Blog Página 3

Como usar GTD™

21

O que é isso?

Demanda ação?

No sentido de: tenho compromisso em fazer algo a respeito disso?

Porque você pode simplesmente ver “aniversário da tia” e não querer fazer nada a respeito. É um direito seu.

Se não demanda ação, você tem três escolhas:

1 – JOGUE FORA. Isso vale para o aniversário da tia que você vai deixar quieto e para o spam que você recebeu no e-mail, mas vale também para coisas que, sinceramente, você não tem interesse de qualquer maneira.

2 – ARQUIVE para referência futura. Pode ser importante guardar algumas coisas, como documentos, resultados de exames, apostilas de cursos que você fez etc. Você pode organizar seu arquivo de referência alternando entre o papel e o digital, de acordo com as suas preferências pessoais. O que entra aqui, lembre-se: não demanda qualquer tipo de ação. É só algo que você quer guardar como referência.

3 – Pode ser que não demande ação agora, mas pode demandar no futuro. Por ex: você pegou um folheto na CVC sobre uma viagem para Praga. Pode não rolar agora por motivos de $$$, mas você não quer perder isso. Nesse caso, INCUBE. Guarde essa decisão para depois. Você pode fazer isso inserindo em uma pasta ou lista de ALGUM DIA / TALVEZ ou inserindo um lembrete, um gatilho, no seu calendário, para ser lembrada(o) em uma data específica (talvez quando você sair de férias daqui a um ano?).

workflow-map-pessoal

Mas, se demanda ação, qual é a PRÓXIMA AÇÃO?

Definindo a próxima ação, certamente ela se enquadrará em três categorias:

1 – É rápido, leva menos de dois minutos. FAÇA JÁ.

2 – Precisa ser feito, mas não por mim. Preciso DELEGAR para a pessoa certa e fazer o acompanhamento disso em uma lista de Aguardando resposta.

3 – Precisa ser feito por mim mesma(o), mas demora mais de dois minutos. ADIE para o momento correto. Se tiver que ser feito em um dia específico, coloque em seu Calendário. Se não tem data específica e você só precisa fazer o mais rápido possível, dependendo de estar no contexto adequado, coloque em sua lista de Próximas ações.

Mas pode ser que essa única ação não conclua o que você precisa fazer. Nesse caso, qual é o RESULTADO DESEJADO? Defina o que precisa ser feito. Quando você pode considerar isso concluído?

Você pode identificar, então, que você tem um PROJETO. (Insira em sua lista de projetos)

Esse projeto pode ter informações, arquivos de suporte. Se isso acontecer, você pode ter arquivos de suporte ao projeto, que inclui o plano do projeto, o planejamento e tudo o mais que você quiser associar ao seu projeto. Você pode organizar onde quiser: nas notas do seu projeto no Todoist, na nota master do projeto no Evernote, em uma folha de papel em uma pasta em L. Depende de como você organiza o seu sistema.

No dia a dia, você vai trabalhar com foco em duas coisas, basicamente:

1 – Seu calendário (tudo o que “vence” naquele dia, incluindo o que está na agenda, no tickler, nas ações com prazos)
2 – Suas listas de próximas ações sem data de conclusão, no intervalo dos compromissos no calendário

Esse é o foco diário.

Uma vez por semana, revise seu sistema como um todo para garantir que esteja atualizado e que suas ações estejam definidas para que você possa executar seu trabalho tranquilamente.

Tem um montão de outras coisas que você pode ir aprendendo e implementando depois disso, mas o básico está aí.

E isso é começar a usar GTD. 🙂

Veja o vídeo também com uma orientação geral para entrar no mundo da metodologia:

Conheça as idades dos documentos e organize seus arquivos

2

Ao tomar a iniciativa de organizar nossos arquivos, seja nas empresas ou nas residências, uma questão muito importante a ser levada em conta, e que pode ajudar muito no processo de racionalização é compreender que os documentos que entram em nossa vida atravessam momentos distintos com o passar do tempo.

É o que os estudiosos denominaram de Ciclo de Vida dos Documentos, composto de três fases, que apresentam características bem distintas entre si, e que dão pistas muito interessantes sobre a melhor forma de organizá-los, que tipo de materiais utilizar, onde armazenar, como localizar, etc.

Num primeiro momento, assim que surgem, e até que cumpram sua função inicial, os documentos constituem o que chamamos de Arquivo Corrente. É aquela fase em que, por serem muito manipulados,  devem permanecer o mais próximo possível de seus usuários, ao alcance da mão, de preferência em algum tipo de pasta que possa ser facilmente acessada.

Arquivo Corrente: Alta frequência de uso indica manutenção próxima a usuário para acesso rápido
Arquivo Corrente: Alta frequência de uso indica manutenção próxima a usuário para acesso rápido

Uma vez que sua missão inicial foi cumprida e gerou os devidos efeitos, a frequência de uso deste documento cai rapidamente, e muitas vezes ele já pode ser eliminado sem causar nenhum problema. Em outros casos, no entanto, alguns elementos presentes naquela ação inicial que já foi concluída podem gerar outras demandas de natureza administrativa ou legal. Isso indica que aquele documento seja mantido por mais algum tempo, em geral 5 ou 6 anos, podendo chegar até a algumas décadas, por precaução.

Essa necessidade de guarda por prazo mais longo, e pouca frequência de uso são as características da segunda fase do ciclo de vida dos documentos: o Arquivo Intermediário, em que os documentos podem ocupar locais um pouco mais afastados, aguardando sua destinação final em caixas-arquivo bem identificadas, de modo que possam liberar espaço para novos documentos no arquivo corrente.

Arquivo Intermediário: A guarda em caixas é justificada pela baixa frequência de uso
Arquivo Intermediário: A guarda em caixas é justificada pela baixa frequência de uso

De todo aquele acervo que um dia foi produzido, apenas uma pequena parte constitui a memória do indivíduo ou da instituição. Estes vão constituir a terceira fase do ciclo de vida do documento: O arquivo histórico ou permanente. Aqui, a preocupação com cumprimento de prazos já não existe, dando lugar a iniciativas voltadas à preservação, e em alguns casos, à divulgação do acervo.

(Imagem: StudyNotes.ie) Arquivo Histórico: Pequenos conjuntos destinados à preservação da memória
(Imagem: StudyNotes.ie) Arquivo Histórico: Pequenos conjuntos destinados à preservação da memória

Compreendendo o ciclo de vida do documento, temos condições muito melhores para gerenciar com eficiência tudo o que produzimos e acumulamos de informação em casa ou no trabalho, podendo retirar de nossos arquivos o máximo que eles podem fornecer.

Arquivos de suporte a projetos

7

Este post foi originalmente uma resposta a uma dúvida postada no grupo do Facebook GTD Brasil, que resolvi postar aqui porque acredito que possa ajudar outra pessoas.

Se você não sabe o que é GTD, clique aqui.

Muitos usuários do método GTD se confundem um pouco sobre a organização dos arquivos de suporte a projetos. Os arquivos de suporte são arquivos, acima de tudo, então devem ser armazenados como armazenamos arquivos de referência.

A diferença é que eles estão vinculados a projetos, então pode ser que, temporariamente, especialmente para arquivos em papel (para facilitar o acesso), você queira criar compartimentos específicos para eles (ex: uma pasta para arquivos do projeto tal). Mas, no geral, funciona muito bem manter no arquivo de referência geral.

Eu costumo criar pastas específicas apenas para viagens, na maioria das vezes. Outro caso que também costuma merecer sua própria pasta é uma mudança residencial, pois envolve documentos e muitos papéis. Mas, no geral, é muito difícil ter um projeto que demande uma pasta física inteira para um projeto hoje em dia na minha vida. A maioria é digital.

A dúvida que surge entre os usuários é sobre essa vinculação com os projetos mesmo. Então a dúvida postada pela participante foi:

“Thais, tenho uma dúvida: preciso fazer um post sobre a evolução da arrumação da secretaria paroquial. O post irá ao ar quando a arrumação estiver concluída, imagino que no fim deste mês. Porém, estou tirando fotos do processo e armazenando numa nota do Evernote. A questão é, como organizar isto, ou seja, estas fotos se enquadram onde? “Suporte para projetos” ou dentro do projeto em si. Ou crio um projeto no Todoist “postar relato da arrumação da secretria” e deixar as fotos no Evernote. Enfim, não estou sabendo organizar da melhor maneira. Fraterno abraço.”

Minha resposta foi:

“É difícil responder porque cada pessoa processa e organiza as coisas de um jeito de acordo com sua rotina, seu trabalho etc.

Por ex, minha rotina de produção de conteúdo é diferente da sua, então o que vou recomendar pode não funcionar para você. Você precisa buscar uma solução que se adeque à sua rotina de trabalho.

Se eu tivesse que fazer um post no final do mês que demandasse uma série de coisas assim, eu nem trataria isso como projeto porque tenho um processo diário de produção de conteúdo onde vou criando diariamente. Não é algo pontual. Se fosse algo pontual eu criaria um projeto (como parece ser o caso, mas pode não ser – não conheço seu trabalho).

Para eu ter um projeto, eu preciso ter claro qual é o meu resultado desejado – quando eu posso riscar esse projeto da minha lista. Assim eu sei que concluí o projeto.

Entre a primeira próxima ação e o resultado desejado, vai ter uma infinidade de coisas acontecendo, e para dar suporte a todas essas ações eu posso ter materiais, imagens, textos inspiracionais, reuniões, notas, ideias. Isso o David chama de arquivos de suporte ao projeto. Você pode guardar isso em cadernos, papéis, pastas, e-mails, Evernote, onde quiser – da mesma maneira como guarda seus arquivos de referência. A única diferença é que, de alguma maneira, eles estão vinculados ao seu projeto.

Como se cria esse vínculo? Através do plano do projeto, na prática. Isso está no fluxograma do GTD. Você vai escrever, no plano do projeto, onde estão esses materiais de suporte. Se usar o Evernote, você pode linkar esses materiais. Se usar qualquer ferramenta eletrônica, como o Todoist, pode fazer o mesmo. Se não quiser usar links ou fizer esse plano no papel, pode só escrever onde está (ex: “Cronograma do projeto: Google Drive, na pasta tal”).

O importante é que você saiba onde estão as coisas, de modo que, quando for revisar o seu projeto, possa acessar esses materiais e revisar para ver se existem próximas ações que podem ser desencadeadas através dessa revisão deles.

Você pode ter milhões de arquivos em centenas de lugares diferentes. Não precisa centralizar em um único lugar. O que vai indicar e organizar onde estão essas informações é uma espécie de “índice” no seu plano do projeto.

Espero ter ajudado! Mas qualquer coisa, comente! Bjo.”

Captura de tela 2015-09-14 22.50.03

Veja um post anterior sobre como organizar os planos de projetos no Evernote

Achados do mês – Agosto 2016

9

Uma compilação dos favoritos do mês, onde nós estivemos, o que fizemos, o que vimos, para onde vamos e outras ideias bacanas. <3

Li e gostei:
“Olá, meninas e meninos” (Taciele Alcolea, Editora Objetiva)

livro-taciele

Ultimamente, muitos blogueiros e YouTubers têm lançado livros. Isso é muito bom, porque esquenta o mercado editorial. Algumas pessoas torcem o nariz, mas a grande verdade é que, além de esses livros levarem algumas pessoas que nunca leram um único livro na vida a gostarem de ler (são porta de entrada), a venda de livros populares assim serve para investir na produção de outros tipos de livros, de autores que não sejam tão conhecidos. Todos saem ganhando, então é importante sim que essas publicações existam.

Sobre ter ou não conteúdo, sobre gostar ou não, cada caso é um caso. Acredito que vá muito da questão da identificação. Já li livros de YouTubers que não curti muito, outros que não consegui sequer chegar até o fim, assim como alguns que eu li de uma só vez e saí suspirando, como foi com esse da Taci.

E eu acho muito engraçado porque a Taci é uma moça dez ou mais anos mais nova do que eu e ela me inspira muito. Considero que temos muitas coisas em comum. Tudo o que falo aqui no Vida Organizada, sobre se organizar para alcançar objetivos, é algo que ela sempre tomou pra vida e a levou para onde está hoje. Ela fala muito sobre isso e é uma mensagem muito legal que passa aos seus seguidores.

Além do que, a Taci é uma pessoa alegre e positiva, o que é importante. Uma vez compartilhei aqui no blog um vídeo incrível em que ela fala sobre se essa felicidade dela é “real assim”, porque muitas pessoas comentam que ela “é meio fake”. E nossa, o vídeo é sensacional. O que ela diz é lindo – eu já assisti umas três vezes e sempre me emociono quando me lembro dele. Porque a mensagem que ela passa é muito importante para o público que ela atinge. Vale a pena assistir.

No livro, ela conta a história dela e a trajetória até se tornar a YouTuber famosa que é hoje. Para quem trabalha com Internet, é essencial. Mas o que mais me chamou atenção foi como ela mostra que, com propósito, organização e foco, você consegue ser o que você quiser. E isso tem tudo a ver com o Vida Organizada. Portanto, essa sem dúvida foi a minha leitura e grande achado do mês.

Lançamento do mês
“Boa noite” (Pam Gonçalves, Editora Galera)

boanoite-pamA Pam é uma fofa <3 e ela tem um canal muito legal no YouTube sobre livros. Agora ela lança seu primeiro livro de ficção sobre uma garota que ingressa na universidade e quer se enturmar, mas acaba enfrentando alguns problemas. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando decide deixar de vez o rótulo de nerd para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Agenda da Thais

Agenda do pessoal do Vida Organizada

Favoritos do mês

Gravei um vídeo contando quais são os meus itens de organização e itens pessoais favoritos este mês. Veja abaixo:

Ou clique aqui!

Qualidade é uma escolha diária

12

Não é novidade para ninguém que uma das pessoas que mais me inspiram é a Martha Stewart – guru americana das donas de casa inspiradas em suas ideias para o bem receber. Ela publicou um livro sobre empreendedorismo (“The Martha Rules”, não publicado em português) onde traz uma ideia que adotei para a vida, que é: a qualidade é uma escolha diária.

Isso significa que, para tudo o que fazemos, no trabalho e na vida pessoal, temos uma escolha: fazer com qualidade ou não. Vale para o e-mail que você vai mandar, a reunião que você decide estar presente e a refeição que você vai preparar para a sua família. Para tudo. Como você escolhe fazer é tão importante como o como o que você escolhe.

Eu exploro um pouco mais essa ideia no vídeo abaixo:

Espero que gostem! Inscreva-se no canal para saber antes quando entram vídeos novos.

Se não estiver visualizando o vídeo acima, clique aqui.

Workshop: Todoist em setembro! Inscrições abertas

5

É com muito amor <3 <3 <3 que estamos lançando o nosso workshop de Todoist! Ele acontecerá em setembro, em São Paulo, e a ideia é levar para outros estados caso tenha demanda. Inscreva-se para essa edição ou para a lista de espera em outros estados clicando aqui!

workshop-todoist

O que você vai aprender:

  • O que é Todoist
  • O que são tarefas, sub-tarefas, projetos, etiquetas e filtros
  • Recursos de tarefas e projetos
  • Compartilhamento
  • Gerenciando equipes
  • Carma
  • Recursos do Todoist Business
  • Todoist versão gratuita, Premium e Business
  • Como fazer seu setup: cases da equipe

No workshop de Todoist, você vai conhecer de perto todos os recursos da ferramenta em suas modalidades Free, Premium e Business, saber qual o plano adequado para você e como configurar para o seu uso pessoal ou para a sua empresa através das melhores práticas de organização e produtividade.

Estou muito feliz porque sou embaixadora brasileira do Todoist no Brasil e esse é um curso que depois vamos oferecer para aprofundamento do Todoist Business em empresas, então é o início de uma trajetória muito legal.

Inscreva-se aqui!

Vídeo todos os dias em agosto (VEDA)

19

Oi pessoal! O post de hoje é para divulgar um projeto pessoal muito louco chamado VEDA (video every day at August) = vídeo todos os dias em agosto, que eu venho fazendo agora! Estou postando um vídeo novo por dia em agosto no meu canal no YouTube. Já me segue lá? Não? Então clique aqui e se inscreva!

canal-youtube

Pode parecer meio maluco mesmo esse projeto, mas tem sido muito divertido fazer!

Tive alguns propósitos para decidir fazê-lo:

  1. Me aproximar mais dos leitores com os vídeos, que é uma coisa que vocês me pedem há bastante tempo e eu já queria fazer.
  2. Aprimorar minhas habilidades de edição, mesmo que básicas. É algo que quero treinar!
  3. Me habituar a gravar mais vídeos!

A coisa está dando tão certo que já não sei mais viver sem fazer vídeos – é tão gostoso! Sei que demorei para engatar nisso, mas sou assim mesmo – só gosto de fazer alguma coisa quando tenho um propósito forte, mas aí também ninguém me segura! Estou bastante feliz com todos os vídeos até então e espero que vocês gostem também.

A ideia é postar dicas de organização e produtividade, além de um pouco do meu dia a dia através dos VLOGs – enfim, um mix do que vocês já vêem aqui no blog.

Clique aqui para ver os vídeos e se inscrever! Quem se inscreve no canal fica sabendo dos vídeos novos antes.

Obrigada por tudo, pessoal!

Como comer bem e sem gastar tanto em viagens

2

Uma das coisas mais legais quando você viaja para um lugar diferente é conhecer a comida do lugar. A cultura de cada região ou de cada país diz TUDO sobre o lugar em si, e quando você se envolve naquilo, você está realmente entendendo como as pessoas daquele lugar vivem, de onde vêm os alimentos, como preparam, enfim, comida é cultura.

Eu não viajei para tantos países assim. Até agora, só fui para os Estados Unidos e para a Holanda, o que é maravilhoso de qualquer maneira, mas mesmo dentro do Brasil temos a chance de conhecer comidas diferentes. Quando vou para o sul é totalmente diferente de quando vou para o nordeste – mesmo quando vou para Minas Gerais é uma experiência diversa, sendo na mesma região de onde eu moro (São Paulo). Então eu fiquei pensando em quais seriam dicas legais para trazer aqui para o blog sobre esse assunto. Será que dá para comer bem, conhecer a cultura de comida local sem gastar tanto dinheiro e comer em restaurantes caros? E dá sim. Seguem três dicas pontuais.

comida-rua

Dica 1: Vá ao mercado municipal, aos mercados ou feiras de rua

Toda cidade tem os seus. É lá que você vai encontrar as comidas mais baratas porém típicas do lugar. Ok, nos Estados Unidos você vai encontrar hot-dog e batata-frita, faz parte! Mas na Holanda eu encontrei arenque cru com cebola, hello? Stroopwafell, já comeram essa perdição? É uma espécie de bolacha achatada recheada com doce de leite, não dá para descrever sem comer. Aqui no Brasil, você encontra o tradicional “queijo de minas”, pimentas em João Pessoa e acarajé em Salvador. E é esse tipo de comida legal de comer, que você não vai gastar tanto quanto em um restaurante, vai te manter alimentado ao longo do dia e vai te permitir conhecer toda a cultura local enquanto você observa a galera passeando (e você faz o mesmo).

Dica 2: Foursquare, Trip Advisor e afins

Use a tecnologia a seu favor. Apesar de eu sempre ouvir a tradicional dica “peça indicações ao pessoal que mora lá”, putz, isso nem sempre é fácil. Primeiro, que você pode não conhecer ninguém. Segundo, que as pessoas que você conhece podem não ter (e provavelmente não têm) o mesmo gosto que você. Então o mais seguro é ver o que o pessoal diz nesses aplicativos e sites com resenhas de lugares, listas dos Top 10. Você pode não ir todos os dias em um restaurante legal ou mais chique, mas pode querer escolher UM para conhecer, ou pode descobrir um cantinho escondido graças a uma dessas indicações. Vale a pena explorar. Esses sites e aplicativos são uma versão turbinada dos livros guias de viagens, que também são bons mas não são gratuitos (e aqui estamos falando sobre economizar).

Dica 3: Ande pela cidade e siga sua intuição

Uma coisa que gosto de fazer quando saio do país é reservar um dia (ou um período) sem programação alguma para simplesmente caminhar pela cidade e “descobrir” o que existe nela. Se algum café, bar, restaurante, barraquinha chamar minha atenção e eu estiver com fome, paro, entro e como alguma coisa. Isso é muito legal porque me permite conhecer algo que, do contrário, eu não teria conhecido porque ninguém teria me indicado. E isso dá um gostinho de aventura, de descoberta, que tem tudo a ver com o espírito de quem está viajando.

Uma dica final, de teor mais prático, é com relação ao orçamento. Eu gosto muito de levar o equivalente à moeda local o que eu gasto aqui no Brasil para comer. Por exemplo, se aqui no Brasil, quando eu como em um restaurante, eu gasto 50 reais por refeição, eu calculo que vou gastar isso (na moeda local, convertendo) se comer em um restaurante, e esse é meu orçamento. Se eu gasto 25 reais em um lanche, esse é meu orçamento para lanche. Etc. E assim eu calculo quanto vou gastar por dia. Em média, eu vejo qual será minha programação (se estarei o dia todo em um evento ou andando na rua) e calculo com base nos tipos de refeições que farei. Dá super certo!

Espero que o post tenha ajudado!

Linkagem de domingo

4

Algumas vezes, eu gosto de reunir alguns posts, vídeos e notícias que li ao longo da semana e que achei que seria legal compartilhar com vocês.

Você está me acompanhando no YouTube? Está rolando vídeo todo dia em agosto lá no canal!

Boa semana para vocês!

O que te permite largar tudo e ir para o happy-hour hoje?

14

O que te permite desligar o computador e ir assistir Strange Things sossegado?

O que te permite largar o projeto e abrir uma cerveja?

O que te permite sentar com seu filho na sala e brincar sem se preocupar com os e-mails não respondidos?

O que te permite ir ao cinema na terça-feira à noite?

O que te permite acordar mais tarde na segunda-feira de manhã?

O que te permite ir lá fora brincar com os seus cachorros no meio de uma tarde de quarta-feira?

O que te permite tirar férias?

O que te permite pegar o violão na tarde de domingo sem se preocupar com a segunda?

O que te permite ir regar as plantas no jardim?

O que te permite preparar uma refeição com calma no meio da semana?

fazer-nao-fazer

Você só pode se sentir bem com o você não está fazendo quando você sabe o que não está fazendo. – David Allen

Isso significa que, se você tem seus projetos sob controle, seus prazos – tudo o que você precisa fazer, de alguma maneira, organizado, – você fica tranquilo(a) para deixar tudo isso de lado e fazer algo que não estava “na sua lista” – e geralmente isso é uma coisa criativa, relax, de lazer, inusitada, inesperada, corajosa. Você simplesmente consegue fazer todas essas outras coisas sem se preocupar, sem se culpar, e consegue estar presente naquele momento.

Enquanto essas coisas ocupam espaço na sua mente, te preocupando, porque estão desorganizadas, elas não liberam espaço para você estar presente e despreocupado, curtindo aquilo que realmente importa.

É por isso que vale a pena se organizar. Não para “ser organizado(a)”. Mas para conseguir viver e ser feliz com todas as coisas que não precisam ser organizadas.

O primeiro passo é ter o hábito de tirar as coisas da mente. Anotar em um papel, no computador, gravar – passar para um dispositivo de coleta, enfim. Depois, esclarecer o que aquilo que você coletou significa. Demanda algum tipo de ação? Sim? Eu que devo fazer? Outra pessoa? Se sou eu, tem prazo certo? É rápido, posso fazer agora? É um projeto? Se não demanda, onde posso guardar como referência? Posso querer me lembrar disso no futuro? Depois, preciso revisar com regularidade essas informações para garantir que minhas listas estejam atualizadas, de modo que eu não perca nada. E, no dia a dia, vou executando aquilo que precisa ser feito, sem perder prazos e confiando nas minhas escolhas.

Se você está chegando agora e não sabe do que eu estou falando, esse parágrafo foi um resumo do método GTD, que você pode aprender aqui.

Como foi: workshop Construa seu estilo e organize seu armário em São Paulo

6

No último sábado, a Ana Soares (do blog Hoje vou assim OFF) e eu realizamos mais uma edição do nosso workshop Construa seu estilo e organize seu armário aqui em São Paulo. Gostaria de contar para vocês um pouco como foi.

Começando agora: Workshop Construa seu estilo e organize seu armário com Vida Organizada e @hojevouassimoff #vidaorganizada

Uma foto publicada por Vida Organizada 🕐 (@blogvidaorganizada) em

Esse nosso workshop é super difícil de “vender”, no sentido de explicar para as pessoas do que ele trata, porque pode parecer um assunto fútil – afinal, fala sobre moda e guarda-roupa. Mas não é “só” sobre isso. O que a gente fala nesse workshop é sobre auto-estima, sobre finanças, sobre como passar uma imagem legal para o mundo, como se sentir bem, como ter um guarda-roupa que funcione no dia a dia para você ir trabalhar, passar uma imagem profissional, cuidar direito das suas roupas e não perder peças e ter que gastar mais dinheiro de novo no shopping, fazer compras direito, ter mais espaço em casa, enfim, muita coisa.

Quando a gente conversou pela primeira vez sobre juntar esses dois temas, nunca imaginou que daria tão certo. A gente só percebeu a mágica quando fez o primeiro workshop juntas mesmo, e foi lindo. 💙

A Ana começa o workshop falando sobre como encontrar seu estilo, dando dicas práticas e certeiras, sem blablabla, buscando a coerência mesmo com o estilo de vida que você tem. Afinal, se você trabalha mais de 40 horas por semana, para que você quer ficar gastando dinheiro com roupa para uma vida que não tem? E por aí vai.

Só depois de encontrar seu estilo você consegue ter um monte de parâmetros para abrir seu guarda-roupa e falar: ok, deixa eu ver o que efetivamente deve ficar. Vem a parte do descarte, ou o que eu chamo de destralhamento. É quando eu começo a falar. Ensino as melhores técnicas para fazer esse destralhamento, o que fazer com as peças que você não quer mais manter, dou dicas para as peças que você for mais apegada e por aí vai. A ideia é que você mantenha no seu guarda-roupa apenas as peças que você ama, que tenham a ver com a vida que você tem, que combinem entre si (sejam versáteis), que fiquem bem em você e que tenham a ver com o seu estilo.

Depois de um rápido intervalo, a Ana volta ensinando como fazer boas compras, de modo que você possa economizar mas ainda assim fazer bons investimentos. Aqui o papo é técnico e prático mesmo! Ela fala sobre marcas, cortes, tecidos, materiais, o que olhar em cada peça para saber se vale a pena pagar por ela ou não. O pessoal anota loucamente!

Fazendo boas compras, como armazenar e cuidar de tudo isso? Eu volto com a parte da organização propriamente dita, ensinando como otimizar seu espaço, como organizar as peças, como arrumar, como dobrar, como guardar itens mais específicos. Depois: como otimizar a rotina de lavanderia, como a organização do quarto influencia no seu astral para cuidar de tudo, e o que deve fazer diariamente, semanalmente para manter suas roupas bem cuidadas.

É um workshop tão rico que a gente gostaria de levar para todos os lugares, mas bancar duas viagens, alugar espaço, material, sempre é muito custoso. Então, se você tiver interesse em ser um apoiador, entre em contato conosco! Toda ajuda é bem-vinda, porque nós sabemos o quanto esse workshop ajuda as pessoas e como elas saem felizes e inspiradas dele. Gostaríamos de agradecer o nosso parceiro Accor Hotels pelo apoio, obrigada!

Temos algumas cidades em vista que gostaríamos de levar esse workshop, mas precisamos ter um mínimo de pessoas para viabilizar. Portanto, se você tiver interesse real em participar, preencha o formulário nesta página, para termos uma ideia de quantas pessoas querem o workshop, e quando tivermos o número necessário, podemos fazer!

Algumas pessoas nos pedem para realizar o workshop de maneira virtual, mas ele é um workshop muito hands-on e precisa ser feito presencialmente. O Vida Organizada realiza uma série de cursos online, mas alguns precisam ser presenciais – esse é um deles. Por isso fazemos questão de viajar para as capitais para realizá-lo.

Obrigada a todas que já participaram desse workshop, pois ele é um projeto muito especial nosso! Tanto a Ana quanto eu começamos a desenvolver novos projetos a partir dele. A Ana, por exemplo, abre a agenda dela para consultoria de estilo e análise de cores toda vez que viaja para fazer o workshop, e eu também comecarei a abrir a agenda para o processo de coaching e consultoria de organização nessas viagens, mas tudo sempre depende da demanda de vocês. Por isso, fiquem em contato! Tudo acontece em equipe. <3

Obrigada por tudo, pessoal!

Mês organizado – Agosto 2016

8

Este post funciona melhor visto pelo computador.

Agosto 2016

🍐 Lembretes gentis, dicas úteis e recomendações para o seu mês ser um pouco mais organizado.
DomingoSegundaTerçaQuartaQuintaSextaSábado
1

🕑 Imersão - Certificação GTD

✅ Planejar o novo mês

✅ Organizar o arquivo de referência rápida (tickler)

✅ Reestruturar a rotina de volta às aulas
2

🕑 Imersão - Certificação GTD
3

🕑 Imersão - Certificação GTD
4

✅ Criar um kit de velas para quando faltar a luz
5

✅ Revisão semanal

6

✅ Controlar as contas pagas e a pagar

✅ Começar a planejar uma viagem de verão

✅ Fazer ou comprar presente de Dia dos Pais
7

🕑 Feira Escolar Office Brasil

🕑 Show do Megadeth

✅ Tirar o pó dos móveis
8

🕑 Reuniões da Call Daniel

🕑 Treinamento GTD na DPZ

✅ Limpar os batentes

9

✅ Retomar um sonho antigo
10

🕑 Treinamento GTD no GPA

✅ Planejar o menu semanal

11

✅ Fazer compras com base no menu semanal
12

🕑 Viagem para Brasília

✅ Revisão semanal
13

🕑 Turma aberta de GTD em Brasília

✅ Pesquisar uma receita diferente para preparar esta semana
14

📅 Dia dos Pais

✅ Tirar o pó dos móveis
15

🕑 Reuniões da Call Daniel

✅ Fazer um balanço dos seus gastos mensais este ano até agora
16

✅ Limpar a despensa


17

🕑 Treinamento GTD no GPA

✅ Planejar o menu semanal

18

🕑 Visita a livrarias para divulgação do novo livro

✅ Fazer compras com base no menu semanal
19

🕑 Viagem para Curitiba

✅ Revisão semanal
20

🕑 Turma aberta de GTD em Curitiba
21

✅ Tirar o pó dos móveis

✅ Limpar as paredes

✅ Destralhar o carro

22



23

🕑 Mudança
24

✅ Planejar o menu semanal

25

✅ Fazer compras com base no menu semanal
26

🕑 Avaliação Master Trainer GTD

🕑 Início da Bienal do Livro SP

✅ Revisão semanal

27

🕑 Turma aberta de GTD em SP

🕑 Show do Malmsteen
28

✅ Tirar o pó dos móveis
29

✅ Verificar se todas as contas do mês foram pagas
30

✅ Revisar o mês que está acabando e quais foram os marcos, projetos concluídos e aprendizados
31

✅ Planejar o menu semanal