Categoria(s) do post: Rotinas, Dicas de produtividade, Plenitude & Felicidade

Já faz alguns anos que eu tenho implementado essa técnica e ela funciona muito bem. Trata-se de definir um foco para a semana que está começando.

Esse foco pode ser associado a algum evento importante, um projeto que esteja tomando sua atenção no momento, uma data, uma aula, uma entrega, mas também pode ser relacionado a aspectos mais sutis da nossa existência, como um sentimento, um hábito, ou apenas descansar mais.

Papo sério: nesse mundo que a gente vive hoje, com tantas distrações e potencial para sobrecarga de atividades, toda ajuda que a gente puder ter sobre foco é útil. Vale testar!

Conseguir alcançar objetivos ou concluir projetos importantes não é algo que “acontece”. Depende do foco que damos a essas atividades. E o foco é uma escolha.

No dia a dia, o mais comum é vivermos em formato reativo, apenas reagindo às demandas que chegam até nós. É mais fácil viver assim, porque basta abrir a caixa de e-mails ou de mensagens e voilá – tem um montão de coisas pra gente fazer sem que tenha que pensar a respeito de como alocar tempo no dia.

O problema disso tudo é que deixamos as coisas realmente importantes para nós para fazermos “quando der tempo” ou, se tiverem um prazo, quando se tornarem urgentes. Aí é aquela correria pra entregar de qualquer jeito só pra finalizar a tempo, gerando frustração, pois todo o resto das atividades teve que continuar sendo feito de qualquer maneira.

Quando a gente eleva um pouco a visão e consegue enxergar por cima da rotina, aos poucos vai desenvolvendo um senso melhor do que é importante. E não me entenda errado: não estou falando mal da rotina. A rotina é o pé na estrada. Eu amo a rotina e a possibilidade de personalização às necessidades atuais. Mas o fato é que, ficando só na rotina, a gente perde de vista a curva maior da vida, a famosa “curva do transatlântico”, que são aqueles movimentos que fazemos e que levam mais tempo. Visualizar o fim de cada curva é o que nos ajuda a ter uma rotina mais significativa e a fazer escolhas mais assertivas.

Tem dia que você acorda bem. Tem diz que você acorda meio pra baixo e pode ser uma boa revisitar seus valores, suas afirmações pessoais, enfim, referências de quem você é e que você está construindo aos poucos. E, quando você planeja a sua semana, levando em conta tudo o que tem para fazer, e decide que o foco dela será o assunto X, você está dando um recado para você mesma/o: “olha, sei que a rotina é complicada, mas não perca de vista o que é importante esta semana”. Basicamente isso.

Para operacionalizar, você pode escrever em um post-it, na parte de cima da sua agenda de papel, usar marca-texto, ou deixar como “compromisso do dia inteiro” na agenda digital de segunda a sexta, ou até domingo. Tudo isso deve ajudar a ver aquele foco diariamente. Então você pode usar para tomar decisões todos os dias com relação à alocação do seu tempo. Essa atividade faz parte do meu foco da semana? Precisa ser feita agora ou eu posso focar em outra coisa mais importante no momento? E assim vai, diariamente.

Espero que essa técnica possa ser útil para você também. Se você a utilizar, se importaria de comentar aqui embaixo seus resultados e percepções? Muito obrigada!