Categoria(s) do post: Vida Organizada, Liderança, Equipes

Trabalhando no meio corporativo nos últimos, sei lá, 20 anos, e ministrando treinamentos de produtividade em empresas há quase 10, eu me deparei com todo tipo de dúvida e situação, como você pode imaginar. No entanto, foi só quando eu comecei a me aprofundar em Sociologia do Trabalho que aprendi sobre alguns pontos fundamentais quando se trata da organização e da produtividade individual. Quero trazer esse ponto em específico aqui para vocês para ficar como referência, porque é importante.

Por exemplo. Uma pergunta que recebo constantemente é:

“Thais, eu não consigo desligar notificações ou deixar de responder mensagens de trabalho à noite, porque a equipe não respeita, meu chefe me liga, o que fazer???”

Esse é um típico caso – e é importante que cada um de nós perceba essa diferença – em que a organização pessoal pode ajudar na busca pela solução, mas não é responsável pelo processo como um todo. Explico.

A equipe tem uma política interna de comunicação? O líder já desenhou e construiu com a equipe processos que facilitem a gestão das atividades? Essas duas perguntas são chave para responder a dúvida acima. Porque, tendo uma política de comunicação, basta você se organizar dentro do que for proposto. Por exemplo, se é parte do seu escopo atender chamados assim que chegam, 24h por dia, a empresa deve proporcionar recursos para isso – talvez trabalho de equipe em escalas, celular corporativo, adicional por horas noturnas etc. Se isso não acontece, você deve sugerir para a gestão. É o que você pode fazer. Não adianta eu sugerir para você ignorar a política da empresa e uma semana depois ser mandado/a embora porque descumpriu as regras.

Toda e qualquer solução individual de organização e produtividade não abstêm a sociedade, a empresa, o gestor ou gestora, o Estado e toda a estrutura que vivemos inserido/as da responsabilidade pelas pessoas e pela saúde do coletivo. Responsabilizar ou até mesmo culpabilizar o indivíduo não é algo que fazemos por aqui! Apenas buscamos brechas no sistema para não sofrermos tanto.

A grande diferença está na percepção individual sobre o que está no nosso controle e o que não está. O que é questão de organização pessoal e o que é questão de gestão. E ainda mais o que é uma questão estrutural do capitalismo, como a precarização do trabalho, a sobrecarga porque reduziu o quadro de funcionários etc. Você percebendo isso, pode sugerir mudanças ou, se estiver em um cargo de liderança, encabeçar iniciativas de melhorias.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.