Política pessoal de comunicação: você tem uma?

24
4475

Ontem eu escrevi um texto sobre caixas de entrada de mensagens e percebi que ainda não tinha falado sobre um assunto importantíssimo relacionado aqui no blog, que é o tempo de resposta às mensagens. Quero compartilhar brevemente então minha política pessoal de comunicação.

Qualquer assunto que possa esperar uma resposta de 24 a 48 horas
Envie um e-mail

(se eu não puder responder nesse período de tempo, vou colocar uma mensagem automática explicando a minha ausência e que retornarei assim que possível)

Qualquer assunto que precise de resposta no mesmo dia
Envie uma mensagem pelo What’s App

(eu verifico nos intervalos e respondo aquilo que tem urgência, ou ao final do dia aquilo que não era tão urgente mas demandava resposta também)

Qualquer assunto que seja uma emergência
Me telefone

(se eu não puder atender por qualquer motivo, retornarei com a máxima urgência)

As pessoas que convivem comigo já sabem dessa política pessoal. Se meu marido me liga, por exemplo, eu sei que é uma emergência. Isso me ajuda a saber quando devo atender o telefone ou não.

Adendo da Thais: Telefone é a forma mais agressiva de interrupção na vida de uma pessoa (tirando a interrupção presencial, obviamente). Ligue apenas se for uma emergência. Ligar para conversar ou para perguntar algo que poderia ser resolvido de outra maneira… ou seja, interromper o fluxo de trabalho ou de pensamento de uma pessoa apenas porque VOCÊ quer resolver o assunto logo é de um desrespeito tamanho que nem consigo expressar. Quer ligar para conversar? Envie uma mensagem. Se a pessoa responder que pode, aí você liga. Combinado?

Ter uma política pessoal me ajuda a organizar a minha rotina de atendimento a tais mensagens, como comentei no post de ontem. Em uma era em que cada um tem suas próprias regras e expectativas com relação ao que o outro deve ou não fazer, deixar a sua maneira de fazer as coisas o mais clara possível pode ajudar a evitar desentendimentos.

Inclusive pode ser uma boa expressar essa política na assinatura do seu e-mail. Fica a dica. 😉

E você, tem alguma política pessoal de comunicação? Já pensou nisso? Deixe um comentário contando. Obrigada!

24 comentários

  1. Excelente! O pior mesmo, é quando é parente insistente! A pessoa liga pro meu celular, eu não atendo. Liga pro do meu marido, ele não atende. Liga pro tel fixo, não atendemos. Manda mensagem no whatsapp e ainda chamada de áudio por lá (!!!) Quando retorno, achando que alguém morreu, né, para tanta chamada assim, não era nada demais (nada q não pudesse ser resolvido com uma mensagem de whatsapp) e ainda tenho que ficar dando satisfação da razão de não ter atendido, como se fosse minha obrigação viver pendurada em todos os telefones. Aff. E, sendo parente, é ainda mais difícil de lidar, eu acho… 🙁

  2. Nossa Thais!

    Nunca tinha conseguido expressar em palavras o que eu penso sobre ligações, principalmente pessoais, quando estou falando algo (digitando ainda, a pessoa vendo que estou escrevendo alguma mensagem…) e mesmo assim vem me interromper com a ligação.

    Muitas vezes nem atendo só de raiva! Que até então talvez eu nem estava sentindo, mas passo a me sentir depois da ligação. hahahaha

    Vou criar minha política de forma mais concreta, acho que já aplicava uma sem saber!

    Beijos e melhoras

  3. Muitos dos meus clientes são velhos, no sentido de idosos mesmo… interrupção por telefonema infelizmente é inevitável, pq não adianta falar pra escrever, eles mandam o e-mail e ligam pra avisar que mandaram 😅

    O que acaba acontecendo no meu caso em que as pessoas não se educam pra não me interromper é que eu não atendo sempre ao telefone. Se eu estou ocupada simplesmente deixo tocar e por vezes nem retorno pras pessoas. Parece mal educado, mas sou eu priorizando o que é realmente importante (muitas vezes correndo atrás de coisas para o próprio tagarela telefonador hahaha)

    Não passo WhatsApp e meu celular pra 80% dos clientes pq sei que as pessoas não esperam a resposta por mais de uma hora e vão ficar mandando mensagem no fim de semana pra coisas não urgentes. Se quiser vai ter que dar sorte de me achar no telefone comercial.

    Para adestrar clientes a se comunicar como eu quero, a única coisa que eu respondo assim que possível é o e-mail. Dessa forma, começa a ficar mais vantajoso pra eles me mandar e-mail e esperar a resposta haha

    As pessoas precisam aprender a respeitar mais o tempo das outras, mas tem aquela lógica horrorosa do “tô pagando” que faz com que muita gente ache que advogado não tem vida.

  4. “Telefone é a forma mais agressiva de interrupção na vida de uma pessoa (tirando a interrupção presencial, obviamente). Ligue apenas se for uma emergência. Ligar para conversar ou para perguntar algo que poderia ser resolvido de outra maneira…” Concordo plenamente! Isso me parece tão óbvio que não consigo entender as empresas que contratam serviço de telemarketing!! Eu, sinceramente, acabo ficando com raiva da empresa que ligou.

  5. Fantástico! Já saí compartilhando, pelo tanto que essa política otimiza nosso tempo.
    Por um mundo com pessoas menos “sem noção”.

  6. Thaís ótimo artigo!
    Uma dúvida é em como explicar essa política para familiares (ex. marido, mãe e chefes) para que não pareça “agressiva” ?

    Obrigada se puder responder!

    • Vou explicando numa boa à medida que as comunicções vão acontecendo no cotidiano. “Oi mãe, tudo bem, não respondi antes porque eu só acesso o What’s App nos intervalos” etc.

  7. Po&*@ Thais, Vou precisar copiar. É quase impossível neste mundo imediatista que vivemos, fazer as pessoas entenderem que você não esta disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Beijos querida!

  8. Nossa, perfeito!

    Eu nunca tinha esquematizado uma política de comunicação assim, mas agora vou fazer – e achei a tua ótima!

    Eu só realmente tenho um pouco de dificuldade de dizer “não” e fico pensando como exporia essa política para as pessoas, tento em termos práticos mesmo, como essa assinatura do e-mail, como em termos de afetividade. Tenho certeza que muitas ficarão de nariz torcido hehehe afinal de contas, vai se tratar de uma frustração de expectativas delas.

    Abraço!

  9. Status do meu Whatsapp: vc mandou a msg qdo pode. Responderei qdo eu puder. Os direitos são iguais! 😉
    Já fui chamada de grossa por causa desse status, mas ensinei as pessoas q falam cmg q sou assim, não vou responder a msg imediatamente, a menos q eu possa responder, se eu não puder responder a pessoa vai esperar! Até tirei a marcação visto por ultimo e visualização, agora q todos já estão instruídos, e sabem q não vou mudar, ativei as marcações e claro, tb não exijo de ninguém q me responda qdo mando mgs!!

  10. Muito bom.
    Aqui também é assim: se o marido ligar ou eu ligar é urgente.

    Se pudesse fazer um post com algumas dicas de uso (organização mesmo) do whatsapp, porque tem gente que manda áudio no meio do dia e não dá pra ouvir em qualquer lugar. Ou ainda quando você está respondendo e a pessoa manda uma frase por vez ou então uma palavra por vez.

  11. O duro é que com a amplitude de canais os clientes cada vez mais perderam o respeito pelo tempo do outro.
    Já recebi ligação de um parceiro as 2 horas da manhã pedindo para resolver um assunto que não era uma emergência.
    Ele tinha atendimento 24 horas então não achou nada demais ligar para um parceiro a essa hora para fazer uma solicitação banal.
    Ou quando a pessoa manda uma mensagem no messenger e 2 minutos, sim 2 minutos depois, manda uma infinidade de ? perguntando se não iremos responder.
    Posso até perder a venda, mas procuro salientar o respeito ao meu tempo de resposta, que normalmente é muito mais que razoável.
    Mas que o pessoal está cada vez mais “sem noção” isso está.

  12. Eu percebo que essa questão de utilizar telefone só para emergência é uma coisa que as pessoas mais novas tem, pois minha mãe com as amigas dela e minha vó também é do mesmo jeito, ligam uma para as outras qualquer hora do dia (e as vezes da noite tbm) e ficam vários minutos (quando não horas) conversando.
    Em casa eu não atendo o telefone, mas ele toca praticamente o dia todo.
    E sinceramente, fico incomodada vendo minha mãe tanto tempo falando no telefone e celular (ligações mesmo e não por mensagem.

  13. Acho que nada me irrita mais do que a pessoa mandar mensagem pelo WhatsApp com um “Oi, tudo bem?” achando que tá num telefone e esperando que você responda do outro lado. Eu tô começando a ignorar mensagens assim ou então eu entro e falo “me passe o papo todo, por aqui ou por email”.

    Simplesmente não tenho mais paciência.

    • Agora eu não compreendi mesmo. Vocês não usam o whatssap para conversar com amigos, só utilizam pro profissional?

      Não pode ligar, não pode mandar um oi tudo bem, e ai?

      Entendo se for para caso profissional e com seus clientes, mas e no dia a dia?

      Isso me fez sentir mal.

      Eu tenho amigos e parentes que moram longe, não dá pra ligar mas dá pra conversar pelo whatssap e tudo bem. Só não entendi o porque disso parecer ofensivo a ponto de vocês ignorarem a pessoa que manda um oi.

      Eu gostaria de saber se mais gente faz isso, e quais os motivos que as levam a fazer.

      • Oi Hércules, o principal motivo foi dito, é a interrupção do fluxo de trabalho ou de pensamento.
        Imagine a vida lá pra 2010/2011, por exemplo, ninguém usava o Whatsapp, e nem por isso no meio de um trabalho fazia uma ligação por telefone só pra dar um “oi” ou um “bom dia” e desligava. Quem tem emprego sabe que a pessoa que fica muito em ligações particulares ou no whatsapp é mau vista pelo empregador e até pelos colegas, e em muitas empresas é até proibido usar celular durante o expediente justamente pra não afetar a produtividade. Entretanto, entendo que algumas pessoas fazem isso por que tem uma configuração de vida diferente, minha mãe por exemplo é idosa e aposentada e a rotina dela é só arrumar a casa, ir no super mercado e fazer comida todo dia de manhã. Tarde e noite não tem absolutamente nada. Pra esse tipo de pessoa normalmente não faz diferença e ela adoraria mesmo que eu ligasse pra nada. Mas quando morava com ela lembro de algumas vezes que ela deixou queimar o arroz por que alguém ligou “pra conversar” (geralmente uma tia que também tinha a mesma rotina) e interrompeu a tarefa. Não precisa se sentir mau, as conversas sem urgência podem continuar acontecendo, no texto a Thais sugere que se for o caso de querer ligar pra conversar, antes mande uma mensagem perguntando, se a pessoa responder que pode aí sim, não tem problema.

      • Concordo completamente com você Hércules. Desculpa se vou parecer grosseira, mas para mim esse seu post e o comentário de diversas pessoas aqui foi totalmente grosseiro, embora respeito a opinião de vocês e espero que respeitem a minha. Ter que mandar um whats para perguntar se pode ligar é no mínimo ridículo, afinal telefone foi feito para isso. Se não pode atender no momento é só dizer que retorna mais tarde, ou simplesmente não atenda se não for possível. Simples assim. Ignorar quem fala “Oi, tudo bem?”?? Ué, mas o whats não foi feito para isso, para conversar e aproximar amigos/família que você não vê todos os dias?? Ninguém é obrigado a responder na hora, se está ocupado responda mais tarde, mas diz a boa educação que você responda quem fala com você. Entendo que trabalhem com isso, mas whats e telefone não são só para emergência. O povo é anti social e mal educado e joga a culpa para os outros. No mais, gosto bastante do seu blog, porém essa é minha opinião e desculpa novamente se pareci grossa pois não é minha intenção.

        • Nathi, a proposta aqui é de respeito ao outro. Cada um tem suas expectativas e percepções do que deve ou não ser feito. Releia sua mensagem e veja que, da mesma maneira que você tem seu ponto de vista, outras pessoas também têm os delas. E a ideia é justamente entendermos isso e respeitar o ritmo de cada um. Certamente quem se relacionar com você vai entender o que funciona melhor para você e te respeitar, e você fará o mesmo. 😉

  14. Mais uma vez sua exeperiência nos ajudando. Pra mim sua explanação foi fantástica porque estou criando minha empresa agora, então já estava pensando nisso pra começar já educando quem for trabalhar comigo. Até porque trabalho por hora, então não rola essa história de estar disponivel o tempo todo. 😉

  15. Costumo dizer de forma leve e brincalhona que meu prazo de resposta é de 48h por Whatsapp, simplesmente porque o pessoal conversa coisas corriqueiras mesmo. Fim de semana mal uso. E-mails tento atualizar todo dia 1x ao dia. Ligações, só as que sei que são importantes, até porque meu celular vive no silencioso e quem me conhece sabe que não sou fã de ligações.
    Também explico que gosto de parar pra responder com tempo e energia de qualidade e não pra responder de qualquer forma “fria” (em caso de assuntos pessoais entre amigos, etc).
    Claro que tem aquele grupo de pessoas que respondo de imediato quando sei que é de fato prioritário devido às circunstâncias.
    O caso é que se deixar passamos horas no Whatsapp com produtividade zero pois nada “sério” está sendo resolvido por lá. E quando quero conversar com alguém marco um encontro e tudo flui, até melhor do que seria se fosse por mensagem ou ligação.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui