GTD™

Meu setup de GTD hoje no Todoist – Fevereiro 2017

Frequentemente eu faço um post mostrando como está o meu sistema GTD. Eu postei em dezembro como estava meu setup e tive poucas mudanças desde então, mas sempre há pedidos dos leitores para que eu mostre como está a versão mais atual, então lá vai.

Para agenda e tickler, eu não utilizo o Todoist, e sim o Google Calendar. Prefiro a forma de visualização. Eu ainda coloco ações com prazo no Todoist e explico a diferenciação direitinho aqui.

Meu setup atual no Todoist está assim:

Pontos importantes a colocar:

  • Não uso mais etiquetas nem filtros. Não sinto necessidade. O objetivo é simplificar cada vez mais.
  • Está em inglês para eu treinar o idioma.
  • O único elemento diferente é a nova lista chamada “Reference lists” (listas de referência), que vou explicar mais para baixo.

Para quem não sabe, eu utilizo o método GTD (Getting Things Done) como método de produtividade pessoal. Você encontra mais sobre o método aqui.

Setup em detalhes:

Enxuguei um pouco os contextos das próximas ações:

Enxuguei um pouco os itens de Aguardando Resposta:

Organizei os projetos por macro-áreas que fazem sentido hoje para mim:

Enxuguei um pouco as listas de Algum dia / Talvez:

Não mudei nada aqui em Horizontes de Foco:

Enxuguei um pouco as checklists:

Criei essa categoria de listas de referências para diferenciar de checklists:

O que são listas de referência e como elas são diferentes de checklists?

Checklists são listas de referência também. Em teoria, elas poderiam ficar todas juntas. Em teoria (2), toda lista é uma checklist. Eu separei (e isso é coisa minha, não do GTD) porque eu queria ter uma visão de listas que eu verifico para saber se tenho feito determinadas coisas em piloto automático com a qualidade que eu espero em cada uma dessas áreas, enquanto as listas de referência são listas que apenas consulto em situações específicas. Vou citar alguns exemplos de checklists e de listas de referência:

Checklists:

  • Meu dia ideal (coisas que eu gostaria de fazer diariamente para ter um dia legal)
  • Contas a pagar todo mês
  • Rotina diária essencial em casa
  • Lista de compras de mercado
  • Manutenção do carro
  • Volta às aulas
  • Como planejar a minha semana
  • Revisão semanal
  • O que levar para uma reunião

Listas de referência:

  • Contatos importantes
  • Tamanhos de roupas da família
  • Livros lidos
  • Horários das aulas do Paul
  • Receitas favoritas
  • Shows que eu já assisti
  • Gadgets que eu tenho e números de série
  • Piadas divertidas
  • Frases preferidas

Faz sentido dando exemplos? Para mim, essa separação tem feito sentido por enquanto.

Rápido glossário para entendimento:

  • Next actions = Próximas ações: O GTD não lida com “tarefas”, mas sim próximas ações claras e visíveis do que você deve fazer. Por exemplo: você não escreve “trocar pneus” em uma lista, mas sim “comparar preços de pneus na web”, que é uma próxima ação.
  • Contextos: As listas de próximas ações no GTD podem (não disse devem, percebam) ser categorizadas por contextos, ou seja, o lugar que você tem que estar para realizar aquela ação. Uma lista de mercado é uma lista por contexto – você tem que estar no mercado para comprar aqueles itens. Para o GTD, a lógica funciona com todo o resto, com coisas que você precisa fazer quando estiver em casa, ao computador, na rua, com um telefone em mãos etc. Dessa forma, você confere agilidade na execução, agrupando ações semelhantes. Por isso, na minha lista de próximas ações, você pode ver as divisões por contextos, que podem ser personalizados para cada pessoa.
  • Waiting for = Aguardando resposta: Tudo aquilo que estou aguardando resposta de terceiros.
  • Projects = Projetos: Tudo o que demanda mais de um passo para ser concluído em até um ano. Você terá projetos simples e complexos, desde “Trocar os pneus do carro” até “Implementar o novo sistema de intranet na empresa”.
  • Someday maybe = Algum dia / talvez: Tudo aquilo que não demanda ação agora, mas pode ser que no futuro sim. Está incubado.
  • Horizons of focus = Horizontes de foco: Maneira holística de dividir nossa vida em camadas, de acordo com os resultados que queremos alcançar dentro de horizontes de foco mesmo. As coisas formam uma escadinha que representa prioridades.
  • Checklists: Listas de verificação, não de lembretes. São coisas que já fazemos no piloto automático, mas valem a pena listar apenas para verificar para quando for fazer novamente. Exemplos: checklists de viagens, processos etc.

Qualquer dúvida, por favor, postem nos comentários. Obrigada!

50 Comments

  1. Rodrigo Cristiano Silva says:

    Thais, obrigado por compartilhar. Sempre fisgo dicas valiosas com o seu set up. Por curiosidade, Evernote e Mapas Mentais não fazem mais parte da sua estrutura?

    1. Thais Godinho says:

      Sim, no post foi só Todoist.

  2. Thais! Como vc utiliza os projetos? Eh uma area em que ainda sinto dificuldade. Vc lista todas as proximas acoes em cada um e vai arrastando as executaveis para next actions? Coloca uma imagem exemplificando? Obg!

    1. Thais Godinho says:

      Falo um pouco mais aqui: https://vidaorganizada.com/2016/10/10/a-importancia-de-manter-listas-separadas/
      Mas pretendo fazer um post só sobre projetos em breve!
      Obrigada por comentar.

      1. Oba. Aguardando ansiosamente esse seu post sobre projetos!

        1. Thais Godinho says:

          Postei um pouquinho sobre projetos hoje!

  3. Raphael Glycerio says:

    Boa dica, essa lista de referencias. Tenho muita coisa solta no todoist e nunca pensei nisso. Muito obrigado

  4. Simone Menezes says:

    Obrigada, Thais! Amo ver seu sistema! Sempre fico louca pra voltar pro Todoist, mas prometi pra mim mesma ficar quieta esse ano hahaha.
    Estou adorando seu movimento de simplificar na medida do possível, e você sabe que às vezes a vida fica um bocado complexa! Nessa hora tudo que a gente quer é a calma e a tranquilidade de um sistema bem lindo e organizado como o seu.
    Mas olha, graças a você, estou chegando lá! Cada dia meu GTD fica mais redondinho e do jeito que eu gosto. E isso realmente tem me ajudado a ter tempo e espaço mental para pensar em questões realmente importantes.
    E no meu caso, ter passado grande parte do sistema para o papel foi muito importante para o aprendizado. Não tenho nenhuma dificuldade com tecnologia, pelo contrário, mas acho que aquela busca pela ferramenta perfeita me atrapalhou muito no começo e atrapalha muita gente. Em abril venho aqui comemorar meus dois anos de GTD com você!
    Obrigada por dividir tanto conhecimento com a gente! Você é muito querida!

    1. Thais Godinho says:

      Passar para o papel é algo que todo mundo que usa GTD deveria fazer pelo menos uma vez na vida! O nível de clareza é absurdo – realmente aumenta muito o aprendizado e entendimento. Obrigada por compartilhar!

  5. Thaís, muito obrigada por compartilhar seus sets ups! Foi com o seu blog que finalmente aprendi a usar o Todoist, quando ele estava de molho no meu celular mesmo depois de eu ter feito upgrade. Estou pensando em tirar algumas idéias da sua reference list.

  6. Thais, deixa eu ver se entendi bem: em “Projects” você só coloca o nome dos projetos que você tem atualmente e as próximas ações, mesmo que relacionada com esses projetos, vão para o contxto adequado em “Next actions”, é isso? Se não for, você me explica melhor?
    To gostando muito dessa tua versão minimialista, até no visual, ando numa fase querendo descomplicar tudo na minha vida :). Obrigada mais uma vez!

    1. Thais Godinho says:

      É isso mesmo, porque é a recomendação do David Allen. Falo um pouco mais aqui:
      https://vidaorganizada.com/2016/10/10/a-importancia-de-manter-listas-separadas/
      Espero que ajude. Obrigada por comentar!

  7. Thais, só aproveitando a dúvida da Isadora: e o que eu faço com as ações de um projeto que ainda não podem ser executadas? Eu deixaria na lista com o nome do projeto ou colocaria em “Aguardando”?

    1. Thais Godinho says:

      Oi Hugo! Tudo o que não é próxima ação é considerado suporte ao projeto.

      1. Luca Azevedo says:

        Thais, pelo que entendi do que você disse aqui, caso eu faça o planejamento do projeto e defina uma “próxima ação real”, e outras “próximas ações não reais” (que são para fazer depois dessa “próxima ação real”), o “correto” seria deixar essas “próximas ações não reais” na parte de suporte, é isso? Porque eu pensava que o “correto” era deixar as “próximas ações não reais” na lista de próximas ações que fica dentro do projeto (No caso eu tenho uma PASTA próximas ações que contém as “próximas ações reais” de todos os projetos etc…)

        Desculpa se ficou muito confuso rs, obrigado!

        1. Thais Godinho says:

          É isso. 🙂

          1. Luca Azevedo says:

            Thais, nesse caso, pode me explicar, por favor, qual o sentido de no modelo de planejamento natural ter uma “aba” chamada “próximas ações”, uma vez que não é utilizado etiqueta para linkar as próximas ações por contexto, e sim, uma pasta separada para todas as “próximas ações”?

            Exemplo: https://vidaorganizada.com/wp-content/uploads/2015/09/Captura-de-tela-2015-09-14-22.36.10.png

            Ou você fazia assim porque utilizada tags?

            Eu sei que são dúvidas um pouco bestas, não são fundamentais, só gosto de ser curioso e entender o porquê das coisas, até porque tenho ajudado algumas pessoas a implementar o método, e elas me questionam bastante hehe

            Muito grato pela sua ajuda e compreensão!

          2. Thais Godinho says:

            Porque pode fazer dos dois jeitos.

            Hoje não faço mais assim. Faço separado. 🙂

          3. Luca Azevedo says:

            Obrigado!!

  8. Mayara Atherino Macedo says:

    Oi Thaís, amo seu blog, indico para todos os meus alunos!
    Um dúvida, o que seria especificamente projetos incubados? Algo sem um prazo?

    1. Thais Godinho says:

      Respondi em outro comentário. 🙂 Por favor, dê uma olhada.

  9. uma curiosidade: que tipo de coisa você coloca em Incubated stuff? na minha cabeça, a lista de Someday maybe era a própria incubação.

    1. Thais Godinho says:

      *É* uma sub-categorização de someday / maybe.

      Como parte do processo de coaching que fiz para virar instrutora de GTD, fiz sessões com um psicólogo deles especialista em ciências cognitivas que fez diversos testes para eu saber como aprendo, absorvo, enxergo as coisas, e o resultado disso foi, dentre outros aprendizados, que é necessário criar um espaço para algumas coisas que eu só preciso pensar melhor, dar um tempo, antes de decidir.

      É complicado explicar porque foi resultado de uma análise psicológica muito particular feita como parte de um longo processo.

  10. Me surgiu uma dúvida, qual é a diferença entre Next Actions e Very Next Projects?

    1. Thais Godinho says:

      Oi Gaby, tudo bem?

      São categorias diferentes. Ação é uma coisa, Projeto é outra. Dá uma olhadinha na definição dos termos no final do post que pode ajudar a esclarecer.

      Obrigada!

      1. Deixa eu só ver se entendi. Digamos que eu tenha como projeto organizar meu quarto (coisa que ainda não terminei, pois estou esperando a entrega de um novo guarda-roupa). Organizar meu quarto entraria como projeto e os passos que preciso executar para fazer essa organização seriam ações?

        1. Thais Godinho says:

          Sim.

  11. Giovana Giorni says:

    Oi Thais! Sempre aprendo coisas novas e hoje vc me deu uma luz. A minha lista de compras do supermercado ( eu  faço toda semana) é bem dinâmica. EU vou comprando a medida que percebo a falta na dispensa. E no mercado mesmo já tico quando ponho no carrinho. So que alguns itens nunca saia de lá,  tem uma tarefa por exemplo ” as três frutas que meu marido mais gosta: banana manga e mamão”.  Como eu nunca ticava eu nunca me lembrava se estava precisando  comprar isso ou não. Deveria estar numa lista de verificação só pra lembrar do que ele mais gosta ! E não na lista de compras. Perfeito! Obrigada pelas muitas idéias!

    1. Thais Godinho says:

      Eu que agradeço o comentário! Acho que a lista do mercado é um ótimo exemplo para demonstrar o GTD.

  12. Olá! Muito obrigada por partilhar isso connosco! Amei! Tenho uma dúvida, dado que você não usa etiquetas, como é que você (na revisão semanal) verifica que todo o projecto tem uma próxima acção? Fica meio difícil sem etiqueta, ou acha que não? Obrigada

    1. Thais Godinho says:

      Você começa revisando as próximas ações e, se elas estiverem claras o suficiente, você saberá de que projeto elas fazem parte.

      Além do que, nem só de próxima ação vive um projeto. Existe uma lista de to-dos dentro dele, que é usada para definir próximas ações.

      Recomendo a leitura do capt. 3 do David Allen sobre o modelo de planejamento natural de projetos, onde ele explica direitinho.

      Obrigada por comentar.

  13. Eu ainda não entendi muito bem o que vai na lista de Projetos. Cada item dessa lista é o título do projeto e dentro dele todo o MPN? Você olha essa lista apenas na revisão semanal? As tarefas a fazer e concluídas ficam listadas em cada projeto?

    1. Thais Godinho says:

      Oi Adriano, tudo bem?

      O post de segunda-feira foi feito para esclarecer essas dúvidas. Espero ter ajudado!

      Obrigada por comentar.

  14. Pergunta boba,rs: como vc coloca esses desenhinhos no Todoist?

    1. Thais Godinho says:

      Tem três maneiras:

      1 – Pelo teclado do celular 🙂

      2 – Copiando e colando de algum site

      3 – Utilizando atalhos do Macbook

  15. O que você acha do OmniFocus?

    1. Thais Godinho says:

      Acho ok. Não uso. Cheguei a baixar mas nunca me adaptei.

  16. Como ficam os seus contextos?

    1. Thais Godinho says:

      Nos prints no post.

  17. Olá, Thais, tudo bem?
    Sobre os contextos, lembro que você usava também nome de pessoas. Como ficou isso agora? Imagino uma situação em que eu preciso falar algo para fulano, mas eu poderia fazê-lo pessoalmente, por telefone, por e-mail… em qualquer desses contextos. Como lidar com isto?
    Obrigado!

    1. Thais Godinho says:

      Eu uso o contexto da pessoa quando é algo que demanda conversa só. Se eu resolver por telefonema, coloco no contexto apropriado.

      1. Obrigado, Thais!

  18. Viviane Aureliano says:

    Oi Thais!

    Eu fiquei com um dúvida: como vc sabe quais os seus projetos que estão em andamento? Muito obrigada por sempre compartilhar conosco as suas experiências.

    1. Thais Godinho says:

      Os que estão na lista de projetos são todos os que estão em andamento. 🙂
      Postei novamente meu sistema hoje, com algumas mudanças, caso queira ver.
      Obrigada por comentar!

  19. Olá Thais,

    Muito obrigada por compartilhar tanta informação útil!

    Atualmente estou usando meu tudoist separado por projetos e contextualizando através de etiquetas (computador, casa, online e etc). No entanto, quero testar esse seu modelo e fiquei com uma dúvida.

    Uma de minhas atividades profissionais é a fotografia e para realizar e entregar um trabalho eu tenho diversas tarefas. Ex. Realizar o ensaio, fazer backup, selecionar as imagens e etc. Digamos que a ação “fazer backup” esteja dentro de “próxima ação” onde estaria o passo seguinte que é selecionar imagens?

    Faria sentido estar num projeto “ações futuras”? E aí na revisão, após realizar a etapa “fazer backup” eu mudaria “selecionar as imagens” para o projeto “próxima ação” ?

    Onde você coloca as ações de um projeto que ainda não serão executadas porque dependem de outra mas também não são “algum dia” pois terão que ser obrigatoriamente feita?

    Muito obrigada!

    1. Thais Godinho says:

      Dentro do projeto, existe o plano do projeto. É onde você coloca ações futuras ou informações relevantes, e revisa semanalmente para ver se algo já vira próxima ação.

      Essa diferenciação é fundamental. Nem toda ação é “próxima ação”.

      Espero ter ajudado.

  20. Vinícius Mesquita says:

    Olá Thais! Tudo bem? Fiz o Nível 1 do GTD em São Paulo esse sábado (26/08) e estou aqui me afeiçoando com as ferramentas pra colocar em prática. Hoje já uso bastante o Google Agenda para Calendário, o Evernote para suporte e referência e decidi usar o Todoist para ações (inclusive copiei e adaptei bastante do seu setup acima).
    Uma dúvida que me surgiu ao observar seus prints de tela é: você tem ações por contextos (dentro do “Next Actions”) e também dentro dos projetos?? Pelo que eu havi entendido antes você separava as ações sempre para a lista de próximas ações por contexto, independente de qual projeto elas fazem parte…
    Eu sei que o seu sistema atual não é mais esse, e sim no Evernote, mas a dúvida permanece a mesma nesse caso.

    Beijos e valeu!!!

    P.S.: Adorei o curso, espero fazer o Nível 2 em breve!!!

    1. Thais Godinho says:

      Oi, que legal ver você aqui!

      Então, só por contexto mesmo. 🙂

  21. Olá Thais, tenho uma dúvida. No caso do Todoist, Você usa o recurso/lista “hoje” do Todoist?, pois estou pensando em colocar minhas ações recorrentes por contexto pra lá

    1. O que você precisa considerar é a seguinte variação:

      – para fazer em um dia ou horário específico, calendário (ou seja, só data)

      – se você pode adiantar, fazer antes, mesmo que tenha prazo, entra nas listas por contexto

      A ferramenta a ser usada fica a seu critério 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados