Categoria(s) do post: Lazer

Já vale começar a falar sobre o Natal?

De modo geral, nos anos anteriores, eu começava a trazer esse tema para o blog por volta de outubro, mas percebi que não era tão útil assim para a maioria das pessoas. Muitos aproveitam a Black Friday para comprar alguns presentes, enquanto outros preferem esperar entrar o mês de dezembro para fazer as compras, para se garantir com relação ao prazo das trocas.

Hoje em dia sou prática com relação a isso: procuro comprar presentes que provavelmente não serão trocados, então evito dar roupas e sapatos, por exemplo. Já há alguns anos tenho preferido me concentrar em livros, comida ou artigos de decoração. E eu adoro dar presentes. Gosto de encontrar o presente “perfeito”, que é aquele que vai agradar a pessoa porque é algo que ela quer ou gosta muito.

Para ajudar nisso, eu tenho uma checklist que vou alimentando ao longo do ano com ideias de presentes, pois assim eu não preciso chegar no final do ano e ficar tentando adivinhar o que vou dar de presente para cada um.

Outra coisa que me ajuda com os presentes é estabelecer um teto de gastos. Por exemplo: definir que vou gastar R$1.000 no total com presentes. E aí eu categorizo as pessoas que vou presentear, mais ou menos assim:

  • marido e filho: até 100 reais
  • família próxima (mãe, sogra): até 50 reais
  • parentes: até 30 reais
  • colegas: até 20 reais

Vale lembrar alguns pontos:

  • as coisas estão caras para caramba
  • Natal é lembrancinha

Isso me deixa um pouco mais tranquila.

Aí, dentro desses preços, acabo fazendo escolhas que acredito que agradem. Livros, comida e artigos de decoração costumam agradar de modo geral. Quando não sei o que a pessoa pode gostar, eu dou comida. Um chocotone diferente, uma bandeja de bombom, um vinho. Quando conheço o gosto da pessoa, posso arriscar um livro ou um quadrinho para ela colocar na casa, por exemplo.

Eu gosto bastante de incentivar o comércio local e os pequenos produtores, então artesanato e comidas feitas por pessoas de verdade sempre têm prioridade.

Vale lembrar também que, além de presentes físicos, você pode presentear a pessoa com experiências. um ingresso para um show, uma viagem, uma massagem, enfim, reflita sobre o que pode agradar mais a pessoa que será presenteada. Presentear alguém é sempre sobre o outro, e não sobre nós mesmos.

Vale a pena ter também um setup básico para empacotar presentes em casa. Tesoura, durex, etiquetas, fitinhas, sacolas e papéis de presente podem ficar organizados em um único lugar, o que facilita bastante nessa época. À medida que vou comprando eu já vou empacotando e deixando embaixo da árvore. O filhote fica super feliz quando uma caixinha nova é colocada lá e, aos poucos, nossa árore fica cheia de presentinhos.

Este ano será o primeiro Natal que passarei sem a minha avó e ainda não decidimos se faremos algo em casa ou se vamos para a casa da família do meu marido. Mas, para não ficar muito triste pensando nesse assunto, me ajuda focar nos presentes, que é algo que eu adoro fazer! E você, já está pensando no Natal? Quais são as suas estratégias para a compra de presentes?