Categoria(s) do post: Rotinas, Criatividade, Vida de Escritora

Ultimamente essa pergunta tem aparecido muito para mim, tanto nas lives quanto aqui no blog. Eu já criei alguns posts sobre esse assunto, mas acredito que valha a pena trazer uma versão mais atualizada, porque os processos mudam o tempo todo.

Vale dizer que a configuração que tenho hoje só existe porque eu vivo deste trabalho. Durante quase 10 anos, eu conciliava a minha criação de conteúdo com um emprego convencional, então tinha menos tempo para dedicar a isso.

A criação de conteúdo é o meu trabalho principal. Seja o conteúdo gratuito, seja o conteúdo pago, através dos cursos. Assim o considero porque em ambos os casos considero meu conteúdo de teor educacional, apenas ajustando a linguagem de acordo com as pessoas, o comprometimento e a didática requerida (no caso dos cursos).

O Vida Organizada tem quatro canais onde posto conteúdo diariamente: o blog, o YouTube, o Instagram e o Telegram. E outros canais onde posto com outra periodicidade: a newsletter, o Pinterest, o Twitter e o Facebook.

Para produzir diariamente, em primeiro lugar eu preciso ter um lugar para armazenar ideias de conteúdos. Ando com um bloco de notas para cima e para baixo o tempo todo comigo, onde anoto algo que alguém me sugira ou ideias. Depois, tenho um “banco de ideias” no Trello, onde passo essas anotações. No Trello, eu também tenho um quadro chamado “catalogação de conteúdo”, onde estou, aos poucos, catalogando tudo o que já produzi nos diversos canais do Vida Organizada.

Do meu ponto de vista, cada canal é como se fosse algo completamente diferente, porque não é todo mundo que me acompanha em todas as redes. Logo, o momento do Vida Organizada no YouTube é um momento diferente do blog. Lá eu ainda estou conquistando território, conhecendo muitas pessoas novas, que muitas vezes não sabem que eu tenho um blog. O público do blog é quem prefere ler a ver vídeos e, em geral, já me acompanha há mais tempo. E por aí vai.

Com esse entendimento, tenho uma linha editorial para cada um dos canais, que costuma ter uma definição anual. Por exemplo, para este ano, a minha linha editorial para o YouTube era “back to basics”, porque percebi que, se só postasse conteúdo mais avançado de organização, sobre discussões que já vinham sendo tratadas no blog há mais tempo, o pessoal não entendia. Então meu papel lá este ano foi o de consolidar a base do que ensino sobre organização com o Vida Organizada. E é tanta coisa que é provável que essa linha continue para 2021.

Todos os dias eu produzo conteúdo. É simples assim. Tem dias em que escrevo um post – tem dias em que escrevo três ou quatro. Tem dias em que eu faço uma live no YouTube – tem dias em que gravo 12 vídeos. Tem dias em que posto uma foto da minha rotina no Instagram – tem dias em que faço uma sessão de fotos para o banco de imagens. Depende. Mas todo dia eu produzo.

Algumas mudanças vêm sendo feitas para ajudar nesse processo.

Meu marido começou a trabalhar comigo fazendo a edição dos vídeos. Eu ainda edito alguns, mas a maioria é ele que faz. Isso já aliviou bastante a minha carga de trabalho, porque editar leva tempo. Este mês também começará a trabalhar comigo uma pessoa que vai me ajudar com a parte mais “acessória” da criação de conteúdo, que é, por exemplo: organizar os destaques no Instagram, criar capas para os vídeos, divulgar um post novo do blog nas diversas redes etc. Isso também vai me ajudar bastante a focar no que apenas eu posso fazer: a criação do conteúdo em si.

Quando eu trabalhava em outro emprego e conciliava com o blog, foi apenas em 2011 que passei a publicar um post diariamente. O blog foi criado em 2006, e não tinha uma rotina definida de posts. Foi só a partir dali que resolvi postar diariamente, para habituar as pessoas a acompanharem este conteúdo. Deu muito certo. Em 2017, foquei em fazer isso com o Instagram. Também funcionou bem. E, a partir de 2018, peguei mais forte com o YouTube, a princípio fazendo um vídeo por semana e, depois, pelo menos um vídeo por dia. Em dezembro 2019, iniciei meus áudios diários no Telegram. Então veja que foi uma construção, e que fui abrigando à medida que ia delegando outras funções para poder produzir esse conteúdo.

Algumas pessoas ficam espantadas com a quantidade de conteúdo que eu produzo, mas isso não me sobrecarrega de maneira alguma. Eu AMO fazer isso. E, com organização, fica muito mais tranquilo.

A organização do calendário editorial se faz na agenda do Google hoje. Tenho um calendário separado para isso, e estou considerando criar um para cada rede em algum momento.

Procuro trabalhar com temas mensais e semanais – não que o conteúdo gire inteiro em torno disso, mas me ajuda a delinear. Eu faço um brainstorm de temas para o assunto do mês, levanto ideias de conteúdos, vejo no meu banco de ideias o que tenho, e sempre tem mais tema do que dias para postar, então acaba sempre sobrando assunto para os meses seguintes.

Eu também faço uma distribuição de categorias e temas que eu falo para alternar nas redes, de modo que, se eu falar sobre trabalho hoje no blog, no Insta vou falar sobre casa, por exemplo. Isso ajuda a tornar o conteúdo mais dinâmico para quem acompanha.

Vale dizer que esse planejamento é super flexível. Ele funciona mais como um direcionamento. Porém, caso eu tenha uma ideia espontânea que queira aproveitar para escrever, eu gero esse conteúdo e faço substituições sem problemas. não é algo “engessado”. Não deixo de compartilhar algo que seja espontâneo porque eu já tenho esse planejamento. Eu também já deixei de postar quando percebi que estava gerando conteúdo demais e as pessoas não estavam “acompanhando” (geralmente nos eventos que faço algumas vezes ao ano rola uma imersão nas comunidades e o pessoal acaba não acompanhando muito os outros canais e esse conteúdo acaba “se perdendo”).

É claro que a redação dos posts, por exemplo, não se limita a sentar e escrever todo o conteúdo de uma só vez. Tem conteúdos que eu apenos gero um parágrafo, depois desenvolvo mais. Tem textos que escrevo inteiros. Tem textos que precisam de mais pesquisa, então eu deixo algumas partes para escrever mais posteriormente etc. Varia bastante, mas todos os dias eu cuido desse conteúdo. Muitas vezes, quando estou em outros lugares, tipo ponto de ônibus, faculdade, avião e outros, eu aproveito para desenvolver textos e ideias em um bloco de papel que levo sempre comigo, pois assim aproveito momentos de escrita inspirada no dia a dia para desenvolver esses diversos conteúdos.

Ter um planejamento me ajuda a focar, ter um direcionamento, mas não me limita de maneira alguma – pelo contrário, me ajuda a colocar ordem nas ideias, que são tantas (ainda bem).

Se você tiver alguma dúvida sobre esse tema, que não foi respondida neste post, deixe um comentário! Obrigada.