Pular para o conteúdo

Inteligência artificial, produtividade, prós e contras

A inteligência artificial (IA) é uma realidade.

Não se trata mais de uma ideia ou projeção para daqui a alguns anos. Já está acontecendo e já perdemos, como humanidade, o controle sobre o seu desenvolvimento.

Nenhuma tecnologia é boa ou má – depende do uso que fazemos dela.

Como tudo no mundo, existem pessoas com mais poder que determinam o caminhar das coisas. O mesmo acontece e acontecerá com o uso da inteligência artificial.

A IA oferece uma série de benefícios quando aplicada à produtividade pessoal. Ela pode automatizar tarefas rotineiras e repetitivas, liberando tempo para que nos concentremos em atividades de maior valor agregado. Algoritmos avançados de IA podem analisar grandes volumes de dados de forma rápida e precisa, permitindo tomar decisões embasadas em informações relevantes. Além disso, assistentes virtuais e chatbots baseados em IA podem fornecer suporte e orientação personalizada, ajudando-nos a gerenciar nossas tarefas e otimizar nossa rotina. O próprio ChatGPT, que é apenas UMA das ferramentas, ajuda pra caramba com tudo relacionado à produtividade, desde o planejamento de projetos até sugestão de rotinas com base em responsabilidades.

E eu acredito que, neste primeiro momento, as pessoas estejam maravilhadas e empolgadas com essas possibilidades. As empresas têm trabalhado em desenvolver soluções dentro dos próprios aplicativos, como Notion, Todoist e outras. Nos próximos meses, acredito que o assunto vai ficar “na boca do povo” cada vez mais. Claro que não para todos, porque…

Imagem produzida por inteligência artificial no Midjourney

Apesar dos benefícios, é importante considerar os desafios e preocupações relacionados ao uso da IA na produtividade pessoal. Um dos principais receios é o impacto no mercado de trabalho. A automação impulsionada pela IA pode levar à substituição de trabalhadores em determinadas áreas, resultando em desemprego em massa e desequilíbrios econômicos. Além disso, há a preocupação com a exploração dos trabalhadores que atuam para alimentar os sistemas de IA, como os moderadores de conteúdo, que muitas vezes enfrentam condições de trabalho desfavoráveis e altos níveis de estresse.

Outra questão importante é a exclusão digital. Nem todos têm acesso igualitário à tecnologia, o que pode criar uma lacuna entre aqueles que se beneficiam das ferramentas de IA e aqueles que ficam para trás.

Além disso, a IA pode ameaçar a identidade profissional de muitas pessoas, gerando questionamentos sobre o propósito e o significado do trabalho humano. A automação de tarefas anteriormente realizadas por pessoas pode levar à sensação de substituição e desvalorização das habilidades únicas que possuímos.

Este post é só uma provocação inicial para a gente falar mais sobre isso daqui em diante. E eu gostaria muito de ler a opinião de vocês nos comentários. Que percepções você tem no momento a respeito?

A inteligência artificial oferece inúmeras possibilidades para melhorar a produtividade pessoal? Sim. No entanto, não tem como ignorarmos os impactos sociais e econômicos dessa tecnologia. Não temos como prever como será, mas nem por isso devemos ignorar o que está acontecendo AGORA.

Thais Godinho

Thais Godinho

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

2 comentários em “Inteligência artificial, produtividade, prós e contras”

  1. Oi, Thais! Espero que esteja tendo uma ótima recuperação.
    Considero que a AI já é uma realidade presente no nosso cotidiano e o que pode estar sendo discutível é a substituição, por exemplo de pessoas em determinados serviços, como ilustradores etc. Penso que haverá uma diminuição de alguns postos de trabalhos, mas que também sempre terá uma equipe que faça o gerenciamento e uso da tecnologia, viu essa reportagem?
    https://www.meioemensagem.com.br/comunicacao/mcdonalds-e-burger-king-usam-chatgpt-para-brigar-em-anuncios
    Mas, algo me diz que não terá tanto impacto no mercado de trabalho. No caminhar flopado do metaverso, estou sentindo que a mudança organizacional em larga escala será devagar na substituição dos trabalhadores comuns, pensando que a adesão dessa ferramenta depende da capacidade humana de querer ou não aprender a e administrar o negócio fora da caixa, o que imagino ser para poucos (eu não me arriscaria). Ah, aproveito pra divulgar um subproduto da AI, um verificador de imagem, pra saber a origem, se é humana ou de AI. https://www.aiornot.com/

    Adorei o tema! Ansiosa para ler outros comentários!
    Um beijo, Thais e que logo esteja 100%!

  2. Eu tenho muito medo pela minha filha. Ela tem 21 anos, está terminando graduação em Turismo e não tem emprego à vista. Na agência de turismo onde ela estagia já falaram que não vai ser efetivada, pois acabaram de adquirir um programa que monta roteiros e faz cotações melhor e mais rápido que as 2 estagiárias que lá estão. Penso que em médio prazo não haverá emprego para quem não for do ramo de TI, alargando ainda mais o fosso entre o trabalhador sem qualificação e o superqualificado. Infelizmente, vejo um cenário pessimista para grande parte da população jovem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *