Categoria(s) do post: Diário da Thais, Lifestyle, Vida Organizada

Falar sobre produtividade pode trazer aquele estigma da canseira. Com tanta coisa acontecendo no mundo, além de tudo essa moça quer que eu seja produtiva/o?

Para mim, produtividade é aproveitar bem o tempo de vida que se tem, para todas as áreas e não apenas trabalho. Muitas vezes, a melhor maneira de aproveitar melhor o tempo é descansar, ficar no ócio, não fazer nada.

Sei que isso vai na contramão do que se coloca como produtividade desde o início da era industrial – fazer mais com menos tempo e recursos. Mas vivemos em outros tempos. Ninguém é uma máquina nem deve buscar ser. Tentar correr no ritmo das máquinas – ou do volume de mensagens – nos deixa doentes.

O indivíduo também não é o responsável por problemas sistêmicos. Ele vive no sistema. Mas o indivíduo sempre é responsabilizado na falácia da meritocracia. Se você não conseguiu, foi porque não se esforçou o bastante. Isso é errado em tantos níveis.

Se você vive do seu trabalho – ou seja, precisa trabalhar para viver – você é classe trabalhadora. E o conceito que eu trago de produtividade compassiva é justamente pensando em trazer um pouco de sanidade em meio a toda essa loucura, pressão e desigualdade. É permitir às pessoas, mesmo nas condições mais complexas, pelo menos perceberem o impacto do sono (ou falta dele) na sua rotina. Saber identificar um possível burn-out antes de ele chegar. Lutar por condições melhores. É isso.

Ser compassivo não significa ser “mosca morta”. Você pode alcançar seus resultados de uma maneira mais leve. Talvez leve mais tempo – talvez não. Mas tão importante quanto o resultado é o percurso. Quer dizer: para mim, o percurso importa ainda mais. Porque é como a gente vive o nosso dia a dia que é o que vai fazer diferença em todas as outras coisas.

Rotina tranquila, mente tranquila. E vice-versa.

Tenha um bom dia.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.