Categoria(s) do post: Zettelkasten

ZETTELKASTEN é mais um daqueles termos que surgem e a gente fica se perguntando por que tem que ter tanta palavra em idioma estrangeiro fazendo aqui, falantes do português, ter que ficar se questionando o por que de usar termo gringo.

Mas o fato é que ZETTELKASTEN é um sistema de fichamentos para os “cracudos dos estudos”. Ou seja, não é pra todo mundo. É um sistema para quem ama estudar, fazer fichamentos, escrever, e não se importa de INVESTIR TEMPO nisso. Ou seja, se você considera “perda de tempo”, passa direto o post. 🙂

Trata-se de um sistema que te ensina a lidar com as suas IDEIAS. Notas que você cria a partir de uma produção intelectual. Ou seja, fez anotações sobre algum tema, de uma aula, a partir de uma leitura. Você aproveita suas anotações e vai registrando de modo que, quando precisar dessas anotações, é fácil de resgatar e agrupar. É sobre escrita e classificação dessa produção.

Eu aprendi sobre ZETTELKASTEN lendo o livro (não disponível em português) chamado “How to take smart
notes”. O criador do sistema, Niklas Luhman, atribui à sua criação o motivo para ter uma produtividade acadêmica que o permitir publicar 60 livros e mais de 400 artigos, ave Maria!

Pode fazer em papel (com fichas) e em ferramentas digitais, tipo Notion e Obsidian. O assunto é infinito.

Exemplo prático.

Você faz uma anotação. Essa anotação pode estar em uma ficha pautada ou em uma nota no Evernote, Notion ou Obsidian.

Imagina só que essa anotação se conecta a outra nota sua. A algo que você viu em uma aula, por exemplo. Você quer linkar essa nota nova a essa nota antiga.

Você tem que inserir o título da anotação e colocar a referência dela (ex: livro tal, página X).

Você deve escrever a ideia na nota. O objetivo é torná-la uma nota independente, ou seja: você escrever tudo sobre a ideia ali naquela nota, e não pedaços de uma ideia em várias notas. Se eu quiser criar um card sobre ZETTELCASTEN, por exemplo, vou descrever o que é ZETTELCASTEN em uma ideia única, e essa será a minha nota. Se eu quiser descrever o que é uma NOTA PERMANENTE, por exemplo, isso pode até ser relacionado ao ZETTELCASTEN, mas é uma ideia única diferente, que escreverei em outra nota, que possa relacionar à nota do ZETTELCASTEN. Entendeu?

A ideia não é copiar mas escrever com as suas próprias palavras. Quanto mais você se apropriar da ideia, melhor. Ou seja, você já vai criar uma produção intelectual em cima daquilo antes mesmo de “precisar” usar aquela ideia. Isso vai deixar produções prontas para quando você precisar efetivamente usá-las.

A ideia que você escreveu provavelmente está ligada a um tema. Por exemplo, ZETTELCASTEN está ligada ao tema “estudos”. Pode ter mais de um tema.

Se por acaso a nota que você criou é subsequente a uma ideia, você pode inserir essa referência nela. O mesmo vale para quando houver notas na sequência, depois dela, já criadas, e que você quer criar esse link. As notas também podem estar relacionadas sem necessariamente pertencerem a uma sequência. Apenas estão conectadas.

É um modo de vida, na verdade, mais do que um método. O que, para mim, é o_critério para saber se um método é bom ou não. Ainda pretendo escrever mais sobre isso porque, depois de tempos estudando, finalmente sinto que incorporei. Mas precisava deste primeiro post introdutório até para ficar como referência em textos futuros.

Você gostaria de saber alguma coisa sobre o método Zettelkasten?