Categoria(s) do post: Diário da Thais, Família, Rotinas

Eu escrevi um post parecido há um ano, contando como estava a nossa rotina depois de alguns meses de isolamento. Hoje, já faz um ano e três meses que a pandemia foi declarada e que começamos a fazer isolamento social e a ficar em casa. Não estamos tão trancados – vamos pelo menos uma semana ao mercado e eu busco ir ao escritório de vez em quando – mas não estamos fazendo viagens, indo a restaurantes nem nada do tipo, então considero que ainda estamos em isolamento.

A rotina em casa chegou em um ponto onde estamos nos cobrando muito menos sobre as atividades. Existem aquelas que fazemos todos os dias – o mínimo viável diário – assim como existem atividades que vamos fazendo sob demanda ou quando temos vontade. Não nos guiamos mais por listas da FLY Lady, por exemplo. Está em uma configuração meio livre no momento, pois sentimos que já tínhamos regrinhas demais para outras coisas com as quais precisaríamos nos preocupar, especialmente as questões de higienização quando algo chega da rua etc.

Nosso MVD aqui em casa são atividades simples:

  • arrumar as camas (geralmente meu marido arruma, pois ele levanta depois de mim)
  • guardar a louça limpa do escorredor (geralmente eu faço isso enquanto preparo o meu café)
  • abastecer os banheiros com papel higiênico (geralmente eu faço)
  • trocar as lixeiras e colocar o lixo para fora (geralmente meu marido faz)
  • lavar a louça (meu marido e eu alternamos ao longo do dia)
  • garantir a comida (idem)
  • cuidar da roupa – lavar, dobrar, guardar (idem)
  • limpar o cantinho dos cachorros (idem)

De modo geral, a gente sempre “limpa” alguma coisa no dia. Geralmente são atividades típicas da lista de limpeza detalhada mas, em vez de consultá-la, fazemos conforme a necessidade. Por exemplo, se vejo que o box do banheiro precisa ser limpo, eu priorizo isso no dia. Se a minha mesa do escritório precisa de uma geral, limpo essa parte. Meu marido também segue esse raciocínio. Ele ama tirar o pó das coisas, passar aspirador e limpar o piso, por exemplo. Acho que é o que dá uma sensação de limpeza da casa na cabeça dele. rs Então essa parte fica com ele. Comigo fica a parte mais “administrativa” da coisa mesmo, tipo destralhar, organizar, reparar em algum detalhe que precisa ser limpo ou consertado e coisas do tipo.

Sobre a rotina da família, agora que estamos de férias das aulas tem sido um pouco diferente de quando o Paul tem aula todos os dias. Ele está acordando mais tarde, então pela manhã eu consigo trabalhar concentrada, escrevendo. Quase na hora do almoço, eu faço um scan nas mensagens mais urgentes para não deixar ninguém esperando a minha resposta e vou cuidar do almoço. Eu gosto de cozinhar. Então essa pausa, para mim, é estratégica. Preparo a minha comida com calma, ouço música, converso com os meninos, ajustamos as coisas para a parte da tarde, lavo a louça, depois almoço e descanso um pouquinho.

Nesse descanso, envolve assistir um ou dois vídeos no YouTube, jogar uma partida de xadrez com o Paul ou ficar sem fazer nada um tempo, se eu tiver feito bastante coisa de esforço de manhã.

De tarde, costumo trabalhar com outras pessoas, gravando vídeos, collabs, entrevistas, fazendo reuniões etc. O Paul vem e vai aqui no home-office então sei que preciso dar atenção para ele também. Mantenho os intervalos maiores entre os compromissos para fazer isso, preparar um lanchinho para ele e coisas do tipo.

Quando o sol começa a se pôr, esse é o aviso para o meu corpo começar a pegar mais leve, então entro em uma espécie de “ritual de finalização” do dia de trabalho. Mesmo que eu tenha uma aula para ministrar depois, ou faça ainda algumas coisas de trabalho, eu desligo o computador, paro, vou descansar um pouco. Isso me ajuda a manter esse hábito de “quebrar o looping” do trabalho.

De noite, costumamos fazer algo em família. Ou jogar algum jogo, ou assistir uma série ou filme, cozinhar, enfim, varia bastante. Assim como tem dias em que fazemos coisas sozinhos, ou em dupla. Ontem mesmo meu marido e nosso filho estavam vendo um desenho que eles gostam e eu fiquei vendo um documentário na tv. Não tem regra, é variado.

As atividades domésticas vão sendo feitas ao longo do dia.

Longe do ideal, mas acredito que estamos numa dinâmica que permite que a casa “funcione” e as atividades fiquem bem distribuídas. Conseguimos fazer o que é necessário, descansar, ter momentos de lazer, trabalhar, enfim, tudo numa boa.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Deixe seu comentário

3 comentários

  1. Glaucia Valverde Caetano comentou:

    Thaís, seus e-mails têm sido muito importantes para minha vida. Conheço seu trabalho fazem anos e acompanho sua evolução e tudo que consigo apreender dos seus ensinamentos sempre melhoraram minha vida de uma maneira geral.
    Hoje estou tentando entender o significa viver a produtividade compassiva.
    Gratidão por tudo que você me presenteia generosamente dia a dia.
    Um abraço,
    Glaucia

  2. Aline Fagundes comentou:

    É muito bom poder definir a nossa rotina. Até tenho uma mas, não a que eu gostaria. Já estou no escritóro desde outubro do ano passado. Então, é levantar cedo, cuidar das refeições de desjejum, almoço e lanche de escola da minha filha (que está no presencial desde fevereiro), comidinha da cachorra e marmita, passear com a cachorra e sair para trabalho. Lá, nem sempre a minha chefia respeita a listagem de projetos e bagunça qualquer planejamento (não há como dizer não com um grande exército de reserva lá fora) e ao final de expediente, deslocamento, passeio com a cachorra, atenção para a filha e para a cachorra, cuidados mínimos com a casa e uma meditação mínima de 20 minutos para dormir.

  3. Graziela comentou:

    Que legal, Thais. Aqui em casa a dinâmica da família é bem parecida com a sua. Meu filho tem 2 anos, então exige mais um pouco de atenção e cuidado. rs
    Ainda estamos em distanciamento social, só eu vou ao mercado e farmácia. Até hoje não pegamos COVID e nem queremos pegar. No aguardo da nossa vez na fila da vacina. <3