Vida Organizada

O que queremos dizer com “rotina tranquila”?

Olha, esse trabalho que é feito aqui no Vida Organizada vem de muitos anos. Eu criei o blog em 2006, publiquei meu primeiro livro em 2014 e, nesse mesmo ano, iniciei a primeira versão do curso do Método Vida Organizada, que primeiro se chamou “Organize-se em 2015, “Organize-se em 2016” e por aí vai, até chegar ao formato atual, 100% online.

Atualmente, eu estou envolvida de corpo e alma a esse trabalho, o que me coloca em um estado de fluxo bastante constante com tudo o que diz respeito a ele.

Ultimamente, eu obtive uma clareza profunda a respeito do resultado desejado com o que ensino. Nunca se tratou de ensinar a ser uma pessoa organizada apenas pelo prazer de sê-lo. Eu sempre vi a organização como um meio, não um fim. A missão do Vida Organizada que eu desenhei lá atrás, em 2012, era “inspirar as pessoas a terem mais qualidade de vida através da organização”. Beleza mas, qualidade de vida, hoje, significa muitas coisas. Eu precisava afunilar mais. Foi quando eu entendi que tinha absolutamente a ver com tranquilidade. Que vida organizada era uma vida tranquila.

Só que eu sou um pouco inquieta com essas coisas, e fiquei me perguntando ainda: “tá, mas o que exatamente significa ter uma rotina tranquila? porque pode significar coisas diferentes para pessoas diferentes”. E eu mesma fiz uma lista mas, curiosa como sou, publiquei uma enquete também no Instagram, perguntando ao pessoal que já acompanha o Vida Organizada há algum tempo que exemplos eles tinham do dia a dia deles que demonstravam na prática que suas rotinas estavam mais tranquilas depois de implementar o que aprenderam com o blog. O resultado foi muito gostoso de ler, porque concordei com TUDO.

Então hoje trago um pouco dessa lista (muitos itens se repetiram, como você pode imaginar), de modo que você consiga ver de maneira mais concreta onde você pode chegar se continuar fazendo parte desta “tribo”.

  • Minha agenda está organizada para a a semana, com tempo livre para os imprevistos;
  • Sei que as coisas que podem estar sob controle estão sob controle;
  • Eu sempre respeito o meu processo de desacelerar à noite e a minha noite de sono;
  • Planejo minha semana toda semana;
  • Faço o que posso com o que tenho, sem preocupações adicionais;
  • Já acordo sabendo o que preciso fazer porque me planejei com antecedência;
  • Dou mais valor ao meu descanso;
  • Aprendi a dizer mais não;
  • Sei como priorizar as minhas atividades;
  • Sei qual é o meu foco a cada semana;
  • Tudo o que tenho para fazer que pode ser agendado está agendado;
  • Respeito meu nível de energia;
  • Consigo “encerrar” a semana na quinta-feira, deixando a sexta para resolver pendências dos outros;
  • Tenho claro o que eu preciso fazer;
  • Ando com um bloquinho sempre por perto para fazer anotações;
  • Não deixo o What’sApp ditar o ritmo do meu dia;
  • Consigo tempo para cuidar de mim;
  • Não me preocupo com as coisas que eu não estou fazendo;
  • Sei o que preciso fazer sem aquela sensação de estar perdido;
  • Não passo mais o final de semana inteiro trabalhando;
  • A rotina da minha casa está mais tranquila, com distribuição de tarefas e de atividades ao longo dos dias da semana;
  • Nunca volto para casa sem aproveitar a viagem e resolver alguma coisa no caminho;
  • Organizei meu arquivo de papéis em casa;
  • Organizei minhas pastas de e-mails;
  • Não faço da minha agenda um jogo de Tetris, “encaixando os bloquinhos”
  • Tenho a minha rotina de auto-cuidado pela manhã;
  • Não me cobro mais para lembrar das coisas porque anotei em outro lugar;
  • Durmo cedo e acordo cedo;
  • Lido bem com as interrupções na sexta-feira porque já me preparei para elas;
  • Defini lugar para todas as coisas (chave, carregador);
  • Aprendi a dividir o meu dia em blocos;
  • Reconheço que nada é perfeito;
  • Posso descansar sem me sentir culpada;
  • Consigo controlar a minha ansiedade;
  • Consigo estar presente;
  • Minha agenda é coerente com tudo o que eu devo fazer;
  • Sei exatamente o que preciso fazer momento a momento;
  • Não corro mais para fazer comida todos os dias;
  • Aprendi a priorizar o que é essencial;
  • Não agendo reuniões na segunda e na sexta para começar e terminar a semana com calma;
  • Consegui deixar meus objetivos mais claros;
  • Consigo dormir mais horas e com mais tranquilidade porque as coisas estão sob controle;
  • Aprendi a perceber meu nível de energia e a fazer as tarefas de acordo com o que esteja mais alinhado ao meu momento;
  • Planejo a minha alimentação para comer direitinho;
  • Aprendi a distinguir o que é essencial do que pode esperar;
  • Meus planejamentos são mais realistas;
  • Consigo ter mais foco;
  • Sempre deixo um dia OFF na minha semana;
  • Consigo me planejar para ter mais momentos de lazer e em família;
  • Arrumo minhas coisas para o trabalho na noite anterior, o que tornou minhas manhãs mais tranquilas;
  • Não fico no celular logo quando acordo;
  • Defini um horário para dormir e para acordar e funcionou como mágica;
  • Aprendi a curtir mais a natureza;
  • Ter um commonplace book me ajudou a revisitar mais vezes os conteúdos estudados;
  • Tomo café da manhã com calma como se estivesse em um hotel;
  • Faço todos os planejamentos necessários para ter mais tranquilidade com relação à minha vida;
  • Não passo o dia procrastinando;
  • Não deixo mais coisas de trabalho para fazer à noite;
  • Saber que, se precisar, sei o que eu posso deixar de fazer;
  • Aprendi a dizer não para o que não era prioridade;
  • Minhas caixas de mensagens estão zeradas;
  • Destralhei antes da mudança e fez toda diferença;
  • Não sofro mais procurando documentos que preciso com urgência;
  • Separo a minha roupa na noite anterior para não perder tempo com isso de manhã;
  • Minhas tarefas não atrasam;
  • Meus projetos saíram do papel;
  • Tenho mais tempo ao longo da semana com os meus filhos;
  • Me cobro menos com a arrumação da casa porque sei que tem pessoas que vivem ali;
  • Deixo os vegetais picados para a semana e algumas comidas já prontas no congelador;
  • Consegui me organizar para trabalhar por conta própria;
  • Consigo tirar férias mesmo sendo autônoma;
  • Tenho um propósito para cada dia, com muita clareza e foco;
  • Aprendi a respeitar os meus limites;
  • Tenho tempo para pedalar / correr / dançar etc.;
  • Consegui organizar o meu trabalho em casa;
  • Minhas manhãs são muito mais tranquilas com os meus filhos desde que criei uma rotina;
  • Consigo determinar horários para atividades de acordo com o meu nível de energia;
  • A lista de mercado da nossa casa está compartilhada entre o casal, facilitando muito no dia a dia;
  • Aprendi a usar checklists;
  • Não preciso mais procurar as coisas, pois tudo tem e está no lugar certo;
  • Confio em todos os lembretes que coloco para mim mesma;
  • Tenho as minhas pendências todas registradas;
  • Não deixo nada para a última hora;
  • Defini um mínimo viável para fazer diariamente;
  • Passei a desligar os eletrônicos às 20h;
  • Faço tudo com antecedência, prevendo necessidades;
  • Meus prazos estão todos em dia;
  • Não fico nervosa pensando nas coisas que preciso fazer.

E você, consegue acrescentar algo a essa lista a partir da sua experiência pessoal?

Obrigada a todos que participaram. Esse trabalho é muito significativo.

6 Comments

  1. Thaís Muniz says:

    Que incrível, Thaís!
    Adorei!!! 🙂
    Super concordo com tudo também. Inclusive, ontem mesmo conversei com a psicóloga que me atende, sobre o fato da desorganização disparar o processo ansioso. Os meus dias, quando organizados, são muito mais tranquilos e menos ansiosos (estou tratando TAG). Até comentei com ela, que não era coisa de virginiana perfeccionista…rs (estamos trabalhando esse ponto tb), mas, o fato da rotina ser mais leve e tranquila, mesmo. E, no meu caso passa por acordar cedo, aproveitar minhas manhãs para tarefas que me exigem mais, não ficar vagando no celular, me alimentar bem, dormir bem, respeitar minhas necessidades, etc… Enfim, muito do que aprendi por aqui e relatado acima nas respostas da sua pesquisa.
    Adoro o seu conteúdo, na contramão dessa produtividade tóxica que vemos por aí. Tem transformado a minha vida.
    Obrigada!

    1. Me identifiquei tanto com o comentário acima, da colega Thais Muniz, que ele perfeitamente poderia ter sido escrito por mim. Essa troca de experiências é tão importante para percebermos que não estamos sozinhas, não é mesmo? Obrigada!

      Sofro de TGA e TOC de controle excessivo, o que me fazia ter comportamentos obsessivos de rastreamento de absolutamente todas as minhas atividades (todas, sério!, era uma loucura), fazer da minha agenda um tetris totalmente irracional e inexequível que me colocava em um loop eterno de procrastinação (organizava minha casa obsessivamente para fugir das dezenas de tarefas) e culpa/frustração (por não “dar conta” de cumprir a projeção de dia perfeito que eu havia idealizado).

      Hoje, quase dois anos mais tarde, atribuo meu gigantesco progresso (glórias!!) à terapia, ao antidepressivo/ansiolítico e também ao trabalho da Thais no Vida Organizada. Tudo o que eu busco hoje é ter uma mente tranquila para que minha rotina também o seja e vice-versa. Foi uma surpresa feliz notar, ao ler o post, que eu poderia dar um check em muitos itens da lista. Outros, eu ainda estou em processo (como cuidar melhor da minha alimentação, por exemplo). Mas, tudo bem! Estou no caminho e isso que importa.

      Um grande abraço!
      Renata

  2. Usei como critérios para me avaliar e fiquei muito satisfeito com o resultado!

    1. Evelyn Dos Santos Mata says:

      Fiz o mesmo e não fiquei tão feliz como gostaria, mas sei que até esse exercício é válido para planejamentos futuros e mudanças 🙂

  3. Preciso muito me organizar, tenho duas filhas ( uma de sete anos e outra de 10 meses) e trabalho fora. Ainda não consegui adaptar uma rotina. Sua lista ficou ótima, aproveitei e anotei em minha agenda para estar sempre revendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados