Categoria(s) do post: Diário da Thais, Vida Organizada, Trimestral

Toda vez que muda uma estação, isso é um gatilho para me lembrar de revisar os meus objetivos de curto prazo, que reviso trimestralmente (ou sazonalmente, como gosto de dizer).

O formato que tem funcionado para mim atualmente é o de mapa mental e a ferramenta que estou usando para armazená-lo e atualizá-lo é o Mind Meister.

No centro do mapa, atualizo as épocas (até dois anos a partir de agora) e coloquei uma foto minha atual porque estava com vontade, apenas. 🙂

Eu vejo os objetivos de curto prazo com relação aos cenários que estou construindo para a minha vida nesse tempo. Me pergunto: o que eu gostaria que fosse verdade na minha vida em até dois anos? Ou até junho de 2023? Essas reflexões me ajudam a identificar aspectos que sejam importantes para mim e que podem se tornar objetivos.

Ao escrevê-los, percebo que alguns ainda não estão tão “certos”. Por exemplo: não sei se em dois anos quero estar morando em outra casa, um apartamento ou nesta que moramos, mas é importante que esse objetivo esteja descrito porque envolve a gente ter investido dinheiro suficiente para tomar essa decisão até lá. O objetivo é o dinheiro guardado, e a definição sobre a casa é um dos propósitos dele. Estar ali descrito é importante para que me dê motivação a respeito desses investimentos.

Alguns objetivos estão tampados com uma tarja verde porque são mais pessoais.

Sim, parece muita coisa, mas lembrem-se que eles apenas descrevem cenários. Olha esse exemplo relacionado ao Paul:

Descreve um cenário apenas. Eu poderia escrever “Paul mudar de escola até junho 2023”, mas esse já é o objetivo implícito. Para mim, a importância desse mapa é realmente me permitir visualizar o cenário que quero viver em até dois anos. E essa é a minha maneira de manifestar o que está na minha cabeça.

A partir de cada objetivo, eu me pergunto: o que posso fazer com relação a ele em 2021? Para encontrar projetos. No caso acima, é “pesquisar as escolas da região”. Mas será um projeto melhor explorado quando acabar a pandemia e pudermos visitar as escolas pessoalmente. De qualquer maneira, é um projeto que já pode estar em andamento, pelo menos na parte das pesquisas online e telefonemas para saber mais. Esse é apenas um exemplo de projeto. Para todos os objetivos, há projetos. Isso significa que estou trabalhando para alcançá-los. Ter projetos em andamento relacionados a objetivos é uma boa prática de produtividade e planejamento de vida.

Esse mapa é revisado sempre que tenho vontade ou pelo menos a cada três meses, quando faço reajustes. Algumas vezes, sinto necessidade de guardar versões anteriores, baixando o PDF do Mind Meister e salvando no Notion, como referência. É bem gostoso de vez em quando revisar os mapas antigos e verem os objetivos que eu tinha e que já foram alcançados, e que construíram a vida que eu vivo hoje. (vasculhe os arquivos mais antigos do blog para ler sobre eles)

E vale dizer isso: objetivos não são executados nem concluídos – eles são alcançados, e você os alcança através, aí sim, da execução de ações e conclusão de projetos relacionados. Cada objetivo tem vários projetos em andamento (que estão devidamente listados na minha lista de projetos) e que, à medida que eu for concluindo, vão me levar para cada vez mais perto de cada objetivo.

O que está no mapa de objetivos não são coisas simplesmente desejáveis mas o que está no meu foco para efetivamente alcançar em até dois anos. Se sair desse mapa, provavelmente foi porque houve uma mudança de planos, como duas viagens que eu tinha e que, por conta da pandemia, tiveram que sair. Mas tudo bem, porque isso me permitiu alocar recursos para um objetivo que era de médio prazo (até 10 anos) e que poderei direcionar minha atenção agora. Eu também posso mudar de ideia ou entender que um objetivo que tinha antes não tinha nada a ver, ou na verdade era mais um projeto mesmo. Por isso as revisões são tão importantes.

Da última vez que revisei, curti categorizar os objetivos em áreas da vida (doutorado, trabalho etc). Desta vez, preferi deixar tudo no mesmo nível. Não tem certo ou errado – depende do que fizer mais sentido na reflexão atual que faço a respeito deles.

Não tenho pressa de viver a vida nem de alcançar as coisas logo. Gosto de curtir o caminho. Ter os objetivos apenas me dá uma direção para viver o hoje muito bem, priorizando as atividades na minha vida e fazendo coisas que eu goste.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Dívian comentou:

    Adorei essa leitura. Em especial a forma como escreve seus objetivos, já se imaginando plena com ele se tornando real! 🤗

  2. Márcia Elizabeth Marinho da Silva comentou:

    Que post maravilhoso! Uma aula de planejamento em uma página.

  3. Marina Menezes comentou:

    Que legal ver seu processo com os objetivos e metas da sua vida! Eu gostei muito dessa coisa de visualizar cenários, às vezes eu projeto metas pra minha vida que são muito específicas, e acabo com dificuldade de abrir mão daquela meta quando ela já não faz sentido pra minha vida. Acho que a ideia de visualizar cenários ia me ajudar nesse aspecto, se o cenário mudou… bem aí é só parar de visualizar hahaha vou tentar na próxima vez que for definir objetivos pra mim

    Boa sorte com suas metas! Espero que consiga alcançar as melhores metas pra sua vida <3

  4. Fernanda comentou:

    Nossa! Esse post resume muito do que aprendi até hoje com você. Aquela frase “pra quem não sabe pra onde ir, qualquer caminho serve” faz muito sentido e esse post ajuda muito a como construir meu próprio caminho. Obrigada, Thais!