Categoria(s) do post: Trimestral, Mensal

Todo planejamento sempre faz parte de um planejamento maior.

O planejamento do trimestre está alinhado com o planejamento do ano e influencia no planejamento do mês.

Para planejar o meu mês de junho, eu:

  • olhei o planejamento que tinha para o segundo trimestre do ano (registrado no meu Bullet Journal)
  • vi o que acabei não conseguindo concluir em maio (também listado no BJ)
  • vi o log do futuro registrado no BJ (o que estava listado para junho)
  • revisei meus projetos em andamento (listados no Todoist atualmente)
  • e os projetos que estão em espera (migrando aos poucos para o Todoist novamente)
  • revisei as datas do mês na agenda do Google (feriados, aniversários, eventos agendados etc).

Ainda publicarei o vídeo de Plan With Me de junho onde demonstro e explico todo esse planejamento em detalhes. O post de hoje tem o intuito apenas de buscar ensinar como você pode planejar o seu mês levando em conta os pontos acima levantados.

Você chegou a fazer um planejamento do seu ano de 2020? Se sim, esse planejamento pode ser quebrado em pedaços menores, em metas menores, em marcos menores, dentro dos trimestres, de modo que você não deixe “tudo acumulado” para o último trimestre do ano. Levando em conta feriados e outros compromissos seus nos quatro trimestres do ano, o que você pode fazer em cada trimestre? É legal pensar nos trimestres como marcos de “entregas”. Se você quiser, pode inclusive criar uma pipeline para os seus projetos do ano, e organizá-los por trimestres. Isso vale a pena caso você tenha autonomia para esse tipo de decisão e tenha realmente muitos projetos em andamento. No primeiro ano do mestrado, por exemplo, eu fiz uma estratégia semelhante para me organizar com as entregas das disciplinas e os artigos que precisava escrever, seminários a participar etc.

Também não consegui concluir muito do que eu gostaria em maio. Não apenas porque não deu tempo ou coisa do tipo, mas porque a vida é assim mesmo: o que a gente acha que é prioridade no dia primeiro de maio, até o dia 31 pode ter mudado. Outras coisas entram, sua vida muda, sua opinião muda, sua vontade muda. Às vezes eu começo o mês empolgada com algum projeto mas essa empolgação vai mudando porque eu percebo que outras iniciativas são mais prioritárias. E tá tudo bem, planejar não é engessar seus projetos, mas reequilibrá-los o tempo todo, justamente porque ocorrem mudanças. A questão que você deve se fazer aqui é: isso que eu não terminei em maio ainda é relevante para fazer em junho? Aí você começa o seu planejamento do novo mês com assertividade.

Quando eu revisei o meu log do futuro no BJ, com coisas que estavam indicadas para junho, algumas foram gratas surpresas (“que bom que coloquei isso pra junho, será ótimo!”) enquanto outras geraram um sentimento de “putz, nem pensar”. Mais uma vez: tá tudo bem. Eu não sou mais a mesma pessoa que anotou aquilo ali meses atrás. o mundo também não é. O que importa é o que eu vou fazer com aquela informação agora que junho chegou.

Revisar os projetos em andamento e os projetos que estão em espera ou incubados me ajuda a entender o que é prioridade no momento, ainda mais. Faço essa revisão semanalmente. Tendo olhado o planejamento do ano e dos trimestres antes ajuda na priorização. Porque, ao longo do ano, é natural surgirem ideias e coisas novas, que a gente vai agregando à nossa vida. Mas tudo isso toma tempo e, se a gente não ficar constantemente reajustando o foco, pode se distrair. É por isso que eu passo essa impressão de fazer muita coisa, como muitos de vocês me falam. Não é que eu faço muita coisa, é que eu ajusto meu foco o tempo todo. Eu tenho a criatividade como um valor muito forte para mim, logo tenho ideias mirabolantes o tempo inteiro. Isso é tão bom quanto ruim, porque posso virar uma crazy maker de uma hora para a outra, e o resultado todo mundo já conhece: sobrecarga. Não quero, obrigada. Por isso tenho que estar sempre atenta, e o estar sempre atenta não é mais nada além de fazer revisões, refletir, reajustar. O tempo todo.

Atualmente, com a quarentena e o isolamento social, “revisar as datas na agenda” serve para ficar ligada em aulas, prazos de trabalho, vacina do dog, aulas do filhote, coisas assim. Não tenho viagens, treinamentos, palestras, reuniões externas. Comentei com o meu marido a maravilhosidade disso tudo. Como a gente perde tempo com deslocamentos na vida. É uma pena que o mundo tenha que ter passado por uma pandemia para mostrar para as pessoas como elas ficam indo para lá e para cá o tempo todo muitas vezes sem necessidade.

Por fim: o que você ainda precisa concluir neste trimestre? Qual deve ser seu foco em junho? O que pode ser reajustado para o terceiro trimestre? São questões pertinentes a se fazer para que você “passe a tesoura” na sua lista de projetos e possa se concentrar no que realmente importa para você.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.