Categoria(s) do post: Diário da Thais

Essa última semana foi uma das mais difíceis de toda a pandemia pra gente. Não sei se foi o efeito “aniversário de um ano” da declaração da OMS ou se por outro motivo, mas pela primeira vez nos sentimos bastante sem esperanças e eu, particularmente, fiquei bastante desanimada.

Como eu “conserto” isso? Primeiro, tomando consciência do sentimento e de que eu não estava “funcional”. Não dava para me cobrar produtividade no estado em que eu estava. Contatei pessoas próximas que trabalham comigo explicando a situação e dizendo que eu precisava de um tempo.

Depois, tirei a semana para descansar um pouco além do normal. Dormi muito! Umas 12 horas seguidas, vários dias. Priorizei todo o meu tempo livre para ficar com o Paul e o meu marido. E os cachorros. Cara, como eles são anjinhos na nossa vida. Eles me acolheram em uma semana tão difícil.

Sexta, conversando com a minha terapeuta, ela me recomendou repensar os próximos 15 dias em termos de rotina. Estamos em um momento difícil em nosso país, com mais de 2 mil mortes por dia. Isso me deixa triste, ansiosa, sem esperanças. Mas pensar assim, de tempos em tempos – por ex, de 15 em 15 dias – pode ajudar.

Então ontem mesmo eu já fiz o redesenho do meu “dia ideal” para os próximos 15 dias, levando em conta uma mudança nos horários para ficar acordada até mais tarde com eles, além de outras necessidades. Apesar de tudo o que está acontecendo, vou procurar focar em projetos positivos para conseguir passar bem por esse momento.

Eu também reorganizei o meu escritório em casa, voltando a arrumar meus livros por cores, pois penso que seja muito importante deixar o ambiente mais agradável, já que ficaremos aqui o tempo inteiro. Marido colocou umas plantas novas pela casa também. Estamos tocando.

Viver uma vida organizada não significa estar bem 100% do tempo. Significa saber reconhecer quando precisa ir mais devagar e respeitar a si mesmo/a, remanejando a própria rotina.

Bom domingo. Espero que você e a sua família estejam bem.