22 Apr 2013

Priorize o que for realmente importante para você

Vou ser bem direta neste post: a vida é uma só e passa voando. Por que exatamente devemos perder tempo com atividades que não são prioridade para nós?

Outro dia estava lendo o livro do William Douglas (Como passar em provas e concursos) e ele disse algo que eu queria postar aqui no blog desde então: se estiver envolvido(a) em muitas atividades, priorize aquela que lhe traz seu sustento. Simples, não?

Mas, além do sustento, também gostamos de outras coisas. O que é importante para você? Quais são as suas prioridades?

Eu posso dizer, sem dúvida nenhuma, que minha família e minha saúde são as minhas prioridades. Ter minha família como prioridade significa que eu priorizo também o meu emprego, pois pago nossas contas com ele. Significa também, lógico, que devo priorizar o relacionamento com o meu filho e com o meu marido. Priorizar a minha saúde significa que quero ficar bem para atingir meus objetivos e ser a melhor mãe e companheira possíveis para os dois. Eu também quero me sentir bem de saúde sempre, para conseguir ir atrás do resto sem impedimentos nessa área.

Não tem o menor sentido passarmos a vida inteira vivendo de um jeito que não gostamos, ao lado de pessoas que não nos deixam bem, ou trabalhando em um lugar que odiamos, em uma carreira frustrada.

Pense, hoje, em como está a sua vida atualmente e como você gostaria que ela fosse. Pense nos problemas reais. Tenha perspectiva – veja se você está no caminho certo ou se precisa alterar sua rota. Mas faça isso. Realize esse exercício sempre que possível, pois ele é importante para não transformar você em uma pessoa apática que desperdiça a vida.

O que você quer de verdade? Qual é aquele sonho que passa todos os dias pela sua cabeça? Qual é o objetivo pelo qual vale a pena lutar?

Saber quem você é é uma construção que leva tempo. Mas a única maneira de fazer isso é respondendo as perguntas acima e transformando cada uma delas em ações. A vida passa depressa, mas também dá tempo de fazer o que queremos, se nos organizarmos direitinho e não perdermos o foco.

Imagem: retirada do Tumblr (sem fonte)

Imagem: retirada do Tumblr (sem fonte)

“Não desista do que você mais quer, por uma coisa que você quer agora.”

21 Apr 2013

Linkagem de domingo {47}

Toda semana eu separo alguns links que gostei e achei interessantes de serem compartilhados aqui no blog. Os desta semana são:

Boa semana para você!

20 Apr 2013

Organizando-se para comprar o presente de Dia das Mães

Eu já escrevi um post sobre tipos de presentes aqui no blog, que recomendo sempre que vou falar sobre alguma data comemorativa que demande a compra de coisas novas. Para o Dia das Mães, não é diferente.

Eu sei que é uma data comercial, assim como todas as outras datas comemorativas (sei que muitas são ligadas ao catolicismo, mas mesmo essas possuem grande apelo comercial), mas eu acho importante celebrar esses dias. Para falar a verdade, eu adoro ter um motivo para celebrar! E, como vivemos sem muito tempo para encontros e festinhas, essas datas nos ajudam a organizar o calendário.

No Dia das Mães, nós costumamos comprar um presente para a minha mãe, para a minha sogra e para a minha avó. Meu marido, é claro, compra um para mim também, para entregar junto com o filhote. =)

Acredito que a melhor recomendação para quem deseja comprar algo para o Dia das Mães seja não comprar nada que seja para cuidar da casa ou que signifique mais trabalho para ela, como jogo de panelas, eletrodomésticos etc. Sei que muitas mães adorariam ganhar uma geladeira nova, ou mesmo uma batedeira (sério, eu mesma amo essas coisinhas para casa), mas o Dia das Mães não é o momento para fazer isso! Aliás, se a casa precisa de algo, não há a necessidade de esperar qualquer data especial para usar o presente como desculpa para o gasto. Por favor!

No mais, sou um pouco contra comprar presentes caros. A não ser que você realmente não tenha o menor problema com dinheiro e possa gastar sem maiores prejuízos, claro. Mas, no geral, acho que essas datas são para darmos lembrancinhas, coisas afetuosas. Especialmente no Dia das Mães, acho legal dar pequenos “mimos” para essas mulheres lindas.

Não posso contar aqui no blog quais os presentes que nós compramos, especialmente porque a nossa família lê o meu blog e não quero estragar a surpresa. Mas o que nós fazemos é justamente isso: escolher um “mimo” para cada uma, respeitando o momento que estão vivendo.

Se você gostaria de ter algumas ideias, segue uma lista com recomendações minhas:

  • Alguma peça de roupa que reflita a personalidade da sua mãe, como um lenço, uma blusa, uma bolsa. Evite dar sapatos (mesmo o número certo pode machucar) e artigos de gosto duvidoso. Se não tiver certeza, compre algo mais básico, que você já viu sua mãe usando, mas em outra cor, por exemplo.
  • Algum artigo de decoração. Vasos, quadros e esculturas sempre são boas opções, mas atente para o gosto da sua mãe, não o seu. Afinal, é na casa dela que você quer que fique o objeto.
  • Um par de ingressos para assistir uma peça muito bacana que ela já tenha comentado que queria, ou alguma que você tenha visto e que gostaria que ela assistisse. E sim, dê um par. Não, não fique triste se ela escolher ir com outra pessoa que não você! Foi presente!
  • Um par de ingressos para assistir um show muito bacana de algum artista que ela goste.
  • Um dia no spa com direito a massagem, manicure, pedicure e corte de cabelo.
  • Se você tiver um pouco mais de dinheiro, pode dar uma viagem de final de semana para algum lugar bem gostoso e que não dê muito trabalho para ela.
  • Leve-a para jantar no seu restaurante preferido. Dê flores. Peça para o músico cantar sua música preferida à mesa.
  • Um livro muito especial com a biografia de alguém que ela goste muito. Ou um livro com relato de viagem de um lugar que ela goste e sempre fica muito nostálgica quando fala a respeito.

O melhor momento para comprar definitivamente não é o sábado anterior! Você já sabe que o Dia das Mães acontece todo segundo domingo de maio, então antecipe-se. Se vir algum presente legal muito antes da data, você inclusive já pode comprar e guardar. Eu costumo comprar cerca de um mês antes mesmo.

A regra geral sem dúvida é pensar no melhor mimo possível para a sua mãe e presenteá-la dessa forma. Não tem erro. O melhor presente da sua mãe é você se lembrar dela, nesse dia. Para ser a cereja no bolo, mostre que a conhece e que se importa com ela. Isso independe de coisas materiais, mas todo mundo adora um agradinho.

19 Apr 2013

Como se organizar para manter amizades

Este post pode parecer estranho, mas eu estava pensando nesse assunto recentemente e vi que não é tão absurdo assim. Levante a mão quem nunca encontrou um amigo e se despediu com um “precisamos fazer isso mais vezes!” que durou meses ou até anos? Quem nunca se lamentou por ter deixado uma amizade esfriar pela distância? Ou ficou triste porque não conversa há tempos com alguém que gosta muito? Talvez a organização possa ser útil para os relacionamentos também, então aqui vão algumas dicas para manter as amizades:

Use a sua agenda

Anote os aniversários das pessoas queridas na sua agenda e seus telefones para ligar sempre que tiver vontade. Não existe nada pior que querer conversar com alguém e não encontrar o telefone porque já jogou fora a sua agenda do ano anterior, quando foi a última vez que se falaram! Eu sei que hoje, com as agendas dos celulares, isso quase não acontece, mas ainda assim eu recomendo um sistema mais seguro para guardar esses números, como a boa e velha agenda de papel ou a agenda do seu e-mail. Pelo menos assim eles estarão mais seguros que em um chip ou na agenda de um ano específico.

Pense nos aniversários como a data mínima para conversar com esse amigo ou amiga. Ao menos uma vez por ano você entrará em contato, o que é melhor do que nada! Hoje em dia o tempo passa tão rápido que acontecimentos de dois anos atrás parecem ter sido há poucos meses. Quem sabe se telefonando para dar os parabéns você não acabe sendo convidado para uma confraternização? E aí, se você puder comparecer, será uma excelente oportunidade para renovar a amizade e marcar encontros futuros. Faça isso!

Marque encontros regulares

Todos nós temos nossos melhores amigos – aqueles três ou quatro que estão sempre conosco para o que der e vier mas, na correria do dia a dia, acabamos não nos falando tanto quanto gostaríamos. Sempre que eu combino de sair com as minhas amigas, fico me lamentando por vê-las tão pouco. Dessa forma, decidimos criar uma periodicidade de dois meses para fazermos algo juntas! Ou seja, a cada dois meses, marcamos algo para nos encontrarmos! Não precisamos estar todas juntas, mas eu com alguma delas ou todas juntas, se estivermos disponíveis. Como algumas de nós moramos em cidades diferentes, foi uma solução viável e que tem dado certo!

Assim, marque algo com um de seus amigos ou toda a turma para daqui a um mês, por exemplo, quando provavelmente ninguém terá compromisso marcado ainda e todos terão disponibilidade. E, depois de um tempo, marque novamente. Tenha isso como uma tarefa regular aí no seu sistema de gerenciamento de tarefas, e coloque um lembrete para não se esquecer de marcar.

É claro que a periodicidade varia de pessoas para pessoa e de situação para situação. Existem amigos que se vêem uma vez por semana, assim como tem amigos que se vêem somente uma vez por ano. De qualquer forma, crie essa periodicidade para não se esquecer.

Eu decidi fazer isso porque percebi que estava vendo minhas melhores amigas somente nos aniversários delas, o que é muito injusto. Dessa forma, a gente conseguiu se ver mais e nunca existe aquele sentimento de saudade ou de culpa por não estarmos nos vendo tanto.

Entre em contato mais vezes

Da mesma forma que você pode fazer para os encontros, também pode estabelecer uma periodicidade para se comunicar com os seus amigos. Eu não tenho isso anotado (até deveria), mas procuro ao menos uma vez por semana enviar um recado no Facebook ou um SMS para as minhas melhores amigas.

Para amigos não tão chegados, mas ainda assim queridos, também entro em contato de tempos em tempos. Recados pela Internet são mais fáceis e mais rápidos, e menos íntimos que um SMS, por isso os prefiro.

O legal de redes sociais como o Facebook é a possibilidade de ver quando é o aniversário de um amigo que você não conversa há tempos e, assim, puxar uma conversa para saber como a pessoa está.

Faz bem se relacionar. Faz bem ter amigos. Não podemos deixar uma amizade morrer por descuido. Organize-se com essas dicas simples e veja como ficará com a sensação de dever cumprido depois de implementá-las.

18 Apr 2013

A escolha da felicidade

Imagem: fonte desconhecida

Imagem: fonte desconhecida

Hoje eu vou falar sobre um assunto que, aparentemente, não tem nada a ver com organização mas, até o final do texto, eu espero fazer com que você veja que está sim relacionado.

Não tenho formação em psicologia, mas gosto bastante do assunto. O que eu vou escrever aqui, então, é uma opinião leiga, mas baseada em minhas experiências pessoais.

Tive um amigo que não acreditava em felicidade. Para ele, a felicidade não existe. Trata-se de um sentimento que ignora os problemas do mundo, os nossos próprios problemas, e encara tudo com um otimismo ingênuo.

Na minha opinião, o ser humano é, por natureza, infeliz. Temos tantos problemas! A vida é tão difícil – corremos para lá e para cá conciliando trabalho, família, vida social, hobbies, enfim, tudo o que temos para fazer. Vivemos escravos do dinheiro, trabalhando para juntar o suficiente para vivermos com tranquilidade no dia em que nos aposentarmos, com 60, 65 anos…

Thoreau, um dos meus autores preferidos, diz que todo homem vive em um silencioso desespero. Muitas vezes, eu, que gosto de reparar nas pessoas, observo que muitas delas mantêm a roda girando, ou seja, levam o seu dia a dia no piloto automático, simplesmente porque, se pararem, a engrenagem dá problema. É melhor se manter ocupado que parar para pensar na vida.

Eu entendo muito bem o ponto de vista do meu amigo. Quem já teve um histórico de depressão sabe como é um estado sem cura, quando simplesmente entendemos o mundo, as pessoas, e é muito difícil passar a ver tudo de forma diferente e com alguma perspectiva.

Por que eu acho que a organização é importante nesse processo? Porque aprendemos a ter metas. A pensar a longo prazo. Quando começamos a nos organizar, a primeira coisa a ser feita é definir quem gostaríamos de ser no último dia da nossa vida e determinar objetivos menores para chegar até lá com a sensação de dever cumprido. Só de adquirir essa perspectiva, todo o quadro já muda. Quando temos objetivos, temos uma razão para viver.

A felicidade pode sim ser um sentimento que camufle os reais problemas da vida, mas eu acho que ela é necessária. A felicidade não é um fim – ela é um meio. Não é um objetivo – nós escolhemos ser felizes. É bem assim mesmo: dizer que, a partir de hoje, vou ser feliz e pronto! E, desde então, passar a viver a vida de forma plena, coerente com a sua personalidade, sabendo onde você quer chegar e quem você quer ser. A felicidade é, então, decidir buscar o próprio eu. Não desistir.

Ser feliz é permitir que coisas boas entrem na sua vida. Ninguém é feliz o tempo todo mas, nos momentos complicados, adotar uma postura de felicidade pode ajudar demais na recuperação – na coisa de não levar adiante sentimentos ruins. Se você escolhe ser feliz, nada pode te derrubar, pois sentimentos são internos.

Eu falo isso porque, sem essa atitude, quem consegue viver? Quem consegue ter força de vontade para correr atrás dos seus objetivos, trabalhar bem, curtir a vida? Ninguém. Então escolher ser feliz tem sim, tudo a ver com organização. Na verdade, o contrário também é verdadeiro. Eu mesma me sinto muito feliz e satisfeita quando sei que a minha vida está em ordem. E isso não tem nada a ver com a casa arrumada, mas com as contas pagas e os sonhos em andamento.

Se ter essa sensação não significa ser feliz, então eu não sei o que é.

Todas as experiências da nossa vida nos levam a caminhos que são determinados pelas nossas atitudes. Se escolhermos a felicidade, seremos felizes. Não é bobo – só é simples. Ser feliz é valorizar a vida e a possibilidade de nos recriarmos diariamente.

E você, já decidiu ser feliz?