Categoria(s) do post: Saúde, Hábitos, Ayurveda

O café é simbólico para a produtividade.

Originário da Etiópia, existe a “lenda” de que um pastor percebeu como suas ovelhas ficavam agitadas ao comer as folhas de café, e ele mesmo passou a “testar”. Viu que sentia uma vivacidade maior. Um monge da região ficou sabendo e passou a usar o café para resistir ao sono enquanto fazia suas orações. A expansão se deu pela Arábia (tanto que o café era chamado de “vinho da Arábia” na época). Em 1570, chegou à Europa, em Veneza (Itália), em 1652 na Inglaterra e em 1672 na França, onde foi aberta a primeira “casa de café”. Foram os franceses os responsáveis pela cultura de colocar açúcar no café. Hoje, o café é a bebida preparada mais consumida do mundo. (informações tiradas da Wikipedia)

Com a chegada da Revolução Industrial, em suas diversas fases, parecia quase impossível cumprir turnos de noite sem o consumo de estimulantes como o café. Não é à toa que as empresas oferecem cafezinho para os funcionários – é para mantê-los despertos e trabalhando. Antes disso, os ciclos de trabalho eram associados ao ciclo do sol (o ritmo circadiano). Podendo ter trabalhadores no turno da noite, as fábricas nunca paravam, e assim os proprietários obtinham mais lucro. Não demorou muito para a bebida se tornar um padrão no trabalho. E, até hoje, é associada ao foco, à produtividade, ao bom trabalho etc.

Você já fez a experiência de ficar sem tomar café se você era acostumado a beber todos os dias? A sonolência é absurda e ficar com dor de cabeça é comum, quase que como em um processo de abstinência. Você não quer ficar com sono, então volta a beber café. Eu já passei por esse ciclo e acredito que muitas pessoas já tenham passado também.

Quando comecei a estudar Ayurveda, percebi que o consumo de cafeína não é muito indicado para o meu biotipo, pois pode agravar alguns sintomas de desequilíbrio no corpo, como crises de ansiedade. Não apenas a cafeína, mas estimulantes de modo geral. E veja, o problema não é o café, mas o uso que se faz dele, o tipo de café que se toma, em que momento, e como seu corpo reage a isso. Tem um vídeo ótimo do dr. Robert a respeito (legendado).

Então, o que eu penso é que preciso, neste momento, quebrar essa rotina de beber café diariamente como um hábito. Não é que não vá tomar café nunca mais, mas não será uma coisa diária, não pensada, como se meu corpo precisasse todos os dias da mesma substância. Ayurveda é sobre isso.

Para deixar um hábito, preciso de um plano de ação, que é:

Hábito que quero deixar de ter
Tomar café todos os dias

O que pode estar me atrapalhando?
Sono errado (dormir mal de vez em quando)
Beber pouca água
Ter café disponível em casa
Não ter outras opções de bebidas em casa

O que posso fazer de concreto para implementar?
Garantir quantidade de horas de sono bem dormidas à noite
Beber 3 litros de água por dia
Substituir por chá
Valorizar mais o momento quando for beber um café ocasionalmente

Pretendo fazer alguns testes e ficar um tempo SEM café para ver como o meu corpo reage. O grande problema é ele virar hábito e válvula de escape, porque a causa do problema tem que ser tratada, e não usar o artifício mais fácil e rápido.

Deixe seu comentário

11 comentários

  1. Carol Mancini comentou:

    Eu já tive problemas de tomar café demais por alguns tempos e aí ficar sem e ter até dores de cabeça. Hoje eu tenho bebido menos de manhã e tomo chás ao longo do dia. Gosto muito mais do chá porque me sinto mais hidratada também.

  2. Rafael Bruto comentou:

    Muito bom!! Gostei da parte sobre a construção de hábito também.

  3. Carolina comentou:

    Eu tbm quando tomo café, me agito. Tomo então o descafeinado, que me traz a sensação de início de expediente, mas sem a agitação da cafeína. Me adaptei super bem dessa forma.

  4. Fernanda comentou:

    Tenho o hábito muito forte de tomar café, em torno de duas a três xícaras por dia, e já passei alguns períodos sem tomar porque estava sendo uma válvula de escape por causa de uma rotina bagunçada.

    É muito curioso perceber como o corpo reage quando paramos de beber café, senti no começo esse baita sono que você mencionou e fui percebendo melhor meus limites. O que achei curioso é que não fazia ideia de que o café me afetava tanto, só percebi quando parei! Fiquei inspirada pra fazer essa pausa de novo.

  5. Julia Garani Franco comentou:

    Comecei a beber muito café quando estava no cursinho pré vestibular. Tomava uma garrafa e meia de café por dia facilmente. No fim do ano passado comecei a sentir uma taquicardia quando tomava muito, e “parei”. Hoje bebo uma, no máximo duas xícaras ao dia. Mas não fico sem, não.

  6. Tami comentou:

    Eu tomava bastante café na época da faculdade. No trabalho me acostumei a tomar uma caneca pela manhã e uma depois do almoço, mas sempre tinha problema para dormir caso tomasse café mais tarde (a partir das 17h já era ruim). Quando tive problemas com ansiedade, meu corpo rejeitou o café – tomava e ficava super agitada direto, acho que era um pouco psicológico também… – mas mesmo assim os primeiros dia sem foram ruins.
    Consegui ficar um bom tempo sem, e hoje tomo quase sempre descafeinado. Assim mantive o hábito de tomar após o almoço porque gosto, e sem ter todos os efeitos da cafeína no corpo.

  7. tha comentou:

    Sinto dores de cabeça se fico sem, mas também se tomo demais. O jeito está sendo tomar apenas meia xicara pela manhã e as vezes mais um tico a tarde, só pra molhar o bico.

  8. Margarida comentou:

    Adoro café . Já tomei muitos por dia, porem com o passar dos anos meu organismo naturalmente foi rejeitando.
    Hoje em dia tomo no máximo uns 4 cafezinho, mas o meu despertador continua sendo café bem forte pela manhã.

  9. Armando Jose da Silva Filho comentou:

    Café é vida!
    Até o cheiro faz bem.
    Acho que a cafeína e como qualquer droga, como tempo perdeo efeito. E no caso um cafezinho nem fara efeito no organismo. Pra mim por exemplo, o expresso nem tira o sono.

  10. Mirian comentou:

    E uma ótima bebida, sem dúvida.
    Muito boa sua pesquisa e recomendações.
    Tomei durante muito tempo duas xícaras diárias e mais recentemente só uma xícara. Estou me adaptando bem. Bjs

  11. Maria Carolina Albergaria comentou:

    Adorei o post! Muito inspirador o vídeo do Dr. Robert. Estou nesse mesmo processo de deixar de tomar café, mas a dor de cabeça me impede. O que tenho feito é diminuir a quantidade (meia xícara de café por dia) e testando um dia ou outro ficar sem (ou com o descafeínado com essa extração pela água) para ver se a dor de cabeça permanece…já faz 2 meses e ainda permanece! Estou caçando outras maneiras de melhorar essa abstinência, se encontrar, por favor atualize esse post! Obrigada!