Categoria(s) do post: Mudanças, Áreas da Vida

Obrigada pelos votos de boa mudança no outro post!

Fazer a mudança em uma semana foi complicado. Demoramos quase uma semana a mais para acertar tudo, e ainda estamos organizando o apartamento. O que acontece é que mudamos para um apartamento de apenas dois quartos, que era um desafio pessoal, e assim tem realmente sido.

Apesar de ter um quarto a menos, o apartamento tem a metragem muito maior (o anterior tinha 67m e o atual tem 80m). Ele também tem piso laminado, imitando madeira, e tem o mesmo ar de casa, já que os cômodos são grandes. Ainda não carreguei as fotos no computador, pois não parei em casa, praticamente. Tive um compromisso em São Paulo no fim de semana posterior à mudança e terei somente um tempinho nos próximos dias, quando vou tentar reduzir ainda mais a quantidade de coisas que temos. Pode parecer que não, mas ainda temos bastante coisa, e mudar para um apartamento com menos opções de armazenamento deixou isso explícito.

Nós temos feito uma série de adaptações porque nosso apartamento atual é mais antigo, com todas as coisas boas e ruins que vêm com apartamentos assim. Tivemos que converter o fogão, por exemplo, porque aqui não tem gás encanado – e aí precisa do espaço para o bujão de gás também. A área de serviço não foi projetada para ter máquina de lavar, então fica um pouco estranha a disposição, e eu vou ter um varal à moda antiga!

Para mim, os grandes pontos fortes do apartamento são os seguintes:

1 – A sala é menor que a anterior, o que eu acho mais aconchegante. Não gosto de sala muito grande.

2 – O banheiro é grande e coube até uma estante e o cesto de roupas, que maravilha. E inédito: dá para todo mundo circular dentro dele ao mesmo tempo. No nosso banheiro anterior, eu quase não conseguia fechar a porta de tão estreito.

3 – A cozinha quadrada, em vez das modernas cozinhas de corredor, onde até a nossa mesa de jantar grande coube sem apertar muito.

4 – O piso que não é branco. Que revolução, gente.

5 – A simplicidade dos vizinhos. Morávamos em um apartamento cujo condomínio tinha um pessoal mais classe média-alta e algumas pessoas simplesmente não cumprimentavam, aquele horror. Aqui, já recebi as boas-vindas da senhorinha ao lado, já nos ofereceram kit de ferramentas caso a gente precise, outra história. Existe um senso muito maior de comunidade, ainda que cada um na sua.

Tem um outro ponto também, que é ele ser mais perto do meu trabalho. Não tanto, mas mais perto que o outro, e isso tem feito diferença na hora de voltar do trabalho, pois pego menos trânsito.

Tudo vem correndo bem, mas não consegui tirar fotos e não sei onde está a maioria das coisas por aqui. Muita coisa ainda está em caixas que estão embaixo de outras e não pretendo mexer no final de um cansativo dia de trabalho, por exemplo, pois tenho outras atividades também (que não param).

O principal ponto relacionado à organização é realmente a questão do apego a tralhas. Eu um apartamento pequeno, não há como manter coisas como revistas de coleção, por exemplo. Mas eu chego lá.