Categoria(s) do post: Diário da Thais, Lazer, Curtindo a casa

Eu li a maioria dos livros clássicos da literatura entre a minha adolescência e os meus 30 anos de idade. Hoje em dia, minhas leituras se concentram mais nos assuntos que estudo para o Doutorado e para o meu trabalho – fico mais na área das Ciências humanas mesmo. Me tornei um pouco mais criteriosa para leituras de ficção porque já sei do que gosto e do que não gosto. Eu gosto muito de literatura fantástica, por exemplo. Gosto de literatura brasileira e em português (Clarice, Pessoa, Florbela Espanca), obviamente. E gosto de literatura russa. Eles têm uma melancolia com o cotidiano que eu me identifico muito e gosto de ler, além da escrita e condução da narrativa incríveis. O primeiro livro que li de literatura russa foi – como o foi para a maioria das pessoas que gostam – “Crime e Castigo” do Dostoiévski. Eu lembro do momento de vida que eu estava vivendo na época em que li o livro. Toda a construção da narrativa e do personagem que o D. faz é muito envolvente!

Recentemente, eu fiquei com vontade de ler um livro dele que nunca tinha lido (“O duplo”), e pensei: “por que não leio todos na ordem em que foram publicados?”. E assim nasceu o novo projeto, que é para a vida (chamo de projeto pela simpatia ao tema, e não porque vou finalizar em um ano, como usamos a nomenclatura aqui no blog para falar sobre projetos). Vou começar relendo o “Gente pobre”, que é sensacional e eu li há uns oito anos, e vou adquirindo os livros aos poucos pela Editora 34, para ter a coleção na minha biblioteca mesmo.

“Ah, Thais, mas como você organiza esse projeto?”

Eu não trato com muito rigor não, especialmente porque faço por prazer e não por obrigação. Vou controlando a minha biblioteca através do Skoob e pretendo ler um de cada vez, na ordem, mesmo releituras. Você pode me acompanhar por lá, se quiser.

Confira aqui a bibliografia do D. se tiver interesse também.

Tenho um livro de apoio da Ed. Todavia chamado “Como ler os russos” que vou manter por perto para consulta.

Como faço com todo livro, pretendo fazer minhas anotações e capturar insights. Talvez, com o tempo, eu queira montar uma lista de referência no Notion, para “controle”. Quem sabe? Mas eu quis compartilhar aqui com você porque sei que esse tipo de projeto de vida pode gerar dúvidas e quero mostrar como nem tudo o que a gente faz na vida precisa de controle, sabe? Relax, refocus.

Deixe seu comentário

10 comentários

  1. Fabíola comentou:

    Boas leituras! 🙂 também quero fazer esse mesmo projeto um dia!
    No início do ano estipulei objetivos pra ballet e patins, coisas que quero evoluir muito. Mas apesar disso, também são hobbies, e agora na revisão do meio de ano ajustei. Quero evoluir mas sem tanta seriedade, porque me dá uma sensação de obrigatoriedade e diminuí o prazer. O objetivo agora é praticar cada um deles ao menos 1x por semana, e o resto virá por consequência 😅

  2. Mariella comentou:

    Amo Literatura Russa. Costumo dizer que não existe nenhuma emoção que eu sinta, que algum russo não tenha descrito de maneira perfeita.

    Mas o Dostô não é necessariamente meu favorito. Gosto muito de Gorki, que tem uma crítica social muito forte e Turgueniev que se destaca por fazer descrições perfeitas da natureza russa e pelo clássico Pais e Filhos.

    Gontcharov é pouco conhecido aqui no Brasil, mas ele escreveu Oblomov, que pra mim é uma obra prima. Pode ser visto como uma crítica à inércia da nobreza, mas também, a qualquer um que se deixe levar pela vida, sem ter um propósito, sem importar-se com a vida.

  3. Marcela Vianna comentou:

    Ia sugerir exatamente a tradução da Editora 34. Acho sem comparação! Dostô é perfeito ❤️

  4. Patricia Lara comentou:

    Oi Thaís
    Tudo bem?
    Você viu que a editora 34 lançou a “caixa” com toda obra do Dostoiévski?
    A coleção tá linda 🤩

  5. Thais comentou:

    Thais, ano passado eu reli Crime e Castigo com o apoio da leitura dirigida da psicóloga Maria Camila Moura – está disponível no YouTube e é gratuito.

    Foi maravilhoso!

  6. Cinthia comentou:

    Irmãos Karamazov. Ma-ra-vi-lho-so. Gigante e lindo <3

  7. Andrea comentou:

    Olá, Thais! Tenho visto bastante gente comentando sobre literatura russa nesses últimos tempos, será um sinal pra eu ler? 😀 Não conheço nada e, apesar de ver muitos comentários do tipo “é uma leitura difícil!!” também tenho visto gente comentando que dá pra começar “leve”.

    Quem sabe um dia, fiquei curiosa.

  8. Franceline Rodrigues comentou:

    Ei, Thaís; Não estou conseguindo seguir seu perfil no Skoob. Seu perfil nem aparece quando digito seu nome. Será que já chegou no limite de seguidores?