Categoria(s) do post: Dicas de produtividade, Planejamentos, Vida de Escritora

Já comentei sobre isso em um post mas percebi que não tinha feito um texto especificamente sobre isso, então lá vai. A ideia também entrou no meu novo livro, em um capítulo sobre rotinas, e tem me ajudado tanto há tanto tempo que quis explorar o assunto um pouco mais.

Chamo esta de “a técnica do artista” porque, lendo um livro sobre a rotina de diversos artistas, eu percebi que existiam alguns padrões na rotina de muitos deles e quis trazer para o “meu mundo”, com adaptações.

Basicamente, trata-se de ver cada período do dia com um determinado foco, ser fiel a isso e testar para ver se funciona dentro da sua realidade.

São três blocos:

  • cuidar da sua arte
  • cuidar das correspondências
  • estudar, se aperfeiçoar

Cada pessoa vai descobrir qual o seu melhor horário para cuidar da própria “arte”. O que eu chamo de “arte”? O seu ofício. No meu caso, é escrever, gravar vídeos, produzir materiais para aulas, revisar, traduzir, mas também cuidar das “tarefas do dia”. E eu percebi que faço tudo isso melhor pela manhã, ou quando acordo (são coisas diferentes rsrsrs tem épocas em que durmo e acordo mais tarde). No seu caso, pode ser que seus melhores horários de concentração e fluxo sejam de tarde, de noite ou de madrugada. Depende de cada pessoa. Para mim, quando acordo funciona bem porque estou com a cabeça descansada.

Durante a tarde, cuido das “correspondências”. E o que seriam “correspondências” nos dias de hoje? Caixas de entrada, tanto físicas quanto digitais. Do correio ao What’s App. Isso não quer dizer que eu não olhe essas caixas pela manhã. Olho, até para garantir que não tenha nada urgente esperando por mim. Mas é uma escaneada rápida, em vez de realmente “sentar para resolver”, se é que me entendem. Só faço isso mesmo à tarde. Minha missão é zerar as caixas de entrada à tarde, mas fico SUPER OK caso não consiga, porque tenho o dia seguinte para continuar e há dias em que recebemos mais ou menos “correspondências”.

De noite, cuido da mente, no sentido de aperfeiçoá-la. Estudo, leio textos, vejo aulas que me agreguem, vídeos. Isso me ajuda a dar uma desligada do “modo tarefa” e dedicar tempo com tranquilidade para reflexões mais profundas e que me ajudam a ter ideias para o meu trabalho nas manhãs seguintes.

Não consigo expressar como me sinto satisfeita com a minha própria produtividade quando sou fiel a essa rotina. Funciona muito bem para mim, por isso deixo aqui a sugestão.

A parte de e-mails, ou “correspondências”, é a que mais faz diferença. Quando eu abro meu e-mail de manhã, só para checar, e penso com tranquilidade que não preciso lidar com aquilo naquele momento, que à tarde vou ver com calma, me ajuda muito. Porque, sério, não sei vocês, mas quando eu mergulho nos e-mails logo cedo, minha cabeça fica cansada muito rapidamente, e muitas vezes acabo não conseguindo fazer atividades que eu realmente precisava fazer naquele dia, do meu ofício.

Quando estou de noite em casa e tenho novas ideias para o meu trabalho, apenas faço anotações no meu caderninho e sei que vou lidar com aquilo amanhã, quando processar minhas caixas de entrada. E aí aquela atividade vai entrar no meu fluxo de trabalho nas manhãs seguintes.

Vale dizer que eu alio essa técnica à técnica de alocar contextos para cada dia da semana. Na prática, funciona lindamente. Só testando e fazendo ajustes para saber.

Não estou dizendo que é uma técnica que funciona para todos, mas para mim tem funcionado, e por isso quis trazer a ideia para vocês. Você acha que pode funcionar com a sua rotina de trabalho? Por favor, deixe um comentário. Obrigada.