Novidades, Áreas da Vida

O processo de organização independe da sua profissão

Esta semana está acontecendo a Semana de Organização, um workshop online em que estou disponibilizando três aulas gratuitas para ajudar as pessoas a se organizarem este ano. Ainda dá tempo de se inscrever (a terceira aula será enviada na sexta e ficará disponível até domingo).

Um equívoco muito comum (e que eu descobri que não estava deixando claro suficiente) é justamente com “para quem servem estas aulas”. Recebi alguns comentários como “essas dicas só servem para quem trabalha no meio corporativo” e isso não é verdade. O post de hoje serve justamente para explicar melhor e esclarecer essa confusão.

Todos nós lidamos com ideias e lembretes de coisas a fazer. Isso independe de você ser:

  • dona/o de casa
  • estar desempregada/o
  • ser professor/a
  • ser cientista da NASA
  • ser sócio majoritário de uma empresa
  • ser advogada/o
  • ser estudante
  • ser assistente administrativo
  • ser engenheiro civil
  • ser cartunista
  • ser massagista
  • ser eletricista
  • ser cozinheira/o
  • ser comerciante
  • ser atendente de telemarketing
  • ser artesã/o
  • ser pedreira/o
  • ser motorista de aplicativo
  • etc.

Eu estudo e tomo um extremo cuidado para indicar orientações que sirvam para todos os tipos de pessoas. Como eu mesma não trabalho em âmbito corporativo, não teria nem por que trazer dicas apenas para esse meio. As profissões e os trabalhos mudaram tanto nos últimos anos, e continuam mudando, que uma pessoa que se proponha a ensinar sobre organização precisa ter isso como premissa básica, e eu tenho. Logo, jamais ensinaria algo voltado apenas a uma parcela das pessoas…

Seja qual for a sua condição atual de trabalho, você lida com ideias, lembra de coisas que precisa fazer, ou coisas que não pode esquecer. Para essa etapa inicial do processo pessoal de organização, minha recomendação é que você tenha sempre com você um caderno para anotações. Depois eu destrincho, na aula, como lidar com essas informações. Eu também explico:

  • para que serve uma agenda e como você pode organizar o seu tempo com essa ferramenta
  • onde você vai organizar suas rotinas de casa e de trabalho, e como fazer isso nos intervalos entre os seus agendamentos
  • como lidar com outras pessoas, de interrupções a tarefas que delegou
  • como organizar arquivos da casa e do trabalho, tanto em papel quanto no digital

Seja qual for a sua situação, as configurações acima são BÁSICAS.

Aqui no blog e em outras redes vou procurar trazer exemplos de aplicação dessas práticas, pois acredito que o que esteja faltando seja isso mesmo… mostrar a aplicação caso a caso. Pegar, por exemplo, uma professora, e falar:

  • olha, aqui na agenda você vai colocar as aulas da sua semana, as reuniões de professores, as reuniões de pais, suas consultas médicas, provas, prazo para lançar notas no sistema etc.
  • aqui na ferramenta de afazeres você vai listar as aulas que precisa planejar, o que precisa comprar na papelaria e no mercado, o que vai conversar com a diretora etc.
  • nos seus arquivos você digitaliza diários de bordo do ano passado, trabalhos concluídos, arquivos e textos de referência para as suas aulas etc.
  • você verá como gerenciar o que delegar para os outros, desde alunos que precisam trazer um trabalho para recuperar a nota até uma decisão que está aguardando a coordenadora pedagógica tomar e que vai afetar a sua rotina.

Eu achava que orientar de maneira geral faria com que cada pessoa refletisse sobre a sua situação e se visse em todas as orientações, mas acho que eu estava enganada. rs Vamos lá, back to basics. O professor sempre aprende mais no processo de ensino porque ele está aprimorando a sua didática o tempo todo. Muito obrigada por essas questões.

Você também pode gostar...

Posts mais acessados

17 Comments

  1. Carol Kesser says:

    Oiê. Muito obrigada pela resposta na aula, e por este post. Acho que é um ‘bloqueio’ na linguagem. Eu ouço ‘chefe’, ‘delegar’, ‘organizar emails’ e penso na frequência de uma vida corporativa. Mas claramente que sua fala não se limita a este mundo. Como comentei em resposta na aula, acho que a gente personaliza tanto na vida acadêmica (uma professora não fica só professora, a gente acaba sendo psicóloga, mãe e etc) que não consegue ouvir ‘chefe, reunião’ e pensar num escritório bem lindo com alguém pra dar satisfações, heheh. Acho que como eu coordeno laboratório e pesquisas de alunos, e não tenho propriamente um chefe, me causa uma dificuldade gerenciar sozinha a minha própria vida, e realizar que, OPA!, eu sou a chefe lá, eu tenho que delegar, eu preciso organizar as funções, eu secretario tudo, eu tenho que arrumar os troços e colocá-los no lugar, e ensinar isso aos alunos tb.
    Desculpa se pareceu uma reclamação, eu te acompanho há tanto tempo e sempre consegui incorporar uma ou outra coisa na vida, porque teu trabalho e conteúdos são excelentes. <3

    1. Vou fazer para a vida acadêmica porque acho que é um exemplo legal de pegar. Muito obrigada por me encorajar essa reflexão!

      Chefe se refere a uma pessoa. Pode ser o diretor da instituição, o coordenador da pós, ou mesmo seu orientador do pós-doutorado. Também se refere aos seus alunos que está orientando, enfim, trata-se de organizar os assuntos a tratar com tais pessoas, coisas que está esperando delas etc.

      Dá pra destrinchar em todas as outras recomendações, mas ficaria longo para o comentário, então trarei para algum vídeo, por ex. Obrigada.

      1. Carol Kesser says:

        Eba! Obrigadíssima, e que legal que futuramente pode aparecer um vídeo para as academias, precisamos jogar essas info pras pessoas (já fiz workshop de como pesquisar, como preencher o Lattes… e percebo que mesmo desenhando, há dificuldades. e se organizar é a maior delas). Amei o vídeo extra de hoje; tudo já estava muito claro, e ficou mais ainda. que beleza, isso que é didática e preocupação com o outro. Credo, você é muito maravilhosa! <3

  2. Interessante esta necessidade das pessoas. Talvez por isso tenha tantos cursos com temas bem restritos e específicos.
    É um exercício, como vc já disse, pensar em como.usar uma dica de outro setor no seu. Adoro fazer isso.
    Ah, passei o link do workshop para algumas amigas.
    Hoje a aula estava otima!
    um beijo!

  3. ALEXANDRE PARAVANI says:

    Thais isso é fato. As pessoas tem imensa dificuldade, de aplicar aquilo que aprendeu, no seu dia a dia. Vim de uma multinacional e abri uma pequena empresa. Passei muitas coisas interessantes, mas o pessoal não usava.
    Quando comecei a adaptar a teoria, com exemplos de uso diário, eles começaram a utilizar as ferramentas.
    Sua visão é super real, as pessoas não gostam de pegar conceitos e adapta-los a sua realidade. Elas querem modelos, para implementar de imediato.

    Alexandre Paravani – Empresário
    Araraquara – SP

  4. Mariana Corrêa says:

    Obrigada!

  5. Esse exemplo pratico serviu muito.
    Ainda nao recebi a aula de hoje…. Ja enviou?

    1. O sistema vai enviando aos poucos ao longo do dia a partir das 6h da manhã. 😉

  6. Tatiana Tavares says:

    Thais, achei incrível você exemplificar assim… realmente a gente ouve certas palavras e pensa que, como não faz parte do nosso mundo, não serve pra gente. Posso sugerir de semanalmente você fazer alguns exemplos assim? Tipo: PROFISSÃO DA SEMANA, e exemplificar o que colocar na agenda, na lista de afazeres, nos arquivos, etc… além de que, fica mais fácil enxergar a aplicação de cada etapa do método. Um abraço!

  7. Gabriela L Kniest says:

    Você é um gênio da empatia. Obrigada

  8. Estou ansiosa por essa nova fase que vai trazer exemplos mais práticos e personalizados do dia a dia! Dá sim pra perceber que as dicas que você dá são gerais e aplicáveis a qualquer caso, mas às vezes é difícil de encaixar na própria rotina. Eu por exemplo sou jornalista e quando trabalhava em jornal diário tinha muita dificuldade de absorver o conceito de esclarecer as capturas no fim do dia. Eu tenho que começar e terminar vários textos e matérias num mesmo dia, ou seja, às vezes tenho um insight ou ideia de manhã que já vou precisar à tarde, não dá pra esperar o fim do dia para esclarecer. Acho que vai ser muito legal trazer exemplos caso a caso, vai enriquecer muito os eu (já maravilhoso) conteúdo! <3

    1. Mas não precisa esclarecer no fim do dia. Você pode fazer ao longo do dia. O ponto fundamental é entender a natureza de cada prática e aí adaptá-la à sua vida. 😉

  9. Fernanda Ribolla says:

    Thais, estou amando seu workshop, aprendendo muito, embora já acompanhe seu blog e aplique coisas em minha vida já não é de hoje. Eu saí do mundo corporativo há 5 anos quando tive o meu primeiro filho. Agora, depois do segundo, resolvi empreender. Entao, foi nesse período em que eu “só” desempenhei a função mãe e aspirante à dona do próprio negócio que eu senti a necessidade de me organizar e suas dicas, inclusive sobre GTD, me guiaram ao foco é à produtividade, através da organização.
    Quero aproveitar pra dizer que você é admirável, inclusive por entender que as pessoas tem necessidades diferentes e ainda que já produza um conteúdo super completo, se dispõe à destrinçar ainda mais através dos exemplos.
    Um super beijo!

  10. Daniela Lacerda Alves da Silveira says:

    Oi Thaís, sou Méduca Veterinária e dona de casa, não trabalho fora, somente em minha propriedade, junto com meu marido e eu consigo transportar todas as suas orientações para minha realidade, dá super certo, me ajuda muito e sou muito grata pelos seus posts e livros, para mim está ótimo do jeito que está.

  11. Olá Thais!
    Eu para além de planear o meu próprio trabalho nas orientações básicas dos caminhos da empresa, ainda chefio algumas equipas e supervisiono outras, a distancias consideráveis entre elas e em areas de actuação (negócios) bem distintos.
    Neste momento, sinto que passo a vida a correr de um lado para o outro, a acudir a incêndios…
    Tenho 2 filhos, de 7 e 12 anos.
    A minha maior dificuldade é conseguir conciliar tudo e ter tempo para planear as coisas…
    Se puder me ajudar (ainda mais com casos específicos) ficaria muito grata.
    Estou mesmo a precisar…

  12. Eu comecei a ler o Vida Organizada justamente no ano que comecei a faculdade (2012). Daí comecei a usar a agenda do Google e quando a faculdade lançava o calendário só semestre eu já colocava todas as datas importantes na agenda, todo o restante dos meus compromissos giravam em torno do calendário do semestre que era a minha prioridade. Tudo que aprendi aqui me ajudou muito. Vi que essa minha “simples” prática no início do semestre fazia toda diferença. Percebi que meus colegas tinham muita de dificuldade de organizar agenda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *