Anual

Como planejar as metas para um ano?

As tradicionais resoluções de ano novo, do meu ponto de vista, podem ser revistas. Seu processo, pelo menos. Resoluções são coisas que você resolveu fazer. Alguma decisão importante, tipo: “me organizar de uma vez”! Mas, se você não tirar essas resoluções do papel, não estabelecer um plano ou não tiver espaço para elas no seu dia a dia, você não vai conseguir fazer com que elas se tornem realidade. Neste post, quero te ensinar como fazer isso.

Gosto de pensar nos meus objetivos como de curto, médio e longo prazo. Longo prazo seria: vida. Médio prazo, entre 5 e 10 anos (a critério de cada um). Curto prazo, até 2 anos. E, para até 1 ano, são projetos. Aprendi essa ideia com o método GTD™, que aplico pessoalmente e personalizei para a minha realidade.

Planejar metas para o ano funciona melhor se você partir de uma análise honesta sobre todas as áreas da sua vida e refletir sobre o “recorte” que gostaria de dar a cada uma delas no ano em questão. Pode ser que você não tenha nada a fazer com relação a “espiritualidade”, mas pode ser que tenha bastante coisa para fazer com relação a “finanças” ou “saúde”. Refletir sobre as suas áreas da vida pode te ajudar então a entender suas necessidades reais de vida no momento.

Clique aqui para saber como fazer a análise das áreas da sua vida.

Com base nessa reflexão, você pode tentar imaginar o que levaria mais ou menos tempo para fazer. Tem objetivos que levam anos – outros são mais rápidos. O segredo está em identificar aqueles que você consegue focar no próximo ano e em encontrar um recorte para os objetivos que levem mais tempo. Por exemplo, eu quero fazer Doutorado. O Doutorado leva pelo menos quatro anos a partir do momento em que você entra. Logo, qual seria o recorte do Doutorado para este ano? Pode ser, por exemplo, “ingressar no Doutorado”. Ou, se você não se sentir pronto/a para esse passo, “esclarecer as melhores universidades e linhas de pesquisa para o meu Doutorado”. Sempre existe uma maneira de evoluir em algo que a gente queira fazer, que seja uma evolução interna, de busca por mais conhecimento e tomada de decisões.

Pode ser importante também ter um plano para alcançar as suas metas. As metas não são simplesmente algo que se escreve e fica olhando todos os dias esperando a sorte levar até elas. Sorte é importante, mas não é o suficiente. Para cada meta e objetivo, vale definir projetos factíveis que permitam o trabalho naquilo que quer alcançar, semana a semana. Assim, você conseguirá estimar se uma meta é realmente algo factível para este ano ou se deve colocá-la para o outro ano, por exemplo. Vale a pena então ter uma lista com seus objetivos, com seus projetos, para revisar toda semana.

À medida que o ano for acontecendo, pode ser que você precise renegociar esses prazos consigo mesmo/a. Você pode definir metas para o ano e então repensar depois de um tempo, pois verá que não era o momento ou que elas se tornaram irrelevantes perto de outras coisas que você queria fazer. Isso serve tanto para o lado pessoal quanto para o lado profissional.

Organização é isso mesmo, não é? Um reconstante reequilíbrio perante as coisas que vão acontecendo, tanto externa quanto internamente. E é muito bom ter um processo pessoal para administrar tudo isso, além de contar com boas ferramentas.

Suas resoluções não dão certo ou seus objetivos não são alcançados porque não adianta ter um objetivo lá na frente se na sua realidade você não faz nada para alcançá-lo. De nada adianta ter um objetivo de vida incrível se você não consegue “domar” o seu dia a dia. Por isso construir seu processo pessoal de organização é tão importante. É com ele que você vai conseguir abrir espaço na sua rotina para trabalhar naquilo que é prioritário para você. Não é algo que “acontece”. É algo que você promova, sempre fazendo reajustes de acordo com suas decisões e circunstâncias.

2 Comments

  1. Fernanda Stheffane says:

    Oi Thais! Sou daquelas leitoras silenciosas, inclusive, peço desculpas por não comentar e deixar registradas minha gratidão e inquietação/motivação que as suas reflexões geram por aqui. Esse texto especificamente me pegou, momento de redefinição na vida. Fiz a roda da vida e deu vontade de me esconder de mim. Agora, estou na etapa de “domar” o cotidiano. Obrigada!

  2. Aline Valentim says:

    O mais bacana do que você falou Thaís é como se planejar para que as metas sejam realizadas ao longo do ano. E não deixa-las paradas esperando que magicamente as coisas aconteçam. É uma das coisas que quero melhorar em 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados