Bullet Journal e/ou Commonplace Book?

22
3903

Desde que voltei a usar Bullet Journal consistentemente tenho recebido essa dúvida em alguns canais e, por isso, quis escrever um post comentando rapidamente.

Antes, algumas definições para quem estiver chegando agora:

BULLET JOURNAL é um método de produtividade que tem como base caneta e papel (caderno). A ideia é você registrar de maneira analógica o que precisa fazer, o que já fez e o que pretende fazer no futuro. O BUJO também permite outros tipos de registros que não sejam de coisas a fazer, ficando totalmente a critério do seu usuário.

COMMONPLACE BOOK é um termo usado para cadernos em que você registra aprendizados de maneira geral, em ordem cronológica. Não se trata de diário e registro de sentimentos, mas de aprendizados. Você pode registrar um poema que leu e gostou, uma letra de música, trechos de livros ou até mesmo fazer anotações em cursos ou palestras.

Lewis Carrol

Para mim, a diferença muito clara entre um e outro é que o BUJO serve para registro da rotina (coisas que eu fiz ou a fazer) e o CPB para referências, coisas não-acionáveis.

Penso que um BUJO possa ser usado também como CPB (tudo misturado), mas ainda não sei se, para mim, funcionaria bem. Tenho o CPB bem separado e destinado a anotações de aulas, estudos e resumos. Entendo que possam trabalhar juntos, mas eu apenas não o faço. Deixo o BUJO para registro da rotina de maneira geral – mais parecido com um diário mesmo, se é que posso chamar assim.

Vale sempre lembrar que ferramentas são apenas ferramentas, que você usa de acordo com um método pessoal. Para mim, a diferença entre os dois está super clara, então não vejo problemas.

22 comentários

  1. Thaís, em muitos momentos uso meu CPB para anotações de reuniões da equipe pedagógica. Depois, vejo o que foi anotado lá que demanda ação e, em seguida, passo para as listas de próximas ações do todoist. Você também faz mais ou menos nesse sentido ou você prefere administrar o CPB juntamente com uma lista de PA, já separada, adiantando o esclarecimento?
    Desde já, parabéns pela organização da vida de mestranda com a de blogueira, entre muitas outras!! Eita mulher de garra!!

  2. Na prática eu já descobri que preciso ter um caderno “to rule them all” rsrs. Tem que ser um tudo junto misturado de BuJo/CPB/Journal e se eu conseguisse fazer tudo isso sem pautas, um Sketchbook. Sempre sonhei em ter um caderninho específico, bonitinho e dedicado pra cada coisa, mas sempre que tento fazer isso parece que dá água em tudo, entao acabei me acostumando com um canivete suíço de caderno, rs.

  3. Bullet, CPB, to do ist, agenda, caixa de entrada, etc… É tanta ferramenta que meu cérebro deu nó…

    • Porque você não tem um método, Lilian. Não importa realmente a quantidade de ferramentas. Você pode usar apenas uma e se sentir perdida também. O que você precisa é de um método, ou processo pessoal, que faça sentido para a sua vida, e aí as ferramentas são simplesmente consequência. Você nem vai pensar nelas.

  4. Thais, obrigado por esclarecer. Pretendo manter o CPB para as anotações das aulas da faculdade e outros estudos, enquanto no bujo registrar as atividades e alguns planejamentos financeiros (mesmo usando aplicativo ainda prefiro papel). Estou aguardando a chegada do livro do método do bullet, comprei depois do seu vídeo no youtube.

  5. Thaís,
    Você está usando o BUJO como mais um lugar pra caixa de entrada ou ainda a caixa de entrada é a agendinha com caneta e papel.

  6. Eu sempre anoto as dicas que você passa para a gente, aqui no blog ou em vídeos, em um caderno. Tenho um só para isso, seria um CPB?

    • Sim, mas o diferencial do CPB é justamente não ser de um único tema, mas um único caderno em que você faça anotações sobre todos os assuntos. Por isso o “commonplace”.

  7. Oi Thais!
    Já pensei em unir as duas coisas, principalmente para reunir anotações das leituras que faço. Mas acho que ficaria muito confuso e difícil de recuperar a informação. Para 2019 quero por em prática esse conceito de commonplace books graças as suas dicas!

    Um beijo e bom domingo!
    Karine

  8. Thais, voce ve uma necessidade de esclarecer as anotacoes que faz no CPB? Ou ja vai registrando com a visao de que e tudo referencia e sera consultado no momento oportuno? Em suma, gostaria de entender como se da o processo de botar no papel esses aprendizados. Obrigada.

    • Depende. De modo geral já escrevo só o que será arquivado como referência e, se pensar em outra coisa que preciso fazer, anoto em outro lugar que não no CPB. Mas nada impede que eu revise esse material e isso me faça ter ideias de coisas que eu queira fazer.

  9. Olá Thais, obrigada pelo conteúdo ❤! Acho que vi em um dos seus vídeos que você faz anotações sobre livros que você está lendo no CPB. Minha dúvida é se você faz essas anotações depois de acabar de ler o livro todo (e aí as anotações ficam todas juntas, em seqüência) ou você vai anotando aos poucos, conforme avança na leitura (e aí as anotações sobre esse livro vão ficar no meio de outras anotações sobre outras coisas)? E se for a segunda opção, você cria um índice para poder localizar as anotações depois? Obrigada!!

    • Depende muito. Hoje de manhã estava estudando e fazendo um resumo de um livro, copiando alguns trechos e criando esse resumo, e pensei no seu comentário (que eu tinha lido ontem e deixei para responder hoje). Eu não vejo com muita obrigatoriedade o copiar, sabe? Se estiver no pique e sentir que devo copiar, copio. Algumas vezes eu escrevo o que é interessante e deixo a referência do conceito para ler mais no livro em questão (se for muito grande). É bem relativo e pessoal, sem muita regra ainda.

  10. Pensei que era só comigo mas os comentários me alegraram. Não sou só eu que usa um caderno com tudo junto. :D. No meu caso já são três anos tentando separar agenda de bujo e de cpb e de planner mas nesse período de final de ano já me dou conta que mais uma vez a agenda está intacta e os planners mensais e semanais também. Registro alguns compromissos mas não consulto diariamente. Acabo sempre fazendo planejamento semanal nesse caderno único e com ele sigo. Toda e qualquer anotação ou lembrete é mais segura se estiver nele. O que me incomoda são as listas recorrentes. Sempre repetindo as mesmas procrastinações. Tarefas que passam resistentes página após página e minam minha produtividade pq me prendem. Acho que anoto tanta coisa que nunca consigo cumprir todas. A má gestão do tempo fica clara analizando o caderno. Ainda não cheguei na(s) minha(s) ferramenta(s) certa(s) após testar tanto. 🙁

    • Olá, Suzana! Tudo bem?

      Me senti muito representada por seu comentário rsrs. 🙂 Todo início de ano adquiro agenda, agora os famosos planners, abro caderninhos de anotações e acabo atravessando o ano fazendo registros em um único lugar, misturando capturas, agendamento e listas. Cada vez mais tenho aprendido com os conteúdos que a Thais disponibiliza e minha meta para 2019 é manter a agenda para organizar tudo, fazer o CPB como registros pessoais de captura e um caderno de planejamento. Tomara que eu consiga! rsrs
      Um abraço,
      Patrícia

  11. Eu já tentei usar o CPB junto com o BUJO, e não deu certo pra mim. O BUJO ficou muito cheio, poluído, e cheguei a ficar perdida tentando colocar tudo no index. Os cadernos acabavam mais rápido e era preciso passar o calendário e as listas para um novo caderno com muita frequência. O resultado foi que eu fui deixando de usar aos poucos, cheguei a voltar a fazer anotações em papéis soltos porque isso me parecia mais tranquilo que ir naquele BUJO poluidão. Foi pior que juntar BUJO e diário num mesmo caderno (o que também não foi tão agradável, mas deu pra levar por um ano inteiro, pelo menos). Pra 2019 tô montando um Bujo separado, só pra tarefas e compromissos e algumas listas que me ajudam a me organizar. Diário em outro caderno e CPB em outro caderno. Talvez seja pouco prático, mas pelo menos fica menos confuso. É testar.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui