Pular para o conteúdo

Como organizei a minha viagem para a Alemanha

Viajar é uma experiência única e empolgante, que nos permite explorar novos lugares, culturas e criar memórias inesquecíveis. No entanto, para que a viagem seja realmente proveitosa e tranquila, é fundamental um bom planejamento e organização. Neste post, vou compartilhar com vocês como organizei a minha viagem para a Alemanha, desde o planejamento inicial até as experiências enriquecedoras que tenho vivenciado durante essa jornada.

Motivação para a viagem

A minha motivação para a viagem para a Alemanha foi impulsionada por diversos fatores inspiradores. Primeiramente, estava em busca de aprimorar o meu conhecimento da língua alemã, por meio de um intercâmbio que me permitiria mergulhar na cultura e no idioma local. Além disso, a Alemanha é um país com uma rica história acadêmica, e como pesquisadora, era fundamental ter acesso aos manuscritos originais de renomados intelectuais, como Max Weber e outros, que poderiam enriquecer o meu trabalho de doutorado. A oportunidade de vivenciar uma nova cultura e experimentar o cotidiano em um país europeu também era algo que me instigava, despertando a curiosidade de conhecer diferentes costumes e tradições. Dessa forma, a minha viagem para a Alemanha era uma chance única de expandir horizontes, aprimorar conhecimentos e vivenciar uma experiência enriquecedora em terras europeias.

Planejamento antecipado

Fiquei sabendo da oportunidade da viagem por volta de novembro do ano passado. Desde então, iniciei o planejamento para viajar no final de abril. O planejamento antecipado desempenhou um papel fundamental na organização da minha viagem para a Alemanha. Desde o início, dediquei tempo e esforço para pesquisar e buscar informações sobre os destinos que gostaria de conhecer, as melhores opções de acomodações, as rotas de transporte mais convenientes e as atividades culturais e turísticas imperdíveis durante a minha estadia. Com antecedência, fiz uma lista detalhada das minhas preferências e necessidades, o que me permitiu encontrar opções alinhadas ao meu orçamento e aos meus interesses. Além disso, a reserva antecipada de passagens aéreas e acomodações me proporcionou tranquilidade e segurança, evitando contratempos de última hora. O planejamento meticuloso me permitiu aproveitar ao máximo cada dia da viagem, otimizando o meu tempo e garantindo que eu pudesse explorar os lugares e experiências que eram mais importantes para mim.

Curadoria

Durante o processo de planejamento da minha viagem para a Alemanha, uma das etapas mais empolgantes foi a curadoria dos locais e eventos que estavam alinhados com os meus interesses pessoais e profissionais. Como uma apaixonada por história, música (especialmente rock), cultura e conhecimento, foquei em pesquisar sobre os lugares que me proporcionariam experiências enriquecedoras nesses aspectos. Priorizei visitar locais históricos, museus, bibliotecas e livrarias renomadas, onde pudesse explorar a riqueza da cultura e do conhecimento alemães. Também busquei identificar eventos culturais, concertos de rock e exposições relacionadas aos meus gostos musicais e áreas de interesse acadêmico, como sociologia do trabalho e comunicação. Essa curadoria cuidadosa me permitiu vivenciar experiências únicas e enriquecedoras, mergulhando na atmosfera cultural e intelectual da Alemanha de forma personalizada e significativa.

Orçamento e finanças

Para garantir uma viagem tranquila e dentro das minhas possibilidades financeiras, adotei algumas estratégias. Uma delas foi estabelecer um orçamento detalhado, levando em consideração todos os aspectos da viagem, como passagens aéreas, acomodações, alimentação, transporte e atividades. Além disso, pesquisei e comparei preços com antecedência, buscando por promoções e descontos, e fiz reservas o quanto antes para garantir melhores tarifas. Também busquei alternativas econômicas, como hospedagens em hostels ou apartamentos compartilhados, e explorei opções de transporte público para economizar nos deslocamentos. Essa abordagem cuidadosa me permitiu aproveitar a viagem sem preocupações financeiras excessivas, garantindo uma experiência equilibrada entre desfrutar das atrações e manter uma boa gestão das minhas finanças. Dinheiro vivo, cartão de crédito para emergências e um cartão de débito pré-pago internacional foram essenciais.

Hospedagem e deslocamento

Para acomodação, considerei diversas opções, como hotéis, aluguéis de apartamentos e hospedagens alternativas, levando em conta fatores como localização, comodidades e avaliações de outros viajantes. Eu preferi ficar em hotel por conta da segurança e estrutura, e sempre que possível na rede Accor, que (para mim) oferece uma boa relação custo-benefício para quem viaja falando em inglês. Quanto ao transporte, explorei diferentes alternativas, utilizando principalmente o sistema de transporte público local, como metrô e ônibus, que são eficientes e abrangentes. Também aproveitei para explorar a cidade a pé, permitindo-me descobrir lugares e detalhes que seriam perdidos de outra forma.

Contatos de emergência

Durante o planejamento da minha viagem para a Alemanha, um aspecto importante foi garantir que eu tivesse contatos de emergência caso algo inesperado acontecesse. Procurei obter informações sobre os serviços de emergência locais, como números de telefone para contato em caso de necessidade médica, policial ou de outro tipo de emergência. Além disso, mantive cópias dos meus documentos importantes, como passaporte e seguro de viagem, em locais seguros e compartilhei informações relevantes com familiares e amigos próximos. Também pedi contatos dos meus alunos que moram na Alemanha, caso precise. rs. Ter esses contatos de emergência prontos e acessíveis me proporcionou tranquilidade, sabendo que eu estava preparado para lidar com qualquer eventualidade durante a minha estadia na Alemanha.

Deixar tudo organizado no Brasil

Antes de embarcar para a minha viagem à Alemanha, um dos aspectos essenciais foi deixar tudo organizado em casa para garantir que minha família, meu filho, meus cachorros e as questões financeiras estivessem devidamente cuidadas. Dediquei um tempo para conversar com minha família e dividir responsabilidades, assegurando que todos estivessem cientes das tarefas e rotinas diárias. Organizei uma lista detalhada de contas a pagar, planejei o pagamento antecipado de algumas despesas e organizei minha documentação financeira para facilitar o acesso e o gerenciamento enquanto estivesse fora. Além disso, criei um sistema para garantir que meu filho e meus animais de estimação estivessem bem cuidados e recebessem a atenção necessária durante minha ausência. Ao deixar tudo organizado em casa, pude viajar com a tranquilidade de que as coisas estavam sob controle e todos estariam bem durante minha estadia na Alemanha.

Pretendo sim fazer mais posts com o tempo mas espero que este já ajude um pouco a tirar algumas dúvidas. Se tiver alguma pergunta, deixe um comentário!

Thais Godinho

Thais Godinho

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

3 comentários em “Como organizei a minha viagem para a Alemanha”

  1. É muito legal acompanhar uma viagem dessas. Eu meio que tinha na minha cabeça que por causa da descoberta de uma doença eu não ia poder mais fazer intercâmbio – porque meu futuro supostamente estaria comprometido agora não só com a doença mas também em buscar uma estabilidade maior ao invés de novas aventuras-. Tava me remoendo com isso e hoje lembrei que tô amando acompanhar sua viagem. E que eu não preciso desistir porque não é porque não é agora nem no futuro muito próximo que vai ser nunca.
    Eu comecei a acompanhar o VO porque esqueci de fazer uma prova da segunda fase da olimpíada de matemática, quando eu tinha 13 anos. Depois disso eu comecei a tentar organizar meu caos eu descobri a existência de intercâmbios e esse era meu maior sonho desde então.
    Consegui ter um gostinho em 2020 quando passei um mês na China como parte de um seminário da faculdade. Fiz campanha pra levantar dinheiro, finalizei um semestre de arquitetura, fiz um trabalho pra apresentar e me mudei tudo na mesma época. Teve muita bagunça e sufoco, mas certamente não teria conseguido se não fosse o VO.
    Agora tô manejando dois diagnósticos novos e tentando finalizar a faculdade em outro estado. Só consigo manejar por causa do VO. E agora me lembrando de que eu não preciso desistir de um sonho ainda porque ainda tenho muitos anos de vida pela frente, por causa do VO.
    Sou muito grata por você compartilhar seus processos, de verdade. Também tá sendo incrível ver essa viagem “pelos olhos da Thaís”, por todas as mídias. Eu tinha perdido o interesse pela Alemanha depois de parar de estudar alemão – porque cancelaram o Ciência sem fronteiras na época- e agora tô com a curiosidade sendo atiçada de novo. Interessante como a vida é. hehehe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *