Categoria(s) do post: GTD™, Plenitude & Felicidade, Ferramentas de organização

A sua lista de coisas a fazer representa um grupo de lembretes.

Lembretes do quê? De coisas que você não pode deixar de fazer.

Claro que essa lista terá itens que são meio burocráticos e obrigatórios, pois todos nós temos que fazer coisas que, muitas vezes, não são as melhores coisas do mundo.

Massssss

A reflexão que não pode deixar de ser feita é: por que as coisas estão na sua lista?

Por que ESTA tarefa está na sua lista? Por que ela é importante? Por que você precisa fazê-la?

Pensar sobre isso não é “perda de tempo”. Na verdade, a sua lista representa a sua vida. Quando você dá “check” em algo que concluiu, significa que dedicou tempo àquela atividade. O que FOI essa atividade? Por que ela foi tão importante a ponto de você trocar tempo de vida por ela? O que isso significa?

Significa que sua lista de afazeres representa a sua vida. Se te incomoda, pode ser que esse incômodo venha da vida como um todo, não da lista em si. Se te deixa com ansiedade, que tal refletir sobre essa raiz um pouco mais?

Listas são apenas ferramentas. Ótimas ferramentas, diga-se de passagem. Permitem que a gente deixe a nossa mente livre, sem ter a preocupação de “ficar lembrando” o que fazer. Mas ela não é um amontoado de itens que você despeja ali sem pensar. Ou não era para ser!

Existe uma diferença enorme entre esvaziar a mente no papel e o que efetivamente você organiza em uma lista. O que você organiza em uma lista foi o que você decidiu fazer a respeito daquilo que capturou antes. Você refletiu e decidiu se demanda ação ou não.

Quando você anota e já considera aquilo a sua lista, não há qualquer filtro. Significa então que você abriga de tudo na sua vida, sem pensar?

Vale a reflexão.