Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Se você nunca ouviu falar em Bullet Journal e não sabe do que se trata, leia este post. Trata-se, resumidamente, de um método analógico de organização pessoal. Este post falará sobre como tenho aplicado o método, então ele não fará sentido caso você não saiba do que se trata.

Como caderno, estou usando um Moleskine pautado de capa dura. Achei que o fato de ser pautado não me atrapalharia, mas não gostei (prefiro o quadriculado). O problema não é a pauta em si, mas o espaçamento entre as linhas, que é maior que o espaço das versões pontilhada ou quadriculada. Desse modo, gasto mais folhas e o espaço é menos aproveitado. Estamos no final de janeiro e eu já estou quase na metade do caderno.

Muitos leitores do blog têm me pedido para falar sobre como estou conciliando o método Bullet Journal com o método GTD – post que farei nas próximas semanas, especificamente sobre este assunto.

Neste post de hoje quero mostrar alguns prints de como configurei o caderno para este ano e algumas páginas de janeiro.

A única diferença na KEY é o “T” para tarefas que passei para o Trello,
onde ficam organizadas as minhas listas do GTD
Estou usando o índice como o Ryder Carrol recomenda
Insiro apenas as coleções e nunca os logs diários ou semanais (se forem o caso)
O logo do futuro, eu mudei um pouco – usei 2 páginas para os próximos 3 meses
Para os meses seguintes (até dezembro de 2019), 1 folha por mês
O log diário traz capturas ao longo do dia, que podem ter coisas a fazer,
informações e entradas de diário

No vídeo que publiquei no canal na semana passada eu mostro página a página, as coleções que estou usando e explicações adicionais. Você pode clicar aqui para assistir o vídeo ou visualizar abaixo: