Categoria(s) do post: Diário da Thais, GTD™, Rotinas

No início do ano, eu fiz um post contando como estava organizando o meu planejamento de 2021 no Notion. Esse planejamento teve idas e vindas. Não tinha muita certeza ainda sobre o uso do Notion mas, agora, confesso que ele deu uma engatada de vez e estou amando usá-lo para planejamentos e referências de modo geral! Ainda pretendo mostrar muito mais aqui no blog à medida que for usando e testando por mais tempo, mas já tem bastante conteúdo que você pode conferir sobre Notion aqui, se quiser.

Só para contextualizar, na ideia original ele estava assim:

Mas, na prática, eu não estava usando como eu gostaria. Primeiro, que os objetivos eu gosto de ter em formato de mapa mental, apesar de achar que no Notion talvez ficassem mais práticos. Ainda em andamento esse raciocínio e pode ser que eu mude, mas por hora os objetivos continuam no Mind Meister, pois prefiro.

Os projetos, eu listei no Todoist, organizados, porque eu sei que é algo que funciona, mas acreditam que ainda assim eu não estava satisfeita? Então estou revendo.

Preciso confessar uma coisa para vocês que pode parecer meio herege, mas que é necessária: eu estou percebendo o quanto o MVO está sendo mais efetivo para mim do que o GTD em muitos casos do dia a dia. O MVO é um método que está em desenvolvimento. E eu faço um esforço enorme para que ele não vá contra o GTD, pelo contrário: que dê apoio, especialmente em alguns elementos que o David prefere não entrar. Proporcionalmente em importância, acho que o comparo ao que o Tiago Forte faz com o PARA – um método para complementar a parte de arquivo de referência do GTD. No MVO, vejo isso com a parte de planejamento e definição de conteúdos. Tipo, o David diz que você tem que ter uma lista de projetos. Ok, mas o que eu vou colocar nessa lista? O MVO te ajuda a analisar as diversas áreas da sua vida, entender necessidades etc. Entre outras coisas, lógico. É apenas um exemplo.

Eu já trouxe aqui no blog as definições de projetos que considero adequadas citar sempre, até para poder contextualizar os usos que faço por aqui. E, de verdade, para mim tem feito mais sentido pensar em projetos como “o recorte do ano” para as diversas áreas da vida e categorizá-los em andamento, em espera, cancelados, concluídos (algo nessa linha), pois me permite uma visão mais abrangente do todo. E, a partir dessas definições, eu vou estabelecendo o planejamento do trimestre, do mês e, quando vou para a “semana”, eu simplesmente coloco na agenda ou no Todoist.

No momento está assim:

Percebem outra mudança importante nessa lista? Sim, os nomes dos projetos. O GTD tem boas práticas que ainda considero excelentes, mas elas fazem sentido quando você organiza a sua lista de projetos. Pensando em termos de planejamento, eu prefiro algo mais informal. Parece que me conecto mais com o que preciso, sabem?

A partir dessa lista, eu planejo o recorte do trimestre para cada coisa. Mais ou menos assim:

Na real é bem simples fazer isso. Basta criar uma propriedade dentro do projeto que seja “relation” com outro database. Escolho o database dos projetos e pronto.

Ah, eu também crio um filtro para me mostrar apenas os planejamentos para o trimestre atual, mas isso é opcional.

Depois, faço o mesmo com as prioridades do mês.

Como essa parte é recente, você pode ver que nem preenchi ainda tudo que já está em andamento. Estou migrando um pouco por dia.

Mas a ideia é, na revisão semanal, revisar o que está no mensal e definir ações que entram na agenda ou no Todoist. É isso.

Tem me ajudado muito a pensar nas coisas que eu preciso fazer. Nos últimos dias tivemos uma reunião em equipe onde decidimos que precisamos fazer uma migração e entendemos que é algo para este trimestre. Ok, e como isso se encaixa em todo o resto? Ah sim, tem a ver com um projeto do ano que é tal coisa. E já conseguimos definir o que é prioridade para o mês e o foco da semana. Tá rodando lindamente esse método lindo que é o MVO!

Quis compartilhar com vocês porque mudou demais a maneira como eu vejo as minhas prioridades e me ajudado demais a não apenas executar o que preciso, mas dentro de uma rotina tranquila.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Deixe seu comentário

7 comentários

  1. Juliana comentou:

    Obrigada por compartilhar, muito didática a explicação.

  2. Michelle comentou:

    Thais, acabei de “me permitir” dar nomes mais calorosos aos projetos e foi.. maravilhoso! obrigada pela dica!

  3. Ana comentou:

    Thaís, fiquei com uma curiosidade, caso não se importe em responder. Essa Wiki do Vida Organizada para uso interno, vocês pretendem fazer no próprio Notion ou seria com outro aplicativo? Estou perguntando porque preciso de algo desse tipo no meu trabalho e tenho me perguntado se teria algum aplicativo onde isso possa funcionar melhor. Cheguei a pensar no Notion, mas não uso ele ainda. Obrigada 🙏 como sempre!

  4. Lucà comentou:

    Aaaaiii, que coisa linda, muito obrigado!! Eu queeeroo issso, de colocar os trimestres, e os meses, e acho que não deve ser difícil, deve ser um ponto besta que não estou conseguindo entender, mas já li e reli, esse e o outro post, e assisti os vídeos do Notion, e não dei conta de fazer isso +_+

    Se puder rolar, no planejamento pra 2022, uma aula com aquele passo a passo criando essa estrutura no Notion, af, seria uma coisa ainda mais linda rsrs

    Bjoo

  5. Adriana comentou:

    Oieee!

    Adorei esse post, mas fiquei com uma dúvida: Como ficam os projetos sem relação a um macro maior (trimestral ou anual)? Exemplo: Trabalho no financeiro de uma empresa, preciso fazer a compra de um suprimento grande, mas isso não tem relação com nenhum macro trimestral ou anual. Trata-se apenas de uma atividade prevista para este mês. Como ficariam nestes casos?