Downloads

Download: roda da vida

Um dos exercícios que eu aprendi a fazer na minha formação de coaching se chama roda da vida. Trata-se de uma ferramenta que você utiliza para refletir sobre o seu nível de satisfação em cada uma das áreas e usar isso para decidir algumas questões importantes para a sua vida.

É uma técnica que costumo usar regularmente. Pelo menos uma vez por mês, para avaliar como estou entrando no novo mês (como uma espécie de “check-in” do mês em questão) ou sempre que sinto necessidade de reavaliar a minha vida (por exemplo, quando começou a quarentena, na pandemia).

Para usá-la, é muito simples: você pode desenhar, listar as áreas, fazer em formato de mapa mental, ou simplesmente baixar um arquivo (vou deixar disponível aqui para você). Reflita sobre cada uma das áreas, pensando: qual meu nível de satisfação nessa área no momento? Você pode pintar, se for o arquivo com a roda mesmo, ou dar uma nota de 1 a 10.

Dar nota 10 não significa que está tudo perfeito naquela área – isso não existe. Significa apenas que você está satisfeita/o com ela como ela está. Caso não esteja satisfeita/o, por quê? Essa reflexão é super importante para você identificar o que precisa mudar ou focar naquele momento em cada uma das áreas.

Outro exercício legal de se fazer é escolher uma área para dar foco durante um tempo. Pode ser para o ano em questão ou apenas durante algum período. Por exemplo, no início da quarentena, eu achei importante focar na minha saúde mental (área: equilíbrio emocional). Foi bastante acertado, e a ideia é personalizar sempre de acordo com as suas necessidades.

Outra dúvida comum que existe é, por exemplo: posso dar 0 para espiritualidade se eu for ateu? Ou: posso dar 0 para amor se eu não estiver em um relacionamento? Lembre-se que não se trata de ter ou não coisas ou convenções dentro de cada área, mas como você se sente com relação a ela – seu nível de satisfação. Se você for um ateu feliz, significa que sua área espiritualidade está super ok para você, então você pode se dar nota 10. A gente só não consegue dar 10 quando rola um incômodo, sabe? E perceber esse incômodo é uma das maiores formas de autoconhecimento, acho muito legal.

Outra pergunta que costuma aparecer quando faço esse exercício em grupo ou com outra pessoa é: tenho que escolher só uma área para focar no momento? Todas estão precisando da minha atenção! Sim, essa é justamente a ideia! Todas estão precisando de atenção, mas se estão nesse estado é porque você não está conseguindo focar em tudo ao mesmo tempo, entende? Logo, você deve refletir assim: qual dessas áreas, se eu focar agora, vai impactar mais todas as outras? É um exercício de foco mesmo. Você escolhe uma e depois vai trazendo as outras. Mas é fato que todas vão melhorando à medida que uma bastante importante no momento melhora também.

Recomendo fortemente esse exercício como uma ferramenta de auto-conhecimento e auto-análise, de tempos em tempos, na frequência que você considerar melhor para você. Clique aqui para baixar o modelo.

8 Comments

  1. “Lembre-se que não se trata de ter ou não coisas ou convenções dentro de cada área, mas como você se sente com relação a ela – seu nível de satisfação.”
    Essa frase foi extremamente esclarecedora, porque tenho dado nota baixa para algumas coisas sem necessidade, já que estou ok com elas rs

    Obrigada pelo post e por sempre estar produzindo conteúdo de ótima qualidade!

    1. Senti o mesmo esclarecimento ao ler. : ) Às vezes nos cobramos por não estar no padrão alheio e não no nosso, no que nos faz bem.

  2. Cris Ferraz says:

    Muito legal, obrigada! 😉

  3. Emerson Ferreira Nogueira says:

    Obrigado

  4. Olá, sabe Thais me da impressão que estou o tempo todo tentando “entrar no meu trilho” alinhar o sono, ter calma, ter tempo para fazer atividade fisica, tenho usado mtos recursos, mas ainda nao consigo dizer é meu tempo, é meu dia, é meu, trabalho clt e acabo estendendo horarios com bastante frequencia bem na hr do pilates, depois tenho faculdade… nossa.. como não sentir que estou apagando incendio sem fim?

  5. Clara Ribeiro Jardim says:

    Adoro como seus post são sucintos!

  6. Adorei a metáfora do check-in, faz muito sentido! Parabéns pela clareza nas palavras!

  7. Gostei demais. Farei esse exercício. Já estou até assistindo ao vídeo do Youtube para me ajudar ainda mais. Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts mais acessados