Setembro Amarelo: por que é importante

6
2922

Setembro Amarelo é uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015. É uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). O mês de setembro foi escolhido para a campanha porque, desde 2003, o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, por iniciativa da International Association for Suicide Prevention.A ideia é promover eventos que abram espaço para debates sobre suicídio e divulgar o tema alertando a população sobre a importância de sua discussão. Durante o mês da campanha, costuma-se iluminar locais públicos com a cor amarela. Por exemplo, em 2015 foram iluminados o Cristo Redentor (RJ), o Congresso Nacional (DF), entre outros. (Wikipedia)

No Brasil, o suicídio é considerado um problema de saúde pública, com uma média de 32 por dia (!). No mundo, a taxa é de 800 mil mortes assim por ano. Esse número é alarmante. A OMS afirma que o suicídio tem prevenção em 90% dos casos, o que justifica a grandeza de uma campanha como essa. Precisamos falar sobre esse assunto, apesar de ele ser muito triste. 96% dos caos s de suicídio estão relacionados a distúrbios mentais de alguma maneira, e infelizmente muitas pessoas nunca procuram ajuda.

A primeira coisa que você deve fazer, se você estiver com pensamentos relacionados a tirar a própria vida, é procurar ajuda. Ligue no CVV (188). Leia livros sobre o assunto, para se entender (recomendo especialmente “O demônio do meio-dia”). Agende uma consulta com um psiquiatra ou psicólogo. Converse com alguém de confiança e que tenha um mínimo de conhecimento sobre o assunto, para ter apoio. A depressão é uma doença, e deve ser tratada, assim como outros distúrbios relacionados à nossa mente. Não é para ter vergonha, pois muitas pessoas passam por isso. Parece sem solução, mas dá para tratar e melhorar. É possível ter uma solução eficaz.

Se você conviver com alguma pessoa que seja depressiva, como ajudar? Busque conhecimento. Leia o livro que citei no parágrafo anterior. Esteja disponível para a pessoa. Não use frases que não ajudam em nada, como “você precisa se animar”, entre outras. Não faça julgamentos! (“quer chamar a atenção”, “quem tira a própria vida é egoísta”, “quem tentou uma vez não vai tentar de novo” etc.) Jamais externalize esses pensamentos. Eles são errados. Uma pessoa que pensa em tirar a própria vida precisa de tudo, menos ouvir algo assim. É necessário entender o sofrimento da pessoa, ter empatia e ajudar.

A Associação Brasileira de Psiquiatria lançou em 2016, junto com o Conselho Federal de Medicina, uma cartilha com informações corretas sobre o assunto. Recomendo a leitura. É dirigida para profissionais de comunicação, mas serve para todo mundo se informar.

É importante falar sobre isso, mas de maneira correta e responsável. Sempre.

6 comentários

  1. Estou organizando as publicações do setembro amarelo aqui no meu trabalho, e basicamente esses mesmos dados que você cita, estamos trabalhando aqui. Tem sido muito legal conhecer mais a respeito, e também, ver como a gente PENSA que sabe sobre o assunto, mas na verdade, desconhece totalmente. Está sendo um mês incrível de informação e conscientização!

  2. Os posts tem sido incríveis, muito bons mesmo. E esse é especial por tratar de algo tão delicado e com tanta informação útil e acolhedora. Parabéns mais uma vez por seguir sua missão de ajudar pessoas, e ainda ajudar pessoas a ajudar outras pessoas!! 💕💕

  3. Obrigada por sempre abordar temas que contribuam de verdade para a qualidade de vida de todas as pessoas. Você é luz, Thaís. Tenho uma irmã que sofre de depressão há muitos anos e de uns tempos para cá ela melhorou =)…Gosto do tema para ajudá-la e ser suporte para quem precise um dia e para monitorar minha própria saúde mental preventivamente. Muito obrigada pelo conteúdo maravilhoso sempre! Um beijo!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui