Universidade pessoal: o que estou estudando no momento (março 2019)

36
5279

O conceito de universidade pessoal nasceu para mim como uma maneira de nomear os estudos autodidatas que tenho independentemente da fase da vida e de quaisquer cursos formais que eu esteja fazendo. Eu tenho um primeiro post em que explico direitinho como funciona – e você pode lê-lo aqui.

Este post de hoje é uma atualização sobre os assuntos que tenho estudado atualmente.

Como você pode imaginar, o mestrado tem direcionado muito os meus estudos no último ano. Porém, mesmo com o mestrado, existem disciplinas que estudo em paralelo, que até dão suporte aos estudos do mestrado. No momento, são elas:

  • Inglês falado (foco em ministrar cursos)
  • Tecnologia e trabalho*
  • Sociologia do trabalho*
  • Capitalismo*
  • Relação entre gêneros e trabalho*
  • Andragogia
  • GTD
  • Midiatização*
  • Melhores práticas de ensino à distância
  • Comunicação não violenta
  • Disciplina positiva para crianças
  • Vinhos
  • TOC, ansiedade, depressão e outros transtornos psicológicos*
  • Saúde no trabalho*
  • Liderança
  • Desenvolvimento de carreira

Neste semestre, estou cursando duas disciplinas no mestrado que já trazem uma alta carga de leituras. Além disso, tenho a minha dissertação. Os temas acima relacionados ao mestrado e à minha dissertação são os que marquei com um asterisco *. Apesar de serem leituras de apoio ao mestrado, elas também servem para a minha vida pessoal e o meu trabalho, porque tudo está mais ou menos linkado.

O “como” eu estudo varia de diciplina para disciplina. Confesso que tenho priorizado as leituras do mestrado, pois é uma fase em que realmente preciso focar em defender a minha dissertação e, acima de tudo, concluí-la! Mas consigo encaixar outros temas de estudo, até mesmo porque a vida não para (meu filho cresce, o trabalho acontece etc).

Algumas disciplinas são mais práticas (liderança, andragogia) e, além de livros, participo de eventos, debates, e procuro aplicar no meu dia a dia de trabalho diretamente. A maneira de organizar esse estudo varia bastante. De modo geral, tenho “desligado” mais cedo das telinhas e costumo ler e estudar à noite, mas também faço leituras pela manhã, quando sinto vontade e tenho uma janela de tempo, e sempre carrego um livro comigo, para ler ao longo do dia.

De modo geral os temas vão evoluindo ou mudando um pouco, mas se mantêm relacionados com o passar dos anos. Inglês, GTD, são temas sempre presentes. Quanto mais vou evoluindo na minha carreira como pesquisadora, é natural ter temas de humanas relacionados. Leituras que possam parecer hobbies (como “vinhos”) apesar de serem lazer também são fontes de aprendizado.

Estudar dessa maneira alivia um pouco a minha ansiedade em termos de querer fazer diversos cursos, que hoje não tenho mais disponibilidade para fazer (por causa do filhote). Também me sinto satisfeita por organizar meu tempo de modo que consiga estudar assuntos que sejam de extrema relevância para mim, como esses.

Para mim, o estudo é para toda a vida, e não relacionado apenas ao fato de eu estar fazendo um curso ou não. Eu sou uma pessoa de múltiplos interesses e cuidar dessa necessidade de alma com carinho me deixa mais feliz e plena com relação à vida.

Espero que essa atualização tenha sido útil e, quaisquer dúvidas, favor deixar um comentário. Obrigada!

36 comentários

  1. Thais, que felicidade em abrir o seu blog hoje pela manhã (como faço todos os dias) e me deparar com este tema.
    Conheci o conceito através de você, justo naquele primeiro post e me apaixonei por ele desde então. Eu sou autodidata em muitas coisas e AMO estudar sozinha, então ideias como essa sempre causam rebuliço no meu coração.
    Obrigada pela atualização. Foi ótimo, pois me ajudou a refletir um pouco mais como eu tenho levado os meus estudos independentes e como eu gostaria de dar mais atenção a eles.
    Para variar, você me fazendo refletir! 🙂 Um beijo!

  2. Thaís, vi que você incluiu o tema vinhos como hobbies. Além desse, você consegue encaixar leituras do tipo “literatura”? Quando eu estava no mestrado foi o que mais senti falta. Lia muito sobre o tema da dissertação e temas relacionados, mas minhas leituras de literatura foram drasticamente reduzidas. Tanto que assim que entreguei a dissertação fui ler GOT, que são todos calhamaços.
    Como você encaixa essas leituras que não são da universidade pessoal?
    Bjos!

    • Sim, acabam não entrando na universidade pessoal porque não são estudos, mas leituras de lazer. Eu costumo deixar o livro em andamento na minha cabeceira e ler à noite. Agora, sinceramente, tenho lido muito pouco de ficção durante o mestrado. Não foi algo que planejei, mas simplesmente aconteceu. Estou dedicando o tempo de leitura a outros assuntos. Mas pretendo retomar. 🙂

  3. Thais, como você controla esses estudos? Textos em geral entram? Ou apenas livros e artigos? De quanto em quanto tempo você atualiza os assuntos?

    Notei que tenho uma “universidade pessoal” mas os assuntos são quase sempre os mesmos… a diferença é que tenho pesquisado muito via google e instagram sobre um tema em particular desde o mês passado: vida saudável e musculação.

    Queria saber de quanto em quanto tempo posso fazer uma revisão nos assuntos e como “armazenar” os temas.

  4. Obrigada por dividir este assunto conosco, Thais.
    Sou advogada e faz 1 ano que comecei a coordenar uma equipe de advogados (antes disso não tinha experiência com gestão).
    Apesar da falta de experiência, tenho tido um ótimo retorno da equipe, contudo, gostaria de aprender realmente sobre liderança e, principalmente, como fazer isso com humanidade e respeito.
    Você teria algum ou alguns livros para me indicar??

    PS: Estou adorando fazer buscas no site e ler posts antigos, dependendo do assunto que tenho interesse no dia. Obrigada por isto também!!

    Beijos.

  5. Ahhh amei este post, voçe e mesmo uma bonita fonte de inspiração.
    Também me encontro estudando de uma forma autodidata, beijinho grande 🙂

  6. Thaís, você é uma inspiração!
    Também comecei a aplicar esse conceito de universidade pessoal e tenho lido sobre os assuntos que me interessam, que têm relação com a faculdade ou que vão além.
    Mas, às vezes, me sinto um pouco perdida… na verdade com receio de ler várias coisas ao mesmo tempo e não reter tanto conteúdo quanto se me dedicasse a um assunto por vez.
    Como você lida com essa alternância de temas? No sentido de fixar os conteúdos. Li um outro post em que você fala sobre o commonplace book, além dele você tem outras ferramentas/estratégias para lidar com tanta informação?

  7. Eu tenho “estudado” bastante sobre Lei da atração, crenças limitantes, ho’oponopono…. Não cheguei ainda a fazer anotações (ia começar um cpb, mas tô adiando… rsrsrsrs)…
    Acabo assistindo vídeos no Youtube e lendo artigos na internet (como o celular tá sempre nas mãos, facilita!!! Rsrsrsrs)
    Aproveito enquanto armamento minha filha ou quando estou fazendo alguma refeição…
    Talvez venha daí essa dificuldade em fazer anotações… 😆

  8. Adoro seu conceito de universidade pessoal, Thais!
    Ultimamente tenho me dedicado a estudar conteúdos que gosto longe da pós-graduação e é muito bom poder me dedicar a eles, mesmo que um pouquinho por vez.

  9. Gostei muito desse conceito bem como sua iniciativa e disciplina de aprendizagem autodidata. Serve muito como inspiração forte incentivo para dar o primeiro passo para iniciar e traçar meus próprios estudos. Muito obrigado! Um abraço.

  10. Sou curiosa por excelência e leio sobre coisas diversas, além do meu campo de estudos mais formal. Mas ainda não tenho uma estrutura mais focada, termino aproveitando as necessidades e unindo ao desejo (o útil ao agradável). Cozinho com o notebook na cozinha vendo vídeos, e isso é um baita aproveitamento do tempo. Vejo muito vídeos de receitas e alimentação e vida saudável enquanto cozinho, depois de alguns anos, dá para pensar que tantas horas de vídeos valem um curso (mas não eliminam necessariamente a necessidade de cursos mais formais, inclusive cursos de culinária estão na minha lista de algum dia talvez). Também vejo conteúdos que alimentam projetos meus, como finanças e investimentos, resenhas de produtos que pretendo comprar, diy, aromaterapia, maternidade (porque sou mãe e porque estudo isso formalmente), produtividade, GTD (inclusive seus vídeos). Muitas vezes tomo notas rápidas sobre questões que quero aprofundar de forma mais focada em outros momentos, mas esse tempo que estou cozinhando termina sendo super bem aproveitado, e mudou minha relação com a obrigação de cozinhar, porque agora é um prazer e uma alegria, um dos melhores momentos do meu dia. Enfim, só uma dica que outras pessoas podem aproveitar – sempre há algum espaço de tempo que poderia ser preenchido com algum aprendizado, ainda que longe da formalidade que estamos acostumadas a dar ao que chamamos “estudos”.

  11. Oi Thaís, estou te escrevendo de Moçambique, primeira vez que deixo cá um comentário, mas sigo o vida organizada faz uns 2 anos, e adoro, parabéns por esse lindo trabalho, você me inspira a ser melhor.
    Eu tenho muitos problemas para manter o foco e a constância nas coisas, eu inicio algo e um ou dois meses (as vezes uma semana) depois simplesmente desisto, essa é hoje a minha maior luta, mas com perseverança eu vou vencer.
    Achei seu post super interessante, hoje eu não estou mais nessa onda do inglês porque já passei dela, dediquei muito do meu tempo a estudar e depois acabei por ir fazer meu mestrado na Inglaterra, portanto já tenho fluência, uma dica que eu deixo é blindar-se lidar só com inglês, comigo foi assim, livros, telejornal, filmes, estação de rádio e tudo que você pode ouvir ou ler em inglês, foram quase dois anos nisso e olha ajudou imenso.
    Hoje meus estudos estão virados para assuntos de família, casamento, educação de crianças, mindfulness, organização e também assuntos ligados a ansiedade. Obrigada por todas as dicas que você passa.
    XO

  12. Oi Thais, esse termo é maravilhoso!
    No momento estou estudando sobre yoga (voltei a praticar), medicina alternativa, alimentação saudável e temas relacionados a minha profissão de bibliotecária (leitura, mediação da aprendizagem, educação..).
    Estou fazendo um curso presencial de mediação da aprendizagem pois vi que não me identifico tanto com o EaD =/
    Comentaram ali acima sobre como organizar essas leituras, eu amo o pinterest de paixão e até para os artigos científicos que vi mas que não daria para ler no momento eu salvei por lá, adoro a estética e depois a sugestão de assuntos relacionados. Não uso tanto o pinterest para pesquisa mas uso para salvar imagens ou textos que gosto e quero consultar posteriormente.
    beijos

  13. ahh que delicia de post, caaara, nem acredito que encontrei artigos preciosos sobre esse tema aquiii. Sou autodidata tambem, me formei ha poucos meses, em administração, porém continuo estudando, agora focando no crescimento da minha carreira como organizadora profissional, ps: voce me inspira demais, e me fez amar o GTD rs.

  14. Thaís, boa noite. Sempre colho muitas inspirações aqui no seu blog. Obrigada!

    Você tem como me passar algumas referências sobre midiatização? E acredito que o conceito pode servir muito para meu projeto. Meu objeto de pesquisa é a cidade e a organização socioespacial. Espero fazer links com a midiatização.

    Obrigada,

    Fernanda

    • Oi Fernanda, tudo bem? Obrigada pela pergunta e pelo comentário, mas é um pouco difícil passar porque midiatização tem diferentes frentes e abordagens e muitas referências MESMO. Vale a pena pesquisar no Google Academics. Bjo.

  15. Oi Thaís…acompanho seu blog há muitos e muitos anos, e seu primeiro post da universidade pessoal mudou a minha maneira de ver a questão de estudos. Poucos posts me impactaram tanto quanto esse primeiro, salvei no meu pocket inclusive pq nunca tinha pensando nesse conceito e fez todo sentido para mim.
    Obrigada e parabéns pelo blog

  16. Para a turma dos “múltiplos interesses”, esse post é um presente e tanto. Obrigada!
    Fiquei feliz em saber que tem dedicado tempo aos estudos sobre CNV e disciplina positiva. Estou nessa também; noto que são conhecimentos bastante desafiadores, no sentido de ir contra a corrente, mas muito recompensadores. Vamos que vamos!

  17. Thaís, parabéns pelo seu trabalho! Minha grande fonte de inspiração! Acredito em toda sua abordagem relacionada a organização! Estou entrando nessa linha de trabalho em organização e, nas minhas leituras, acabei encontrando você e te seguindo! Fantástico o seu trabalho! Estou vendo as datas dos seus cursos e pretendo fazer varios!
    Gostaria de saber se você tem algum estudo sobre TDAH e organização/foco. Assunto que me chama a atenção….
    Desculpe a curiosidade, mas mestrado em que você está fazendo?
    Parabéns e bjs

    • Oi Ana, tudo bem? Obrigada pelo comentário e pela visita ao blog!

      Meu mestrado é na área da Comunicação.

      De modo geral, a organização serve como metodologia (uma das) para ajudar no foco, especialmente para quem tem TDAH.

      Beijo.

  18. Aqui um livro que talvez seja interessante para seus estudos: The Compelling Communicator: Mastering the Art and Science of Exceptional Presentation Design, de Tim Pollard. Eu estou quase no fim e adorando! Para quem trabalha com comunicação e ensino, é um livro fundamental.

  19. Oi, Thais ! Que conceito incrível esse da universidade pessoal.
    Que demais você estar estudando sobre CNV e disciplina positiva. Amo demais esses assuntos, também estou estudando sobre isso, além de GTD. 🙂

  20. Oi, Thaís! Sou leitora antiga já e aprendo demais com os textos que você escreve.
    Lendo esse seu post e outros do tema Universidade Pessoal , além daqueles sobre seus feitos do mês, me surgiu uma dúvida. Você já leu Essencialismo, de Greg McKeown? Porque depois que o li, parece que o que vc faz vai “na contra-mão” do que o autor fala; se já leu poderia me dizer um pouco sobre como conseguiu equilibrar o que você acredita com a ideia que ele passa no livro? Muitas vezes tenho vontade de incluir alguns novos projetos na minha vida, porém depois que li o livro, fico super insegura de abrigar “obrigações” demais (não estar priorizando), mas ao mesmo tempo tenho medo de ficar estagnada e acomodada com o que já faço.
    Por exemplo, atualmente trabalho horário comercial (10 às 18); estudo 02 hs por dia matérias de Direito (pra me aprimorar no trabalho, área jurídica); leio diariamente algum livro sobre desenvolvimento pessoal e faço atividade 3x por semana; Porém eu gostaria MUITO de começar estudar espanhol (por gosto), aí fico super em dúvida se deveria iniciar meus estudos já ou se isso iria atrapalhar minhas outras áreas de estudo (e o avanço delas).
    Enfim, se puder me falar um pouquinho sobre isso na sua vida.
    Desculpe pelo texto grande, rs

    • Já li sim e não considero na contramão… pelo contrário, acho super alinhado com o que faço no meu trabalho. Precisamos manter apenas aquilo que é essencial para focar exatamente no que realmente importa. É o que livro fala e eu também. Mas fiquei cursiosa: o que você achou que vai na contramão?

      De qualquer maneira, existem diversas filosofias e abordagens de produtividade, e não existe muito ir na contramão, e sim usar caminhos diferentes para, ao final, alcançar uma mesma coisa. 😉

      Obrigada.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui