Categoria(s) do post: Livros

Temos um novo livro do Flávio Augusto da Silva na praça, que eu já li e fiquei com vontade de trazer alguns comentários aqui no blog.

Imagem: CNN

Para quem não tem ideia de quem é o Flávio Augusto da Silva, segue descrição muito resumida: ele nasceu na periferia do RJ, abriu uma escola de inglês com o dinheiro do cheque especial quando era jovem e fundou a Wise Up, que mais tarde foi vendida em uma transição milionária para o Grupo Abril. Com esse dinheiro, o Flávio COMPROU um time de futebol nos Estados Unidos (Orlando City), construiu um estádio e elevou muito o valor do time no mercado. Aí ele comprou de volta a Wise Up. Claro que isso levou mais de uma década, mas essa trajetória pôde ser acompanhada em grande parte depois que ele começou a compartilhar as suas sacadas de empreendedorismo nas redes sociais. Eu o conheci em 2013.

Ele ficou conhecido no Brasil por publicar conteúdos voltados ao empreendedorismo, especialmente sob a alcunha de seu movimento denominado “Geração de Valor”, que o impulsionou a publicar três livros com esse nome (em volumes 1, 2 e 3).

Nos últimos anos, o Flávio vem tendo uma postura política neoliberal (coerente) super radical (esquisita), e uma das principais críticas a ela tem sido justamente o fato de ele criticar sem dó quem quer ser concursado e CLT. Estou resumindo a polêmica também, porque algumas pessoas me perguntaram “qual é a polêmica” quando comentei no Instagram que eu estava lendo o novo livro dele.

Veja: eu sou empresária, acredito no empreendedorismo, mas acima de tudo acredito na felicidade e que cada pessoa deva escolher o melhor caminho para si, que muitas vezes é sim trabalhando para outras pessoas ou sendo concursada. Isso é erroneamente confundido com “zona de conforto” ou sinônimo de quem não tem iniciativa, e eu discordo. Só quem conhece alguém que tenha escalado a jornada corporativa, dando o sangue pela empresa, ou conheça alguém que tenha estudado anos, dedicado a um concurso público difícil, sabe como essas jornadas demandam tanto empenho quanto outras. Acho injusto diminuir quem opta por esses caminhos.

Independente da visão política do Flávio, eu acredito que ele tenha sim muito a contribuir e a ajudar as pessoas que buscam ser empreendedoras e a traçar esse caminho em um país tão complicado política e economicamente como o Brasil. Além disso, serei eternamente grata pelo gás que o primeiro livro dele me deu quando eu resolvi efetivamente pedir demissão e empreender. Vejo valor sim no que ele publica, independente de todo o resto. Basta ter visão crítica sobre as coisas.

Fazendo essa necessária introdução, vamos ao livro.

Imagem: Divulgação BUZZ Editora

Lançado este ano pela Editora Buzz, “Ponto de Inflexão” traz um relato objetivo e sincero dos pontos na vida do Flávio em que ele precisou tomar decisões importantes que decidiram cenários importantes na sua vida. O livro é sobre isso: sobre como alguns momentos decisórios podem impactar tudo o que vem depois, dependendo do que a gente decidir.

Sinopse original: “Pule ou cale-se para sempre. “Vou dispensar o aprofundamento nas equações que geram um Ponto de Inflexão, mas vou apenas me apropriar deste conceito para descrever momentos de nossa vida em que nossas decisões vão determinar para que direção seguiremos e que bônus ou ônus assumiremos. Em outras palavras, tomamos milhares de decisões diariamente. Porém, algumas delas não são decisões corriqueiras. São decisões especiais. Decisões que têm o poder de mudar o rumo do roteiro de nossa vida. A elas eu dou o nome de Ponto de Inflexão. É um conceito da matemática, mas que usaremos para ilustrar perfeitamente os momentos de nossa vida que podem tomar direções opostas a depender de nossas escolhas.””

Eu gostei do livro. Seus outros livros (os GVs 1, 2 e 3) trazem trechos que ele já tinha publicado nas redes sociais – textos mais curtinhos, dicas e depoimentos rápidos. Este é um livro que, como ele mesmo disse, ele mesmo escreveu em um mês, e traz realmente um relato sem delongas dos chamados pontos de inflexão da sua vida como empresário.

Tirando alguns trechos em que acho que a emoção falou mais alto (no prólogo), achei que é um ótimo livro para empreendedores e pessoas que buscam alta performance profissional de maneira geral – lembrando de ler com aquela visão crítica que comentei, se você for CLT ou concursado. Acho que ele pega pesado em alguns momentos (especialmente quando conta por que desistiu da carreira corporativa), mas de modo geral, com essas ressalvas que só você mesmo(a) pode fazer durante a leitura, é um bom livro.

Independente de qualquer tipo de crítica que todos nós podemos fazer com relação ao que ele fala sobre política e direitos trabalhistas, não podemos ignorar a trajetória bacana que ele teve, especialmente valorizando a presença da esposa como ponto crítico de sucesso em tudo o que ele fez.

Título: Ponto de inflexão
Autor: Flávio Augusto da Silva
Ano: 2019
Editora: BUZZ
208 páginas
Clique aqui para comprar na página da Amazon