Blog Página 101

Linkagem de domingo {28}

6

Toda semana eu separo links que considero interessantes para os leitores do blog. Os desta semana são os seguintes:

Bom domingo para vocês. =)

Dica do leitor: caderno GTD

49

Depois do post enviado pela Vivian, entrei em contato com ela para dizer o quanto os leitores gostaram do post e pedindo mais informações sobre o seu caderno. Ela enviou o texto abaixo, que compartilho integralmente com vocês. =)

Fiquei muito feliz em receber a resposta da Thais, ver meus textos publicados e ainda tantas manifestações a respeito…

Ri durante vários minutos feito uma boba, eu realmente não esperava!

E para ser bem sincera, tive um período de desistência da organização, já que aconteceram muitas coisas nesse meio tempo… Mas já recuperei o ânimo! E todas elas me ensinaram como a organização é importante na nossa vida. Com ela organizamos não só objetos e uma vida, mas também pensamentos e sentimentos.

E justamente quando eu me recupero e decido retomar tudo, recebo uma resposta e todos esses comentários… Trouxeram mais ânimo e coragem. Agradeço do fundo do meu coração cada palavra! —- Sou uma pisciana, tá gente? Emociono-me a toa, rs.

Então decidi escrever como usar esses métodos simples também no que sentimentos. E claro, como vocês pediram, como funciona meu caderninho =D

Meu caderno GTD

Vou explicar melhor como eu utilizo meu caderno e aplico o GTD. Primeiro, como vi nos comentários, gostaria de dizer que primeiramente pensei num fichário. Mas resolvi fazer um caderno mesmo. Pois embora eu adore mudar as coisas de lugar (e as ideias) eu precisava de algo mais fixo, que me impedisse de ficar arrancando folhas ou mudando elas de lugar a torto e direito. Porque, senão, fica mais fácil desistir. A ansiedade toma conta. E a ideia é aplicar métodos e embora métodos sejam adaptáveis eles também precisam ser um tanto fixos.

Então, se você sofre de ansiedade como eu, recomendo que evite um fichário. O fichário da liberdade demais em mudar as coisas, enquanto a ideia é ser mais sistemático…

Todas essas divisórias do meu caderno são removíveis, então posso mudá-las de lugar e remover as que eu não uso. As etiquetas coloridas foram impressas pelo computador e devidamente coladas. Também posso removê-las se bater a vontade. Ou seja, ao mesmo tempo em que é fixo também é totalmente adaptável… A mola facilita caso eu queira remover as anotações mais antigas ou desnecessárias.

Bom, meu caderno tem 6 divisórias principais: Inbox, Próxima Ação, Delegadas, Projetos, Algum Dia e Arquivo. Dentro dessas divisórias há outras divisórias que separam tudo pelos temas (ou contextos) mais importantes.

Na Inbox é onde acontece a limpeza inicial… Escrever tudo que vem a cabeça e cada coisa em uma linha. Depois vir com a caneta colorida e marcar na frente ao que aquilo se refere, indicar prioridades, etc. Geralmente, eu acabo classificando as informações diretamente pelas divisórias. Mas a Inbox é extremamente útil. Nem sempre você quer classificar alguma coisa na hora, nem sabe se aquilo que está pensando é útil e necessário. Bateu a perturbação mental, escreva todos os pensamentos, mesmo os mais bobos!

Você pode colocar pontos de exclamação em caneta vermelha para indicar que algo é importante… Cifrões verdes em algo para indicar que aquilo depende de dinheiro, algo em azul para dizer que aquilo não é tão necessário. Faça um esquema de símbolos e cores que te ajude classificar as informações e a encontrá-las mais rapidamente.

Dentro de “Próxima Ação” há os conceitos @computador, @quarto, @espiritualidade, @saúde, @compras. Ou seja, coisas com maior frequência e peso e que precisam ser devidamente separadas. Nela também colei as rotinas, pois preciso tê-las a mão. Não sei vocês, mas não sou do tipo que vai até um mural ou geladeira para conferir as coisas… Posso deixar recados no quarto, na mesa de trabalho ou no mural, mas eu esqueço! Então a ideia é deixar tudo no caderno, sempre! Isso facilita, você pensa “vou conferir o caderno”. Não pensa “vou conferir o tablet, celular, mural de recados, geladeira…”. Por mais sincronizado que os eletrônicos possam ser, confunde a cabeça, por isso a ideia de “apenas uma caixa de entrada”. Você já precisa conferir ligações, contatos, caixa de email, informações com as pessoas. Minimize o seu trabalho.

Também escrevo as listas de tarefas do dia nessa seção… As coisas mais importantes a serem feitas naquele dia. Escrevo a data e então a lista, ou seja, em geral coisas que precisam ser feitas com limite de tempo. Mantenho também uma agenda com calendário em separado, para datas mais distantes, conferir prazos, etc.

No @computador, eu escrevo uma ideia de pesquisar sobre algo; salvar, publicar, escrever alguma coisa… Na @saúde, as consultas e possíveis remédios. Nas @compras, as coisas essenciais que precisam ser compradas E assim vai indo. Como não cuido da casa inteira, foco no @quarto, onde anoto coisas a serem organizadas, modificadas, limpas, etc. Você que cuida de uma casa pode usar as #tags dentro do contexto @casa: #cozinha, #quarto, #banheiro. A ideia das tags é delimitar melhor ao que aquilo se refere aquela tarefa ou ideia, mas explicarei melhor a seguir.

Na sessão de Delegadas, ficam as coisas que pretendo conversar, pedir ou que espero que alguém faça. Cada pessoa é um contexto com sua lista de tarefas: @mãe, @chefe, @colega.

Na sessão “Projetos” ficam as tarefas mais elaboradas como viagens, ideias, objetivos (coisas para estudar ou fazer da vida, mesmo que em longo prazo). No meu caso, aqui ainda tem uma subsessão, chamada Artesanato. Como é o meu trabalho, abri uma sessão física e com contextos, para ajudar na organização das ideias, produção e tarefas: como @compras, com a lista de materiais que preciso comprar e @produtos, onde escrevo ideias para produzir e coisas que pretendo fazer. Aqui entra melhor o uso das #tags, como: #natal, #halloween, etc.

Agora, minha seção preferida: “Algum Dia”. Aqui entra tudo que fica na cabeça e não serve pra nada no momento atual! Um livro a ser comprado, filme a ser assistido, coisa a ser comprada (né Android?), objetivos a serem alcançados… Escreva tudo que você quer fazer e não pode agora, livre-se da expectativa e da cobrança, arrume espaço na sua mente.
E finalmente, o Arquivo! Aonde vão informações que eu preciso consultar vez ou outra… Um código, um nome ou contato… Protocolo de atendimento, número da farmácia ou pizzaria, número do médico… Coisas que você precisa ter a mão sempre, mas que não usa com frequência o suficiente.

Dentro dessas seções, coloco outros contextos e tags para classificar a ação. Por exemplo: Em Próximas Ações, buscar um Raio-X no dia tal. Essa é uma tarefa referente à @saúde e diz respeito a um #exame. Pode parecer desnecessário, mas isso ajuda a tomar conhecimento do que está sendo feito, a objetivar ações e até potencializar a capacidade de organização: Você passa a olhar um objeto com mais clareza. Sabe o que ele é, para onde tem que ir, se precisa ficar ao alcance de mão ou não.

Basicamente é isso! Espero que tenha ficado claro como é a sistemática do meu caderno. Qualquer dúvida é só perguntarem (=

Comentários da Thais

Oi gente. Queria apenas fazer alguns comentários sobre o sistema da Vivian com relação ao GTD.

1) Só para atentar com a coisa de contextos X áreas de atuação. Saúde, por exemplo, não é contexto. Contexto é onde você estará e precisará executar aquela ação: telefone, trabalho, casa, computador etc. As áreas de atuação (família, saúde, emprego, espiritualidade)

2) A outra observação é com relação aos projetos. Os projetos devem ser colocados dentro de cada área e nada mais são do que tarefas com sub-tarefas. Só para tomar o cuidado de não confundir projetos com áreas de atuação. =)

Estou montando um post sobre o uso do GTD com e sem tecnologia, e espero que ele possa tirar as dúvidas de todo mundo a respeito.

O que fazer com celulares antigos

36

A primeira providência: evitá-los ao máximo! Troque de celular somente quando realmente precisar – leia-se: um quebrou ou foi roubado. E, quando isso acontecer, pergunte-se se realmente precisa de um! Hoje, se eu não tivesse meu filho, pensaria seriamente em ficar sem celular. Os celulares deram ao mundo o péssimo hábito de disponibilidade imediata, o que é absurdo e serve somente para aumentar o estresse no dia-a-dia. Então, trocar de celular sem motivo, apenas por status ou para satisfazer o desejo de compra, chega a ser impensável em diversos termos: desperdício de dinheiro, desperdício de recursos naturais, foco em valores errados, falta de necessidade, entre outros. Se, por um acaso, você precisa se desfazer do seu celular, veja como você pode fazer isso:

  1. Ligue para o SAC da marca – Muitas empresas possuem postos de coleta nas próprias lojas, onde você pode entregar seu celular antigo e ainda arrecadar pontos ou créditos para a sua conta. Mesmo sem nenhuma dessas vantagens, a principal é saber que está contribuindo para um mundo mais sustentável, pois certamente o celular será reciclado.
  2. Doe – Se o celular for antiguinho, mas ainda funcionar, você pode fazer uma doação para instituições de caridade, que certamente farão bom uso do aparelho.
  3. Recicle – Você pode procurar no Google empresas que reaproveitem aparelhos eletrônicos. Ou pode ligar para a prefeitura da sua cidade e perguntar se existem ONGs locais ou postos de reciclagem específicos para aparelhos celulares.
Lembrando que, sempre que for se desfazer de um celular, você deve apagar seus dados, contatos, imagens, músicas etc.

Pergunta indiscreta: de quantos celulares você já se desfez na vida?

7 ideias para o seu décimo terceiro

18

Em novembro, cai a primeira parcela do décimo terceiro salário. Você já sabe o que fazer com esse dinheiro? Veja algumas dicas:

1. Quite dívidas

Nada de gastar com supérfluos se você tem dívidas a pagar. Aproveite o dinheiro extra para se livrar delas e passe a se organizar melhor para não ter que contrair novas.

2. Guarde na poupança

Guarde ao menos 10% do seu décimo terceiro na poupança. Se você não tiver mais previsão de gastos, guarde o máximo que puder.

3. Curta seus dias de folga

Viver a vida também é importante, não? Se tirar alguns dias de folga no final do ano, aproveite para usar parte do décimo terceiro para não precisar fazer dívidas ou mexer na poupança. Você pode usar cerca de 30% do valor para esta finalidade sem comprometer todo o orçamento.

4. Poupe para imprevistos

Da mesma forma que você deve guardar um pouquinho na poupança, deve reservar uma quantia para imprevistos. Separe 10% do décimo terceiro para guardar até o final do mês, para imprevistos. Caso não utilize o valor, deposite na poupança.

5. Dê um presente a si mesmo(a)

Se você é muito, muito consumista, ou se está namorando alguma coisa há um bom tempo e acha que merece esse mimo, utilize no máximo 15% do décimo terceiro para satisfazer essa vontade. Não gaste o salário inteiro!

6. Compre os presentes de Natal à vista

Você pode reservar 20% do seu décimo terceiro para comprar os presentes de Natal à vista. Nada de dívidas no cartão, por favor. Esse valor deve ser seu limite para todos os presentes, inclusive. Se você ganhou R$1000, por exemplo, não gaste mais de R$200 com os presentes no total. Lembre-se que os presentes de Natal devem ser, na verdade, pequenas lembranças. Priorize as pessoas mais próximas.

7. Guarde para as contas de janeiro

Lembre-se que, em janeiro, há diversas contas para pagar: IPVA, IPTU, material escolar dos filhos, entre outras. Procure guardar de 15% a 20% do seu décimo terceiro para essas contas.

E você, já tem planos para o seu décimo terceiro?

Organize suas contas de uma vez por todas

39

Por que é tão difícil economizar dinheiro? Por que esse assunto sempre é tão pedido, tão discutido e o brasileiro continua endividado? Vamos colocar as nossas contas em ordem? Veja algumas dicas definitivas para nunca mais ter problemas com dinheiro:

1. Tome a decisão

Algumas pessoas só conseguem parar e organizar suas finanças quando chegam ao fundo do poço, cheias de dívidas, e não podem gastar 1 real a mais sem consultar seu planejamento financeiro. Você quer ser essa pessoa? Você já é essa pessoa? Então decida agora tomar uma atitude a respeito. Mas não é para ler este texto e amanhã já deixar para lá. Seus problemas continuarão mesmo que você os ignore.

2. Anote os seus gastos

Essa dica é tão, mas tão manjada, que você pode até estar revirando os olhos ao lê-la pela enésima vez. Mas pense que, se ela aparece sempre, é porque dá certo. Não pense em planilhas – pense em registrar, de alguma forma, da forma mais fácil para você, o que você gasta. Você pode anotar na sua agenda, em um aplicativo no celular, em um bloquinho que fica sempre na bolsa, enfim. É importante anotar porque, em um mês, esquecemos tudo o que compramos e pagamos. É fundamental registrar! Imagine uma empresa que não registre seus gastos. Com certeza ela ficará no prejuízo no final do mês! Esse controle é básico e fundamental.

3. Preste atenção nos seus gastos

Priorize. Toda vez que quiser comprar algo, pergunte-se se realmente precisa daquilo. Se a sua casa já estiver cheia de coisas, pergunte-se se a compra do objeto compensa o espaço a mais que ela irá ocupar. Será que essa coisa nova tem espaço para você guardar? Será que não vai ser mais um gadget que ficará em uma caixa com aqueles outros no futuro? Ou um par de sapato a mais na parte de cima do guarda-roupa? Preste atenção.

4. Tenha consciência do seu dinheiro

Poupança, salário, investimentos, bens. Conheça suas receitas. Quanto você recebe de salário mensalmente, líquido? Você precisa saber de cor isso. Todo o dinheiro que entra precisa ser registrado também. Assim que você receber, faça as contas do que precisa pagar. Se for o suficiente, veja o que sobra e trace um destino para aquele dinheiro. Pode ser a quitação de uma dívida, um depósito na poupança. O que não vale é gastar ainda mais sendo que você tem dívidas a pagar!

5. Verifique onde pode economizar

Será que você precisa jantar fora três vezes por semana? Ir ao cinema quatro vezes ao mês? Assinar o pacote top da tv a cabo? Sempre podemos economizar. O bom de registrar os gastos é justamente verificar friamente para onde o dinheiro está indo injustamente. De repente, vendo que paga 300 reais por mês com a tv a cabo, você pense que não compensa pagar tudo isso. Poderia substituir por um aluguel de filme por semana, por exemplo, uma ida ao cinema ou um livro novo. Procure alternativas mais baratas para tudo na sua vida. Em vez de almoçar fora, que tal levar comida de casa?

6. Imagine-se sem dinheiro nenhum

É uma atitude radical, mas imaginar-se sem dinheiro totalmente pode ajudar. Você já ficou desempregado(a)? Se sim, sabe o que é não ter dinheiro entrando em caixa e ter que se virar com as economias que guardou. Já deve ter aprendido a priorizar o que compra e o dinheiro que gasta. Imagine-se nessa situação novamente. Não compre nem gaste com nada que não seja necessário. Exemplo radical: em vez de gastar R$18 com o almoço no trabalho, você poderia ter gasto R$3,50 e comido uma latinha de atum. Gente, estou exagerando de propósito! Mas pense a respeito.

7. Priorize as contas

Pague todas as contas assim que chegarem. Nada de deixar mais para o final do mês, quando você corre o risco de esquecer, ficar sem dinheiro, perder o prazo etc. Pagar antecipadamente é básico e te poupa preocupação. Além disso, você prioriza o uso do seu dinheiro – se precisar gastar, pelo menos as contas já estão pagas. Da mesma forma:

8. Pague suas dívidas o mais rápido possível

Cada um sabe onde o calo aperta. Tem gente com dívida de 100, 1000 e 10 mil reais. Cada caso é um caso e diversos aspectos devem ser analisados: condições, prazos, juros. De modo geral, priorize as contas com juros maiores, para pagar menos. Enquanto não quitar suas dívidas, não gaste com supérfluos. Você pode pensar que 10 ou 50 reais não farão falta, mas fazem sim. Pare com esse pensamento e economize o que puder para quitar suas dívidas logo!

9. Guarde dinheiro

Independente do quanto você ganha, guarde dinheiro na poupança. Poupança é o investimento mais seguro, então use, use e use. Nunca sabemos quando teremos qualquer imprevisto, então precisamos ter um dinheirinho guardado. Apesar de os especialistas recomendarem que a gente guarde de 10% a 15% do nosso salário, guardar alguma coisa já é melhor do que nada. O importante é ir sempre somando valores. Essa poupança pode inclusive ser mais vantajosa que o pagamento de uma dívida a prazo – pagar à vista, um pouco depois, pode valer a pena.

Os especialistas também dizem que o ideal para ter na poupança é uma quantia equivalente a quatro ou seis vezes os gastos médios. Acredito que seja em decorrência de uma possível demissão, onde temos o seguro-desemprego de seis meses.

10. Leva tempo

Organizar as contas é um projeto para a vida toda. Você muito provavelmente passará os primeiros 12 meses apenas pagando dívidas, anotando gastos e se organizando, começando a poupar depois desse período. É difícil, mas necessário. Durante mais 36 meses, você deve se preocupar em juntar uma quantia ok na poupança, pelo menos para ter uma segurança no dia-a-dia. E, depois desse tempo, você começa de verdade a acumular dinheiro. Tudo o que entrar, literalmente, é lucro. Você pode até pensar em investimentos mais arriscados – depende de você. O importante é saber que não é uma solução imediata.

Cuidar do dinheiro é fundamental porque nunca sabemos o dia de amanhã. Você pode estar em uma boa situação hoje, gastando à toa, comprando roupas, computadores, bebidas. Amanhã, você não sabe. Procure organizar suas contas para ter uma vida confortável, ou ao menos tranquila, para sempre.

Guia para ler o blog

25

Segue um guia para quem está chegando agora no blog e não sabe por onde começar.

  1. Existe uma categoria do blog chamada Comece a se organizar. Nela, são colocados todos os posts com conceitos básicos de organização e dicas para quem está começando a se organizar ou pretende começar.
  2. O menu acima contém as macro categorias do blog, que são os grandes temas a ver com organização (sob o meu ponto de vista). Passando o mouse por cima de cada item, um menu drop-down é aberto e aparecem subcategorias relacionadas. Se quiser visualizar as categorias e subcategorias como se fossem um mapa do blog, basta ver a página com os arquivos.
  3. O blog é atualizado com bastante frequência, mas ele existe desde 2006 e há um vasto arquivo de textos que podem esclarecer as suas dúvidas. Há uma caixa de busca na parte superior da barra lateral que pode ser utilizada para encontrar termos ou dicas que você esteja procurando, se você não encontrar através da navegação pelas categorias.
  4. Abaixo de todos os posts na página inicial, há um pequeno menu de navegação com as páginas do blog numeradas. Nesse exato momento, ele conta com 68 páginas, sendo que cada uma delas tem 12 posts. Você pode navegar por ali para ler os textos em ordem cronológica.
  5. Também na barra lateral, há uma caixa com os 10 textos mais lidos do blog. Essa lista é dinâmica e atualizada automaticamente de acordo com os posts mais visitados. Pode ser um bom começo também, se você estiver conhecendo o blog.
  6. Se você quiser receber as atualizações do blog por e-mail, basta cadastrá-lo na barra lateral, na caixa “Cadastre seu e-mail”. O envio também é automático e somente uma vez por dia, independente da quantidade de posts. Se você utilizar um leitor de feeds (como o Google Reader), pode preferir assinar o RSS.
  7. Embaixo de cada post, você pode conferir também uma relação de textos relacionados, navegando através deles para conhecer mais o conteúdo do blog.
  8. E acima de cada post, há sempre um link para o post anterior e posterior. Você também pode ir navegando por ali. =)

Este guia foi útil? Por favor, deixe um comentário.

O que fazer com lembrancinhas, presentinhos e coisinhas de criança

23

Essa dúvida foi enviada pela Lidiane por e-mail:

Tenho duas filhas em idade escolar (2 e 6 anos) e tenho imensa dificuldade com os trabalhinhos, lembrancinhas, desenhinhos que elas produzem na escola e trazem para mim.
O que fazer com eles?
Considerando suas dicas, já começo me debater:Aquela pergunta básica: Amo este objeto????…. rs…. ahhhhh eu amo todos estes objetos. rs.. mas são muuuitos.
São desenhos, são trabalhinhos de sucata para datas comemorativas.
Existe um modo de organiza-los ? Temos que joga-los? Ou fazer um catálogo….. os formatos são tão diversos.
Também os cartões de aniversário, lembranças de aniversário, etc….
Acho que daria um post bem interessante com suas idéias , apesar de seu filho ainda não frequentar a escola.

Um beijo.

Lidiane, obrigada por escrever. Olha, sou muito desapegada de qualquer coisa relacionada a papelada. No caso de trabalhos de escola, eu faria da seguinte forma: deixaria o mais recente colado com um ímã na geladeira, para que todos da casa apreciem a obra de arte. Depois, colocaria no quarto do meu filho. Alguns podem até virar quadrinhos.

Você pode ir juntando os outros em pastas para o ano corrente (Filha 1 – Trabalhos 2012, Filha 2 – Trabalhos 2012) e, no final do ano, selecionar o que deseja guardar. A cada 3 ou 5 anos, você pode ir reduzindo até manter somente uma pasta. Se esses trabalhinhos são importantes para você, mantenha uma pasta. Mal ocupa espaço e pelo menos você não se sente mal. A alternativa mais minimalista seria tirar foto das obras de arte e jogar fora. as lembranças ficarão nas fotos.

Com relação a trabalhinhos de sucata, minha sugestão é a mesma que para brinquedos, livros e roupas: manter o que tiver a ver com a faixa etária da criança. Se não tem mais nada a ver com ela, hora de ir embora.

Todo o restante (cartões de aniversário, lembranças), para mim, são tralha, e não dá para organizar tralha. O que você pode fazer, se quiser mesmo manter, é colocar tudo em uma caixinha bonitinha. Mas pense bem se o espaço que essas coisas vão ocupar compensa tê-las.

Organizando os estudos em ciclos

84

O assunto surgiu em alguns comentários e a minha resposta estava ficando tão grande que eu resolvi escrever um post para que todos lessem. =) Resumo: algumas pessoas me perguntaram como poderiam organizar seus estudos, como conciliar com o trabalho e como eu fazia para conciliar. Bem, então hoje vou comentar um pouco sobre o que eu já fiz e o que eu faço hoje, que tem funcionado para mim. Espero que ajude.

Eu utilizo um sistema de estudos em ciclos.

Gosto de ler todo e qualquer material relacionado a organização. Se for um livro tipo “como organizar uma farmácia”, já estou interessada. Adoro ler sobre métodos e como as pessoas fazem sua gestão do tempo. Adoro o tema, muito muito, e procuro sempre estar lendo algo relacionado.

Pesquisando sobre métodos de estudo, encontrei as dicas de um professor chamado Alexandre Meirelles, que passou em concursos públicos disputadíssimos e hoje dá palestras sobre o tema. Me apaixonei pelas dicas imediatamente, porque ele é ótimo. Comprei seu livro e li em poucas horas. Como estou sempre estudando, as dicas foram muito úteis. O nome do livro é “Como estudar para concursos”.

Lá, ele ensina a montar uma rotina de estudos baseada em ciclos. E eu percebi que essa rotina pode ser aplicada não só para concursos, mas para qualquer área de estudos na vida. A ideia é que os assuntos sejam cíclicos, de forma que você nunca fique muito tempo sem ver cada um deles. Estou resumindo muito aqui, viu gente? A melhor fonte são os artigos dele e o próprio livro, que recomendo fortemente a quem estiver interessado no assunto específico de estudos para concursos.

 Como fazer

Você deverá listar todos os assuntos que precisa estudar. Se você estiver começando a estudar para um concurso público, a técnica muda um pouco (ele recomenda começar pelas disciplinas básicas e só depois ir acrescentando outras).

Suponhamos que você tenha que estudar, no momento atual da sua vida: inglês, duas matérias da pós-graduação e o TCC. Então você define quanto tempo de estudo por ciclo você pretende estudar cada uma delas. Isso depende da quantidade de tempo que você tem e do quanto precisa se dedicar a determinado assunto. O Alexandre recomenda (e eu também) que fique em torno de 1h30 e nunca ultrapasse 2h30, pois o rendimento começa a cair. Então ficaria assim:

Inglês: 1h
Matéria 1: 1h30
Matéria 2: 1h30
TCC: 2h

O seu ciclo tem 5h. O que você vai fazer é estudar quando puder, sem horários fixos, na ordem do seu ciclo.

Agora são 19h57 e você começa a estudar Inglês. Se você parar para ir ao banheiro (procure não fazer pausa em períodos curtos como 1h), anote a pausa. O importante é que você tenha 1h líquida de estudo, não 1h no relógio. Entenderam?

Se você estiver se sentindo bem disposta(o) e quiser continuar estudando durante mais 1h, passe para a disciplina seguinte, que é a Matéria 1. Estude durante 1h e, quando você for estudar novamente, talvez no dia seguinte, comece por ela e complete a 1h30.

Vá seguindo a ordem até recomeçar o ciclo pela primeira disciplina que você estudou. Você também terá uma noção de quanto tempo leva para “rodar um ciclo” de estudos.

Pegue uma folha em branco e desenhe um círculo. Faça as divisões como se fosse uma pizza, mas somente na quantidade de disciplinas que você estabeleceu (no exemplo acima, foram quatro). Escreva cada disciplina com a carga horária em cada divisão. Procure alternar os assuntos para não deixar disciplinas parecidas na sequência.

Cole esse ciclo na parede ou em seu mural e siga a sequência. Simples, não?

Vantagens

A vantagem do estudo em ciclos é que você não depende de um horário fixo para estudar. Isso é particularmente interessante para quem tem filhos, trabalha fora ou tem uma rotina com horários bagunçados. A outra vantagem é que você rotaciona os assuntos, de modo que todos têm sua devida atenção no tempo certo.

Eu tenho aplicado e gostado bastante. Costumava fazer quadros com horários mas, se algo atrapalhasse o meu dia (algum imprevisto, que sempre pode acontecer), adeus rotina. Com o ciclo, isso não acontece mais. E claro que você precisa ter a disciplina necessária para estudar, mas isso aconteceria com ou sem horários.

É assim que eu tenho feito diariamente, independente de estudar 3h ou 8h.

Checklist de novembro 2012

34

Chegamos ao penúltimo mês do ano! As lojas já estão cheias de enfeites de Natal à venda e a ficha de que o ano está acabando começa a cair.

Novembro é um mês bem mais tranquilo. Resolvi abrir mão de uma série de projetos que estavam tomando meu tempo, que poderia ser utilizado de outra forma. Meu checklist de organização para este mês, então, é o seguinte:

  1. Revisar os projetos e definir objetivos para este mês
  2. Manter uma rotina de estudos de 3h diárias (ou mais) e de 7h (ou mais) aos finais de semana
  3. Organizar a área de serviço
  4. Doar alguns livros
  5. Reciclar 80% das minhas revistas
  6. Rever tudo o que eu tenho e verificar se não seriam de melhor uso para outras pessoas

Basicamente isso. Nada de grandes projetos, só a manutenção da vida mesmo. Depois de meses bem cheios, estou querendo focar mais nos estudos, na casa, no meu filho, meu marido etc.

E você, o que pretende fazer em novembro?

Sobre o blog e a organização

77

Confesso que foi bom ter dois dias de folga. =) Apesar de o blog ser meu grande hobby, ele me toma um tempo imenso. Todos os dias, depois que meu filho dorme, eu passo várias horas das minhas noites pesquisando, escrevendo textos, tirando fotos, respondendo comentários, e-mails, mensagens nas redes sociais etc. Não gosto de dizer que “dá trabalho” (porque acho que o termo leva à conclusão de ser algo desagradável, e obviamente não é), mas toma muito meu tempo. E eu estou em uma fase onde o bichinho da simplicidade voluntária está me mordendo novamente, precisando descansar mais e me dedicar a outros projetos essenciais na minha vida.

Não vou deixar de escrever no blog, de maneira nenhuma. Também espero continuar mantendo a frequência diária de postagens. Mas quis tirar esses dois dias para descansar a cabeça, ver como eu ficaria sem a minha cobrança pessoal de fazer todas aquelas atividades que eu descrevi no parágrafo acima. E eu consegui descansar, estudar bastante, me dedicar a outras coisas.

Ter um blog é sim muito trabalhoso. Para quem não tem, pode parecer bobagem eu falar isso, mas demanda bastante dedicação. O blog não é a minha atividade principal: eu trabalho fora, tenho a minha família, tenho meus projetos pessoais. Eu deixo de fazer uma série de coisas para me dedicar ao blog, e eu não gostaria que ele se tornasse um “fardo” para mim. Muitas vezes, já fiquei até de madrugada escrevendo posts porque eu passaria alguns dias fora, e não queria deixar vocês, leitores, sem um post todos os dias. Nossa, até perdi as contas de quantas vezes eu já fiz isso! Semana passada mesmo, eu passei seis dias longe de casa, do meu filho, do meu marido, morrendo de culpa e de saudades em uma viagem a trabalho, parando de trabalhar super tarde todos os dias, e ainda tendo que enviar meu TCC final por e-mail na sexta-feira, escrevendo até às 2h da manhã! Mesmo assim, mantive o blog atualizadíssimo, todos os dias. Minha rotina é corrida, gente, e por isso mesmo eu tenho o blog: para escrever a respeito, compartilhar como eu dou conta, mas principalmente para eu me distrair um pouquinho do caos diário. Eu não falo mais sobre o meu dia-a-dia por simples questão de privacidade, mas vocês ficariam de cabelo em pé se soubessem a quantidade de coisas que eu tenho para fazer diariamente. Mas eu sei que tem muita gente na mesma situação e com certeza até pior, porque isso é uma característica da época que vivemos.

Eu gostaria que vocês soubessem o nível de dedicação que eu tenho a este blog. O quão preocupada eu fico se não tiver um post para entrar amanhã às 9:03, por exemplo. Eu não vou dormir sem fazer isso. Se possível, já escrevo posts para diversos dias, para ter um tempinho a mais no meu dia. Mas eu adoro o blog e o trato de forma profissional, pois trabalho na área e sei como as coisas são. Inclusive, no próprio Social Media SP, vou participar com uma palestra sobre gerenciamento de blogs profissionais. =) Quem quiser ir, me fala. Eu sou completamente apaixonada pelo assunto e sei que o que torna um blog legal é justamente manter a periodicidade de conteúdos bons, assim como o relacionamento com os leitores.

Como eu já escrevi aqui, meu projeto do TCC foi sobre a profissionalização do blog. Eu o entrego finalmente na próxima segunda-feira. Ele já está pronto e sendo impresso, encadernado. Ter feito o trabalho sobre o blog foi muito bom porque me fez vê-lo de outras formas. Juro que, no decorrer deste ano, mil ideias já se passaram pela minha cabeça. E, depois de ter finalizado o trabalho, descobri que a mais importante delas foi ter descoberto que eu não quero “ganhar dinheiro” com o blog. Bom, a verdade é que, se vocês já o acompanham faz tempo, já devem ter percebido isso. Eu detesto blogs cheios de publieditoriais e acho que eles estragam sim a essência de cada um. Tanto que, para a versão de novembro do media kit do blog, já vou tirar a opção de publieditoriais. Não quero mais fazer, porque acho uma tática de marketing meio fail (sinceramente). As formas de anúncio que eu acho viáveis são os anúncios em formato de banner em determinados lugares do blog (sem poluir), e que tenham a ver com o conteúdo, obviamente. Também acho super válido fazer resenhas de produtos que as empresas me enviam, porque isso é uma forma de gerar conteúdo interessante para os leitores. Afinal, quem não quer saber se vale mesmo a pena comprar o produto X? E as resenhas, para quem não sabe, eu sequer cobro para fazer. O blog é um grande barato para mim – eu curto experimentar produtos novos diversos e compartilhar com vocês, tendo sido enviados de cortesia ou tendo eu mesma comprado cada um deles. A frase que abre a política de publicidade do blog é: eu não publico nada pago que já não publicaria de graça de qualquer forma, e acredito firmemente nisso.

Não estou desvalorizando o trabalho dos blogueiros no geral. Só estou indo um pouco contra a maré. Acho que quem vive do blog conseguiu uma maneira muito legal de viver a sua vida, fazendo seus horários, abrindo empresa e se dedicando a algo que realmente ama. Eu amo o blog, mas ele não é meu trabalho. Logo, eu não me sinto na obrigação de fazer tudo aquilo que eu comentei no primeiro parágrafo. Faço porque gosto mesmo. Mesmo nos dias mais cansativos, tenho o meu momento de sentar e tentar escrever o melhor texto possível para os leitores, para não decepcionar ninguém. E ter um blog é colocar a cara para bater! É ter que ler diariamente comentários agressivos, desnecessários, vindos de todos os lados. Tenho muita sorte porque a imensa maioria dos leitores do blog é muito bacana, mas já vi vários exemplos contrários por aí. Acreditem: ser blogueiro não é para os fracos! Você precisa ter um nível de maturidade gigantesco para aguentar as pedradas e precisa encontrar tempo para se dedicar de verdade. Quanto mais conhecido o seu blog vai ficando, mais demanda você terá de todos os lados. Só quem tem um blog profissional consegue entender a loucura que isso vira com o passar do tempo. É só ver as meninas que têm blogs de moda famosos viajando para fashion weeks do mundo inteiro, participando de centenas de eventos. Eu jamais conseguiria fazer algo assim tendo um filho e um marido em casa, mesmo se o blog fosse minha atividade principal. E não é. Então eu invejo a capacidade de organização dessas meninas, porque elas sim são ocupadas!

Ao mesmo tempo, sei que ocupada é aquela mãe que sai de casa às 5h da manhã com criança a tiracolo, pega dois ônibus, deixa na escolinha ou na casa da sogra, pega mais dois ônibus para o trabalho, onde fica até às 18h, chega em casa quase 21h e ainda tem que limpar a casa porque, além de tudo, é mãe solteira! Essa sim é guerreira! E quantos casos desses temos por aí, minha gente? A vida é difícil e precisamos dar conta, senão quem tomará conta de nós? Ninguém, a não ser que você tenha dinheiro para ir delegando as tarefas. Essa é a verdade.

A missão do blog, que eu defini enquanto escrevia meu TCC, é: inspirar as pessoas para que sejam suas próprias personal organizers. Eu acredito firmemente nisso! É o mesmo que uma reeducação alimentar, mas sobre organização. Organização é um hábito que adquirimos se tivermos força de vontade para dar um jeito na vida, correr atrás dos nossos sonhos. Eu não acho que organização seja ter um closet cheio de calcinhas envelopadas (mas confesso que adoro fazer isso, haha <3), mas você saber que as calcinhas limpas estão ali, entendem? Organização nível hard é para quem tem tempo ou para aficionados tipo eu, mas não é para todas as pessoas. A maioria das pessoas só quer fazer a coisa toda funcionar no dia-a-dia, e isso é mais do que o suficiente. Isso é organização.

Meu objetivo com o blog sempre foi compartilhar dicas de organização para facilitar o dia-a-dia de qualquer pessoa, e eu estou sempre atrás das melhores formas de fazer isso. Já pensaram, por exemplo, como alguma pessoa com necessidades especiais consegue se organizar? Ou uma mãe que tenha um filho com TDAH? Ou uma pessoa que precisa de apoio psicológico para se livrar da tralha em casa?

Outro dia, no curso de professional organizers que eu fiz, uma moça me perguntou se tinha pauta para posts diários no blog. E, pelos simples exemplos que eu acabei de dar, vocês podem perceber como o assunto é infinito. Sempre terá pauta! Esse é o desafio para mim: tentar sempre oferecer um conteúdo original. Pesquisar sobre o assunto satisfaz a minha curiosidade (adoro) e ainda tenho a possibilidade de ajudar outras pessoas. Essa sempre foi a essência do blog. Atrás de cada dica, de cada post, teve uma pesquisa, uma ideia que eu tive observando outras pessoas, uma solução que encontrei em casa, uma necessidade que identifiquei lendo sobre outro assunto.

Portanto, não fiquem #chatiados pelo blog ter ficado um ou dois dias sem posts. Pode ser só uma fase, pode não ser. Mas há um arquivo imenso de posts antigos sobre diversos assuntos que todos podem acessar quando quiserem. E ainda haverá muitos, mas muitos posts novos a serem publicados aqui, então não se preocupem. =) O blog não vai deixar de ser atualizado.

Fiquem bem. <3

O que eu aprendi em seis anos do blog

93

Hoje o Vida Organizada completa seis anos. <3

Quando eu comecei o blog, em 2006, eu não tinha ideia de como ele se tornaria importante na minha vida. Começou como um hobby, passou pelo boom da profissionalização dos blogs e, agora, é simplesmente parte do que eu sou – algo sem o qual eu até conseguiria viver, mas me faria bastante falta.

Gostaria de comemorar este aniversário, então, falando sobre alguns fatos do blog:

#1 O blog começou como um hobby, apesar de eu ser publicitária e sempre trabalhar com Internet (inclusive com blogs corporativos). Eu só queria um espaço meu para falar sobre um dos meus assuntos preferidos: dicas de organização.

#2 Desde 2006, o blog já teve 812 textos publicados sendo que, de abril de 2011 para cá, nenhum dia passou sem um post novo.

#3 Hoje, o blog já ultrapassou os 12 mil likes na sua fanpage do Facebook. <3

#4 Eu nunca tive um emprego onde trabalhei durante um período tão grande quanto o de existência do blog. Logo, ele é o meu mais longo trabalho.

#5 O blog hoje tem 7.687 comentários nos seus posts, sem contar os comentários feitos pelo Facebook. (Obrigada, pessoal!)

#6 Eu não consigo mais ler nenhuma revista, livro ou matéria sobre organização em um jornal sem pensar que “os leitores do blog adorariam conhecer tal dica”.

#7 Por causa do blog, eu já apareci na Folha de SP, na revista Época, na revista Crescer e até em um telejornal português! Também por causa do blog, recebo muitos contatos de marcas querendo ouvir minhas opiniões sobre seus produtos novos e convites para eventos bacanas.

#8 O blog me fez ter vontade de fazer o curso para me tornar uma professional organizer.

#9 Ser organizada me fez emagrecer 20kg e acreditar que tudo pode ser alcançado com disciplina e motivação.

#10 E o mais importante: o Vida Organizada me proporcionou uma oportunidade incrível de conhecer pessoas maravilhosas e tocar suas vidas pelo menos um pouquinho.

Que venham ainda muitos anos!

Dica do leitor: usando o GTD

73

Preparem-se porque hoje o post está muito bom! Percebam que os meus preferidos são os enviados pelos leitores. <3 Se você quiser participar desta seção do blog, envie sua dica para queroparticipar@vidaorganizada.com.

Hoje o post é enorme, mas eu fiz questão de publicá-lo assim para que nenhuma informação ficasse de fora. Vejam o e-mail que eu recebi da Vivian:

Oi Thais!

 Primeira vez que entro em contato com vc e já com texto, rs.
Sou Vívian, bagunceira em rehabilitação. Tenho trabalhado e estudado em casa, tido problemas em várias áreas da vida e dúvidas quanto a metas, e objetivos para os próximos anos. Então métodos de organização de ideias e ações tem sido essenciais na minha vida para conseguir me focar e definir para onde quero ir.
Comecei há pouco tempo meu processo de organização e transformação pessoal e já tenho tido um efeito bem positivo. Tive vontade de seguir sem exemplo e criar um blog para escrever minhas experiências, ideias e tudo o mais. Mas não é minha praia, então gostaria de ir dividindo esse meu processo com você e os leitores de seu blog.
Fiquei muito feliz quando vi seu post convidando leitores a participar do blog. Vi uma oportunidade de mostrar um pouco do meu processo pessoal, ideias que tive para organizar objetos e ações, etc.
Estou te mandando dois textos inicialmente. Não sei se serão publicados, mas aqui estão, e no mínimo, você acaba vendo meu processo pessoal, né (=
Tenho mais algumas ideias guardadas para enviar, mas ainda não vou me arriscar, rs.
O primeiro texto é como comecei a aplicar o GTD na minha vida e a diferenças que já posso notar nas primeiras semanas. O segundo é sobre aplicativos de organização, alternativas ao Toodledoo. Não sabia bem como escrever, então escrevi como se fosse publicado. As fotos são do meu “caderno GTD”.
Espero que goste, ou ao menos responda quando ler, rs.
Abraço!
Vívian

Querida Vivian,

Não só adorei os seus dois textos (e o seu caderno) como estou publicando aqui. Adoro conhecer o ponto de vista de outras pessoas sobre o GTD, pois sempre aprendo mais sobre o método. Vou postar seus dois textos aqui e tenho certeza que os leitores também vão adorar.

Texto 1: Começando a se organizar com o GTD

Trabalho em casa e através da internet, por isso está sendo essencial sistematizar as ações, definir horários para não ficar na procrastinação (todo mundo sabe que Facebook vicia, né?).

E foi quando uma amiga postou o link para um dos artigos da Thais no Facebook que conheci o Vida Organizada. Já fazia alguns meses que eu vinha tentando me organizar e transformar minha vida, fazendo pesquisas ali e aqui e o blog entrou na minha vida justamente no momento em que eu mais precisava, pois já não achava soluções suficientes para minha bagunça.

Como costumo fazer, me empolguei, e já comecei a ler o blog sem parar procurando o que serviria para mim, o que se adequava a minha rotina e objetivos, o que eu poderia adaptar, etc. De tudo isso o que chamou a atenção de imediado foi o GTD, que até então eu não conhecia.

Lendo os textos da Thais, comecei a ir atrás, entender melhor o método e como aplicá-lo em minha vida. Textos em inglês, português e espanhol.

Isso tudo faz pouco mais de um mês, ainda estou MUITO desorganizada, claro, mas já dá para perceber como o GTD faz diferença.

Sou do tipo que tem insights o tempo todo, em todo lugar e nas horas mais impróprias. Daquelas de lembrar algo de súbito quando estou atravessanto uma rua ou mil ideias na hora de dormir (e esse último acontece muito com as pessoas, não é?). Por algum tempo há havia tentado anotar as ideias que me vinham a mente, mas não funcionava pois nunca lembrava onde havia anotado e as perdia dentro do caderno.

Esse foi o campo que o GTD mais faz diferença. Não tenho mais problemas de 1000 pensamentos pipocando na hora de para dormir ou de não conseguir concluir uma tarefa por lembrar de outra coisa no meio dela. A coisa mais boba como “ter o mínimo de caixas de entrada possíveis faz uma diferença ENORME.

Comecei a listar as atividades que eu faço, as categorias necessárias para organizar as ideias. De inicio tentei conceitos diferentes do proposto pelo GTD, mas logo vi que o método sintetizava muito bem tudo que precisa ser feito por uma pessoa no dia-a-dia.

Listei então os contextos, as categorias que se encaixavam ou não a minha vida, pesquisei outras pessoas que utilizavam o método e de que maneira isso ocorria.

Daí chegou o momento de fabricar meu caderno GTD.

Um dos meus problemas é mudar de ideia depois de algum tempo, perceber que uma coisa “x” fica melhor da maneira “y”, então procurei montar o caderno de uma forma que eu pudesse mudar toda a classificação das tarefas caso quisesse posteriormente, sem perder o caderno ou ficar feio: Posso trocar a etiqueta das divisórias ou trocar as divisórias de lugar.

O resultado me agradou muito, um caderno comum se tornou… Como disse meu namorado, “um tablet analógico” – haha.
No final há uma proteção lisa e que grudo bloquinhos de post-its. Utilizo eles para definir as prioridades, para algo importante que deve ser feito ou simplesmente um lembrete.

Há a parte de “Inbox” para tudo que me vem a cabeça e que deverá ser depois organizado pelas categorias. Criei também um “Arquivo” no próprio caderno, para informações que precisam ser consultadas como um número de telefone que eu preciso ter à mão mas que não preciso gravar na agenda do celular ou um código de agendamento de consultas, um cartão de visitas, esse tipo de coisa.

Dentro dele ainda uso #Tags ou @Contextos – escritos a caneta colorida – para definir melhor uma atividade.

Apliquei também a ideia de Rotina Matinal e Rotina Noturna, além da Semanal, Mensal e Menor Frequência. Colei as Rotinas na área de “Próxima Ação” para tê-las sempre a mão e conferí-las além de um Horário Semanal (com todas as tarefas) que estou montando ainda. Ainda estou em processo de adaptação, mas já consigo lembrar coisas que eu acabava esquecendo muito facilmente como que eu preciso fazer as unhas ou lavar a cortina.

É interessante como quando você começa a transformar as coisas na sua vida aplicando esses princípios tão bobos, você sente vontade dividir com todo mundo, mostrar como está fazendo e perguntar se não serve para a pessoa também ou como ela faz na vida dela. Fiquei empolgada com a ideia de criar um blog assim como a Thais e mostrar meu processo pessoal dia-a-dia. Mas não é a minha praia =P

Espero contar um pouco do meu processo através do blog da Thais e que vocês tenham gostado do meu caderninho. (=

Texto 2: Aplicativos alternativos para se organizar

Me interesse muito pela ideia de ter um programa para organizar minhas tarefas e compromissos, gostei do Toodledoo apresentado pela Thais, mas infelizmente não foi um programa adequado para mim, já que uso PC, não curto usar software 100% online, não tenho iPhone nem Android (AINDA!). Por isso fui buscando outros aplicativos similares mas que pudessem ser usados em PC (mas também em Android, já que eu pretendo ter um em breve). De todos que encontrei, o Conqu é o mais legal.

O Conqu é bem completo e bem GTD mesmo. As tarefas se organizam em Today/Hoje, Next/Próximas Ações, Future/Futuras, Waitining/Espera, Projects/Projetos, Context/Contextos… Enfim, ele segue o GTD. Mas também pode se classificar as tarefas com TAGs e há um campo para tarefas atrasadas. Nele você pode ainda definir o tempo e a energia que precisam ser gastos para realizar aquela tarefa, agendar um dia ou delegá-la a um contato. Você insere o email da pessoa e o Conqu envia um lembrete para aquela pessoa, com os detalhes da tarefa =D

Você pode também sincronizar por email e online as tarefas, além de imprimir a lista. O software é em inglês e está disponível para Windows, Mac, iPhone, iPad, Android, Blackberry e… Linux!

Uma alternativa também é utilizar o próprio Microsoft Outlook, além de evitar a instalação de novos programas, caso você tenha o Office já instalado. Nele você pode criar pastas para organizar os emails, tarefas e anotações, categorizar ou definir prioridade da tarefa e ainda programar uma data especifica ou intervalo de tempo para aquela tarefa ou compromisso. Ou seja, comprar uma coisa mensalmente, a cada 3 meses ou um ano; um compromisso que ocorre quinzenalmente, etc.

É possível também sincronizar o Outlook com muitos celulares Java, então se você ainda não se rendeu as maravilhas de um Android ou iPhone como eu, não será por isso que você ficará sem ter tudo organizadinho e ao alcance no seu bolso.

E vocês, também adoraram a participação da Vivian? =)