30 Aug 2014

Instagram da semana {10}

Essa semana foi a semana da Bienal do Livro de SP, então foi muito agitada, pois precisei conciliar eventos do lançamento do livro com outros compromissos profissionais, além da vida pessoal.

300814-instagram-da-semana

No sábado, ministrei uma palestra para blogueiros e vlogueiros no estande da Editora Gente, na Bienal. Foi muito bacana conhecer as pessoas, principalmente alguns leitores muito queridos. Lá em cima, vocês podem ver alguns presentes que ganhei de leitores. Adorei! Obrigada por terem ido! De noite, minha sobrinha dormiu em casa e o Paul brincou bastante com ela. Tem uma foto da nossa varanda ficando arborizada. Tem sido bem gostoso montar esse pequeno jardim “dentro” de casa. Ah, também aproveitei para fechar o calendário editorial da semana seguinte para o blog. Estou preferindo trabalhar com uma semana de antecedência atualmente.

No domingo, comecei cedo participando com a Patrícia Demitroff de uma palestra do Evernote na Bienal, no Espaço Samsung, sobre Escola do futuro: Gestão do conhecimento com o Evernote. Minhas palestras costumam ser mais faladas que trazidas em slide, mas vou subir no Slideshare e depois compartilhar aqui no blog para quem tiver curiosidade. Infelizmente, não foi gravada. À tarde, fiquei no estande da Editora Gente para ministrar uma nova palestra, desta vez com foco na família, falando sobre rotinas, limpeza, aqueles assuntos que adoramos. De noite, cheguei tão cansada em casa que foi difícil até manter os olhos abertos!

Na segunda, tive reunião com a equipe de Learning da Call Daniel. Quinzenalmente, realizamos essas reuniões para definir os treinamentos por instrutor e próximos passos de diversos projetos. À tarde, tive mais duas reuniões e ainda trabalhei bastante em casa.

Na terça, trabalhei muito o dia todo, pois nos últimos cinco dias tinha estado dedicada à Bienal e alguns trabalhos específicos. Consegui finalmente chegar a um consenso sobre a distribuição dos móveis no home-office, e agora é bater o martelo com relação ao fornecedor.

Comprei o livro “1001 livros para ler antes de morrer” e fiz uma pequena seleção do que quero ler a priori. Pouca vida para muito livro!

Na quinta, participei de um treinamento da Call Daniel e, à tarde, meu marido passeou com o nosso filho e tirou a foto na frente do pôster do Hobbit 3. Um hobbit com um hobbit. <3

Depois do treinamento, fui jantar no Shopping Iguatemi e passei na Livraria Cultura para ver se tinha meu livro lá, e tinha! Fiquei muito feliz.

Na última foto, vocês podem ver algumas das minhas aquisições na Bienal do Livro 2014. No total, contando os livros para o Paul e um para o meu marido, foram 51 livros. Falarei sobre eles no vídeo de book haul de agosto.

Para acompanhar essas novidades em tempo real, siga o perfil do blog no Instagram: @blogvidaorganizada

Boa semana, pessoal!

28 Aug 2014

Guia definitivo do Vida Organizada para usar o GTD no Evernote – Parte 5 – Áreas de responsabilidade

vidaorganizada-gtd-evernote

Hoje o post traz a Parte 5 do Guia definitivo do Vida Organizada para usar o GTD no Evernote. Confira os posts anteriores na tag Guia definitivo GTD e Evernote. Hoje falaremos sobre áreas de responsabilidade.

Se você não sabe o que é GTD, clique aqui. Se você não conhece o Evernote, clique aqui.

Importante: este guia é para uso avançado de ambos, então não focarei em princípios básicos nesta série. É fundamental conhecer o método GTD e saber manusear o Evernote para acompanhar.

Eu utilizo como base o guia mostrado pelo Matt Martin, do site After The Book. Ele usa uma estrutura com apenas dois cadernos e todo o restante gerenciado por tags (ou etiquetas). É assim que faço também. Meu guia é baseado no dele, mas eu preenchi alguns gaps que ele deixou (e que eu identifiquei à medida que ia usando) e está em português.

O que são e como definir áreas de responsabilidade?

Nossa vida é uma só. Nós também. Isso não significa, no entanto, que a gente seja somente de um jeito, ou tenha uma única atividade. Todos somos múltiplos – trabalhamos, temos uma família, amigos, hobbies. Exercemos diversos papéis ao longo da vida, mas é importante refletir sobre os papéis que exercemos no momento. São os papéis em andamento. E é sobre eles que falaremos aqui neste post.

A primeira coisa que você deve fazer é listar suas áreas de responsabilidade, que são justamente esses papéis que exercemos. Pegue uma folha de papel. No centro, coloque seu nome ou faço um desenho que represente você. Ao seu redor, escreva cada área de foco na sua vida. Trabalho, família, estudos etc. Quando terminar, ligue cada uma dessas palavras ao centro do papel – você.

Não pense no passado nem no futuro que você gostaria de ter – foque no presente. Por exemplo, eu poderia ter colocado “música”, porque a minha vida inteira eu tive banda. Porém, isso, hoje, não é algo que eu esteja desempenhando, pois não é minha prioridade. Não tenho qualquer projeto de vida em andamento com relação a esse papel. Logo, eu não o incluí, apesar de ele existir. Faça o mesmo. Reflita sobre todos os projetos em andamento na sua vida e liste os papéis que você desempenha.

Essa reflexão pode ser feita constantemente – geralmente, quando você achar que está desempenhando um novo papel ou deixando um deles de lado.

Inserindo as áreas no Evernote

Para gerenciar as áreas de responsabilidade, nós vamos criar tags dentro do Evernote. Assim:

gtd-evernote-print25

O caractere especial escolhido para representar as tags de áreas de responsabilidade foi o = (igual). Isso faz com que, quando a gente digitar na nota um “=”, já sejam listadas todas as áreas de responsabilidade que temos na vida.

Como usaremos as áreas de responsabilidade?

Vamos criar uma nota para cada área, assim:

gtd-evernote-print26

Em cada nota, falaremos um pouco sobre o que significa aquela área de responsabilidade na nossa vida. Pode ficar à vontade para escrever o que quiser.

Para processá-la, use a tag “20.000 ft – Áreas de responsabilidade”. Isso significa que, quando você clicar nessa tag, terá uma visão completa de todos os seus papéis sem precisar ficar clicando em cada uma das tags.

Com relação às tags de cada área em específico, nós vamos usar nas seguintes notas:

  • Metas e objetivos relacionados à área
  • Projetos da área
  • Tarefas avulsas relacionadas à área

Mais uma vez, o que estamos vendo aqui é a explicação para o uso de cada nível do GTD no Evernote. Quando terminarmos de ver todos os níveis, entraremos na execução, quando veremos como tudo funcionará na prática.

Fica como lição de casa para vocês definirem quais são suas áreas de responsabilidade e já criarem essas tags.

Até o próximo post.

27 Aug 2014

Organizando fotos no dia a dia: dicas práticas de como tenho feito

Muitos leitores me perguntam como eu faço para organizar as minhas fotos e eu percebi que nunca tinha feito um post explicando direitinho. Por isso, hoje eu gostaria de falar um pouco sobre como organizo minhas fotos, tanto em formato digital quanto as impressas.

Em formato digital, costumo organizar no computador e, uma vez por mês, fazer backup em um HD externo. Funciona bem assim. A organização em si não tem segredo – organizo uma pasta “Fotos” e, dentro dela, pastas com os anos (2014, 2013 etc).

270814-fotos01

Dentro de cada pasta de ano, eu tenho uma pasta para cada mês. Coloco o número no começo, em vez do nome do mês, para ficar na ordem certa.

270814-fotos02

Por fim, dentro de cada mês, vou criando as pastas por temas, de acordo com a necessidade. Não crio pastas sem ter fotos para colocar dentro, por exemplo.

270814-fotos03

Quanto à nomenclatura dos arquivos de cada foto, antes eu costumava renomear todos, mas parei de fazer com o tempo. Não acho prático e não tem muita utilidade. É mais útil quando não categorizamos e usamos bastante a busca.

Gosto de organizar por ano porque facilita para mim ao procurar algum arquivo que eu esteja precisando. Já tentei apenas categorizar por temas, mas fica confuso. Organizando por anos e meses, consigo ver a evolução clara das fotos também.

Uma dica que gosto sempre de dar é a de selecionar as fotos que vai arquivar. Com os celulares e câmeras digitais, temos o costume de guardar tudo – fotos borradas, duplicadas, feias. O ideal é que a gente fique com o mínimo possível, então vale a pena fazer essa seleção.

Não imprimo fotos há bastante tempo. Imprimi algumas do Paul há alguns anos e tenho um álbum só para ele, especialmente para a família ver, quando viesse em casa. Quando recebemos visitas, ninguém olha fotos! Todo mundo vê pelo Facebook. Então, não imprimimos mais. Mas acho que vale a pena para montar murais e colocar em porta-retratos.

Tenho uma caixa organizadora pequena onde coloco os álbuns com fotos antigas, mas estou pensando em digitalizá-las e guardar 20% do que está lá. Não tenho grandes álbuns porque acho que ocupam muito espaço.

E é assim que eu organizo minhas fotos! Espero que tenham gostado.