Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Já tinha feito um post sobre organização de esmaltes aqui.

Hoje eu gostaria de falar sobre o destralhe que fiz naquela “coleção”.

Há algum tempo eu venho fazendo cada vez menos as unhas. Meu ritual de cuidados se reduz a:

  • Hidratar unhas, cutículas, dedos, mãos etc. (diariamente)
  • Usar cerinha para unhas (a cada dois ou três dias)
  • Cortar somente os excessos das cutículas e somente se estiverem machucando (semanalmente)
  • Cortar as unhas (semanalmente)

Gosto das minhas unhas curtas (não dá para digitar direito ou tocar violão com as unhas compridas). Também prefiro pelo formato. Descobri que hidratar as unhas é mais eficiente que passar esmalte para o seu aspecto. As cutículas não ressecam, por exemplo.

Antes eu me sentia na obrigação de fazer as unhas toda semana. Hoje, faço quando tiver tempo e vontade. Foi um dos melhores desapegos de 2012.

Por isso, eu não preciso de muitos esmaltes. Sei que são baratos, lindos e morremos de vontade de comprar quando vamos a uma lojinha de cosméticos, mas eu estou me segurando há alguns meses. Para tanto, eu elegi os meus cinco clássicos:

São eles: preto, vermelho, renda, rosa pastel e nude. Só tenho esses esmaltes atualmente e eles me servem para todas as ocasiões. A ideia é usar cada vidrinho até acabar antes de comprar outro. O rosê já está quase acabando. O nude é o terceiro frasco que compro, pois uso muito (e esse eu comprei há uns quatro meses). O renda é do ano passado. O preto e o vermelho são os mais novos.

Antes que me perguntem nos comentários: não, este não é um publieditorial da Impala. Como comentei no outro post, cada um tem uma marca que fica melhor nas unhas. A minha mãe prefere Colorama. Outras pessoas preferem Risqué. Eu sempre me dei melhor com Impala então procuro comprar somente desta marca.

Quando um acaba, procuro comprar uma variação do mesmo tema. Em vez de renda, compro algum similar, por exemplo. Em vez de preto liso, compro um preto com brilhos discretos. Alterno vermelho aberto com vermelho fechado e assim por diante.

Minha gaveta com os esmaltes, antes de destralhar, estava assim:

Tinha esmalte até de cabeça pra baixo pra caber! Isso porque faz pouco tempo que tirei os vencidos ou estragados. Já tinham vários vencidos de novo. Por isso não dá para ter muitos – a gente acaba nem usando.

Gaveta depois:

A caixinha ficou até vazia, coitada. Não vou deixar os esmaltes ali não – vou tentar usar a caixinha para outra coisa. Por enquanto, deixe estar. Taí um bom exemplo de arrumação X organização. Antes a gaveta parecia mais bonita e arrumada, mesmo com mais esmaltes (tralha). Organização nem sempre está relacionada à beleza, estética, e sim à funcionalidade. Se eu tenho somente coisas que eu uso, fica mais fácil de organizar e eu otimizo o espaço que tenho.

Essa é uma das gavetas da minha penteadeira do quarto. Na verdade não é bem uma penteadeira, mas uma cômoda que eu uso como penteadeira. Ela ficava na entrada da sala e, com a mudança da disposição dos móveis, tive que tirar de lá para não ficar bagunçado. Foi a melhor coisa que eu fiz, porque agora posso ter meu canto com mulherzices bem organizadas.

Mas enfim, este post foi sobre minha coleção minimalista de esmaltes. E a sua, como é? Você usa todos os esmaltes que você tem?

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Gostaria de agradecer imensamente os comentários no post de ontem. Fiz um desabafo e, ao ler o que vocês escreveram, eu me senti recebendo um apoio enorme e inesperado. Tudo o que eu li me ajudou muito e eu me senti muito melhor e animada depois. E foi incrível saber que existem tantos campineiros lendo o blog. <3 Apareçam mais, viu? Preciso de dicas mesmo para me adaptar mais à cidade. Mais uma vez: obrigada, obrigada e obrigada!

Uma das principais decisões foi a de simplesmente viver! Eu tenho mania de ficar planejando tudo, sou metódica. Alguém disse nos comentários que mesmo com um imóvel próprio pode acontecer um imprevisto e você precisar vender e se mudar, e é verdade! Assim como posso ficar morando aqui de aluguel até comprarmos o nosso apartamento, daqui a alguns anos.

Queria dizer como fiquei mais leve por ter desabafado e ter tido toda essa resposta de vocês. Não tenho como agradecer.

Todo cidade tem suas particularidades, assim como as pessoas. O que eu preciso fazer é encontrar os meus pontos em comum com a cidade onde eu moro e encontrar minhas opções preferidas. =) Se vocês acharem uma boa ideia, vou compartilhando aqui no blog minhas descobertas.