Categoria(s) do post: Roupas

Resposta: não. Mas você pode ler o desenvolvimento da ideia no post abaixo. 😉

Vamos partir do princípio que todo mundo adora uma roupa limpa, cheirosa e passada. Ela remete a um visual elegante e bem cuidado.

Vamos partir de outro princípio também que é o de cada vez menos as pessoas têm tempo para tarefas domésticas de todos os tipos.

Olha só: eu entendo que existem profissões que demandem você estar todo arrumadinho. Advogados, por exemplo. Mas isso só acontece porque infelizmente vivemos em um mundo de aparências, e eu sinceramente acho que isso tende a mudar em algum momento. #desabafo

O trabalho mais invisível da história da humanidade é o trabalho das donas de casa para que os maridos possam ir trabalhar com a roupa passada e despreocupados com relação à casa e à criação dos filhos. Se não for a dona de casa, é a mulher que trabalha como diarista ou empregada doméstica. Queremos continuar perpetuando essa precarização do trabalho feminino?

Esses dias eu estava navegando pelo site de uma revista americana que gosto muito e me deparei com um artigo recente sobre como passar uma camisa. Fiquei me perguntando se ainda somos esse tipo de pessoa?

Por trás de toda camisa bem passada, existe alguém sobrecarregado, pois passar roupa é apenas uma das atividades que a pessoa deve fazer em casa. Por décadas foram as mulheres. Hoje em dia os rapazes estão passando mais as suas roupas, o que é excelente (aqui em casa, meu marido que passa).

Já eu ADORO sair com roupa sem passar de casa, especialmente pelo meu trabalho. Acho que você deixar de dedicar um tempo relevante da sua semana para essa atividade, de modo que possa focar em outras coisas, é libertador, e quero passar esse senso para as outras pessoas.

Eu realmente me pergunto quem se incomoda com a roupa alheia que está amassada?

Há anos eu prego a libertação feminina da pressão de fazer qualquer coisa em casa por obrigação. É importante fazermos o que faz sentido. Se você gosta de passar roupa, está tudo bem – continue passando. Se não gosta, mas ainda não consegue desapegar do visual, leve em uma lavanderia. É o que eu faço com algumas calças e camisas de alfaiataria, quando preciso.

Cada vez menos eu tenho comprado roupas de tecidos que demandem essa “passada”. Meu foco está na beleza e no conforto sim nas roupas, mas também na praticidade. Se a roupa for trabalhosa para cuidar, não sei se ela compensa para mim.

Eu amo alguns tecidos naturais que amassam muito, como linho e viscose. Por outro lado, acho que o visual amassado tem seu charme. Denota que existem outras coisas mais importantes pra gente cuidar. E eu estando com a consciência tranquila quanto a isso, não há por que outra pessoa se incomodar.

Eu proponho aqui um fim da pressão para passar roupas ou fazer qualquer outra atividade doméstica que talvez não tenha sentido para você! E, se fizer, obviamente você deve manter. Essa é a ideia.

O que você acha dessa reflexão?