Categoria(s) do post: Diário da Thais, Estudos

Como vocês gostam que eu traga exemplos da vida real por aqui, hoje quero compartilhar como estou organizando a minha produção acadêmica quando se trata de um artigo. Vale a pena dizer que, apesar de alguns elementos de planejamento se manterem independente dos temas e formatos, cada trabalho será planejado de acordo com as suas particularidades, justamente porque o local onde serão apresentados ou publicados podem demandar exigências diferentes.

Este ano, por conta do Doutorado, eu passei a elencar o Núcleo de Pesquisa do CNPQ chamado “Trabalho, Trabalhadoras e Trabalhadores”, coordenado pela minha professora orientadora. Haverá uma publicação importante do núcleo no segundo semestre e cada pesquisador deve submeter um artigo. O primeiro passo foi a definição do tema como um todo, que ficou justamente entre as relações legais de trabalho e sindicalismo, mas o fato é que as publicações serão sobre as transformações sofridas no trabalho na modernidade e especialmente nesse momento que nós vivemos.

Além disso, eu também preciso levar em conta algumas coisas, como:

  1. O tema da minha tese. Porque, como estou fazendo o Doutorado, o ideal é que eu não fuja muito para não dispersar. Quanto mais eu aproveitar essas pesquisas para agregar à tese, melhor.
  2. O que eu gosto de pesquisar. Porque né, a vida é curta pra pesquisar assunto que detesta.
  3. O que eu já pesquisei. Meu histórico acadêmico. E, como é o meu primeiro ano do Doutorado, acho que olhar para trás (no caso, o Mestrado) me ajudará a fazer um link coerente (ainda que só na minha cabeça) entre um tema e outro.

Isso é importante porque eu fiz o Mestrado em Comunicação. Agora o foco está na Sociologia do Trabalho. E isso é essencial porque determina o recorte.

Mas enfim, de qualquer maneira, acredito que, depois de um tempo refletindo, eu tenha conseguido chegar num modelo simples e sustentável para planejar meus artigos e pesquisas diversas:

  1. Montando um mapa mental para cada pesquisa ou artigo e;
  2. Usando o Modelo de Planejamento Natural, mesmo que informalmente, do GTD.

Ferramenta usada abaixo: Mind Meister

Primeiro eu pensei: como eu gostaria de contribuir? Para achar um tema geral. E, para mim, não há assunto mais “sangue nos olhos” que eu gostaria de respaldar no momento que a toxicidade do uso exagerado do What’sApp nas relações de trabalho, especialmente durante a pandemia. Na minha dissertação do Mestrado, já explorei um pouco isso na pesquisa, mas agora seria uma pesquisa específica para o primeiro ano da pandemia, com quem estiver trabalhando remoto.

Do lado esquerdo estão os elementos do Modelo de Planejamento Natural e, do lado direito, o resumo e as palavras-chave – que eram os elementos que eu precisava aprovar com a minha professora esta semana.

A ação “Professora – Aprovação Tema Artigo Núcleo de Pesquisa” foi adicionada à minha lista de Follow-up no Todoist para que eu faça o acompanhamento semanalmente. Somente quando ela aprovar o tema eu poderei definir outras ações de pesquisa relacionadas.

Sim, tenho um projeto que é “Publicar artigo Núcleo de Pesquisa Trabalho” na minha lista de Projetos também. Tudo no Todoist.

O e-mail acima fica na pasta de referência do Núcleo de Pesquisa – que, no Gmail, é um marcador, não uma pasta exatamente, mas tem a mesma função.

Vocês querem que eu compartilhe as “cenas dos próximos capítulos” com relação à organização desses projetos? Penso que pode ser uma maneira legal de compartilhar com exemplos como eu faço. Deixe um comentário com sua opinião, se quiser. Obrigada!