Categoria(s) do post: Tecnologia

Para migrar suas notas do Evernote para o Notion, basta clicar em “Import”, na barra lateral do Notion, embaixo.

Abrirá uma nova janela onde você poderá escolher “Evernote” (ou outras opções).

A janela pedirá o seu login e, então, bastará escolher o caderno e as notas a importar e esperar o Notion fazer sua mágica.

A primeira vez que eu importei algo do Evernote foi um caderno em que eu costumava guardar textos da Internet para ler quando tivesse um tempo. Quando importei para o Notion, ele criou um database com esses textos. Dá para você ter uma ideia então de como ficará.

Mas, quando eu fiz isso, me perguntei se valia a pena fazer essa importação sem filtrar o que eu estava puxando de lá ou se valia a pena realmente o retrabalho de trazer para o Notion tudo o que já estava no Evernote. Explico.

Primeiro, que a mudança de uma ferramenta é uma excelente oportunidade de revisar e fazer uma limpeza em dados armazenados. Será que ANTES de importar não valeria a pena revisar e deletar alguns materiais que não precisem mais ser guardados porque não são mais relevantes?

Segundo, que talvez valha a pena manter alguns materiais lá, no Evernote, e simplesmente recomeçar com outras funções no Notion e, aos poucos, ir migrando o que sentir necessidade. Não precisa migrar tudo. Tá tudo bem ter as duas ferramentas, sendo que o Evernote pode acabar virando uma espécie de “arquivo permanente” com informações mais antigas e que talvez você não precise mais acessar no momento. E, no Notion, você começa uma nova história.

Foi o que eu resolvi fazer. Reestruturei o Evernote de modo que ele mantivesse sua estrutura antiga e recomecei meu arquivo de referência no Notion com aquilo que preciso ter acesso no momento. Conforme fui sentindo necessidade, caso o material estivesse no Evernote, eu transferia de um para o outro, mas fiz isso manualmente, pois era pouco volume.

Quando eu abro o meu Evernote, eu não vejo um arquivo “desatualizado”. Eu sinto como se estivesse abrindo uma caixa de recordações que guardo embaixo da minha cama com coisas que são ou que já foram importantes para mim em algum momento e que eu quis guardar por qualquer motivo – talvez eu até precise consultar futuramente. Mas não são materiais que eu estou usando no momento nem que preciso ter acessíveis, pois estou usando outro tipo de pasta no meu home-office. É assim que eu vejo. 😉

Muitas vezes me perguntam por que eu mudei. Essa escolha de ferramentas pode até ter motivos racionais – e, no caso do Evernote, certamente as mudanças na ferramenta realizadas nos últimos anos não me agradaram como usuária – mas na real poderia não ter tido qualquer motivo assim e eu simplesmente quisesse mudar. Faz parte. O Notion apenas me atende melhor no momento para a organização de referências, mesmo porque hoje eu sou outra pessoa armazenando essas referências. Antes, a facilidade do Web Clipper para armazenar artigos e materiais me fascinava no Evernote. Hoje, prefiro que tudo seja armazenado com um pouco mais de intenção, porque não tenho tempo a perder com microgerenciamento de coisas que eu não preciso.

Visualmente, tenho preferido também o Notion. É isso.

Cada mudança de ferramenta te dá uma oportunidade de revisar o que você está armazenando e manter apenas aquilo que é realmente importante na sua vida.

A fonte de todo o sofrimento está no apego. Let it go.