Categoria(s) do post: Diário da Thais, Anual

Bem, eu comentei alguns posts atrás que gosto de começar o meu planejamento anual na época do meu aniversário, em setembro. Isso me ajuda a fazer uma revisão maior, mais aprofundada, e depois eu vou refinando nas próximas semanas e meses.

Compartilhei o dia do planejamento em um vídeo no youTube que você também encontra aqui.

Aqui estão então as imagens feitas nesse vídeo:

Nessa primeira página, acima, eu coloco onde estou dentro do ciclo de 9 anos da numerologia (acabei de entrar em um ano 2 – clique aqui para saber o que isso significa), além de reflexões sobre essa “era” da vida em que estou. É um exercício de foco. O que quero fazer nesse ciclo? É legal porque é óbvio que farei mais coisas do que estão aí, mas pelo menos eu consigo focar naquilo que não quero deixar que aconteça nesses anos todos.

  • É a estruturação de um novo estilo de vida para mim, tanto com relação à saúde, quanto com relação a carreira, prosperidade, família, trabalho. Tudo se reflete na minha rotina. Esse é o “tom” da era;
  • Para a família, são três focos principais: Paul adolescente, marido trabalhando comigo e cuidados com a minha mãe;
  • Não tenho expectativas para grandes viagens. Pretendo “deixar acontecer”. A pandemia me deu uma baqueada na vontade de viajar que eu tinha antes. Estou mais a fim de ficar por aqui mesmo;
  • Com relação aos estudos, duas coisas: Ayurveda e o Doutorado;
  • Sobre imóveis, o desenrolar do inventário (ainda em andamento), obra na nossa casa e provavelmente investimento em novo imóvel;
  • Com relação a finanças, estruturar os investimentos para a velhice, futuro do Paul e da empresa;
  • Para o trabalho, consolidação do Método Vida Organizada em todas as suas frentes: curso, conteúdo, equipe etc.

Muitas pessoas me perguntam se esse planejamento pode mudar, e sim, faz parte da vida. À medida que eu vou vivendo, outros cenários vão se construindo e eu vou fazendo adaptações, pois sempre posso mudar a “rota”. Por isso é importante revisar todos os tipos de planejamentos em períodos regulares. Essas revisões espaçadas não me sobrecarregam e permitem que eu tenha esse espaçamento de tempo para viver e entender o que realmente quero.

Aí eu faço uma avaliação das minhas áreas da vida como um todo e pego aquele planejamento anterior e tento fazer um recorte para o ano. “Qualidade de vida” eu vejo como o foco da “era” da vida em que estou (analisando o planejamento anterior) e “relacionamentos” o foco deste ano, associado ao ano pessoal 2 que estou, de acordo com a numerologia.

  • Saúde: vacina COVID-19, aperfeiçoar minha prática de yoga;
  • Estudos: ingressar no Doutorado, publicar 2 artigos, participar de 2 seminários, continuar formação em Ayurveda;
  • Emocional: continuar psicoterapia, aperfeiçoar rotina de meditação;
  • Trabalho: equipe, escritório, nova rotina, melhoria de processos, livro sobre estudos, podcast;
  • Finanças: continuar desenrolando o inventário, iniciar papo do investimento em um imóvel, mudar investimento do nosso fundo de emergência;
  • Contribuição: veganismo, bem-viver, apoio a pequenos produtores, projetos sociais, clube do livro do GTD etc;
  • Família: continuar boa convivência com a família, foco no ano escolar pós pandemia do Paul e início da adolescência, relacionamento com meu marido trabalhando comigo, apoio à aposentadoria da minha mãe;
  • Espiritualidade: organizar melhor a minha rotina de dedicação ao centro no pós pandemia, consolidar minhas práticas, se possível participar de algum retiro e, talvez, fazer uma iniciação que seria este ano e foi adiada devido à pandemia;
  • Outras coisas que quero fazer: concluir leituras dos livros de CNV, concluir minhas certificações que estão em andamento, produzir muito mais conteúdo, regravar aulas, acampar com o Paul, entre outras coisas.

Eu fiz a minha revolução solar com uma pessoa que é astróloga e faz todo ano para mim, e ela me disse que será um ano muito bom de modo geral, especialmente para trabalho, estruturação dos meus cursos, criatividade, comunicação etc. Tenho um foco muito claro para o meu trabalho no momento e sei que isso vai se expandir para 2021.

Na vida pessoal, esse cuidado com a minha mãe em um período sensível da aposentadoria e apoio financeiro será fundamental e preciso concentrar minha atenção nisso.

O Paul está entrando na adolescência e sei que isso pode significar uma rebeldia a mais. Além disso, eu quero aprender a ensiná-lo a ser responsável e a dar andamento nas coisas que ele se interessa. Por exemplo, ele diz que quer ser astrofísico. Como eu posso ajudá-lo a continuar interessado por isso e se dedicar ao que ele gosta? Me vejo muito dedicada a isso no próximo ano.

Com meu marido, a preocupação é mantermos um relacionamento legal mesmo trabalhando juntos. O Budismo me ajuda muito (rs), mas de modo geral ainda temos umas DRs desnecessárias porque somos, como costumo resumir, “dois lobos alfas” em um único relacionamento, então temos a tendência a sermos um pouco competitivos no tocante ao “quem está certo”. rsrs Eu pretendo trabalhar melhor isso no próximo ano, mas sinto que já fiz muitos avanços, devido à minha prática espiritual.

Eu fiz um desenho dos quatro trimestres, contando a partir deste que estamos em outubro. A cada trimestre, eu reviso esse planejamento e reestruturo para os próximos. A ideia desse planejamento é poder dividir o planejamento do ano em marcos menores, para eu entender o volume que terei ao longo dos meses e poder me planejar melhor para vários projetos.

Do trimestre, vem o recorte para o mês, para a semana e para o dia.

Eu ensino esse modelo todo de planejamento, completo, no curso do Método Vida Organizada, no módulo de Planejamento de Vida, que nasceu como um workshop presencial e agora é 100% online. No vídeo postado ali no começo do post eu também explico como fiz essa revisão de modo geral.

Espero que este post tenha inspirado você a querer refletir sobre o planejamento do seu ano também. 🙂