ou
Empreendedorismo

Aqui vai uma coletânea de erros que eu cometi ou vi colegas cometendo ao empreenderem em suas carreiras ou empresas. O objetivo é te ajudar a reconhecer se você está cometendo algum deles e mudar o curso o quanto antes!

Erro 1: Se distrair ficando ocupado

É muito comum, no dia a dia, a gente se perder em ocupações diversas – responder e-mails, assinar documentos, rever contratos, retornar ligações. Tome cuidado para não achar que isso é sinônimo do seu trabalho. Atividades assim fazem parte do dia a dia, mas se você ficar apenas nelas e não dedicar tempo àquilo que realmente importa e vai impactar o seu negócio, a tendência é você ir perdendo relevância (para o mercado e para você mesmo) sem nem perceber.

Erro 2: Cair no microgerenciamento

Detalhes sobre projetos, datas, arquivos organizados, pastinhas e tudo o mais que inventamos achando que isso vai nos dar uma sensação maior de controle – e até dá, mas não basta. Se você cair no microgerenciamento, não vai conseguir ter em vista a perspectiva das coisas, que é: por que estou fazendo isso? o que quero entregar? Controle é importante, mas não é tudo.

Erro 3: Abrigar tarefas que podem ser feitas por outras pessoas

Sei que nem todo mundo que empreende pode delegar tarefas ou contratar outras pessoas. Porém, essa deve ser uma das suas principais metas. Identifique tudo aquilo que só você pode fazer (pelo seu conhecimento ou talento) e busque maneiras de delegar todo o resto. Sempre pergunte-se se você é a pessoa mais apropriada para realizar determinada atividade. Muitas vezes não é, mas você ocupa seu tempo com ela e, com isso, deixa de fazer outras mais importantes. Que custo isso está tendo no seu negócio?

Erro 4: Remediar falta de treinamento com “ajudinha”

Eu adoro ajudar as pessoas e me sinto bem por estar disponível para determinadas orientações. Porém, ajudar uma mesma pessoa (ou várias) mais de uma vez sobre determinado assunto pode ser falta de treinamento, e sua ajuda nunca terá fim. Se isso acontecer, identifique de imediato e direcione adequadamente. Você pode promover um treinamento, gravar uma vídeo-aula ou terceirizar essa ação. Se forem pessoas que trabalham para você, pode ser útil criar regras, checklists e outros documentos de apoio.

Erro 5: Investir em coisas novas sem pavimentar o que já existe

A ânsia por lançamentos pode levar empreendedores a deixarem de lado bons produtos e serviços já existentes. Uma coisa não exclui a outra. Aperfeiçoe continuamente o que já existe, em paralelo com o lançamento de novos produtos ou versões. Você pode diminuir a quantidade de lançamentos? Sim, mas aumentará a quantidade de clientes retidos já satisfeitos, que podem comprar novamente de você.

Erro 6: Responder e-mails que podem ser automatizados

Respostas automáticas deveriam ser padrão para a maioria dos empreendedores! Muitas pessoas que te contatam precisam apenas de respostas que você já deu em outras ocasiões, ou que você tem em algum lugar do seu site. Desenhe respostas automáticas que você possa configurar em suas contas de e-mail ou tenha templates onde poderá facilmente copiar e colar a resposta, sem perder tempo digitando a mesma coisa pela enésima vez.

Erro 7: Trabalhar em casa

Home-office funciona se você tiver um local realmente separado de todo o resto da sua casa. Se você usar a mesa da sala ou um cantinho no quarto, pode funcionar apenas se for temporário. Agora, se você realmente estiver investindo em seu negócio, uma hora você vai ter que sair de casa ou separar em um cômodo diverso mesmo. Espaços de coworking são fantásticos para isso e oferecem uma alternativa com menor custo que uma sala própria comercial. Considere também visitas de clientes, se isso fizer parte do seu negócio.

Erro 8: Não revisar com frequência suas responsabilidades

O ideal é que a cada duas ou quatro semanas você revise as suas responsabilidades e passe um filtro em tudo aquilo que não deveria estar fazendo, para conseguir focar naquilo que só você pode fazer e terá um impacto significativo em todas as suas áreas de atuação.

Erro 9: Ser perfeccionista

Feito é melhor que o perfeito não feito. Analise suas entregas e, se você já deixou de entregar algo no prazo por buscar a perfeição, talvez seja hora ou de delegar ou de baixar as expectativas com relação ao seu produto. Entregue um arroz com feijão delicioso e vá refinando depois. Nem sempre um empreendedor sozinho tem estrutura para entregar caviar desde o começo.

Erro 10: Usar crises como desculpa

“Qualquer idiota pode enfrentar uma crise. O que é desgastante é a vida do dia-a-dia.” – Anton Chekhov. Apagar incêndios traz resultado e satisfação imediata, mas também serve como desculpa para deixar todo o resto de lado. Não use essa desculpa. Seja o rei (ou a rainha) do dia a dia.

Erro 11: Bloquear a agenda

Bloquear sua agenda inteira para se forçar a fazer algo traz um sentimento opressor e não deixa você livre para fazer escolhas espontâneas e abrigar imprevistos. Essas duas coisas acontecerão de qualquer maneira, com a diferença que você burlará sua agenda ou ficará sobrecarregada(o). Você pode se programar para realizar determinadas atividades, mas seja criterioso(a) – não planeje o dia inteiro. Deixe espaço para as atividades não planejadas.

Erro 12: Achar que você é o seu trabalho

Geralmente quem empreende o faz porque ama o que faz. Mas você não é o seu trabalho. Você tem outras coisas incríveis na vida que fazem com que você seja uma pessoa inteira, completa, e que fique bem para realizar todas as atividades que quiser – inclusive as do trabalho. Tire um pouco da pressão do sentimento de ser o salvador da pátria e abra espaço na vida para pequenas recompensas do dia a dia, como fazer uma caminhada ou simplesmente ficar sem fazer nada um pouco.

Se você quiser saber mais sobre como lidar com esses erros, estou desenvolvendo um curso com foco em organização para empreendedores, que iniciará em setembro, e que vai ensinar você a consertar todos os tópicos acima. As inscrições estão com valor promocional de pré-venda. Confira aqui.

Thais Godinho
12/07/2017
7
Linkagem de domingo {46}
Encontrando motivação para os estudos
Dicas para a sua segunda-feira

Um dos trabalhos que venho fazendo com mais significado nos últimos anos é o de estudar, pesquisar, conversar com as pessoas e testar técnicas que sejam relacionadas à otimização da rotina doméstica, especialmente para pessoas que trabalham fora e têm uma vida absurda de corrida, com muitas atividades, e geralmente sem contar com empregados em casa. Por isso, eu resolvi reunir todo esse conhecimento para lançar um workshop online (cuja primeira aula começa sábado agora) com foco em organização da rotina doméstica.

As aulas serão todas gravadas e você terá acesso durante 1 ano para assistir o curso quantas vezes quiser.

Veja o que você irá aprender:

• O que significa cuidar da casa
• Como cuidar da casa mesmo trabalhando fora?
• Hábitos indispensáveis para manter a casa nos eixos
• Organize um cronograma de limpeza para a sua casa
• Entenda as necessidades da sua família e da sua residência
• Aprenda a planejar um menu semanal e preparar as refeições sem estresse
• Saiba como fazer boas compras e aproveitar seu tempo no mercado, na farmácia e na feira
• Aprenda como lidar com suas roupas
• Crie uma rotina de lavanderia
• Como simplificar seus cuidados com a casa e ainda assim ter bons resultados
• Como inserir crianças, adolescentes e outras pessoas da família na organização
• Como criar rotinas diária, semanal, quinzenal, mensal e outras para manutenção da casa
• Rotina em família com filhos, casamento, amigos e parentes: como fazer
• Implementando um centro de comando na sua casa
• Tenha uma agenda para a sua casa

Esse curso está sendo preparado com muito carinho e o objetivo é que você aprenda de vez como organizar sua rotina doméstica, não importam os desafios, e que você consiga fazer isso em equipe, diminuindo o estresse e o cansaço.

A primeira aula entrará no ar sábado agora e, na página do curso, você pode conferir a programação das aulas. Não é necessário estar online no dia para assistir as aulas. Como comentei, elas são gravadas, e você pode assistir quando quiser.

Thais Godinho
10/07/2017
Veja mais sobre:
, Em casa, Manter, Organizar
18
4 motivos para ter um escritório em casa
Rapidinhas: Organize seu inventário
Até quando adiaremos a nossa vida?

Esta semana tenho duas viagens a trabalho e tinha uma lista de ações que precisava concluir antes de viajar. Quis fazer uma experiência, analisando essa lista. De todas as ações que eu precisava fazer, quantas delas poderiam ser feitas apenas por mim? Ou seja: se eu tivesse uma equipe de 10, 12 pessoas, e pudesse delegar, quais dessas eu não poderia delegar, pois somente eu sou a pessoa qualificada a fazê-las?

Esse exercício foi interessante porque, de 19 ações, 8 poderiam ser feitas por outras pessoas. No momento eu (ainda) não tenho uma equipe abaixo de mim para delegar ações como “gerar notas fiscais” ou “enviar proposta comercial”, mas esse exercício me fez ver as seguintes condições:

  • Quase 50% do meu trabalho poderia ser delegado. E, se fosse, eu teria 50% a mais de tempo para trabalhar naquilo que só eu posso fazer (meu talento).
  • Eu já sei quais ações podem ser delegadas, então isso vai facilitar muito quando eu for contratar alguém. Terei claro o escopo da pessoas e as competências que ela precisará ter.
  • Isso também me deu mais certeza de que devo contratar alguém. 🙂 Esse deve ser um bom foco então.
  • As ações que só eu posso fazer me dão um indicativo do que é realmente prioridade, pois resumem o meu trabalho. Eram ações como escrever, me capacitar, capacitar outras pessoas.

A dica de hoje é para você fazer a mesma análise com a sua lista de afazeres. Será que todas as tarefas da sua lista realmente precisariam ser feitas por você? Você é a pessoa mais apropriada? Talvez você não possa delegar no momento, mas essa análise te dará um forte indicativo de qual deve ser o seu foco para crescer.

Faça o teste e me conte. 😉

Thais Godinho
28/06/2017
Veja mais sobre:
4
Como organizar: Geladeira
Como ter um dia-a-dia minimalista
Sobre organização, respeito e bom-senso

Um dos temas mais abordados nos comentários dos posts aqui no blog é sobre a eterna questão: eu organizo a casa, mas meus familiares não. Como motivá-los? Então o post de hoje é para a gente bater um papinho sobre esse assunto.

Eu já tenho o blog há quase 11 anos e, durante esse tempo, aprendi muitas coisas conversando com as pessoas e estudando materiais relacionados a esse assunto. Minha opinião vai se pautar em um dos valores mais fortes do Vida Organizada, que é a questão da Autonomia. Eu acredito que, para uma pessoa se organizar, ela precisa ter autonomia. Não dá para obrigar ou tentar convencer ninguém.

Mas então como nós, que gostamos do assunto, podemos conviver com outras pessoas desse jeito? Acho que é aqui que reside a chave do problema.

Organização X Arrumação

Primeiro, vamos falar sobre a diferença entre organizar e arrumar. Organizar é encontrar soluções práticas para a casa. Arrumar é colocar no lugar. Se você arrumar uma casa que não esteja organizada, fatalmente as coisas não terão suas casinhas certas, não terão lugar certo, e mesmo guardadas, pode ficar aquela sensação de bagunça.

Muitas vezes, os membros da família não fazem bagunça ou deixam as coisas espalhadas porque querem, mas porque é mais fácil. Eles não sabem exatamente onde colocar tal coisa, ou arrumar determinado objeto é muito difícil (uma gaveta entupida de toalhas é completamente desanimadora).

Destralhe

Muitas vezes, o simples fato de destralhar já ajuda a aliviar a pressão, pois envolve a diminuição da quantidade de objetos. Comece destralhando os seus objetos pessoais: roupas, acessórios, cosméticos, livros, DVDs etc, e só depois passe para as áreas de uso comum da casa, sempre respeitando os objetos dos outros. Geralmente, esse movimento chama a atenção e, quando as pessoas passam a ver os benefícios, elas querem fazer parte. Se isso acontecer, ofereça apoio. Nunca, em hipótese alguma, saia doando ou jogando fora as coisas dos outros, mesmo que a outra pessoa seja uma acumuladora compulsiva. Não são as suas coisas.

Aceite

Pode acontecer de a pessoa não se manifestar e continuar lidando com a sua própria bagunça. Se ela não fizer isso com o ambiente de uso comum de todos, tudo bem. Deixe que ela tenha seu quarto como quiser, com a bagunça que ela quiser. Vejo especialmente pais e mães de adolescentes que ficam malucos com a bagunça no quarto dos filhos, chegando a entrar e querer limpar tudo. Precisa mesmo? Questione-se. Aqui envolve a autonomia de maneira geral. Afinal, esse adolescente um dia vai morar sozinho. Deixe ele se virar.

Por outro lado, deixe claro que essa regra serve apenas para o quarto dele ou dela. Nas áreas de convivência em comum, valem as regras dos adultos.

“Ah, mas o problema são os adultos”. Então voltamos no primeiro tópico deste post: a casa está organizada e possibilitando a arrumação? Porque, se não houver lugar certo para as coisas, ninguém vai se motivar a arrumar o que estiver fora do lugar. Então aqui pode entrar o seu papel de observar as pistas deixadas pela bagunça. É melhor e menos cansativo que você se responsabilize por essas soluções que perder tempo diariamente arrumando a bagunça dos outros e se estressando por conta disso. Uma coisa é certa: se a arrumação for mais fácil que a bagunça, ninguém vai bagunçar. E, se bagunçar, será exceção.

Pense na organização como uma benção que você pode dar aos moradores da sua casa – algo que você está ensinando a eles e a si mesma. A organização é algo que deve servir você e a sua família, não o contrário. Senão, vale mais a pena manter a bagunça e ter uma família feliz. Tá bem? o objetivo da organização é ajudar e simplificar o dia-a-dia, não torná-lo mais estressante. Se isso estiver acontecendo, veja se você está está fazendo tudo o que eu falei acima. Será que você não está:

– Focando na arrumação, em vez de prestar atenção na organização?

– Deixando de perceber as pistas que a bagunça dá?

– Comprando brigas desnecessárias?

– Se entregando à bagunça dos outros?

– Pirando na organização e esquecendo das outras pessoas?

Faça uma análise da sua situação de maneira geral e lembre-se que, no final das contas, relacionamentos são importantes, especialmente com as pessoas com quem vivemos dentro de casa.

Thais Godinho
26/06/2017
Veja mais sobre:
5
Lançamento: A arte de fazer acontecer, edição 2015
Planejando uma mudança sem perder a sanidade
Ferramentas de organização que estou usando atualmente

Você dorme mal? Seguem algumas dicas de produtividade e alta performance para dormir melhor.

  1. Exclua de vez da sua vida o botão de “snooze” do celular. Pare também com a mania de colocar o alarme para diversos horários diferentes, para ir acordando aos pouquinhos. Isso não torna seu sono melhor, pelo contrário. Estabeleça um horário para acordar e deixe seu sono rolar até a hora certa de levantar. Que seja um horário limite, mas pelo menos você dormiu de uma vez, em vez de ficar acordando de cinco em cinco minutos.
  2. Planejar o dia na noite anterior também pode ajudar a ter motivação. Quando você olha sua agenda para o dia seguinte, imagina o café-da-manhã saudável que vai tomar, os exercícios que vai fazer, enfim, as atividades que você estabeleceu como importantes para a vida que você tem, isso pode te dar motivação para dormir tranquilo e sabendo que precisa descansar para curtir o dia seguinte.
  3. Ter uma rotina de boa alimentação e de atividade física contribui com o bom sono. Procure profissionais adequados ao estilo de vida que você está construindo e monte um cardápio e um plano de treino adequados para a vida que você tem.
  4. Vá para a cama todos os dias no mesmo horário. Mesmo se estiver sem sono, esteja na cama. Leia um livro, beba um chá, pense na vida, mas esteja na cama no horário determinado. Se você quiser levar sua saúde a sério, faça isso mesmo aos finais de semana. A constância ajuda muito na qualidade do sono.

Talvez você não precise de medicamentos se você tiver uma rotina. 😉

Curso online: Organize a sua agenda

Thais Godinho
20/06/2017
Veja mais sobre:
22
5 coisas para deixar sua casa com clima de outono
Receitas do IFTTT para o Toodledo
Prazo de validade de maquiagens e cosméticos

Este post traz algumas dicas práticas para lidar com a procrastinação nessa segunda-feira e outras para você incorporar aos poucos na sua vida.

  1. Esclareça melhor as coisas que você precisa fazer. No geral, deixamos para depois o que parece chato ou difícil. Esclarecer melhor significa pensar nas suas coisas. Se você precisa “montar uma apresentação”, o que exatamente significa isso? Dê uma explicação de dois minutos para você mesmo(a) e veja como tudo se torna mais claro. Depois…
  2. Quebre uma mesma tarefa em pedacinhos menores – até ridículos. No caso da apresentação, faça uma lista com itens como: “criar o arquivo PPT”, “inserir títulos nos slides”, “baixar imagens”, “escrever slide 1” e por aí vai. Riscar coisas da lista aumenta nosso nível de empolgação no cérebro, mesmo que sejam itens pequenos. Quando você quebra uma tarefa menor em outras menores, fica mais fácil fazer uma coisa de cada vez.
  3. Tenha na sua agenda do dia somente aquilo que precisa ser feito hoje – o “do or die” (faça ou morra). Nada de encher a agenda de afazeres só porque é segunda-feira! Você pode ter uma lista assim, mas não coloque na agenda. Sua agenda deve ser um guia confiável do que precisa ser feito hoje, em absoluto. E aí foque nela. Não ouse olhar outras listas enquanto não finalizar os prazos do dia.
  4. Para ajudar a focar em alguma atividade, utilize a técnica Pomodoro. Basicamente, acerte seu timer para 25 minutos e trabalhe unicamente nessa tarefa, sem parar, até o fim do tempo.
  5. Trabalhe em um ambiente diferente. Muitas pessoas procrastinam porque se irritam com a rotina. Pode ajudar (se você puder) pegar seu computador e trabalhar em uma mesa, sala ou local diferente.
  6. Dê-se pequenos prêmios como forma de compensar a não procrastinação. Por exemplo: “só vou pegar meu café quando terminar o relatório”.
  7. Pare de reclamar. Isso serve para tudo na vida, não só para a procrastinação, mas especialmente nesse caso ajuda bastante a ver as coisas de uma outra forma.
  8. Muitas vezes, quem procrastina na verdade é perfeccionista. Se for o seu caso, tente baixar um pouco a guarda e as expectativas. Feito é melhor que o perfeito não feito. E pense assim: quanto antes você terminar, mais tempo terá para revisar e fazer ajustes. Então foque nisso.
  9. Se for interrompido(a), anote em um papel e lide com a interrupção apenas quando terminar o que estiver fazendo.
  10. No entanto, tudo o que for rápido de fazer (se levar menos de dois minutos), faça na hora. Mesmo que não tenha alta prioridade. É melhor tirar logo da frente do que escrever em uma lista para fazer depois.
  11. Sempre pergunte-se, ao longo do dia, qual é a próxima coisa mais importante que você deve fazer. Mesmo que você tenha muitas listas, muitos prazos, olhar para o montante pode te sobrecarregar. Assim, foque em uma coisa de cada vez. Muitas vezes, a coisa mais importante poderá ser “parar e dar uma volta para desestressar”. Você verá o poder dessa pergunta!
  12. Use boas ferramentas de organização para ter controle sobre as suas atividades. Eu recomendo uma boa agenda (ex: agenda do Google), um bom gerenciador de listas (ex: Todoist) e um bom gerenciador de informações (ex: Evernote). Essa dica vai funcionar melhor a médio e longo prazo, mas você precisa começar a partir de algum lugar.

Boa segunda-feira!

Thais Godinho
19/06/2017
Veja mais sobre:
, Procrastinação
11
Revista Casa Cláudia (ago/2012)
10 ferramentas baratas e essenciais para organização
Trabalhe um cômodo de cada vez