Categoria(s) do post: Diário da Thais, Roupas, Trimestral

Esse período do ano é difícil de bater o martelo quanto às roupas, porque aqui em São Paulo tem dias que faz muito calor, tem dias que faz muito frio, e tem dias que trazem as quatro estações no mesmo dia! De modo geral, nessa época do ano o tempo ainda está geladinha e tem o agravante da chuva. Logo, mais do que uma armário-cápsula de primavera, para mim faz sentido montar um armário para os próximos 30 dias, quase como se eu fosse passar um mês fora, viajando. Depois repenso as peças.

O raciocínio tem sido então em torno de:

  • tecidos (veludo, flanela, moletom, lã, pelúcia)
  • tipos de roupa (confortável, casual, elegante para reuniões, arrumadinha para gravar aulas)
  • compromissos do mês
  • calçados (especialmente para chuva, e calçados influenciam nas partes de baixo escolhidas)

Sobre cartela de cores

Minha cartela é de profundidade, mais inverno mesmo e, quando estou “bronzeada”, algumas cores da cartela de outono. O que sei mesmo é que o que fica melhor em mim são as cores “profundas”, haha, como explicar? Essas aqui: vinho, berinjela, azul petróleo, roxo uva, verde garrafa, mostarda, rosa escuro, azul bic. Elas fazem muito sentido no inverno também.

De cores mais claras, estou buscando na minha cartela o que faz mais sentido e que eu goste. Tenho curtido lavanda, verde limão, vermelho, e tentado encontrar um pink que fique bom em mim (o mais azulado fica esquisito). Esse tom aqui embaixo parece fazer sentido para mim:

Esse look acima me representa porque adoro tom sobre tom e estou numa fase de estampa de píton também (inconsciente coletivo de Pantanal? talvez). Eu não curto muito estampa, mas animal print e xadrez são as exceções, com moderação.

Nos dias mais quentes, me vejo usando linho e algodão. Adoro.

Eu fiz uma revisão no meu armário nos últimos dias e separei MUITA coisa para doar. Cada vez mais eu tenho consciência do meu estilo e, por isso, sou mais criteriosa para comprar e para manter as peças que fazem sentido.

Ainda não “fechei” o armário-cápsula da vez porque estava nessa seleção para doação, mas pretendo postar em breve minhas escolhas.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Lisandra comentou:

    Oi Thais,
    penso que o armário capsula é mais um “livro de colorir”, …o da biblioteca do guarda roupa!

  2. Maria comentou:

    como saber minha cartela de cores?

  3. Priscilla Harada comentou:

    Gostei muito de ler suas considerações sobre o armário cápsula de primavera, Thais.
    Ainda mais que em Curitiba, temos vivido um inverno tardio. Muito frio, mais frio do que tivemos em julho e agosto. E eu tenho tido dificuldades para montar um armário coerente. Acho que o jeito é aceitar que o clima está meio maluco e separar as minhas peças preferidas de cada estação… Uma coisa que ando fazendo muito, é experimentar camadas de roupas que, normalmente, eu jamais combinaria. Estou me divertindo! Vestidos de verão com meia calça, jaqueta de couro (fake) e bota. Ou calça quentinha por baixo de uma saia comprida, camisa leve, mas com uma blusa de lã por cima. Essas coisas!
    Sempre me inspiro muito nos seus posts de armário cápsula. Mesmo tendo estilos muito diferentes, sempre aprendo algo! Obrigada por compartilhar!
    Dessa vez, acho que a lição mais interessante foi sobre as cores. Não sei “oficialmente” qual é a minha cartela de cores, mas tenho observado bastante quais são as cores que combinam comigo. E entendi que não preciso excluir totalmente uma cor “de fora” da minha cartela! Posso procurar outro tom, assim como você está fazendo com o rosa.
    Tenha um ótimo resto de semana!

  4. Carollzita comentou:

    Amei o post!

    Estou pensando muito em usar sua estratégia para guardar aquelas roupas que usei muito recentemente e que estou um pouco enjoada. Fora as que já separei para doação mesmo.

    Eu estou viciada em estampa de onça desde o ano passado, ou seja, antes do Pantanal. É que está muito na moda mesmo. A gente acaba vendo muito por aí, hehehe.