Categoria(s) do post: GTD™

Captura de tela 2016-01-06 19.08.14

Em dezembro, nós realizamos uma reunião de planejamento do Vida Organizada para 2016 e além. Quando digo nós, me refiro a mim, a Carol (que está se capacitando para ser instrutora) e o Marcos (que cuida da parte comercial). Também tivemos uma convidada especial. 🙂 Essa reunião foi para conversarmos sobre ideias para o Vida Organizada como instituição – não apenas o blog, mas cursos e outras iniciativas.

São dois os exercícios desse planejamento que eu queria compartilhar com vocês porque podem ser aplicados à organização da vida como um todo:

  1. Eu pensei no Vida Organizada daqui a 50 anos. O que quero ter alcançado? Que legado quero deixar com essa minha criação? E isso me deu perspectiva. Fez ver que meu trabalho “corporativo”, digamos assim, está muito mais voltado para o GTD, e que o Vida Organizada se volta para o conteúdo, meus livros, cursos que, de alguma maneira, tenham a ver com essa educação sobre organização pessoal (mudança de hábitos etc). Esse exercício também me fez pensar na vida. E quanto a mim? Como eu me vejo daqui a 50 anos? Será que ainda estarei aqui? Se não, que marca quero ter deixado no mundo? Qual será o meu legado? E acredito que esse seja um exercício muito útil e de grande reflexão a ser feito por todos nós.
  2. Pensar o planejamento da vida, dentro de tudo aquilo que a gente já sabe sobre horizontes de foco, mas planejar os compromissos, de fato, por trimestre. Essa ideia na verdade eu tirei do Steve Jobs e da estratégia de lançamento de produtos da Apple. Penso que faz muito sentido ter uma pipeline de coisas que quero que aconteçam e, dentro disso, distribuir as “entregas” de 3 em 3 meses. Durante o trimestre, foco total nessas entregas. Isso tem sido muito legal porque, por exemplo, consigo ter mais noção do que será da minha vida até março. Até o final de janeiro, vou fechar a “programação” do segundo trimestre (abril, maio e junho). É valioso porque pode ser difícil planejar um ano inteiro e, talvez, de mês em mês, a gente perca um pouco a visão macro das entregas (e, quando digo entregas, me refiro desde projetos no trabalho até viagens de férias). O acompanhamento dos objetivos fica mais claro também.

Enfim, são dois exercícios fundamentais e que tenho usado não só com o Vida Organizada, mas em minha própria vida. Achei que pudesse inspirá-los de alguma maneira também.