Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Muitos leitores têm me pedido para escrever e falar mais sobre o meu mestrado, mas o fato é que não tivemos muitas mudanças desde a última atualização. Sempre escrevo quando tenho novidades ou uma nova maneira de fazer as coisas. Neste segundo semestre do ano, me dediquei à pesquisa em si, para qualificar. E isso aconteceu na última sexta-feira.

Já escrevi um texto bastante importante aqui em que falo sobre como é a experiência de conciliar um mestrado com o gerenciamento de uma empresa. Não me dedico 100% à vida acadêmica. Logo, meu tempo é outro, e estou completamente ok com isso. Não me pressiono por coisas à toa, que não precisam ter essa pressão. Cada um tem suas características de vida e prioridades, além do seu próprio tempo.

Pretendo escrever um post, quando terminar o mestrado, falando sobre tudo o que eu faria diferente, pois teria feito VÁRIAS coisas de maneira diferente agora que já passei por elas e acredito que o post possa ajudar outras pessoas. Todo o cronograma até a qualificação é uma dessas coisas.

Para você entender o processo, a qualificação é o momento em que a banca analisa o seu trabalho e dá um feedback sobre a sua pesquisa, com orientações para a sua defesa. Se seu trabalho for qualificado, você pode prosseguir. Na minha faculdade, depois da qualificação eu tenho até 60 dias para depositar a dissertação final. No meu caso, será 13 de fevereiro. Então, depois da qualificação, eu conversei com o meu orientador para saber que observações são válidas para aplicar e quais não são. Isso é muito importante. Os professores falam MUITA coisa. Fiquei até meio zonza. Então o papel do orientador é essencial para te ajudar a ter foco.

Minha qualificação foi muito tranquila. Eu gostaria de ter qualificado em outubro, mas não foi possível. Tive algumas questões técnicas com o documento e optamos (meu orientador e eu) por não qualificar naquele momento, então ficou para dezembro. E tá tudo bem. Fiquei meio frustrada num primeiro momento. Deu até uma “ressaca acadêmica”. Mas isso foi bom porque me permitiu descansar um pouco, aliviar a pressão e gerar um certo distanciamento da pesquisa, o que me fez voltar com uma energia melhor.

Preparei uma apresentação simples para me guiar no dia da qualificação. Fiquei bastante ansiosa um dia antes e no dia em si, o que é bastante incomum para mim. É que o mestrado me tira DEMAIS da zona de conforto (o que acho muito bom). Mas foi divertido me observar nesses momentos.

Minha apresentação durou entre 10 e 15 minutos e serviu apenas para apresentar pessoalmente o que já estava descrito no relatório de qualificação que os professores receberam algumas semanas antes. Depois da minha fala, cada professor trouxe suas observações e recomendações. Eu gravei o áudio, mas fiz muitas anotações. Depois, eu saí da sala e eles discutiram se meu projeto estava aprovado, e estava. 🙂

O próximo passo agora é realizar algumas leituras focadas e finalizar a escrita da dissertação, o que farei em janeiro. Meu professor volta de férias dia 27/1, então entregarei o documento para ele, que revisará e provavelmente vai propor alguns ajustes. Farei e então entregarei as cópias na secretaria até o dia 13/2. Depois disso, meu professor orientador tem até 60 dias para marcar a defesa, e então finalizamos.

Estou tirando alguns dias de folga, especialmente mental, e não farei qualquer tipo de leitura técnica nesse momento. Acho isso essencial para conseguir voltar e focar na escrita, em janeiro.

Pretendo escrever outros posts sobre todo esse processo quando ele for finalizado, pois isso me dará uma visão mais abrangente para trazer dicas e experiências para vocês. Caso você queira que eu fale sobre algum aspecto específico, por favor, deixe um comentário. Obrigada!