Categoria(s) do post: Diário da Thais, Plenitude & Felicidade, Empreendedorismo

Às vezes a gente fica lamentando pelo fim das coisas em vez de olhar para o novo cenário que está se abrindo à nossa frente.

Todos os dias encerramos algo e começamos outra coisa. Quando dormimos, encerramos o dia – mas começa outro na sequência. Sabe aquilo que se diz sobre “dormir sobre o problema”? Isso é muito real. Quantas vezes você já foi dormir triste, chateada, preocupada, frustrada, preocupada, mas no dia seguinte se sentiu melhor quando acordou, com mais clareza para tocar as coisas? Ou seja, só estávamos cansadas. O problema continua, mas temos um pique novo para resolver uma vez que tenhamos dormido e descansado a cabeça, o corpo, o espírito.

Em 2019, nós tomamos a decisão, na empresa, de alugar uma sala extra no prédio em que tínhamos o escritório para fazer uma sala exclusiva para treinamentos e cursos, pois esse era essencialmente o nosso trabalho naquela época (cursos presenciais). A ideia parecia ótima em termos de custo/benefício, senso de realização, crescimento e progresso, personalização da experiência para o cliente etc. Na prática… muitos problemas aconteceram. Entre eles:

  • Um prestador de serviços foi fazer uma instalação antes da inauguração da sala e arranhou a mesa nova (e cara) inteirinha…
  • No primeiro curso realizado na sala uma aluna derrubou o café na mesa, no tapete e nos outros participantes e foi toda uma comoção para limpar porque não tínhamos alguém de plantão para a faxina (deveríamos, mas foi falta de experiência).
  • Todo e qualquer problema deveria ser custeado e resolvido por nós, o que envolve dinheiro, tempo e dor de cabeça.
  • A sala era pequena demais e achei que a experiência para quem participava não era muito confortável (usar o banheiro na sala, por exemplo).
  • Pessoas de outros estados e países viajavam para fazer os cursos, mas eram minoria – a maioria se frustrava porque não conseguia vir para SP.

Aconteceram outras coisas pontuais, mas já deu para compartilhar o meu ponto nos exemplos acima, né?

O fato é que, em determinado momento, eu percebi que aquele esforço, custo e chateação não estavam valendo a pena frente aos supostos benefícios que estávamos recebendo. Além do que, eu percebi que valeria mais a pena levar esse trabalho para o online integralmente, pois assim teríamos um alcance maior. Mesmo que mantivéssemos a sala (para gravações), já reduziria bastante nossos custos e dores de cabeça.

MAS… com o fim dos cursos presenciais, na época, isso significou uma redução de 70% do faturamento da empresa. O caixa estava caminhando para uma situação bem complicada, e optei por fazer duas demissões. Foi a coisa mais difícil que já tive que fazer, pois as duas pessoas são incríveis e excelentes profissionais. No entanto, entendi que era isso ou caminhar para um período de muita dificuldade, e infelizmente quem tem empresa precisa tomar esse tipo de decisões. Não quer dizer que errei ou acertei. Possivelmente eu errei, mas não perco muito tempo me martirizando. Bora aprender com os erros e partir para a próxima. Eu sei que, na época, fiz o melhor que pude, com a experiência que eu tinha.

Em setembro ou outubro de 2019, entregamos uma das salas e eu fiquei com apenas uma delas, para fazer as gravações. Em dezembro, fiz oficialmente a primeira versão online do curso do Método Vida Organizada. Pouco tempo depois, veio a pandemia, e “por sorte” eu já estava estruturada para o online.

Perceba que, por mais que tenha sido um processo difícil, ele abriu novas portas e, hoje, nosso trabalho é essencialmente online e permitiu a reestruturação da empresa. Voltamos a ter novos espaços de trabalho e a trabalhar em equipe. A empresa está estável.

Então, quando você estiver no final de algum ciclo na sua vida, dê um tempo para aceitar esse luto, descanse a cabeça, mas tenha perspectiva de que o novo te trará novidades que você vai conseguir aproveitar de qualquer maneira. Toda situação de anomia nos deixa desconfortáveis – faz parte. Mas dê-se o tempo para se estruturar mental e emocionalmente para o novo que está se abrindo à sua frente, que ele vai acontecer de qualquer maneira e está te esperando de braços abertos. Sempre acredito que o melhor está por vir e procuro “sintonizar na estação certa” a minha mente para ter resiliência, sabedoria e intuição para seguir da melhor maneira.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Deixe seu comentário

9 comentários

  1. Camila comentou:

    Que post incrível, Thais. Lembro quando você estava em vias de entregar a sala. Passei pelo mesmo com um apto em um local onde parei de trabalhar presencial devido à pandemia. Foi só criar coragem para montar o apto que a estrutura de trabalho mudou e tive que me desfazer dele, perdendo tempo e dinheiro investidos. Agora, estou diante de outra necessidade de mudança e ler seu texto foi um alento para a alma.

  2. Daniele comentou:

    Ótimo texto. Obrigada por dividi-lo. Que novos começos sejam celebrados.

  3. Jéssica Lima comentou:

    Oi Thaís!
    Fiquei super feliz em te ver sendo citada na edição 84 da revista sorria!
    Eu gosto muito desta revista e sempre achei que ao tom deles é muito parecido com o do seu blog

  4. Karla comentou:

    Que texto maravilhoso! Obrigada por compartilhar sua historia, Thais <3

  5. Cristina Lima comentou:

    Muito obrigada pelo post. Estou vivendo um momento de final de ciclo, isso em várias dimensões da minha vida e seu, texto Thais é uma inspiração para seguir em frente rumo ao desconhecido que é o próximo passo. Adorei a surpresa do MotLey Crue no final.

  6. Carolzita comentou:

    Muito obrigada por compartilhar!!!

  7. Alice comentou:

    Adorei o post, principalmente porque você descreveu detalhadamente sua experiência e assim eu consegui me conectar com as situações.

  8. Victoria comentou:

    Reflexão veio em boa hora, obrigada Thais.