Profissionais

Respondendo perguntas sobre a profissão de organizador profissional

Durante estas semanas estou bastante dedicada ao projeto da Jornada POP – Profissionais de Organização & Produtividade, que é um projeto para ensinar as pessoas a se tornarem referência nas suas áreas e a levarem seu trabalho para o online. Espero que esteja sendo útil para você, pois estou fazendo com muito carinho para ajudar quem está precisando de uma luz nesse momento. <3

Tenho coletado muitas dúvidas e perguntas de profissionais lá no meu Instagram e vou, aos poucos, respondendo a todos por lá e levando esse material para as LIVEs. Mas quis fazer um post para registrar essas respostas aqui, pois elas podem ser um bom compilado de ponto de partida para quem quer trabalhar na área. Enjoy!

É sempre importante lembrar que, quando iniciamos uma nova carreira, a gente está começando quase do zero em uma nova área. Eu digo “quase”, porque sua experiência anterior sempre conta e agrega ao que você for fazer. Mas é importante lembrar que recomeçar do zero nos dá uma perspectiva de que nada acontece do dia para a noite e que se trata de uma construção de anos.

No início, o resumo é: se qualificar com cursos e muito estudo e obter prática, para ter clientes, portfolio e depoimentos. Você deve focar nesses dois aspectos então.

Quem trabalha com Internet pode ter uma tendência à sobrecarga porque se trata de um excesso imenso de informações, mas basta filtrar. Recomendo que você siga pessoas que te tragam gatilhos positivos e sensações boas, não aquelas que não te deixam legal. Depois, escolha alguns poucos players para acompanhar, com foco em pesquisa de trabalho mesmo, e foque neles. Assim, você conseguirá acompanhar melhor a sua narrativa e o que eles estão propondo ou ensinando.

Sim, a Internet facilita muito o desenvolvimento de uma renda extra partindo do pressuposto das habilidades que você tem e das coisas que você gosta de fazer. Pesquise muito, acompanhe outras pessoas que fazem um trabalho similar ao que você quer fazer, e então busque qualificação para poder iniciar nessa jornada.

Para saber como começar a migrar para o online, você precisa entender as particularidades do seu trabalho. Cada trabalho terá as suas. Por exemplo, para ministrar um curso presencial no online, não bastante apenas ter uma conta no Zoom e filmar-se dando aula. Você tem que transpôr a didática. O modo de ensinar e de expôr o conteúdo, de interagir com os alunos, será diferente. É um novo projeto. É como se fosse um produto ou serviço completamente novo, que deve ser desenhado adequadamente.

Você deve refletir sobre esse desenho para todas as suas atividades. Comece pelo propósito dele, depois estabeleça princípios, e vá desenhando a partir de ideias, que surgem de investigações, perguntas, estudo, pesquisa…

Você pode ter uma primeira versão viável rodando e depois ir melhorando-a pouco a pouco.

Construir o próprio trabalho permite que você se conheça cada vez mais e imprima o seu estilo pessoal nas atividades que faz diariamente.

O online permite isso porque basta você criar seus perfis nas redes sociais e ir construindo a sua marca a cada postagem.

Não que uma pessoa tenha necessariamente que descobrir seu propósito para trabalhar – você pode encontrar o propósito mesmo nas pequenas coisas. Mas certamente, se descobrir algum propósito que seja essencialmente seu, o online te abre um mundo de possibilidades de atuação.

Realmente, o mundo perceber o quão maravilhoso é trabalhar de casa, ou pelo menos não precisar se deslocar e estar em trânsito o tempo todo, é maravilhoso! Mas, mais legal do que isso, é você ter a liberdade de escolher como trabalhar, e levando o seu trabalho para o online você consegue essa flexibilidade e mobilidade.

Tenho amigos que trabalham em outros países, prestando serviços para o Brasil, e eu mesma tenho muitos alunos em outros países que, se não fosse pelo virtual, eu não teria como fazer no momento. Conheço pessoas que finalmente realizaram o sonho de morar na praia ou no interior, numa chácara, porque dependem apenas de uma conexão com a Internet para conseguirem trabalhar.

E isso só o online pode fazer. Que bom que é o futuro que chegou antes. 😉

Eu escolhi essa pergunta porque a resposta é importante.

Quando a gente fala de marcas e propriedade intelectual de outras pessoais, existem leis e regulamentos éticos a respeito. Você sempre deve buscar essas informações.

O GTD é uma marca registrada e a Call Daniel é a empresa brasileira que tem exclusividade sobre o uso comercial da marca. É terminantemente proibido para qualquer outro profissional ou empresa usar o nome GTD de maneira comercial, ou seja, vendendo um curso ou consultoria.

Outras marcas, como KonMari, FLY Lady, Vida Organizada, Bullet Journal, são todas marcas registradas. 

Fazer um curso, participando como aluno, não te certifica como instrutor da metodologia. Atente demais para essa questão para começar da maneira certa na área, sem problemas jurídicos e processos. 😉

Acompanhe pessoas que já trabalhem com isso para entender se é algo que você realmente quer, pois tá tudo bem você só ser apaixonada pelo assunto, fazer vários cursos para se aprofundar, mas não necessariamente trabalhar com isso.

Se você quiser trabalhar com isso, busque UMA certificação para tirar e te dar respaldo. A profissão de Personal Organizer ainda não é regularizada no Brasil, então a certificação te dá um respaldo mínimo para iniciar com credibilidade na profissão.

Depois da certificação, busque fazer “laboratórios” (prestar o serviço de graça para montar portfolio) e, assim, buscar clientes. Suas redes sociais te ajudarão enormemente nisso, por isso é fundamental que você busque conhecimento em marketing digital, como na nossa Jornada POP, por exemplo.

Faça cursos para se especializar e ir agregando conhecimentos e serviços à sua cartela.

Gostar de organização não é o suficiente. Para trabalhar com organização, você precisa gostar de empreender! Depois, de tocar o negócio! E, acima de tudo, de lidar com pessoas. Você deve saber então se tem um perfil empreendedor em primeiro lugar. Se não tiver, ainda assim você pode trabalhar com organização, mas prestando serviços para outras pessoas.

Você pode procurar profissionais ou empresas na área e oferecer seus serviços.

O que faz de alguém um bom profissional de modo geral? Saber se relacionar, ter conhecimento, ter experiência e, acima de tudo, atitude própria, autonomia. Tendo tudo isso, você poderá se dar bem em qualquer profissão, não apenas em organização. 😉

A profissão de Personal Organizer ainda não é regularizada no país. Logo, não existe uma “aprovação do MEC” ou algo do tipo para garantir que uma certificação seja melhor do que a outra. Por sorte, existem muitos profissionais competentes no mercado oferecendo certificações. Minha recomendação é que você acompanhe esses profissionais e veja se sente confiança neles e no seu estilo de trabalho. Se sim, comece por aí.

Eu acredito que valha a pena você fazer uma certificação que te dê respaldo para o exercício da profissão principal (ex: certificação de Personal Organizer ou certificação de Coaching) e então você faça diversos outros cursos para se especializar em temas que deseja atuar (ex: dobras, chegada do bebê, produtividade, entre outros). 

Fora que sua própria profissão pode conversar com essas novas formações. Arquitetos, designers, psicólogos, bibliotecários, secretárias, nutricionistas, enfim, toda profissão pode ter um paralelo. Eu sou formada em publicidade e trabalho com criação de conteúdo e marketing digital. Tá vendo como faz sentido?

Eu acredito que psicologia e organização sejam temas que se conversam demais! Minha psicóloga também trabalha em um núcleo de pesquisa para pessoas que tenham problemas com finanças desorganizadas. Você, com formação em psicologia, pode atuar em nichos específicos, como: acumuladores, transtorno de déficit de atenção, ansiedade, ciências cognitivas e do aprendizado e muito mais!

Um psicólogo especializado em acumuladores teria um nicho interessantíssimo para atuar, e sempre teria muitos clientes, pois essa é uma questão necessária em nosso mundo hoje. Uma psicóloga que atue com ansiedade pode aprender processos e métodos de organização que ajudem demais seus pacientes. Tem muito terreno legal para explorar!

Quando você se torna criadora de conteúdo, absolutamente todas as experiências do seu cotidiano podem virar material para compartilhar. Agora, por exemplo, estou respondendo a sua pergunta. Poderia ter feito isso no privado, mas estou criando um conteúdo em cima dela porque entendo que a resposta possa ajudar outras pessoas que me acompanham neste canal. Desta resposta, posso gerar um post no blog, gravar um vídeo, entrevistar alguém… o céu é o limite!

É passar a ver seu dia a dia como um universo de possibilidades e levar seus insights para as suas criações. Dica: tenha sempre um caderninho com você para anotar suas ideias.

Minha maior dificuldade foi conseguir encontrar serviços que me trouxessem um faturamento mais estável, de modo que pudesse focar neles e depois ir agregando novos serviços. No início, a gente pode ficar sem foco e querendo aceitar tudo porque precisa do dinheiro. Mas, com o tempo, você vai conseguindo se ajeitar e focar naquilo que você gosta de fazer e te traz um faturamento legal, e depois ir atrás de novas oportunidades.

No início, meu foco estava em treinamentos e cursos presenciais, mas muito rapidamente eu percebi, pelas tendências mundiais de mercado, que a coisa toda estava no online, e por isso iniciei essa construção de migração para hoje meu trabalho ser pautado 100% no online mesmo.

Toda empresa deve ser formalizada desde o início. Recomendo que você comece criando um MEI, para assim ter um CNPJ e poder gerar notas fiscais, além de facilitar muitos processos da empresa daí em diante. À medida que o faturamento for aumentando, você terá um contador ou contadora que te ajudará com os tributos.

Vale a pena buscar orientações como a do SEBRAE para a constituição da empresa em si. Planos de negócios são interessantes, mas são formais demais para quem está começando. Faça-os, mas de maneira leve, focando em missão, valores, visão, porque tudo isso são parâmetros legais para você refletir, mas jamais para te engessar. O que vai fazer a sua empresa se consolidar é agregar valor aos seus clientes e aumentar seu faturamento, pois a falta de fluxo de caixa é o maior motivo de falência de empresas no país.

Para crescer o seu canal, tem que ter consistência. Mais do que postar MUITO, é postar sempre. Porque, se você posta muito durante uma semana, mas na semana seguinte não posta nada, seus seguidores param de esperar conteúdos novos de você. E pior ainda: o algoritmo das redes sociais é implacável! Quanto menos você posta, menos eles te mostram para os seus seguidores, pois consideram o seu canal menos relevante. Apesar de isso ser meio perverso e fazer todo mundo querer produzir loucamente, a dica que eu te dou é: veja a consistência mínima que você consegue contribuir todos os dias, e teste-a. Uma foto no Insta por dia, todos os dias. Depois, pode aumentar para duas ou três, mas por enquanto foque na consistência, não na excelência.

Marketing de conteúdo é uma construção que leva tempo. Você leva tempo para construir confiança em qualquer relacionamento. Na Internet, tudo é potencializado e vai mais rápido, mas mesmo assim as pessoas ainda estão aprendendo quem é você. Leva tempo. 😉 Gerando conteúdo com consistência, e um conteúdo que realmente agregue valor a quem te segue, você vai crescer sua audiência com consistência, qualidade e engajamento.

Existem profissionais de organização faturando hoje mais de 7 dígitos por ano, o que considero algo extremamente bem-sucedido se tratando de Brasil. O que eu observo é que, investindo na Internet, e fazendo um trabalho com consistência, 5 dígitos mensais acabam se tornando a regra. Mas não se engane: demanda muito trabalho e dedicação. E, principalmente, consistência na publicação de conteúdos para a sua audiência. 😉

Dificilmente uma pessoa que comece a empreender e se veja bem-sucedida nisso acaba voltando para o mercado de trabalho convencional. Pelo contrário: hoje, são os pequenos empresários que mais geram empregos no país. Toda vez que eu pago uma guia de imposto, em vez de ficar chateada (“quanto imposto se paga!”), pelo contrário, fico feliz porque EU estou fazendo a minha parte pelo crescimento do país e, mais do que ninguém, tenho o direito de reclamar por soluções e competência na gestão do nosso Brasil.

Como a gente pode falar em concorrência quando na verdade está se falando de pessoas e estilos pessoais impressos em um trabalho? Por mais que eu, Thais, fale sobre organização e produtividade compassiva, se outra pessoa também falar, por mais que ela me imite (e isso acontece o tempo todo rsrs), será outra pessoa falando, não a Thais. E pessoas se conectam com pessoas. Se uma pessoa quiser contratar um serviço ou se inscrever em um curso meu, provavelmente ela estará fazendo isso porque está comprando o meu tempo e a minha atenção, não necessariamente o meu conteúdo.

Por isso é tão importante que você seja você mesma/o no seu trabalho, e construir um trabalho na Internet é maravilhoso por conta disso mesmo! Você consegue trazer elementos que você gosta e que sejam muito você para o seu trabalho. Outras pessoas que se identifiquem com as mesmas características vão te acompanhar, e isso é muito legal.

Uma dica adicional: não se compare com os outros. Compare-se com outras versões anteriores de si. Busque sempre melhorar. Se comparar com o outro só traz frustração, porque o outro pode estar em um momento diferente, ter percorrido caminhos que você ainda não percorreu.

Essa é uma das maiores dúvidas de quem trabalha com organização, e a resposta sempre será “depende”. Depende do serviço. Por exemplo, 2h de consultoria você pode cobrar por hora, porque faz sentido, e esse valor depende da sua experiência e demanda sobre o seu trabalho. Você pode cobrar, por exemplo, 200 reais por essas duas horas. Se chegar em um ponto que está lotada de horários, pode questionar se vale a pena aumentar ou investir seu tempo em um serviço que te dê maior escala.

Se você for prestar um serviço de organização residencial, cobrar por hora pode ficar bastante custoso. Nesse caso, você pode avaliar o poder aquisitivo do cliente e cobrar por projeto. Lembrando que, dependendo do tamanho, da complexidade da residência, você pode precisar levar assistentes, e tudo isso tem um custo.

Não existe uma fórmula certa, mas ir testando de acordo com o que você precisa de faturamento, de quanto seus clientes aceitam pagar pelo seu trabalho, do que é factível na sua região, do quanto vale a sua hora, entre muitos outros fatores.

Um dos maiores privilégios desse trabalho online é você não depender mais de fronteiras para conquistar clientes. Penso que, na Internet, o conceito de cliente deve ser revisto. Eu, com mais de 100 mil seguidores no Instagram, considero que tenho esses mais de 100 mil clientes aqui. O cliente pode não estar te pagando com dinheiro, mas está te pagando com atenção, e sabemos como tempo é o nosso bem mais precioso. Se você oferece conteúdo de valor para essa pessoa, ela vai te acompanhar.

E sim, eu sei que likes e número de seguidores não pagam boletos, mas a partir do momento que você se torna uma influência real, mesmo tendo um perfil pequeno em termos de números, não apenas as marcas começam a prestar atenção em você, como os seus seguidores te vêem como referência, então sempre que você lançar algum produto ou serviço, eles estarão vendo o que você publicar. Fora que podem te contatar, com demandas. Então não se trata de conseguir clientes, mas gerar valor e criar uma audiência. 

O mais legal das redes sociais é que tem espaço para todo mundo. Esse “destacar” precisa ser ressignificado. Cada vez mais as marcas – e as pessoas – têm visto que não importa o número de seguidores, mas o valor que você agrega e o relacionamento que você desenvolve com o seu público.

Independente da concorrência sobre o mesmo assunto, você sempre terá a SUA maneira de comunicar aquilo, de trazer seu estilo àquela dica ou uma visão pessoal sobre o tema. Logo, as pessoas que se identificarem com você vão te acompanhar. Elas podem acompanhar outras pessoas também. Não se trata de se destacar, mas de criar relacionamento, e a gente faz isso trazendo um conteúdo de valor real para as pessoas, na internet.

A pergunta acima é uma dúvida que todos devem estar se fazendo no momento. Ninguém tem uma resposta para ela, mas o que eu posso dizer é: eu achei que a pandemia seria o caos, mas, por pior que seja o cenário, as pessoas continuam trabalhando, consumindo e contratando serviços. Alguns serviços mudaram. O seu modo de atender seus clientes mudou? É isso o que você deve buscar. Converse com os seus clientes, veja as necessidades atuais deles, e continue alimentando esse relacionamento.

Mesmo que menos, as pessoas continuam consumindo e contratando serviços. Você não está também? Eu estou. A questão é que o que se consome mudou, pois as necessidades mudaram. Veja se o que você está oferecendo traz uma solução para algum problema que as pessoas tenham hoje.

Sim, sempre vale a pena delegar atividades em que você não é especialista e que talvez deva delegar para se concentrar naquilo que você realmente quer fazer. Mas, no começo, geralmente não temos orçamento para isso. Recomendo duas coisas então: usar softwares de edição muito simples, que já venham no seu computador (iMovie ou Windows Movie Maker), ou o estúdio de edição do YouTube, ou fazer LIVEs, que seriam vídeos sem edição que ficam gravados. 

Fazer LIVEs é uma ótima maneira de treinar diante das câmeras também e, por ser ao vivo, todo mundo que assiste não fica cobrando um grau imenso de perfeição. É ótimo para treinar e uma excelente maneira de criar conteúdo sem gastar tempo com edição, ou quando não sabe como editar.

Eu vou falar mais sobre isso nas lives diárias que estão acontecendo de segunda a sexta às 14h e às 18h e também nas aulas da Jornada POP, na semana de 29/6. Não perca!

2 Comments

  1. Elaine Cristina Gonçalves says:

    Thais, não tenho interesse em trabalhar na área, mas resolvi ler pois ler suas público sempre traz para aprender, e olha, certeiro.
    Ver que você tem uma preocupação moral, com explicação pautada em valores, nossa… É uma leitura prazerosa e um investimento se tempo. Parabéns pela pessoa e profissional que é. E gratidão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados