozinha que não é branca é fendi. Cadeira egg beringela, varanda com sofá e poltrona em ratan sintético e toques orientais com direito a buda dourado…Vasos turquesa no aparador, almofadas hiper coloridas estilo anos 70, manta rosê é desta vez o banheiro da minha filha tem revestimento em patchwork em tons de lilás e o quarto tem ninchos Pink! Meu banheiro social que futuramente será usado pelo meu filho que hoje tem 3 anos tem motivos orientais e o tom da madeira é lindo de viver. Hoje a dificuldade é que tenho objetos de decoração demais e tenho apego a eles. Quero tudo é às vezes corro o risco de deixar “muita informação”. Mas pelo meu texto vcs perceberam que “muita informação” me representa! Assim: madeira, neutro, contemporâneo, rústico, oriental e pontos de cor definem a minha linha de decoração atual.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui