Blog Página 101

Sempre revise suas rotinas e TO-DO lists

9
Imagem: Getty Images

Seja qual for o sistema de organização que você utilize ou até mesmo algum método, revisar seus projetos e suas listas de tarefas é um dos fatores de sucesso. Por quê? Porque podemos tender a anotar tudo o que precisamos fazer, mas esquecer de revisar. O método mais simples de organização, para quem não quer esquentar a cabeça, é ter um caderno onde vai anotando todas as tarefas para não se esquecer de nenhuma. Depois, no decorrer do dia, da semana, do mês, você vai verificando as tarefas que já foram feitas e riscando-as. Essa simples revisão também garante que você não se esqueça de nada.

Portanto, não adianta ter um bom sistema de organização ou todas as suas tarefas anotadas se você não revisa as suas listas. A revisão é o processo-chave para fazer tudo acontecer.

Sugestão de cardápio para a semana de 8 a 14 de outubro

7

Sugestão de cardápio para este semana:

Segunda – frango recheado com mostarda e mel + salada verde + arroz

Terça – bife acebolado aperitivo + arroz

Quarta – filé de frango a parmegiana na frigideira + arroz

Quinta – lasanha de berinjela light

Sexta – strogonoff de carne + arroz + batata palha

Sábado – peito de frango com purê de batata

Domingo – talharine com molho de tomate e almôndegas

Boa segunda-feira! =)

Linkagem de domingo {25}

2

Toda semana eu seleciono alguns links que gostei e que tenham a ver com o tema do blog.

Bom domingo para você!

Nossa sala

37

Setembro era o nosso mês de organizar a sala. O problema foi que passamos a maior parte do tempo fora e também estamos economizando dinheiro. Tirando alguns detalhes e a disposição diferente dos móveis, não fizemos nada do que tínhamos planejado, mas vou falar sobre os nossos planos neste post.

Ao entrar no apartamento, essa é a cena. Mudamos a mesa de lugar e achamos que ficou MUITO melhor. Agora ela dá uma sutil dividida na cozinha/sala e fica mais fácil de usá-la. Como temos um banco de um dos lados, tê-la encostada na parede dificultava um pouco o acesso, além de sujar a parede. Esqueci de arrumar a cortina para tirar a foto, mas ela é bem larga e vai até o fim do varão. A cor é um roxo uva bem bonito. Achamos sem querer para comprar.

Esse é o “cantinho musical” e ainda vai mudar bastante coisa. Vamos comprar mais três cubos desses para virar uma estante mesmo, e aí quero pintar de rosa bem forte. Em cima, vou colocar a vitrola (que está em São Paulo…). Onde está o vaso, ficarão os instrumentos. Meu celular carregando fez uma participação especial.

Do outro lado fica o canto da TV. Percebam que eu setorizei a sala de acordo com os seus usos. De um lado tem a parte onde comemos, de outro o canto musical, de outro o lado da TV e ainda tem o canto do computador, que vou mostrar mais para a frente.

Aquela caixa azul é do filhote. Marido trouxe para a sala porque ele (filhote) estava querendo mexer atrás do rack o tempo todo. Pretendemos comprar um rack mais largo em breve, então por isso está assim, provisório. Aquele pufe vermelho também é uma coisa que eu não aguento mais ver na frente, mas meu marido adora e meu filho usa para tomar o tetê dele assistindo tv de manhã, então fui voto perdido. O sofá é feinho mas foi o que pudemos comprar quando nos mudamos. Talvez eu compre uma capa antes de comprar um novo.

Esse é o canto do computador, basicamente usado pelo meu marido. Essa mesa faz parte de um conjunto que quero comprar ainda este ano. Faltam um gaveteiro e um gabinete, aí eles tomarão a parede inteira e ficará bonito. Apesar de os fios bagunçados me darem aflição (ugh), não dá para colocar aqueles espirais para organizar fios porque depois dá um trabalhão tirar, quando arrumarmos no lugar definitivo.

Os nichos sairão daí e ficarão em cima da tv. Só não mexemos ainda porque queremos pintar as paredes antes. Esse banco laranja está aí sobrando. Não vou doá-lo, então estou pensando no que fazer com ele para dar outra cor.

O envelopinho para as contas a pagar está provisoriamente em cima de um dos nichos porque depois que mudamos a mesa de lugar, ficamos sem a entrada bonitinha. Vamos arrumar de um jeito diferente, mas por enquanto está assim.

Detalhe do tapete com o pufe de pé.

Detalhe dos quadrinhos. Tem poucos mas a ideia é ir colocando mais em volta e ir aumentando a coleção.

Meus discos. 95% dos Beatles, diversas edições.

Detalhe da mesa com o banco.

Detalhe da bandeja que fica em cima da mesa de jantar: jogos americanos de bambu, sal, pimenta, castiçais de estrelas e porta-copos.

Bandeja com forro zebrado que eu usei de centro de mesa com a plantinha dentro.

Bom, essa foi a nossa humilde salinha sem praticamente nenhuma novidade desde a última vez que eu falei dela (aqui).

O que pretendemos fazer:

  • Pintar as paredes
  • Comprar o gabinete e o gaveteiro que fazem conjunto com a mesa do computador
  • Trocar os nichos de parede
  • Trocar o rack
  • Reformar o banco
  • Comprar mais cubos e pintá-los
  • Colocar um quadro em cima da mesa
  • Colocar quadros na parede do computador
  • Arrumar os instrumentos na sala

Fontes: Mesa de jantar (Meu Móvel de Madeira), cadeiras da mesa (Americanas.com), banco da mesa (Meu Móvel de Madeira), cortinas (Lojas Seller), cubos (Evolukit), sofá (Magazine Luiza), tapete (Etna), persiana (Etna), pufe vermelho (comprado em Embu das Artes), pufe roxo (Pufolândia), rack (Tok&Stok), caixa azul pintada (eu que fiz), mesa do computador (Tok&Stok), nichos (Evolukit).

Este post NÃO É um publieditorial. Eu cito as fontes porque sempre me perguntam nos comentários. =)

Revisando objetivos

31

Apesar de todo final de ano dar vontade de montar uma “lista de desejos para o ano seguinte”, há muito tempo eu me desprendi disso e trabalho com os objetivos de curto, médio e longo prazo. Isso vem do meu uso do GTD (50 mil pés, 40 mil pés etc). Assim, seriam esses períodos:

  • Curto-prazo: de hoje até 2 anos
  • Médio-prazo: de 3 a 5 anos
  • Longo-prazo: para a vida

Frequentemente, também avalio a minha vida de acordo com o método do David Allen, que considero mais completo. Falo mais sobre ele no post como definir prioridades e executar tarefas.

Eu procuro fazer uma revisão macro dos meus projetos mensalmente. Executo tarefas no dia-a-dia, faço uma revisão semanal, mas é muito corrido para analisar com calma o que está sendo feito – o famoso “ver de fora”. Uma vez por mês, consigo mensurar o que realmente foi feito em busca de determinado objetivo e definir os próximos passos.

No começo do ano, falei um pouquinho sobre alguns projetos (não posso escrever todos aqui por motivos de privacidade). Fazendo uma revisão atualmente, posso dizer o seguinte a respeito de cada um deles:

Comprar um carro / Tirar carteira de motorista – Está planejado para dezembro. Preciso primeiro terminar de pagar as mensalidades da pós-graduação (em novembro) para assumir novos gastos. Meu marido já tirou sua carta de motorista e eu pretendo iniciar na auto-escola no próximo verão. Não fiz antes porque há incompatibilidade de horários com as escolas da região.

Falar inglês fluentemente – Melhorei muito meu inglês este ano! Participei de eventos, reuniões de trabalho e recebi visitantes do exterior conversando normalmente – claro que com um tropecinho ou outro ali, mas me virando bem. Estou fazendo um curso de conversação online e, se me dedicasse mais, certamente já estaria em um nível de fluência avançado.

Falar o básico de espanhol – Eu sabia que não teria tempo para me dedicar ao espanhol em 2012, principalmente por causa da pós-graduação. Minha previsão sempre foi iniciar em 2013, mas estou fazendo alguns estudos mais leves a partir deste mês.

Terminar a pós-graduação – Meu TCC está bem adiantado e ele deve ser entregue no final deste mês.

Tirar minha cidadania italiana – Já enviei há meses a papelada e agora estou somente no aguardo.

Emagrecer – Emagreci cerca de 20kg até o momento e isso foi mais do que eu esperava para este ano. Espero conseguir chegar à minha meta em 2013.

Para os últimos três meses de 2012, o negócio é focar. Continuo na dieta, preciso entregar meu TCC, continuo estudando inglês e iniciei os estudos de espanhol. Tudo isso porque eu sabia o que queria fazer a curto, médio e longo prazo (mesmo que os objetivos mudem, o importante é planejar). Conhecendo meus objetivos, fui definindo os passos que precisaria para atingí-los, e assim se passaram meus meses.

Não é ser “certinha”, chata, com vida militar, vida definida e sem surpresas, nada disso. Trata-se de ter metas e trabalhar para alcançá-las. Se não fizermos assim, perdemos muito tempo na vida (ao menos foi a essa conclusão que cheguei nesses anos todos e que funciona para mim).

Você está correndo atrás dos seus objetivos para 2012?

Não sei como ela consegue

36

Eu já havia comentado que tinha assistido o filme e estava lendo o livro “Não sei como ela consegue” (Ed. Rocco). Pois bem, resolvi falar um pouco sobre os dois aqui no blog. De cara, já digo que achei o filme muito mais tênue que o livro. Quando li algumas passagens, fiquei imaginando a Sarah Jessica Parker interpretando as cenas e é impossível dissociá-la da imagem da Carrie e a ideia de romances no ar. O filme não passa nem 50% do que o livro traz, mas eu gostei de tê-lo visto primeiro porque pude curtí-lo sem comparações.

A sinopse é a seguinte: Kate Reddy tem 35 anos, mora em Londres, é gerente de investimentos de uma grande empresa, vive entre viagens de última hora e reuniões com homens machistas e invejosos. O marido, Richard, é um arquiteto que ganha bem menos do que ela, e os filhos, Emily e Ben, ainda bem pequenos, ocupam todo o pouco tempo que lhe sobra. O livro é sobre o malabarismo que ela tenta fazer entre sua vida pessoal, profissional, seus projetos, seus anseios, sua culpa como mãe ausente, sua culpa por se sentir bem quando viaja, essas coisas. Leitura obrigatória para toda mãe que trabalha fora.

No geral, meu sentimento ao ler o livro foi “minha nossa, que loucura!”. Mesmo eu tendo uma vida corrida e me sentindo culpada durante a maior parte do tempo, eu não chego aos pés do que a Kate faz. Ela mal vê seus filhos, emenda uma viagem de trabalho na outra e sua vida é um caos total. Chega a ser desesperador. Tem uma cena em que ela trabalha até mais tarde, o marido precisa sair para um jantar de negócios e eles não têm com quem deixar as crianças. Não vou contar o que acontece para não estragar a surpresa de quem ainda não viu/leu, mas aquilo para mim seria o ponto final daquela vida maluca que ela estava levando.

O livro é bom porque fala dos dilemas que uma mãe com uma ótima carreira realmente sofre, e eu não tinha lido nada parecido antes dele (se souberem de algum, me indiquem!). Foi tranquilizante ler uma série de passagens e pensar que eu não sou a única a pensar daquele jeito. É um bom livro feminista. E o final é melhor que o do filme.

Alguns clichês são inevitáveis quando falamos de mulheres que trabalham fora e tentam conciliar a vida com a família. Mas o legal do livro é realmente mostrar uma família real, com filhos carentes, uma mãe desesperada e um marido se sentindo perdido no meio disso tudo. Para refletir longamente sobre nossos papéis nesta vida.

O velho problema e a mesma pergunta: o que é mais importante? O livro/filme oferece mais de uma resposta, o que por si só já é uma postura diferente da que estamos acostumados. Eu imagino a Marissa Mayer lendo esse livro e pensando sobre tudo o que ela falou nas entrevistas antes de ter o bebê. (Aliás, toda sorte do mundo para ela nesse momento.)

Dicas para otimizar a limpeza da sua casa

26

Na última palestra que eu fiz, muitas pessoas me perguntaram duas coisas: como eu conseguia conciliar as tarefas de casa com o meu filho e como eu consigo fazer tanta coisa em tão pouco tempo. Hoje eu vou dar algumas dicas para ajudar você a conseguir fazer mais em menos tempo também.

Nossa rotina doméstica tem ficado muito corrida, pois meu marido tem feito muitos shows e não temos ficado tanto em casa. Eu mesma tenho viajado, participado de cursos e eventos, e cuidar da nossa casa se tornou mais difícil. Eu comentei no meu checklist que gostaria de fazer um teste com uma faxineira a cada 15 dias, mas meu marido não quer porque nós sempre demos conta de tudo. Vamos ver.

De qualquer forma, nossa rotina é mais ou menos assim:

  • Pela manhã, antes de todos acordarem, eu faço algumas coisinhas
  • Durante o dia, meu marido cuida das tarefas mais corriqueiras (comida, louça)
  • De noite, brinco com o filhote, dou banho nele e meu marido o coloca para dormir
  • Depois disso, tenho cerca de três horas livres para fazer as minhas coisas, sejam quais forem
  • Se tivermos tempo, aos finais de semana executamos mais algumas tarefas

Essa é basicamente a nossa rotina. Se ficássemos em casa todos os finais de semana, acredito que não precisaríamos fazer tantas tarefas no decorrer da semana. Mas o que costumamos fazer para dar conta de tudo, no geral, é o seguinte:

1. Fazer um pouco por dia

Em vez de deixar acumular, nós distribuímos as tarefas ao longo da semana. Temos uma lista de tarefas diárias essenciais (arrumar a cama, lavar a louça) que seguimos rigorosamente. Ela tem bem poucos itens – somente o necessário para a casa ficar minimamente apresentável. Temos listas de tarefas semanais, mensais etc, e vamos distribuindo no decorrer dos dias de acordo com as zonas da semana.

Quer dizer, as tarefas semanais (suponhamos que sejam 14) são distribuídas todos os dias, todas as semanas. Se são 14, significa que fazemos duas delas por dia (limpar o microondas, limpar a geladeira), por exemplo. As tarefas mensais são distribuídas de acordo com as zonas da semana (veja um post sobre isso). No total, fazemos de 3 a 5 tarefas além das tarefas diárias, todos os dias.

Elas não pesam porque procuramos intercalar tarefas mais chatas e demoradas com tarefas mais leves, além de dividirmos todas. A distribuição que eu recomendo é:

  1. Tarefas diárias
  2. Uma tarefa mais pesada, semanal ou mensal
  3. Duas tarefas leves, semanal
  4. Duas tarefas leves, mensal

2. Destralhar sempre

Quanto menos temos, menos precisamos limpar, arrumar e organizar. Todos os dias eu tenho meus 5 a 15 minutos de destralhamento quando passeio pela casa com uma sacolinha na mão e recolhendo o que for lixo. Quanto mais você destralhar, mais fácil será para limpar.

3. Limpar só o que está sujo

Esse desapego veio quando eu fiquei mal de saúde e meu marido precisou assumir praticamente todas as tarefas domésticas. Simplesmente não tínhamos tempo para limpar o que não fosse necessário. Isso abriu muito a nossa cabeça e aumentamos muitas frequências de nossas tarefas. Coisas que limpávamos diariamente foram para a lista semanal e muitas da lista semanal foram para a lista mensal.

4. Envolver nosso filho nas tarefas

É claro que brincamos com o nosso filho e temos tempo para as atividades infantis da sua idade. Porém, considero de extrema importância a participação dele no cotidiano de cuidados com a casa, pois não quero que ele cresça ignorando isso. Assim, eu sempre o levo comigo para estender roupas (ele adora tirar todos os pregadores), guardar a roupa limpa, arrumar a cama, ele mesmo nos ajuda a guardar seus brinquedos, entre outras atividades. Vou conversando com ele e explicando o que estou fazendo. Dessa forma, aproveito meu tempo com ele e consigo fazer algumas tarefas de casa em poucos minutos.

5. Não perder tempo

Eu não posso mais me dar ao luxo de perder duas horas da minha noite no Facebook, por exemplo. Tem dias em que eu realmente termino tudo o que eu tenho para fazer, meu marido está vendo um filme ou já foi dormir, e eu posso fazer esse tipo de coisa. Como regra geral, eu nunca faço. Por quê? Porque é tempo perdido. Eu poderia estar estudando algum idioma, adiantando tarefas em casa, escrevendo meu TCC, cuidando do blog etc! Eu tenho cerca de 3h desde o momento em que o meu filho dorme até a hora em que eu vou dormir, e não vou perder esse tempo precioso com algo que não me acrescentará nada.

6. Planejar o que puder

Arrumar minha bolsa na noite anterior, separar a roupa que irei usar, preparar minha comida para levar para o trabalho, ter um bom sistema de gerenciamento de contas, planejar um menu semanal, entre outras muitas práticas, otimizam nosso dia-a-dia de muitas formas. Nós certamente economizamos horas por semana apenas por causa desse planejamento.

Com essas premissas acima, conseguimos dar conta de tudo sim, numa boa. É cansativo? Claro que, se compararmos a ficar deitados no sofá, pode ser considerado cansativo. Mas se você tem uma motivação para cuidar da casa (morar em um ambiente saudável, gostoso, que reflita sua personalidade, seja seu refúgio), eu não vejo nem um pouco como trabalho.

O que eu fiz em setembro

22

Setembro foi um mês calmo. Depois da turbulência dos últimos meses (especialmente agosto), quis pegar leve e descansar mais. Foi ótimo porque consegui pensar bastante na vida e definir próximos passos para todos os meus projetos, além de deixar para trás o que fosse desnecessário e pensar em ideias novas.

Segue um resumo do meu último mês para vocês:

Tirei férias

Tirei 15 dias de férias no trabalho e foram dias muito bem aproveitados. Viajei, li muito, pensei na vida, descansei, fiquei com o meu filho, enfim, foram boas férias.

Viajei

Viajei para São Paulo e para Taubaté, nada muito extraordinário. Não dava para viajar muito porque estamos economizando, mas principalmente porque era pouco tempo e eu queria resolver um montão de coisas nas minhas férias. Consegui ver o Caravaggio no MASP, ir à 25 de Março, ao cinema e jantar com as minhas amigas.

Trabalhei mais no meu TCC

A entrega do TCC foi postergada para o final de outubro. Estou bem adiantada então só me resta terminar de escrever, mas falta pouco.

Comemorei meu aniversário

Dia 25 foi o meu aniversário e comemorei da melhor forma possível: com a minha família! Passamos o dia inteiro juntos e eu me dei de presente um monte de livros. Sim, sou assim. Foi um dia feliz.

Li vários livros

Li um montão de livros novos. Acho que essa é a melhor coisa quando se tem um pouco mais de tempo. Depois vou fazer um post sobre os livros que li, pois alguns foram sobre organização e podem ser interessantes para vocês.

Tirei meu certificado de professional organizer

Fiz o excelente curso da OZ – Organize sua vida e tirei o certificado de professional organizer. Sou outra pessoa depois desse curso (e já comecei a mexer no meu apartamento, haha). Se alguém tiver interesse e estiver na dúvida pensando se vale a pena ou não, só digo uma coisa: faça, faça e faça!

Palestra na “Minha Casa em exposição”

A revista Minha Casa montou uma exposição no Complexo Comercial Tatuapé e eu fui chamada pela Meu Móvel de Madeira (patrocinadora do evento) a participar com uma palestra. O tema que escolhi foi: “Mantendo a casa organizada na correria do dia-a-dia” (slides aqui). Adorei participar e conhecer alguns leitores do blog pessoalmente. =)

E você, o que fez em setembro?

A cozinha reformada da Wanice

16

Outro dia eu fiz um post pedindo para vocês enviarem dicas para eu publicar aqui, vocês se lembram? Pois bem, hoje é o primeiro post assim. Já recebi muitos e-mails (obrigada, pessoal!) e vou publicando aos pouquinhos, está bem?

Hoje o post conta com a participação da Wanice, que quis compartilhar a reforma da sua cozinha. Vejam como ela fez:

No post do blog dela, ela comenta quais foram seus objetivos:

Eu queria e precisava de um NOVO PISO, MAIS LUZ e um novo encanamento interno, que me garantisse ÁGUA PURA, SAÚDE, visto que os canos ainda eram de ferro e alteravam a cor, o sabor e a composição da água.

Não substituí mobiliário nem eletrodomésticos porque isso não é mais uma prioridade para mim, pelo menos não no momento. A reforma trouxe o que eu buscava (e busco): uma base sólida, transparência, luminosidade e fluidez.

Tudo pronto. Eu e minha cozinha nos ajustamos. Tenho uma COZINHA AFETIVA, colorida, com tons provençais e toscanos, bem ao gosto de meu coração latino. Cozinha planejada? Gosto muito na casa dos outros, mas não é a minha cara.

Se identificou? Eu gostei muito. Obrigada, Wanice. O que vocês acham da ideia de uma cozinha sem móveis planejados?

Participe você também do Vida Organizada enviando o seu depoimento ou dica por e-mail.

Checklist de outubro 2012

33

Segue meu checklist de organização para outubro:

  1. Revisar objetivos para 2012 e verificar o que ainda devo fazer este ano
  2. Revisar objetivos e estabelecer metas para o mês de outubro
  3. Voltar das férias para o trabalho
  4. Fazer uma experiência com uma diarista a cada 15 dias
  5. Conferir aniversários do mês e planejar providências
  6. Fazer algumas pesquisas para as eleições municipais
  7. Organizar o guarda-roupa do meu filho (comprar cabides, separar roupas para doação)
  8. Finalizar o meu projeto de conclusão de curso da pós-graduação
  9. Inserir pequenos toques de primavera na decoração
  10. Planejar uma atividade diferente com meu filho para o Dia das Crianças
  11. Tirar do armário e limpar os brinquedos de verão do meu filho
  12. Comprar alguns produtos organizadores novos para o apartamento no geral
  13. Implementar planejamento de estudos de espanhol que eu fiz em setembro
  14. Pesquisar e planejar o que fazer para o próximo Halloween
  15. Definir o que fazer no feriado prolongado de novembro
  16. Organizar a varanda
Estou pensando em conferir sempre esse ar mais pessoal aos checklists. Se vocês gostarem da ideia, eu mantenho. Me avisem nos comentários. =)

E você, o que pretende fazer neste mês?

Sugestão de cardápio para a semana de 1 a 7 de outubro

5

Toda semana eu posto uma sugestão de cardápio para ajudar você a montar seu menu semanal. A ideia é complementar o que você já tem planejado e inspirar a fazer mudanças.

Veja as sugestões desta semana:

Segunda – Penne com carne e abobrinha

Terça – Torta de atum com legumes

Quarta – Frango com crosta de queijo + arroz diferente

Quinta – Polenta cremosa com calabresa picante

Sexta – Fricassé de frango + arroz branco

Sábado – Sanduíche de carne louca

Domingo – Frango defumado com ninhos de massa

Uma ótima segunda-feira para você!

Linkagem de domingo {24}

8

Toda semana eu faço um apanhado de links bacanas que gostaria de recomendar a vocês. Seguem os de hoje:

Tenham uma excelente semana!