ou
Imagem: Leigh Christian

Imagem: Leigh Christian

Eu sei que não é fácil se desfazer do que tem. O que é tralha para os outros, pode não ser para a gente. Em alguns casos, precisamos até de ajuda profissional, pois podemos ser muito apegados ao que temos. Se for o seu caso, não tenha receio de procurar um profissional, de verdade. Esse auxílio só vai te fazer bem e abrir as portas para uma vida nova, tirando o foco das coisas materiais.

No geral, juntamos coisas por uma série de motivos: coleções, apego sentimental, medo de fazer falta, entre tantos outros. E, sinceramente, não sou radical a ponto de achar que não temos que ter nada de tralha em casa, pois sei que temos nossos “queridinhos”. A gente só deve se preocupar se esses objetos estiverem atrapalhando a vida da família – ocupando um espaço precioso que poderia ter outra utilidade ou, no pior dos casos (vide o programa da tv a cabo, “Acumuladores”), restringindo até o espaço de locomoção em casa. Se isso estiver acontecendo, você realmente precisa dar um jeito.

Eu sempre falo bastante sobre esse assunto aqui no blog porque é importante. Nós temos a tendência de juntar sempre muita tralha, seja qual for, e precisamos de lembretes constantes para ter a motivação necessária para organizar a casa. Por isso, este post traz algumas reflexões pontuais sobre a questão.

1. Imagine-se em uma kitnet

Kitnets são imóveis pequenos, geralmente com um só cômodo sala/quarto, com cerca de 30 metros quadrados. Muitas pessoas vivem em kitnets. Você poderia ser uma delas? Questione-se se responder que não. Se você tivesse que se mudar hoje, por extrema necessidade, para uma kitnet, o que levaria com você? O que descartaria? Pensar sobre isso pode te dar uma nova visão sobre tudo o que você guarda em casa.

2. Se tiver dúvida, se desfaça

Quando o objeto é extremamente necessário para você, você não tem dúvidas de que precisa mantê-lo. Se você precisa se questionar sobre a importância de tê-lo em casa ou não, muito provavelmente é porque não precisa dele. O mais interessante é que, quando você finalmente conseguir abrir mão de determinado objeto, vai se sentir muito mais leve.

“O ato físico de abrir mão de alguma coisa proporciona a liberação da frustração, da raiva, da culpa e de outras cargas emocionais.” – Donna Smalin

3. E se você estivesse de mudança?

Toda vez que eu penso em mudar para outro apartamento, fico com preguiça só de pensar em fazer a mudança. De certo modo, quem vive de aluguel acaba tendo menos coisas justamente porque essa coisa de mudar muitas vezes acaba nos forçando a fazer uma seleção do que ainda é útil ou não. Portanto, faça esse exercício. Se estivesse de mudança, o que deixaria para trás?

4. Agradeça pelo que você tem e ajude os outros

Analise todos os objetos que você tem e agradeça pela abundância. Justamente por esse sentimento de gratidão, ajude outras pessoas. Se você tem objetos duplicados, triplicados, ou mesmo objetos únicos que nunca usa, pense a respeito de doar para alguém que fará real uso daquilo. Pode ser que existam pessoas precisando do que você tem e não usa. Ao doar, além de abrir espaço para o novo, você acabará ajudando muita gente.

5. Pense no trabalho que dá

Quanto mais coisas você tem, mais coisas terá para limpar, cuidar, consertar. Já pensou nisso? Quanto mais compramos, mais trabalho temos. Será que vale a pena?

São cinco pontos de reflexão para você pensar hoje e analisar se vale a pena viver com tralha em casa. Para mim, a principal delas é a coisa de poder ajudar outras pessoas. Sempre que eu tenho um objeto parado em casa, fico me sentindo mal porque sei que muita gente pode estar precisando daquilo. E, quando eu sinto isso, sei que é hora de dizer adeus.

Thais Godinho
03/06/2013
Veja mais sobre:
33
Evolução do escritório (cuidado, bagunça!)
Iniciando os trabalhos com feng shui
Notícias de uma semana pré-férias

 

  1. Danielle 03/06/2013

    Se tiver dúvida, basta lembrar: “o que eu não uso, não me pertence”.

  2. Bia 03/06/2013

    Muito bom! Valeu!

  3. Amanda 03/06/2013

    Olá,
    Luto dia e noite p/não acumular coisas desnecessárias, até pq

  4. Amanda 03/06/2013

    lá,
    Luto dia e noite p/não acumular coisas desnecessárias, até pq meu pai é acumulador nato, crônico, etc. – rs
    Reconheço q compro coisas em excesso c/medo de faltar (produtos de limpeza e higiene “em promoção”, principalmente) mas como disse, tenho medo de “herdar” este desvio psiquiátrico (meu pai ficou ofendido em procurar ajuda mas reconheceu q conhece o seu excesso – ele é do tipo q não joga nada fora na esperança de um usar algum dia…)
    Só p/vc ter uma ideia, a garagem da casa dele não foi o suficiente p/guardar os seus carros (desmontados em cavaletes, esperando um reparo no dia de são nunca…) e por isto ele alugou o quintal de um vizinho p/encostar mais carros na mesma condição (fez telhado e tudo, ou seja, gastou em algo q não é dele)
    Bjos,

  5. Aldira Bona 03/06/2013

    Ontem foi meu níver e, acontece sempre comigo, dia 02/06 acordo pensando no que posso melhorar e no que posso deixar p trás que tá me incomodando. Começei pelo meu armário e separei p doar umas roupinhas e coisinhas que não uso a algum tempo. Achei que ia doar e depois correr atrás de ter algumas coisas de volta, mas não. Fiquei leve… E meu armário tb.
    Deixa o próximo fds chegar que corro p cozinha ver o que tá “sobrando” por lá… hehehehe…

  6. EMANUELLA 03/06/2013

    Oi Thais, estou no processo de “destralha” é complicado quando se tem criança, a gente quer guardar tudo o que eles rabiscam, etc, mas, estou firme… Bjão e obrigada pelos posts sempre…

  7. Petita 03/06/2013

    Cara Tais, olá!

    convém destacar que Quitinete é uma coisa e Quarto & Sala outra. A primeira não há divisão, porque é apenas 1 cômodo, um “quadrado” por assim colocar; e a segunda, possui, distintamente, quarto, sala, cozinha, banheiro, lavanderia e até mesmo… varanda! e que podem ter até 60 metros quadrados.

    beijo grande.

  8. Eve 03/06/2013

    Eu não acumulo nada, tenho pavor de tralha, sempre tive mas depois que trabalhei em uma sala onde era guardadas coisas velhas e quebradas esperando o dia do leilão (lixo), e morei de favor em uma casa onde 50% do espaço era ocupado por gente e o restante por tralha (lixo).
    Esses motivos que você colocou Tais, são os principais para eu não acumular nada, moro de aluguel em uma apto não muito grande e acho muito dificil faxinar e arrumar uma casa com vários objetos, imagina se eu ia ter paciência para limpar embaixo de uma cama com caixas de sapato? Nunca! Eu quero passar a vassoura ali, o rodo e pronto, sem essa de tira bagunça, limpa, volta bagunça pro lugar.
    O mesmo digo de guardar coisas em cima do guarda roupa, não guardo. Pra limpar é somente passar o pano e tirar o pó. Simples assim.

  9. Elis 03/06/2013

    Nossa Thais,

    este post foi escrito pra mim! Até ri ao ler o título, pois este é meu calcanhar de Aquiles.

    Apesar de nao ser uma acumuladora (aqui também tem um programa de TV que mostra a vida de algumas pessoas com este distúrbio), tenho muita dificuldade de me desfazer das minhas coisas.
    Minha casa nao é baguncada pelo fato de ser grande (tenho bastante espaco para arrumar/guardar as coisas), mas ainda assim, sempre penso que poderia me desfazer de alguns objetos que nao uso há séculos, por exemplo.
    Há alguns dias li o post “Viva com menos” no qual você diz que “Uma calça jeans (se você tem três) não é necessária, a não ser que você trabalhe em uma mina e calça jeans seja uniforme obrigatório”. Nossa, isto foi um tapa na cara e prometi na hora que doaria algumas calcas jeans que nao uso há muito tempo e estao apenas ocupando espaco no meu armário.
    Sábado passado fui ao IKEA comprar umas caixas organizadoras para arrumar alguns objetos soltos que ficavam na minha estante de livros do escritório, como agendas antigas, guias de viagens, mapas, etc…
    Está super bonitinho agora, mas já me perguntei várias vezes se preciso realmente manter estas coisas ou se nao seria melhor jogar fora.

    O que você faz com suas agendas antigas, Thais?

    • Thais Godinho respondeu Elis 03/06/2013

      Mantive até o ano passado, quando fotografei as páginas bonitinhas e depois as joguei fora.

  10. Fabi 03/06/2013

    Eu venho destralhando a minha casa já há meses. São duas crianças pequenas e a acumulação é grande. Do maior para o menor eu guardo, mas as coisas do caçula tenho doado assim q ele perde (roupas e sapatos) ou qdo os brinquedos já não são da idade e ele perde o interesse. Minha maior dificuldade em relação às demais coisas foi pq mudei de uma casa grande para uma cobertura e dps para um apto com metade do tamanho. Aí foi q percebi como acumulei coisas qdo morava na casa. Hj em dia, estou quase lá em relação ao destralhe. pois falta bem pouco. Esse fds já doei o berço e afins do caçula, pois ele pulou do berço, aí compramos uma mini cama. Kit berço, boneco porta fralda e todos os lençóis de berço – como tudo isso ocupa espaço, aff! Dei tudo para um bazar beneficente!
    Bjsss

  11. Pri 03/06/2013

    Muito bom! Vou refletir porque preciso me desfazer de vários itens (revistas, CDs, papéis, objetos eletronicos, etc.) preciso pensar sobre isso… Eu percebo que cada vez eu me preocupo mais porque tenho mais coisas, lembro quando eu morava com a minha mãe e as minhas coisas cabiam no meu quarto, como era fácil arrumar e cuidar! Agora com a minha casa acumulei algumas coisas e preciso me desfazer urgente…
    Você comentou do programa acumuladores, eu adoro assistir e sempre fico impressionada como as pessoas ficam apegadas a lixo, literalmente. Quando assisto fico pensando em como as pessoas deixam chegar naquele ponto.
    Bjs

  12. inesca 03/06/2013

    Este post vem tão a propósito para mim!
    No mês que vem vou me mudar para uma casa sem despensa e com menos um quartinho… Sei que não vou conseguir manter tudo, por isso vou ter mesmo de fazer uma selecção! Uff…

    Bom post! Obrigada 🙂

  13. engpanerai 03/06/2013

    SENSACIONAL ESTE ARTIGO! VOU CUMPRIR A RISCA!!

  14. Ana 03/06/2013

    Eu já fui bem mais apegada às coisas do que sou hoje. Uma mudança de país há 6 anos foi o pontapé inicial para a minha vida de desapego! 🙂 Hoje eu tô sempre fazendo limpa nos armários e tirando o que não usamos mais pra doação. O problema são as crianças, que são super apegadas aos brinquedos. Eu sempre faço a limpa no quarto delas sem elas por perto pra não dar estresse! E sempre vão dezenhas de tranqueirinhas que elas nunca vêem e nunca brincam mesmo. Aliás, um post bacana seria sobre como incentivar as crianças desde cedo a não serem acumuladores de tralha, hein? 😉

  15. Nayara 03/06/2013

    Thais, você está gorgeous na sua foto nova!

  16. Wanice Bon'ávígo 04/06/2013

    Thais, esse assunto é fascinante!
    Os colecionistas são pessoas que precisam colocar botox na alma, pois precisam tampar um enorme buraco…É muito sério…
    Convido a todos para lerem esse post do Armazém, eu o escrevi depois de ter acompanhado a série “Acumuladores” e ter presenciado essa triste realidade em muitas casas onde fui solicitada para aplicar Feng Shui. Bjs
    http://armazemdaenergia.blogspot.com.br/2011/07/acumuladores.html

  17. Ana 05/06/2013

    Thaís
    Nunca tive dificuldade de tirar a a tralha, mas em compensação sempre tive muita preguiça de começar. Este ano incentivada pelo seu blog estou fazendo um destralhamento radical. Enchi o meu quarto de empregado inteiro de doações e esta semana estou finalizando as entregas. O processo todo deve ter demorado uns dois meses. Foi longo, mas muito gratificante. Muito obrigada.

    • Thais Godinho respondeu Ana 06/06/2013

      Fico contente, Ana, e eu que te agradeço por compartilhar comigo.

  18. Pedro Américo 06/06/2013

    Olá Thais!
    Acho seu blog incrível! faz um tempo que estou para escrever, mas sempre rola uma preguicinha….rs…. ou, como geralmente o leio no trabalho, acabado só lendo e fico sem tempo de comentar…. mas então vms aos comentários de longa data:

    [ 1 ] sobre esse post, e varios q ja trataram sobre esse assunto: nossa! vem passar uma temporada na minha casa!.. rs… moramos minha familia td numa casa, e minha mae eh dessas senhorinha super acumuladoras…. ai me da uma agonia…. ela ja chegou no estagio a “perder cômodos” para a bagunça/tralha e espaço de transito dentro da casa e td mais……. e dae eh um caos neh… com tanta tralha, nao da pra limpar nd direito… eu ateh q mantenho a calma, “relevo” essa condição da minha mae, mas, por dentro fico tão agoniado…
    achei tão bonitinho um post passado, q um menino de 15 anos pedia dicas para ajudar a mae dele a arrumar a casa… mas enfim, meu quarto mantenho o mais clean e “destralhado” possivel…. o q me facilita o transito (q tah no item 2)… lendo seu blog eh um misto de sonho inatingível com (principalmente) ESPERANÇA. 🙂

    [ 2 ] sou deficiente fisico, cadeirante, e ai… (insira aqui td meu trabalho pra transitar dentro de casa sempre desviando de uma mesa/cadeira/qlqr móvel) mas nao vou falar sobre isso, pq no fim das contas, ateh q me adaptei bem…rs…. o q vou falar é:
    num post passado uma menina comentou como lidava com sua condição, facilitando sua vida com a ORGANIZAÇÃO. com tudo, horarios, agendas, alarmes e afins….
    tbm eu, consigo levar uma vida um tanto mais facil quando deixo td organizado, desde deixar os objetos/roupas ao alcance até organizar meus roteiros diarios… costumo dizer que minha vida é um grande esquema de logistica…..rs mas que funciona! quando a gente se organiza e pensa um pouco antes, td fica mais facil….

    [ 3 ] enfim, pego várias dicas com seu blog. mas, mais do que dicas, pego inspirações!

    abraço 🙂

    • Thais Godinho respondeu Pedro Américo 06/06/2013

      Que legal, Pedro. Olha, e super sei como é, viu? Morava com a minha avó, e ela é acumuladora também.

  19. […] Como se desfazer das coisas – Pequenas reflexões } […]

  20. Gleice 04/07/2013

    A parte do trabalho, é a que mais me ajuda a desapegar das tralhas.

  21. edvania 05/07/2013

    Sabe Thais fico pensando como é que posso gostar tanto de você apenas por ver seu posters e sua linda foto. Gostaria só de te dizer que você é uma fofa. Se eu passar um dia sem ver o que vc postou acho que infarto rsrsrsrs beijos com amor em Cristo Jesus

  22. Maria de Lourdes 20/07/2013

    Thais, necessito de ajuda, não consigo jogar fora o que tenho, a minha vontade é de jogar tudo fora, mais não vou ter o que vestir, por isto gostaria de alguém como voce para me ajudar, quero montar um guarda roupa novo, pois fui secretária executiva e hoje estou aposentada, mais quero estar bem vestida e não sei mais me arrumar.
    Socorro,
    Não publique este meu email por favor.

  23. Jéssica 14/10/2013

    Thaís amo seu blog, cada leitura que faço aqui , só me faz ver como o menos é mais e que pra ser feliz não precisamos de muito. Depois que conheci o blog aprendi a me desfazer de muitas coisas que estavam tralhando a casa e doei, e como você disse no texto quanto mais coisas temos em casa, mais trabalho temos, uma grande verdade, fora que ao perceber isso economizamos dinheiro, por que passamos a comprar somente o necessário, amo seu blog, parabéns pelo trabalho! Amo seu blog, leio todos os dias.

  24. Cristiane 30/04/2015

    Eu vou me mudar para outro estado. A mudança é muito cara, coisa de 10 mi, então meu marido está considerando levarmos só o que pudermos carregar na mala no avião. 23kg cada seria tudo o que eu poderia escolher. É muito dificil!!! É dolorido demais pensar em me desfazer da maioria das minhas coisas. Coleciono livros esgotados da minha área profissional e é impossível levá-los em 23kg e não levar minhas roupas… Não sei o que fazer

  25. Sonia 30/03/2017

    Muito bom, esta me dando forcas pra eliminar muitas coisas que tenho duplicadas.Voce foi otima , só tenho a agradecer