Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Ontem o Paul teve sua consulta mensal ao pediatra e está tudo bem. Ele está pesando 11,060kg, quando o considerado normal na idade dele é 11,400kg. o médico disse que, apesar de ele estar abaixo, é normal por ele ter ficado doentinho nas últimas semanas, tomando antibiótico e outros remédios que diminuem o apetite. Como ele está comendo normalmente e está muito ativo, não é motivo para se preocupar. É claro que eu me preocupo mesmo assim e não vejo a hora de mudarmos logo para acompanhar mais de perto toda a rotina dele como antes. Acho que nunca me senti tão culpada como nos últimos meses e só quero agilizar as coisas o mais rápido possível. A mudança continua prevista para a primeira quinzena de dezembro.

Tirando a bronquiolite, ele está bem. Não vejo a hora de passar quatro dias inteirinhos ao lado dele. Parece que vai chover, então passeios externos serão meio reduzidos. Eu preciso descansar também. A ideia era encaixotar as coisas, mas estamos tão adiantados nesse sentido que nem vou precisar gastar meu feriado empenhada exclusivamente no assunto. Quero ficar com ele o tempo todo e deixar o resto para quando ele estiver dormindo, por exemplo.

Ele deu um pulo enorme com relação à fala, tentando imitar tudo o que a gente diz. A palavra nova é “para” –  quando o Ande faz alguma coisa que o irrita, como fazer cócegas. Isso foi hoje de manhã e eu achei lindo.

Ele também está aprendendo a fazer frases. A que ele mais fala é “didi paô” – que significa que a máquina de lavar parou. Ele chama a máquina de “didi” por causa do barulho que ela faz. Ele fica “didi, didi” e dançando como um pêndulo.

Ele está muito ativo, até dormindo – rola para lá e para cá o tempo inteiro. Não para quieto um minuto.

outra coisa que chama a atenção é a independêcia para comer. Ele só quer comer sozinho agora.

Com relação aos “assuntos do momento”:

Desfralde – Ele começou a avisar quando está fazendo xixi e cocô, o que eu acho ótimo. Nós vamos primeiro nos mudar, estabilizar e, ainda no verão, tentar ensiná-lo a usar o piniquinho. A ideia é aproveitar a época de calor.

Mudar para a caminha – Ele se mexe MUITO no berço ainda, batendo a cabeça em todos os lados. Acho que, mesmo com grade, ele cairia muitas vezes. Então, como vamos 1) mudar e 2) desfraldar, nada de caminha por enquanto. Pensamos em tentar a transição quando começar a chegar o frio, depois que ele completar dois anos de idade.

Birras – Eu estou sabendo lidar bem com isso (o Ande não, rsrs). Li o livro “Domando sua ferinha” (indicado pela Thais) e lá resume bem o que acontece e o que fazer. Minha tática tem sido a seguinte: se ele faz manha ou chora porque queria algo, eu tento distraí-lo. Costuma funcionar em 90% dos casos. Quando não funciona, o negócio é aguentar o choro e fazer o que tem que ser feito (dar banho, por exemplo). Eu sempre me abaixo na altura dele, olho nos olhos e digo: “filho, agora é hora de tomar banho, não adianta chorar”. E dou banho. Nunca nunca nunca cedo a alguma birra dele. Hoje mesmo de manhã eu estava tomando leite com Toddy e ele choramingou apontando. Eu disse: “você quer um pouquinho? não precisa chorar”. E dei um biquinho na colher para ele. Acho que vai muito da sensibilidade de perceber o que pode gerar um comportamento ou não.

Birras II – Ataques de raiva acontecem com frequência. Quando é assim, eu não dou atenção e deixo-o em um lugar onde ele pode “extravasar” sem se machucar. Ele joga brinquedos longe, bate no chão etc, mas sem atenção, broncas ou mimimi da nossa parte. Ele desconta a raiva, se acalma e volta ao normal, daí ficamos com ele normalmente. Tem dado certo.

Birras III – O mais importante de tudo é o auto-controle dos pais. Eu vejo o Ande ficando nervoso (não no sentido de bravo, mas de não saber o que fazer) e digo para ele: “mantenha o controle, você é o adulto”, e ele fica ok. Porque é muito difícil, quando a coisa toda acontece, lidar com tranquilidade. Domingo passado fomos ao restaurante japonês e o Paul queria pegar tuuudo na mesa, chorando quando não conseguia. O Ande queria ir embora, rsrs. Eu tinha levado um verdadeiro estoque de distrações que duravam alguns minutos e assim comemos (mais rápido que o normal, claro, mas eu tenho consciência que é uma fase e passa). A consciência de maternidade e paternidade é fundamental.

E, para mim, o fundamental desde que ele nasceu: jamais querer agitá-lo em horário de sono, seja à tarde ou à noite. Nunca saímos com ele à noite. Toda vez que ele fica mais manhoso é porque dormiu pouco à tarde, por exemplo. Então a gente respeita o ritmo dele primeiro de tudo.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Lazer

Quando eu pergunto às pessoas ao meu redor o que elas farão no feriado, a resposta é quase unânime: descansar. Por que será que estamos tão cansados? Sim, eu sei que descansar é importante (eu mesma farei isso), mas e os nossos sonhos ou atividades que estão pendentes há tanto tempo? Por que não aproveitamos esses quatro dias para colocar a vida em ordem?

Veja um mini-tutorial para isso:

Hoje, sexta

Dia de resolver pendências

Você deve estar trabalhando. Ligue seu motorzinho no 220 e resolva todas as pendências da semana. Reveja seus projetos, suas tarefas e liste o que precisa fazer quando voltar na quarta-feira. Pegue o período da manhã para finalizar tarefas rápidas e dedique o período da tarde para revisões e planejamentos. No final do dia, faça um balanço do que foi realizado.

Não faça hora extra. Vá para casa. Não saia para a farra – você precisa descansar e tem o feriado inteiro para isso. Jante algo bem gostoso (dê-se um luxo), veja um filme, enfim, faça algo fácil e relaxante que te agrade e vá dormir em um horário decente.

Talvez você queira ler:

Amanhã, sábado

Dia de se divertir

Acorde mais tarde que o normal. Se o seu relógio biológico estiver acertado, você acordará sem despertador por volta de 3h depois do horário em que acorda diariamente para ir trabalhar.

Não faça nada com pressa. Talvez você queira passear em algum lugar, almoçar fora. Seja o que for, volte cedo para casa. Quando voltar, veja o que precisa fazer em casa: lavar roupa? Lavar louça? Limpar a cozinha? Não precisa fazer nada hoje, mas faça uma listinha.

De noite, eu sei que você vai querer sair para se divertir. Vá. Divirta-se hoje, pois terá o resto do feriado para se recompôr.

Talvez você queira ler:

Domingo

Dia de cuidar da casa

Descanse o que puder, mas levante da cama quando achar que “já deu”. Não fique na moleza, perdendo tempo. Abra as janelas, deixe o vento entrar. Comece a riscar tarefinhas da sua lista de ontem.

Talvez você queira ler:

Segunda-feira

Dia de lembrar do trabalho

Certamente você tem algo relacionado ao trabalho que gostaria de dedicar um tempo mas nunca consegue. Pode ser um livro técnico, uma apostila, uma língua que precisa aperfeiçoar, uma apresentação que precisa rever. Aproveite esta segunda-feira para tomar providências com relação ao assunto.

Lembre-se que é o único dia parcialmente útil do feriado. Se precisar fazer compras ou ir ao caixa eletrônico, por exemplo, faça hoje.

Também é um ótimo dia para cuidar do seu sistema GTD, caso você faça uso dele ou queira começar.

Dica de leitura:

Terça-feira

Dia de planejar

Não faça nada muito pesado hoje. Aproveite para organizar o restante da semana, preparar sua roupa para amanhã, fazer listas de compras no supermercado e outras do tipo. Afinal, é feriado, então descanse.

Talvez você queira ler:

Um bom feriado para você!

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.